PplWare Mobile

IPv6: Quais os tipos de endereços


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Blackbit says:

    Há mais de 20 anos que ouço falar da adopção “imediata” ou a “muito curto prazo” desse novo protocolo e com todos os benefícios que se esperam dele.
    Será desta que arranca?

    • Leandro says:

      Acredito plenamente que seja desta. Uma vez que estamos a entrar na era da internet das coisas de como já aqui foi falado. Até hoje o ipv6 não avançou graças a um mecanismo denominado Nat que permitiu poupar milhares de endereços. No entanto este mecanismo vai tornando-se inviável na utilizações futuras pelo que certamente será para breve.

      • Pedro Pinto says:

        Pois, o NAT e os próprios custos de implementação do IPv6 têm sido um entrave

        • int3 says:

          problema nem é os custos. mas sim o problema ser ter que ser tudo praticamente ao mesmo tempo. demora anos a fazerem o que estão a fazer. Nada haver com os custos. Já existe locais a funcionar em rede local só a IPv6. mas obviamente que isso não contribui nada para a internet só para a intranet o que isso obviamente não é nada visto que temos C/16 B/12 A/8 o que são bastantes endereços para uma rede local.

  2. int3 says:

    RA flood e SLAAC MiTM attacks 😀
    IPv6 ainda está muito fresco. Se vocês soubessem o que eu sei 😀 😀
    por não falar no NAT64

    • Leandro says:

      O nat64 não é só para fazer a transição de ipv4 para ipv6?
      O que queres dizer se soubessem o que eu sei… E sempre bom partilhar informação.

      • int3 says:

        não há tempo nem espaço aqui para descrever tudo o que eu sei a cerca do IPv6. estudei meses isso por isso é complicado. mas posso dizer que é muito mau em termos de segurança neste momento.
        é só pesquisar pelos termos que disse lá em cima “RA flood” e “SLAAC MiTM”. o NAT64 tem haver com o que disseste mas a nível de segurança consegue-se através do protocolo LLMNR fazer um fake proxy NAT64 e por final estar no meio de uma comunicação (MiTM).

  3. Marco B. says:

    Bom artigo obrigado

  4. CS7AEL says:

    Os novas instalações do MEO, o firmaware dos router já são em single edge, cujo IP está em IPV6

  5. BB says:

    Parabens!!! Muito bom, so queria colocar uma questão acerca de como funciona o subnetting em IPV6, seria possivel escrever um artigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.