PplWare Mobile

Os 50 locais onde não esperaria encontrar Linux – Parte III


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Luís says:

    Falta a “Radio Popular” por cá

    • BMJ says:

      É verdade, tb já reparei….

    • RaCcOn says:

      Sim a Radio Popular também usa Linux em todos os seus terminais.

      E desde a algum tempo atrás tem andado em processo de migração do seu software de facturação.
      Software antigo, é baseado em Telnet.
      Software novo é SAP.

      😉

      • RaCcOn says:

        Esqueci de dizer que a distro utilizada actualmente por eles é OpenSuse.;)

        • Filipe Cartaxo says:

          E não só, a rede de lojas IKEA, também internamente utiliza o RED HAT em alguns dos seus terminais para acesso dos seus funcionários-
          Se não estou em erro 😉

        • JONNY says:

          Só pessoal da rp por aqui 🙂
          por cá falo da loja de famalicão relativamente a SAP é uma excelente ferramenta e muito versátil esperemos que venha a estar em todos os pontos informáticos 🙂

          • RaCcOn says:

            Lol
            SAP é um livro aberto se é que me faço entender, e o facto de ser uma adaptação parece que não faz dele uma tão boa ferramenta de trabalho para os funcionários, o SA permite teres acesso a tudo através de coordenadas e apenas com o toque em teclas, já no caso do SAP tens de andar de lado para lado com o rato a clicar aqui e acolá.

            Por acaso quando soube através do vosso director de operações (José Sala), que iam mudar de sistema pensei que iriam mandar fazer algo a medida com acesso via web-browser…
            Coisa que não se veio a verificar…

            Com isto não quero dizer que SAP é uma má ferramenta, só acho que não é minimamente prático e versátil quanto a Radio Popular necessitaria para ter nos seus terminais. 😉

    • Raul says:

      É verdade…

  2. Pedro Pinto says:

    Mais um excelente artigo. Parabéns Marisa!

  3. so what says:

    “Os 50 locais onde não esperaria encontrar Linux”
    -> 28. GOOGLE

    O quê? Linux na Google? OMG

  4. Jack says:

    Espero que nas proximas partes apareça também a minha casa.
    Aqui também se migrou para Linux…hehehehe

  5. Bom artigo, só falta começar essa revolução em Portugal.

    Faltou mencionar o Brasil, que daria um tutorial de mais de III partes.

    O Brasil impulsionou tanto o Linux como a utilização de Software Livre na França, Espanha, Cuba entre muitos outros. Para além, o Brasil, possui mais de 95% de software livre do governo brasileiro ( sendo uma lei, desenlvolver primeiro e senão conseguir, buscar no mercado).

    Deixo aqui algumas iniciativas dentro de centenas do Brasil. Cursos gratuitos de formação tecnológica.

    http://comunidade.cdtc.org.br/
    http://www.dfjug.org/jedi/index.jsp

    Revista de Software Livre

    http://www.revista.espiritolivre.org/?p=1288

    Parabéns pelo artigo
    Cumprimentos,

    Anderson Gouveia

    • So7t says:

      Estou contigo!! Imperdoável esta falha…

    • Plinio says:

      mas nossos congressistas usam windows e mac os, e os que tem ipad aquiriram estes antes mesmos das lojas vende-los aqui. quer dizer, levaram a grana do salario pago por nós para fora… também no governo, a aple tá ganhando muito… veja os assessores dos ministerios… todo mundo com ipad… já o povão compra notebook e netbook com start e como um win 7 piratex para rodar… acho que na india fizeram o mesmo os estudantes que ganharam computadores…

    • Paulo says:

      Iniciativas do governo realmente dão um passo nessa direção.
      Mas se esquecem do mais básico: fazer com que as escolas mais elementares, como aquelas que encontramos em quase todas as esquinas nas cidades, tenham algum profissional capacitado a ministrar Linux. A maioria das escolas no país muitas vezes não têm profissional certificado nem mesmo em Windows e ainda usa programa de forma ilegal para ensinar.
      É preciso material de estudo acessível para formar profissionais capazes, fiscalizar escolas que enganam o povo, e realmente abrir portas para que as máquinas que venham a ter Linux pr-é-instalado, não seja qualquer distrbuição feita apenas para diminuir os custos da máquina, reduzir imposto e incentivar a pirataria. Comprei um computador com Linux e na caixa veio CD do Nero, PowerDVD e até o Norton (tudo para Windows). E isso não é um incentivo para a pirataria? Formata-se a máquina e também a garantia.
      Um passo foi dado, agora falta os demais para terminar o trajeto.

    • Paulo says:

      Só um complemento: seu leitor da revista Espírito Livre, e esta sim, tem me ajudado muito.

  6. Miguel Augusto says:

    muito provavelmente muitos servidores que estão na NFSI Telecom também estão equipados com sistemas Linux 🙂 foi uma visita inesquesivel que tive o privilégio de fazer nas suas instalações 😀

  7. Serva says:

    @Marisa ,

    E mais um post magnifico , por acaso não sabia da IBM .

    Cumprimentos

  8. ciberjohn says:

    a Leroy Merlin também Usa. e Há bastante tempo. Reparem bem nos POS’s das caixas.

