PplWare Mobile

LibreOffice está disponível na loja de aplicações da Microsoft… por 9,99 euros


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. JLB says:

    LibreOffice a pagar ?
    Que LibreOffices são estes !!!
    São versões com magia negra…
    É de desconfiar, pq no site oficial da LibreOffice não é referido nenhum pagamento.
    Quem quiser pode fazer um donativo e acho muito bem.

    • João M says:

      Custa mas é preciso ler até ao fim para saber o porquê de ser pago. Para não causar a inconveniência de voltar a ler o artigo todo então passo a citar: ” No caso da versão com suporte CIB, está disponível suporte on-line, atualizações automáticas e correções de segurança por um período de 18 meses. “

      • Paulo Martins says:

        Isto é uma empresa que se está a aproveitar, o Libreoffice é totalmente aberto e gratuito o que permite a qualquer um modificar o código e vendê-lo, a versão Libreoffice que se encontra na MS Store não vem da equipa do Libreoffice.
        Mas este não é caso único, por exemplo a ferramenta WinSCP que tem na descrição “WinSCP is a popular free SFTP anda FTP client for Windows…” também é totalmente gratuito mas encontra-se na loja de aplicações a 9,99€.

        • João M says:

          NO fundo estão a vender o suporte. PAra os menos atentos é dinheiro ganho. A microsoft não se está a aproveitar,está a fazer negócio. Queres suporte online e tal–> pagas.

          • Samuel says:

            A Microsoft está a vender um Office que é grátis com suporte também é gratuito ou seja está a vender gato por lebre. Só mesmo a Microsoft para fazer porcaria.

          • Eu mesmo says:

            Não sabes ler Samuel

          • Samuel says:

            “Eu mesmo” afinal quem é que não sabe ler? Vai ler a parte final do artigo

          • Eu mesmo says:

            Samuel, onde é que está escrito no artigo que a Microsoft está a vender? Claramente não sabes ler.
            Se abrires o link ves que quem está a vender é a CIB software GmbH‬, não a Microsoft.
            Portanto ao contrário do que o João M disse, não é a Microsoft que está a fazer negócio. É a CIB software GmbH‬.

        • Filipe says:

          O meu caro devia ler melhor o artigo. A versão “vanilla” também é paga e custa 9.99€!

      • Antidogmata says:

        Talvez tenha mesmo que ler novamente (ou uma vez atentamente) o artigo já que o mesmo refere que há duas versões disponíveis na loja da Microsoft: “…A versão LibreOffice Vanilla, que tem um preço de 9,99 euros e a versão powered by CIB que tem um custo de 14,99 euros. Os dois pacotes têm como base o LibreOffice 6.3…”

    • JLB says:

      Para resposta ao “João M” e “Antidogmata”…
      Sim, li a notícia até ao fim.
      Mas também é preciso ler com algum sentido de lógica, crítica e ter 2 dedos de testa para pensar um bocadinho…
      Acho que vos faltou esta última parte, até pelos comentários abaixo de outros leitores…
      Antes de criticar, convém pensar e ler o site oficial da LibreOffice; o que também fiz !!!
      Com os melhores cumprimentos.

  2. Ermac39 says:

    Parece-me ser fake.

  3. AJ says:

    Tirando algumas exceções, qualquer programador ou empresa que queira ter a sua App na Microsoft Store terá de pagar e talvez seja esse um dos motivos de cobrar esse valor. Em alternativa, existe a versão gratuita em https://pt.libreoffice.org.

    • Paulo Martins says:

      Não é o caso, isto é uma empresa privada a tirar partido do trabalho dos outros, o custo para poder inserir uma aplicação na loja do Windows é 99€/ano, o que não é um valor elevado que a equipa do Libreoffice não pode-se pagar uma conta para inserir a aplicação na loja da MS.

      P.S.: por favor que ninguém compre esta porcaria, se querem ajudar os devs façam uma doação no site do Libreoffice.

