PplWare Mobile

Ubuntu Budgie 19.10: Para quem quer um Ubuntu ainda mais fofinho


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Linux says:

    Conheço muito pouco sobre Linux, mas nunca entendi quem é que o desenvolve. Gosto sempre de saber quem é que desenvolve as coisas antes de as instalar no computador e mesmo assim sei que existem riscos.

    • Anal Queques says:

      linux parece um programa mas é virus. formata já o computador!

    • luis borges says:

      Estar vivo ‘e um risco. Sobre o linux:
      1 – linux ‘e um kernel
      2 – distro (distribuicao)’e um conjunto de pacotes que trabalham em cima do kernel
      3 – google it

    • Miguel says:

      É que deves mesmo saber quem sao todos os fornecedores de software que tens instalado…..

    • Tekman says:

      A tua dúvida é legítima, mas como já deves ter reparado não conseguem articular uma resposta em termos.
      Não sou especialista em Linux, mas pelo menos posso dizer-te que o Ubuntu é uma distribuição Linux disponibilizada pela empresa Canonical Ltd, que é quem dá a cara e presta suporte. O facto de o código open-source ser desenvolvido por uma comunidade de programadores a nível global não é um problema, porque o código é validado na comunidade e por entidades como empresas e fundações.

    • RM says:

      Curiosamente, poderás saber quem desenvolveu cada pedaço código de um sistema GNU/Linux. O código é livre, a fonte está disponível e podes descarregá-lo. Lá encontrarás os autores.
      Podes ainda consultar os repositórios de gestão de versões e identificar quem fez cada alteração.
      Acresce que a discussão de cada alteração de fundo é tida em fóruns abertos e assim poderás saber quais são os motivos para cada orientação e quem as defende.
      Já de sistemas como o Windows ou o OS X não fazemos a mínima ideia quem fez, se compraram ou se plagiaram alguma linha de código.
      Se a dúvida é mais se tem chancela de alguma empresa, tb se sabe que muitas linhas do Linux têm origem em grandes marcas como a IBM ou a Oracle, para dizer apenas duas.

  2. UserX says:

    Linux fofinho… Onde é que isto vai parar…
    Pedro Pinto, mas tu achas que alguém escolhe usar Linux por ser “fofinho”? E é fofinho porquê exactamente?

  3. CMatomic says:

    Seria mais semelhante ao MacOs se utiliza-se as Appimages .

  4. Lucas says:

    Quer dizer que o Ubuntu Budgie agora é bom para quem tem laptops (ou como vocês chamam: portáveis) com placa híbrida? Tipo, Nvidia + Intel? Como é o controle? Nada de bumblebee?

  5. JCFB says:

    ewww usar graficas da nvidia no linux…
    Pra linux so mesmo amd ou graficas integradas da intel

    • CMatomic says:

      Não passe informação incorreta , as drivers proprietárias da NIVidia sempre foram superiores as da AMD .
      Hoje em dia já é possível utilizar facilmente placas GPU híbridas , mas para isso é preciso ter conhecimento .
      As empresas são as principais culpadas em não dar suporte aos sistemas GNU/Linux , mas isso já começa ser raro de acontecer , uns dos problemas drivers proprietárias pois leva a manipulação de performance em diversos sistemas operativos com fins de interesse monopólio.

      • UserX says:

        Tudo certo no teu comentário. Apenas um reparo, como eu, acredito que muita gente usa um portátil, o que significa que todos esses têm as chamadas placas híbridas (sim o nome é incorrecto e sei como funciona), e se usarem Nvidia, vão cair no chamado Optimus mode.
        A questão é que, ou usam o bumblebee, que é uma solução que funciona “out of the box”, em que basta lançar a aplicação via primusrun ou optirun wrapper. O contra é performance, e como muitas distros estão a adoptar Wayland ainda agrava mais a performance. Além de que eu não acho que seja muito apelativo ter de manualmente andar a lançar assim aplicações.
        A outra opção é O chamado NVIDIA prime, em que a placa gráfica está constantemente ligada. Em tudo seria uma melhor solução do que usar bumblebee, melhor performance, também funciona “out of the box”, e dá para usar o X11. O problema óbvio é que drena a bateria num instante.
        Para usar o NVIDIA cuda, há outras complicações, mas isso já são utizadores pro que sabem o que fazer e onde procurar.
        Portanto, não há uma realmente boa solução, do género, ligar o portátil e usar, e o próprio SO usar a gráfica sempre que fosse necessário, e assim que deixasse de o ser, não usar, para baixar o consumo de energia.
        E há ainda outro “problema”, há portáteis que têm um botão físico que permite, usando Windows e com os drivers da marca da placa, “ligar” e “desligar” a gráfica, e isso em Linux nunca funcionou.
        E é isto, as marcas são movidas por outros interesses que não os utilizadores, daí isto ainda ser problema.

    • Diogo says:

      Eu uso a minha placa Nvidia sempre que quero e sem problemas em todas as distribuições que uso, portanto não entendi o teu comentário.

      • Lucas says:

        Nvidia costuma dar problema com screen tearing e stuttering

        • CMatomic says:

          Isso não é um problema mas sim ma configuração por parte do utilizador , deve-se lembrar quem compra um portátil já vem com tudo instalado e configurado , por isso quem instala um sistema GNU/Linux vai ter que fazer as configurações por sua conta , mas se as empresas disponibilizarem pacotes de configuração para sistemas GNU/Linux ou unix , esses problemas de configuração seriam reduzidos ao mínimo .
          Os sistemas GNU/Linux conseguem fornecer um sistema operativo completo , com baixos recursos financeiros , nenhuma distro Linux tem o capital da Microsoft , e nem a Microsoft fornece na raiz ” kernel do windows ” todas as drivers.

  6. Mário Jorge says:

    Utilizo o Windows há muitos, muitos anos.
    Estou cada vez mais farto do windows.
    Quero migrar para o Linux.
    Mas, há um mas.
    .Não percebo nada de informática. Por tanto; não percebo nadinha de linhas de código.
    Devido a isto, quanto mais simples for um SO para mim, melhor. Quanto mais amigável for um SO, para mim, melhor.
    E infelizmente um SO como o Linux, não é para pessoas que não percebem nada de informática.
    Depois, a simples instalação de programas windows, no linux, segundo a busca de informação que já fiz, é uma dor de cabeça. Utiliza linhas de código, e o wine, para o instalar. Mas para tudo, precisa de linhas de código.
    Ou seja; o Linux é uma verdadeira dor de cabeça, a não ser para quem entende de informática!

  7. Sardinha enlatada says:

    Phoneix quem nunca usou linux e fala assim sem conhecimento de causa ? Isso de usar linha de codigo seja la o que isso for, e um mito. O linux consegue ser tao userfriendly como o windows. E so escolheres a distribuicao e instalar. Eu pessoalmente sempre usei o zenwalk e nunca me queixei tambem e bastante userfriendly, poderao haver outras distros ainda mais userfriendly e so escolher. Vai em frente e nao tenhas medo. Aquilo que se ouve de negativo no linux nao existe. Sao mitos que as pessoas criam sabe-se la porque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.