  9. Jorge Costa says:

    A minha distro de eleição é o ARCH.

    Como o slogan diz é uma distribuição muito simples com um grande gerenciador de pacotes “pacman”.
    Só uso Linux à 2 anos e é o arch quem me acompanha 🙂

    • eu says:

      sou mais um, uso arch + openbox e consigo desempenhos a nivel de cpu que nunca antes tive, aconselho a quem já tenha perdido o medo da consola e com a wiki ainda é mais uma razão para usa-lo.

    • Kombo says:

      O problema é instalar o Arch

    • Gomes says:

      também eu sou mais um utilizador de Arch Linux mas utilizo o KDE que é simplesmente fantástico a combinação dos dois é um must, quem estiver com medo utilize Chakra Project (Arch for Dummies).

      Marisa parabéns pelo artigo muito bom e que venham mais

      cumprimentos

      • Kombo says:

        Qual é a forma mais facil para instalar Arch?
        Consegues explicar?

        • eu says:

          a forma mais facil é seguir os passos do gui em modo texto depois de aparecer a consola digitas ‘/arch/setup’ depois é o processo normal de uma instalaçao ate bastante simples e rapido de o fazer

        • - says:

          Basta visitares a wiki do Arch.

        • Gomes says:

          Se tens medo da consola e estás habituado ao Ubuntu o Chakra Project é mais fácil pois utiliza instalador gráfico, e já te trás o KDE instalado.
          Se queres aprender faz como o eu disse e instala o Arch e vais ver como é rápido e simples na wiki deles encontras a resposta a muitas dúvidas, se fores seguindo passo a passo a instalação com o manual do Arch vais ver que é muito fácil, se optares pelo KDE aconcelho o KDEbase trás apenas o KDE basico sem muitos extras depois instalas tu os que queres evitando assim ficar com o sistema bloated

          O melhor é exprimentares, se quiseres podes sempre correr o chakra em livecd e ver a velocidade dele

        • Gomes says:

          Se tens medo da consola e estás habituado ao Ubuntu o Chakra Project é mais fácil pois utiliza instalador gráfico, e já te trás o KDE instalado.
          Se queres aprender faz como o eu disse e instala o Arch e vais ver como é rápido e simples na wiki deles encontras a resposta a muitas dúvidas, se fores seguindo passo a passo a instalação com o manual do Arch vais ver que é muito fácil, se optares pelo KDE aconselho o KDEbase trás apenas o KDE básico sem muitos extras depois instalas tu os que queres evitando assim ficar com o sistema bloated

          O melhor é experimentares, se quiseres podes sempre correr o chakra em livecd e ver a velocidade dele

          • Kombo says:

            Pra mim a consola não é problema eu é que nunca me vire muito para o Arch utilizo Debian…mas vou exprimentar não há nd como exprimentar =) depois dou noticias gracias

          • Kombo says:

            Já testei, testei a versão para I686 gostei do que vi agora a minha pergunta é a seguinte…compatiblidades? codecs por exemplo…reparei que o som foi na boa e a wifi tb…eu com Debian não tenhp stress com nd…será que aki tb ?

  10. Daniel Oliveira says:

    Ora bom dia,

    Gostei imenso desta serie de artigos, confesso que para mim não é novidade nenhuma a utilização de SO Linux nesses locais, a admiração seria era se lá estivesse Windows xD.
    O que me admira é a admiração de tantas pessoas por ver Linux nesses locais, pela experiência (pouca) que tenho e bom senso não é muito difícil de aceitar pois:
    Que SO se utiliza para firewalls genericamente?
    Que SO se utiliza para fazer gestão de redes?
    Que SO se utiliza para gerir cotas de utilizadores?
    etc
    Os terminais podem ser Windows por questões de usabilidade ou compatibilidade com determinados programas, mas as redes informáticas são suportadas maioritariamente por SO Linux, incluindo ISP’s e afins.
    Cumps

    • d0rp says:

      Porque o que esperas é ver Windows em qualquer lado, sobretudo se se trata de uma empresa.
      Há muitos anos, numa apresentação Sun, estranhei os portáteis serem IBM e o SO ser Windows XP…
      Se as empresas não quiserem mudar, não mudam. Se quiserem mudar, ninguém as impede!
      Windows não melhora a produtividade de ninguém. O MacOSX é a prova que um desktop de sucesso pode ter UNIX por baixo. Acho que o que confunde as pessoas e as impede de mudar para linux é 1) o medo da mudança e de não serem capazes de a gerir 2) a diversidade de distribuições que lhes dificulta a escolha e atrasa a decisão de ir em frente 3) a falta de incentivo; afinal, os PC’s já trazem Windows pré instalado

      A minha distro preferida é CentOS (para servidores). Não tenho nenhum desktop linux actualmente, mas tive redhate durante muitos anos 🙂 Mandriva não é mau, é moderno, tem muitos pacotes, e bom suporte internacional.

      just my 2(euro)cents

      • Daniel Oliveira says:

        Só por preferires CentOD para servidores em vez de Debian já não considero credível o teu comentário =P brincadeira!
        Sim, o facto de o Windows já vir na grande parte de portáteis e Desktops julgo que contribui para a não mudança para outros SO’s, no que toca aos Mac’s acho justificável pois no final de contas é o SO que se paga, agora outros dispositivos não, eu encaro a obrigação de ter que comprar um equipamento já com SO Windows como um roubo, pois afinal de contas estamos a pagar por ele na compra do equipamento. E julgo que em França isso já não acontece, já é possível comprar portáteis mais baratos sem SO.
        Por fim, quanto à variedade de distribuições… estou de acordo, julgo que se existissem distribuições apenas pelo seu “core” e as restantes mudanças poderiam ser adicionadas ou não pelo utilizador, isto no caso de distros domésticas.