  4. arc says:

    Vejamos…

    A CIB Software, faz parte do Advisory Board da The Document Foudation, bem como outras entidades, a saber:

    FSF e FSFE, GNOME, Red Hat, Google, etc.

    (https://www.documentfoundation.org/governance/advisory-board/)

    Chamo a vossa atenção para:

    “LibreOffice is ideal for home and small office users, but The Document Foundation does not provide technical support. (Users can, of course, get help from other users on our mailing lists and Ask LibreOffice.)”

    Se lerem LibreOffice in business (https://www.libreoffice.org/download/libreoffice-in-business/), tiram as vossas conclusões!

  5. Íngreme says:

    Mesmo com a ressalva no final do artigo referente ao suporte e às actualizações, fico sem saber quem é que afinal beneficia do lucro proveniente do pagamento da aplicação.
    Claro que ninguém vive do ar, e na página de download da The Document Foundation (https://www.libreoffice.org/download/download/) existe a opção de o utilizador fazer um donativo que é sempre bem vindo para manter o projecto vivo. Claro que tal não é obrigatório, e a pessoa pode prossequir com o download sem fazer qualquer donativo. Portanto fico com a dúvida se a comunidade responsável pelo desenvolvimento do software já está com a corda na garganta e teve de arranjar algum meio para assegurar a subsistência (o que quer dizer que o LibreOffice poderá vir no futuro a ser pago), ou se alguém pelo meio quer lucrar com o trabalho da comunidade.
    No que toca às actualizações do software, ele próprio é configurável para fazer a procura e informar o otilizador sempre que haja actualizações. E quem não quiser esperar pela notificação de actualizações pode sempre ir ao site, já que em regra todos os meses há uma versão (maior ou menor) nova.
    Depois há quem não queira ter trabalho e prefira pagar por um produto gratuito…

  6. jorge santos says:

    “www.libreoffice.org” é o único sítio de onde devem recolher o LibreOffice.

  7. Sílvio Pinto says:

    entretanto na store da maçã está a 16.99$

  8. Joselito says:

    Software deve ser pago!

  9. Eu mesmo says:

    Algumas pessoas não sabem mesmo ler.
    Onde é que diz que o publisher é a Microsoft?
    Os conteúdos do Google Play são todos publicados pela Google/Alphabet?
    A Apple Store só tem conteúdo publicado pela Apple?
    E a Netflix, só tem series originais no website?

    Então agora verifiquem quem é que publicou o software.
    E já agora, algumas pessoas não sabem o que é open-source. Isso não é um significado de gratuito.
    Software gratuito é isso mesmo grátis (seja o código proprietário ou livre). FOSS é um exemplo de tipo de software gratuito.
    Um software open-source pode ser comercializado (ou um derivado do mesmo). Foi isso que a CIB fez.

    Isto é uma não notícia. Mas claramente o pplware não encontrou mais nenhum conteúdo. E com a greve dos motoristas, estavam a precisar de um cliques. Não era Pedro?

    BTW, já verificaste se não encontras algo semelhante na Apple Store ou na Play Store?

  10. Greenshines says:

    Querem mamar a conta do officelib…
    Por isso uso um pirata da MS :p

  11. Feliciano Cunha says:

    Eu tenho o libre office, grátis é livre, vive de donativos.

  12. paulo g. says:

    prefiro usar o libreoffice de uma loja qualquer de linux…

  13. sakura says:

    a “Document Foundation” é burra mas de lá USA as politicas são todas parecidas ao burro do trump (only only only only only only Linux). Só a MS é que ainda tem juízo.
    A politica prejudica gravemente o end user pq devia-ter uma app “”oficial””.

  14. João says:

    Já veem tarde.

    A uns anos encontrei o mesmo cá em Portugal – a venderem o LibreOffice – só ja não me recordo se era a PT ou se era outra empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.