        Cumps

        • Fontes says:

          Em relaçao a teres que pagar pelo Windows na compra do PC, tambem falei disso ha uns dias aqui num topico, porque comprei um EEE PC com windows (que tive que pagar a licença né? –‘) para lhe meter Linux, e segundo os comentarios de varias pessoas, tu podes reclamar e dizer que nao queres a licença do Windows, de maneira a que poupas uns trocos 😛

  11. Guilherme de Sousa says:

    Como eu costumo dizer aos “linux hater’s” que vou encontrando; quer queiras quer não, faria-te mais mossa neste momento linux deixar de existir do que windows. Isto porque todos estes serviços que hoje em dia utilizamos passam realmente por este SO, e uma quebra geral destes serviços é bem mais difícil de resolver do que o apenas ‘hater’ passar a utilizar outro SO.

    Por aqui roda ArchLinux, tanto no desktop como no netbook. Instalei uma vez em cada um e desde então (já faz 2 anos pelo menos) que nunca mais tive que formatar estas duas máquinas. Muito estável, muito rápido, pouco bloated, e totalmente configurado a gosto.

    cumps

    • Carlos says:

      Não sei, era capaz de ser chato dum dia para o outro 900 milhões (ou 1000 milhões, os números variam conforme as fontes) de PCs deixarem de funcionar.

      E também era capaz de ser chato se 75,2% de todos os servidores por esse mundo fora dessem o berro.

      Digo eu…

      • Guilherme de Sousa says:

        É um exemplo um pouco exagerado obviamente, mas seria um transtorno considerável.
        Quanto a % de servidores parece-me um pouco exagerada, ainda para mais indicando ao detalhe de casas decimais, já agora deixa a fonte que fiquei curioso.

        cumps

  12. d0rp says:

    É simpático ver artigos publicados em português 🙂 parabéns pela série!

  13. Serumeiro says:

    IKEA tambem lá tem o pinguim 😉

  14. Pedro says:

    Excelente artigo 😉
    Eu sempre usei Ubuntu ou derivados. Agora uso o Fedora 15 com gnome3 estou a adorar 😉

  15. Sammboga says:

    Na proxima edicao podem por no meu telefone tambem se usa Linux… Mas nao sera por muito tempo pois espero adquirir o iOs

  16. Por acaso até não me admirei muito com os locais onde se utiliza linux. É claro que esta série de artigos desperta interesse, a quem está à procura de achar coisas engraçadas nos S.O.s “concorrentes” eheh

  17. Jorge Silva says:

    Ubuntu por aqui, por haver bastante info sobre ele

  18. Josnog says:

    Quando li o titulo, pensava que iam aparecer torradeiras, carros, relógios… Enfim, coisas estranhas para se instalar um sistema operativo. Por isso, para mim o título não liga muito bem com o conteúdo, no entanto o conteúdo está muito bom e já foi ver os artigos anteriores.

    Fedora 15 com Gnome3, Uma maravilha que deviam experimentar com o tema “Smooth Inset”
    half-left.deviantart.com/art/GNOME-Shell-Smooth-Inset-200111295

  19. Hehe,

    Não se lembram de aqui à uns tempos um “inteligente” deputado do PSD se ter oposto ao uso de Linux no estado com a desculpa de que não era seguro?
    No mesmo dia foi tornado público que o site do PSD corria em linux, assim como 90% dos sites nacionais :D.
    É claro que passados uns dias eles “tiveram” que mudar para Windows 😀 hehehe

    • CMatomic says:

      é mesmo dizer de cavalo para burro , como os partidos de esquerda apoiam muito os sistemas livres, eles tem que estar sempre no contra mesmo que o sistema seja bom.

  20. Bruno Cruz says:

    Boa tarde a todos.

    Quero dar os maiores parabéns à Sra. Dra. Marisa Pinto pelos excelentes, senão, magníficos artigos presenteados.

    Fiquei deveras surpreendido por ver alguns locais, com na Índia, a impulsionarem o desenvolvimento e uso de software livre. E são países ainda em desenvolvimento! Mas nós, Portugal, como somos um país “riquíssimo” temos que pagar licenças, não entramos nessas coisas de software livre. (eheh).

    Para ser sincero ainda não me dediquei a fundo, a usar exclusivamente Linux como SO. Ainda necessito do Windows para trabalhar.
    Contudo tenho um projecto (ainda em papel), de instalar uma distro de Linux e ter um software tipo media center. Já fiz uma pesquisa do que há disponível, mas não vi muita escolha.
    Este projecto também consistia em implementar segurança e gestão de recursos (iluminação e AC), basicamente seria uma casa controlada por um pc e remotamente pelo utilizador. Vi alguns vídeos no youtube de pessoas que integraram este sistema em casa e sem grandes custos. Na minha opinião há muitas vantagens a nível de gastos em recursos com este tipo de sistemas.

    • Mike says:

      XBMC. É bem porreiro, e pode ser usado em Windows também, caso queiras dar uma vista de olhos primeiro.

    • Daniel Oliveira says:

      A nível de software desenvolvido não conheço se existe muito software livre, mas eu acabei à dias a minha dissertação em que rondava um pouco isso, e se souberes um pouco de programação, Python ou PHP e um pouco de SNMP ou outro protocolo que dê para controlares os sistemas que queres fazes um software personalizado sem problemas 😉

      • José Maria Oliveira Simões says:

        O software desenvolvido é mais que muito, quase nem é preciso procurar que se tropeça em software Open Source. Tudo, mas tudo o que se possa imaginar, há a correr em Linux. Precisei à tempos de alterar umas coisas no servidor de correio por cause do POP e do IMAP e escrevi uns programas em Perl. Aquilo funcionou que foi uma maravilha. Confesso que foi a primeira vez que programei em Perl. No Windows, fica-se logo à partida muito limitado. Não são poucas as vezes que fico “agarrado” por não poder fazer alguma coisa que necessito. No Linux, é muito diferente. Se se tiver um problema há milhões de colegas em todo o mundo dispostos a ajudar, e à borla. No Windows, pagas o couro e levam-tem no fim a pele.

    • Gomes says:

      existem muitas alternativas para o que queres, não sei qual o estado de desenvolvimento desta distro actualmente mas procura e ficas espantado, eu pelo menos fiquei, a distro é o linuxMCE que se não estou enganado é o kubuntu modificado. Ao instalar podes ligar alarmes, voip, mediacenter e muito mais tudo ligado no computador, controlar luzes e televisão pelo telemóvel, ir do quarto para a sala e a TV desliga-se onde estavas e liga-se onde estás e continua a passar o que estavas a ver, nunca experimentei, apenas vi os vídeos. Achei engraçado porque ela já vem com tudo incorporado

      • Bruno Cruz says:

        Foi um desses vídeos que vi no Youtube.

        Porque é que não mais desenvolvimento nessa área?
        Esse distro, LinuxMCE já a tinha visto e estive a estudar um pouco na Wiki disponibilizada mas a ultima actualização remonta ao ano 2009, nota-se pouco desenvolvimento e apoio nesta área.
        Ainda à pouco vi um vídeo do software Moovida for Linux, que me parece bastante bom e bem agradável de interface. Também à para Windows. Deixo já um pedido ao Sr. Dr. Vitor um teste a este media center.

  21. Bruno Umbelino says:

    o meu linux de eleicao e LINUX MINT
    http://www.linuxmint.com/

  22. José Maria Oliveira Simões says:

    Aqui na Câmara Municipal de Lisboa temos bastantes servidores com *nix. Os servidores com Windows não se “aguentam à bronca” com o que lhes é solicitado, pois sofrem muito de “fraqueza nas canetas”. Mas podia-se avançar mais, como por exemplo, para os PC’s, sem qualquer tipo de problema. O problema é fundamentalmente a vontade política que acaba por emperrar tudo e obrigar a despesas exorbitantes com os custos das licenças do Windows. Mas estamos em Portugal … por isso … é um atraso de vida. Acredito que 99.99% podia estar em Linux sem qualquer espécie de problemas e a custos bem reduzidos. Com o Linux, consegue-se fazer praticamente tudo. Poderá haver uma coisa ou outra que tenha que ser mesmo em Windows ou outro SO, mas é muitíssimo pouco. Para o utilizador final é igual, nem daria pela diferença.

    • @lmx says:

      Boas..
      Concordo, o problema é que as pessoas que estão a frente do estado estão se pouco marimbando para o custo das coisas…elas próprias estão habituadas a consumir o que é dos outros, não tem grande respeito, para gerir o que é de todos nós, pois não lhes custa, tendo em conta o que mamam…
      Falta sentido de responsabilidade em Portugal, todos nós já vimos pessoas a ocupar cargos políticos sem terem a mínimó capacidade, e quando chega a altura de distribuir responsabilidades porque algo grave aconteceu, na pior e é mesmo na pior das hipóteses…afasta-se a pessoa do cargo, mas esta não cumpre pena pelos danos causados, etc, e não é obrigada a ressarcir o estado português pelos danos que causou…!!
      Ora…a coisa favorece o tipo de atitude que as pessoas tem actualmente, mas também ninguém se queixa, acham que são eles que vão mudar, …sem mais nem menos…??!!

      cmps

      • Miguel Fonseca says:

        Boas lmx, subscrevo e assino por baixo em tudo o que escreveste!

        Num aparte, comecei a utilizar Ubuntu 10.10 desde maio deste ano (3 meses) em dual-boot com o windows 7 e já me desenrasco bem. Sem formação técnica qualificada nenhuma, apenas com a ajuda da comunidade opensource (este site incluído). Ora, se eu consegui, porque é que qualquer pessoa, ainda para mais com formação técnica qualificada (no ca so do estado, paga por nós), não haveria de conseguir?!
        Bem, já falei sobre isto noutro tópico, não me vou repetir!
        Parabéns pelo artigo Marisa! (pela terceira vez)
        Venha a parte IV.

        Cumps.

    • Filipe says:

      +1

      No exército, os nossos servidores (pelo menos os locais de cada unidade) são sempre gerenciados por windows.. Nos queriamos por outra coisa, mas o chefões disseram que ia ficar incompatível com o sistema mãe.. LOL

  23. Serva says:

    Boa tarde ,

    De facto o Unix é deveras mais estável que Windows , muito raramente temos uma maquina com estes sistemas que fique ” freeze ” , menos consumidora de recursos , o que não implica até na maior parte das vezes maior carga gráfica pela customização que os users fazem do Linux , mas raramente como disse encrava , então se estivermos a falar destes últimos Kerneis muito se tem feito para o tempo de boot ser rapidíssimo e o mesmo se passa no encerramento , como se pode verificar maquinas de produção mantém-se durante muitos anos sem a necessidade de serem formatadas , eu falo por mim , faço as maiores barbaridades ao SO com experiências e com instalações de novas aplicações e formato por minha livre iniciativa quando decido fazer uma instalação limpa .

    Uma das coisas que dá uma robustez ao Unix é não ter o maldito Registry do Windows que é uma autentica praga , ao fim de pouco tempo de uso se fores um utilizador que gosta de instalar programas as maquinas por muito poderosas que sejam arrastam-se quer no Boot quer no encerramento e primeiro que fiquem prontas para trabalhar podem bem passar-se uns bons minutos até que So carregue todas as drivers que se foram acumulando no registo do Windows mesmo que já tenhas desinstalado os programas ,e que tenhas aplicações de correcção do mesmo .

    Por razões objectivas escolhi a 7 anos aprender a trabalhar com Linux e desde essa altura fiquei fã , depois veio a sensação de liberdade de instalar os programas sem cracks ou sem teres de pagar como na Apple .

    Quanto a variedade de distros pode como alguns de nós escreveram ser um handicap , mas por outro lado também é desafiante as Distros não são todas iguais temos vários gestores de ambientes de trabalho e tudo isso dá uma riqueza de escolha que mais nenhum SO tem , agora concordo que todas as distribuições tivessem uma mesma fonte de repositórios isso já podia fazer a diferença .

    Outra coisa que poderia ou não ! …. catapultar o Linux é o tão badalado projecto Wayland que iria mexer no velhinho X o controlador gráfico , mas pelo que sei as prioridades não estão para aí voltadas , quanto a mim uma pena .

    Mais uma vez os meus sinceros cumprimentos a @Marisa Pinto pelo seu excelente trabalho na divulgação de um sistema que ao nível domestico ainda tem uma tão pequena penetração e que todas estas acções de divulgação merecem ser enaltecidas .

    Os meus sinceros cumprimentos a todos os participantes .

    Serva

  24. AirCrack says:

    Coitadinho do Windows©

  25. Jo§e says:

    Mint é uma distribuição muito boa para que está com receio de se aventurar no linux.

  26. Francamente não compreendo o título “locais onde não esperaria encontrar Linux”. Olhando numa certa perspetiva, revela uma considerável falta de percepção do meio.

    Seria como colocar um título “locais onde não esperia encontrar água” e colocar no topo da lista os oceanos, rios e lagos.

    É interessante revelar locais onde o Linux é utilizado nem que seja para dar bons exemplos e aculturar que está com o seu horizonte limitado pelo janelas.

    Mas por favor, arrangem outro título mais adequado.

  27. CMatomic says:

    hora vejam este vídeo made in Portugal sobre o software livre
    “Software Livre: Licença para usar e melhorar!”
    https://www.youtube.com/watch?v=-f8lSeKjiv4

    • Miguel Fonseca says:

      Boas Cmatomic, excelente video para apresentar o Linux, em particular o Ubuntu ao pessoal amigo e não só, até para partilhar nas tão faladas redes sociais de modo a levar o mundo do opensource a muita, muita gente.
      O único senão é ser de 2009, mas bom sub post!

      Cumps.

  28. Um pouco da história do Linux.

    https://www.youtube.com/watch?v=qvIUSIjZ4Ok

    Abraço.
    Anderson Gouveia

  29. “Inproprietário – O mundo do software livre” é um projeto experimental, trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo dos ex-alunos Jota Rodrigo (Johnata Rodrigo de Souza) e Daniel Pereira Bianchi do Centro Universitário FIEO – UNIFIEO.
    Softwares possuem donos. Para obtê-los, é necessário, na maioria das vezes, adquirir licenças de uso. O código-fonte, a receita do software, não é disponibilizado, o que impossibilita o acesso para consulta ou alteração dos programas. Mas nem sempre foi assim. Fruto do desenvolvimento científico, o software nasceu livre, e passaria a ser mercadoria somente nas décadas de 1970 e 1980, respaldado então pelo Copyright.
    A oposição ao software proprietário surgiria no cenário da tecnologia sob idealização do hacker Richard Stallman, para resgatar a liberdade do compartilhamento de softwares e seus códigos-fonte. Era o Projeto GNU, a origem de um movimento do software livre. Com a grande contribuição de Linus Torvalds, nascia o GNU/Linux, o novo sistema operacional livre, e diversos outros softwares, à tentativa de universalizar o acesso compartilhado à tecnologia computacional.
    Hoje, o software livre está presente em ONGs, orgãos governamentais, empresas privadas e em nossas casas.

    Elenco:
    Roteiro/Pesquisa/Entrevistas/Imagens:
    Daniel Pereira Bianchi
    Entrevistas:

    Aline Freitas
    Cristiano de Jesus
    Eluetério Fernando da Silva Prado
    Jorge Marcelo dos Santos Mendes
    Paschoal Neto
    Sérgio Amadeu da Silveira
    Yros Aguiar
    Edição do Vídeo:

    Aroni Lolo
    Daniel Pereira Bianchi
    Fábio Rogério
    Jota Rodrigo
    Pós-Produção:

    Daniel Pereira Bianchi
    Jota Rodrigo
    Locução:

    Leandro Andrade
    Música:

    “Cat Video” – Blue Man Group
    “Freedom” – (Zack de la Rocha) – Rage Against The Machine
    “Old Things” – Derek
    Orientadores:

    Jorge Grinspum
    Marco César de Araújo
    Orientação de Capa:

    Helena Rugai
    Coordenadora de Projetos Experimentais:

    Paula Veneroso
    Coordenadora dos Curos de Comunicação Social:

    Helena Rugai
    Chefe de Departamento:

    Sandra Nunes
    Reitor:

    Prof. Luiz Carlos de Azevedo
    Informações:
    Tamanho: 302 MB
    Resolução: 720×480
    Frame Rate: 29 fps.
    Qualidade: DVDRip
    Avaliaçao do Áudio: 10
    Avaliaçao do Vídeo: 10
    Vídeo Codec: DivX
    Áudio Codec: Lame MP3
    Idioma: Português / Espanhol

    http://www.megaupload.com/?d=H9BCP8VK

  30. Miguel says:

    A maior “organização” mundial a usar Linux é a própria Internet, sem Linux a Internet como hoje a conhecemos era impossível. Mais de 90% de tudo o que está “por de trás” da Internet corre em Linux.

  31. As escolas portuguesas também já estão a adoptar um sistema de dualboot com Windows e Linux.

    Embora não seja muito utilizado já é um bom começo!

  32. DaniR says:

    Excelente artigo.
    Já experimentei Fedora e não fiquei fã. Actualmente uso Ubuntu em paralelo com Windows. Depois tenho distribuições apenas para fins académicos como é o caso do debian e backtrack.
    Apesar de reconhecer as vantagens o Linux, há casos em que não me consigo desembaraçar do Windows como é o caso do desenvolvimento usando a .net framework. Mas também como não sou alérgico a nenhum sistema operativo, nem muito menos um “hater”, uso os dois sistemas e escapo-me sempre desse tipo de guerras.

  33. eu says:

    A worten também usa Linux. Experimentem, naqueles ecras ao pé dos jogos/filmes/musica onde se pode procurar coisas, ficar a carregar com o dedo no ecrã 😉

  34. luislelis says:

    Mais um longo blabla bla meu.

    Bom artigo embora nao seja uma surpresa esta qualidade no pplW.
    Penso eu de que…. deveria ter sido centrado no panorama portugues/nacional de forma as pessoas poderem constactar in loco.
    Tipo a maquina da padaria que tem aqueles programas todos para os bolos e pao he linux. As tvs que temos em casa com aqueles menus todos xpto …linux. O software dos nosso carros linux. Os telemoveis q vcs teem no bolso etc
    Atencao Srs criticos digo linux em vez de “baseado em unix” para nao confundir o pessoal.

    Mas como falei em unix deixem me esclarecer :./.

    O linux nao he um sistema operativo (agora e que me vao matar) he um kernel com base no unix ou seja e a parte interface grafico que da a cara ao unix tipo o pintor do unix…

    He como ir ao cinema e ver um filme com legendas. As legendas sao uma traducao do que a pessoa ouviu podendo por vezes ter sido interpretado de forma diferente ou seja ouve pao mas pode traduzir para carcaca.

    Exemplo do windowsMas para nao ser um chato digamos e nao me alongar era baseado no Dos so letras e numeros q o pessoal perdia a paciencia de decorar os comandos todos.
    Um dia o gates virificou q Apple tinha conseguido um computador giro e q andava a dominar o mercado.

    Resolver falar com o socio e contractaram um pintor para o MS DOS e chamaram ao kernel de Windows e la conseguiram entalar a Apple sim foi o primeiro a aparecer com os computadores a cores com graficos (Foram os primeiros a vestir o Unix).

    O Linus achou q nao tava para pagar a ninguem para usar um computador e resolveu embelezar o seu proprio unix com o kernel linux(na realidade nao foi ele mas fiquemos por aqui vao a wiki)

    Eu comecei com unix e depois apareceu o dos q era um espetaculo na epoca acabei virado para o windows pois libertava o cerebro para a parte creativa nao tendo de me preocupar com comandos do dos que corriam por detras do kernel windos .
    Se istiver errado corrijam (como se fosse preciso dizer lol)

    Quanto ao ter medo de mudar….

    Vai para uns anos q so uso Linux nao por ser melhor mas porque ja consegue chegar ao nivel do windows e em pouco tempo ou seja Facil utilizacao (Como os intelectuais de esquerda gostam de dizer (User friendly).

    Vale mesmo a pena experimentar nao so pelo que se diz mas principalmente por ser gratis (tb existem distros a pagar).
    Se forem jogadores ou comprem uma consola ou esquecam o linux ainda la nao chegou mais por culpa das patentes que pela creatividade.

    Na realidade hoje em dia se nao vos disserem que he linux nem notam. (atencao especialistas nao fazem parte deste filme).

    A unica diferenca sao os nomes dos programas (Basta renomear para ficar com o nome que quiserem tb nao e por ai).

    Mais estavel nao direi o conceito de estavel um pouco relativo.

    O Barco e estavel ate que entra um gordo que….

    Vao para o linux isso experimentem e nao precisam de deixar o windows para ter linux.

    So o descanso de nao pagar e nao ter virus …. rapazes ete os pelos do Rabo batem palmas.

    Para quem nao quer notar a diferenca Zorim.com Ubuntu ja foi bom ate ao 10.04 eu normalmente vejo a Distrowatch.com e experimento tudo o que apela graficamente. (Nao tenho limite de downloads lol)

    Esperem pela parte 2 em breve “O regresso do melga2”

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Só um ou dois apartes. O Bill Gates é um individuo brilhante. No entanto, devo lembrar que o MS-DOS é um SO que teve a sua génese na IBM. Estamos a falar dos anos 80 quando apareceu o PC-IBM com o processador intel 8080 (mais tarde no Intel 8086 e 8088) ou Zilog 8000 se não estou em erro.

      Infelizmente, o desenvolvimento que foi feito em cima do núcleo que tem capacidade de mutex (capacidade de multi tarefa) é todo mono tarefa fazendo com que o kernel seja mono tarefa. Isto é assim porque os programadores iniciais (da IBM) eram bem mais avançados tecnicamente que os programadores da Microsoft. Isso veio a ser corrigido com o Xenix que foi um Unix desenvolvido pela SCO (empresa da Microsoft), sob licença da AT&T.

      O Windows 3.0 que apareceu no MS-DOS 5.0 tem a sua origem no X-Windows (Massachusetts Institute of Technology).

      • Ricardo Elias says:

        A Microsoft comprou o 86-DOS para iniciar o desenvolvimento do que passou a ser designado de MS-DOS, sendo depois licensiado ‘a IBM com o nome de IBM PC-DOS. A IBM nao queria ter nenhum envolvimento ou direitos directos no SO para evitar processos judiciais.

        O DOS e’ mono-tarefas devido ‘as limitacoes do processador 8086, e nao devido ‘as capacidades de programacao da IBM ou Microsoft.

        A Microsoft comprou uma licensa ‘a AT&T (autora e detentora dos direitos do UNIX) para desenvolver o Xenix, inicialmente para PDP-11 e por conseguinte os Zilog. A MS licensiou o Xenix ‘a SCO para estes portarem o Xenix para os x86.

        Fiquem Bem!

        • José Maria Oliveira Simões says:

          Certo é que o núcleo do kernel tem capacidade de mutex, já o restante código não o tem. É o SO que gere o computador. Isto não tem a haver com qualquer constrangimento na arquitetura do processador ou bottle neck directamente, a não ser a capacidade de endereçamento da RAM. Toda a gente sabe que o Bill Gates esteve integrado num projecto nos laboratórios da IBM, precisamente por causa do Disk Operation System. Foi aí que ele tomou contacto com o DOS. Mais tarde, quando já não estava a trabalhar na IBM é que apareceu o MS-DOS.

          • Ricardo Elias says:

            Explica o que que queres dizer com “mutex” porque esse termo nunca o vi referiado em 8086/MSDOS. Mas pode ser que porque faz varios anos que aprendi a arquitectura 8086, mais a fundo o 8085 (ate’ ao ponto de como este implementa as instrucoes, registos, etc), talvez ja’ me esqueci disso!

            O que um sistema operativo faz depende sempre das capacidades do processador. Este e’ que executa o codigo, e que define como sao feita as varias tarefas que o SO precise. O mesmo SO precisa de ser escrito de forma diferente dependendo da arquitectura.

            Quando o MS-DOS carregava uma aplicacao, nao conseguia limitar as capacidades que a aplicacao tinha devido ao real-mode do processador. Por isso, a aplicacao poderia mexer ‘a vontade no SO, adultera-lo, chamar outros INT de Hardware sem passar pelo MS-DOS (INT 21h), etc.

            A simulacao de multi-tarefas que os Windows 3.x e antecessores implementavam dependia das aplicacoes em abdicarem do processamento e passa-lo para o Windows, que depois passava para outra aplicacao, por isso e’ que era Cooperativo e nao Preemptive (apenas possivel em processadores a funcionar em Protected-Mode, e neste caso, a aplicacao pode ser interrompida a qualquer altura pelo processador para que o SO possa dar tempo a outra aplicacao ou fazer o que necessite). Mas isso nao tem nada a haver com “mutex” ou “capacidades” do SO.

            Sobre o desenvolvimento do IBM PC-DOS nao precisas de ir muito longe:
            http://en.wikipedia.org/wiki/IBM_PC_DOS

            Se o MS-DOS teve origem no codigo da IBM, a Microsoft nao teria comprado o 86-DOS (porque comecar do zero demoraria muito mais tempo, e tempo e’ dinheiro) e licensiado uma versao para as especificacoes da IBM (IBM PC-DOS).

            A confusao talvez reside em “MS-DOS é um SO que teve a sua génese na IBM”. Tens razao em que o “MS-DOS” nasceu porque a IBM queria um “DOS” para os seus computadores. Mas o “codigo-fonte” do MS-DOS nao teve origem na IBM, mas no 86-DOS.

            Fiquem Bem!

    • Marco Mendes says:

      He? LOL?

      • PGR says:

        Realmente… Já não basta o dito “acordo ortográfico”.
        Dá-se o mesmo numero de cliques, fazendo “he” ou “é”. Ou estamos enganados???

        • luislelis says:

          como o meu teclado nao tem acentos (Ingles) nao da para meter acentos ou cedilhas capitche? Corrigindo da mas tenho de mudar a configuracao e como penso que um gajo inteligente sabe ver isso nem me dignei a explicar.
          Mas como deves ser Prof de Portugues As minhas desculpas.

      • luislelis says:

        Fico a aguardar um teclad(PT) por ti oferecido contacta-me para te dar a morada (e ja agora uma borracha para apagar os erros no ecran (nao tenho til espero que consigas entender na mesma ou entao pede que envio em dezenhos animados a explicacao).

  35. O meu SO says:

    Eu uso o Ubuntu, mas gostava de criar a minha própria distribuição linux, não gosto da maneira como o Linux está a ir (mas continuo a usa-lo), o linux está a ficar cada vez mais complicado como o Gnome 3 e o Unity (para mim está bem, mas acho que assim o linux fica mais para Geeks do que era antes).
    ——————————-
    Provavelmente vou ter respostas deste comentário tipo assim, “Usa o KDE!” “Usa o XFCE”! Mas eu gosto do Gnome!

  36. rubenduarte says:

    “Segundo indica o artigo da Rediff em Setembro de 2006, cerca de 1,5 milhões de estudantes de 2650 escolas governamentais do ensino secundário, deixarão de usar o SO Windows.”

    Em vez de “deixarão” deveria ser “deixaram”.

  37. Serva says:

    Boa noite ,

    Não conhecia o Zorin Os , já o saquei os 1,1 Gb em 1 M , esta é a grandeza do Linux .

    Cumprimentos

  38. Serva says:

    O link para o Zorin é este :

    http://zorin-os.com

    CUMPRIMENTOS

  39. Hélder Ferreira says:

    A IBM começou a usar Linux à +/- 10 anos.
    A IBM foi a primeira empresa a ter todos os seus terminais (desktops e servidores) a funcionarem com Linux.

    A IBM foi a primeira empresa a ter o primeiro computador com o primeiro SO, DOS (a correr num PC-DOS), que posteriormente o DOS foi vendido à Microsoft nos anos 80.

    A IBM foi a primeira empresa a fabricar o primeiro computador doméstico.

    Portanto, não estou nada admirado da IBM usar Linux.

  40. Hélder Ferreira says:

    Pedro ou alguém que possa apagar comentários, que apague estes dois meus comentários…
    O anterior porque enganei-me e tem lá informações que não são totalmente verdadeiras… E este porque… não é preciso justificar.

  41. Italo says:

    Minha distro escolhida também é o Arch Linux (embora eu esteja usando Windows neste instante). A simplicidade dela faz com que eu não consiga usar nenhuma outra distro. Depois de se acostumar com o poderoso pacman (e variados, como o powerpill), não é mais possível usar algo tão problemático e confuso como apt-get. A configuração centralizada via arquivos de texto também é uma mão na roda. Mas o melhor de tudo, é a capacidade de manter um sistema para sempre, sem necessidade de reinstalação, devido ao fato de ser um distro rolling release, ou seja, não é um ciclo de atualziações, os pacotes vão sendo atualizados conforme são lançados!
    Outro ótimo ponto é que os pacotes são lançados em sua forma original, são apenas compilados e empacotados, sem patches ou alterações. Você acaba tendo o que os desenvolvedores entregaram, e só.

    Estou mais familiarizado com o Arch em cojunto com o Openbox e outras aplicações (não uso muitas, pois instalo apenas o que vou usar), embora eu vá tentar usar o Compiz como WM Standalone.
    Vida longa e próspera!

  42. pedro says:

    A IBM é um dos maiores, senão o maior, investidor em Software Open Source…
    É uma empresa com visão…
    Como é claro, investe, mas também tira o seu proveito disso…

  43. Tiago says:

    Novell… ainda tenho cá um file server com sistema operativo deles e só é reiniciado quando há intervenção eléctrica que obriga a desligar o quadro eléctrico… fantástico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.