PplWare Mobile

Os 50 locais onde não esperaria encontrar Linux – Parte II


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. rodasp says:

    Eu acho que sim.. apesar de isso ter alguns custos de formação e transição.

    • PTGamer says:

      não sei onde vês grandes custos…
      no que toca a formação nada melhor do que deixar as pessoas começarem a explorar por elas mesmas. para não falar que 70% dos programas que tens a possibilidade de instalar em linux são gratuitas, e por vezes melhor que as pagas que temos nas nossas “janelas”.
      com o “wine” consegues instalar muitos programas de windowns em linux.(com um bocado de jeito pus o safari no ubunto 10.4)
      só falta mesmo a força de vontade, pois alternativas ao office não faltam(gratis e.g open office)

      • PTGamer says:

        esqueci de mencionar que o ubunto,kubunto, etc, etc(pelo menos pra mim) é mais intuitivo que o windowns.

        ps: só respondo a críticas construtivas.
        ps2: não sou um “fanático” pelo linux. pois neste momento escreve de um pc com win7

      • RaCcOn says:

        Existem mesmo grandes custos para a mudança…
        Custos com a formação, custos com o suporte…

        Ou achas que uma empresa com 50/100 funcionários, que desde sempre estiveram habituados a trabalhar em ambiente Windows vão conseguir passar para Linux com um estalar de dedos?
        As pessoas são relutantes a mudança e nem toda a gente é tão autodidacta para aprender sozinha…

        • LuisF says:

          Não é preciso muita formação. Estamos a falar de funcionários que continuam a usar a mesma aplicação mas num sistema operativo diferente. Não estamos a fazer de utilizadores domésticos.

        • @lmx says:

          Boas …ninguém falou em empresas , mas sim o estado!!!
          é igual, meu caro :), os custos de aprendizagem são os mesmos.
          depois, se todos ou outros deixaram o windows e nunca mais o querem ver e pouparam milhões…se calhar é porque é mesmo mais barato, ou não?!

          cmps

          • A minha empresa (grande) usa linux em todo o seu explendor, windows só numa maquina e por requesito do bicho papao! Mas mesmo essa que é windows é numa virtual :p.

        • cartoon says:

          O que se poupa em licenças acaba por compensar!

        • XN says:

          Continuam a existir aplicações proprietárias desenvolvidas para Windows e que não correm em Linux ou em “Wine”. Como já foi referido existe o factor “resistência à mudança”. A transição a acontecer terá que ser gradual e num cenário de convivência Linux/Microsoft antes do salto final.

        • José Silva says:

          tu nunca passaste ninguém para Linux, ou já? a minha experiência diz que o que não sabiam continuam sem saber, e o que já sabiam continuam a saber. é lógico que têm uma adaptação, mas é irrelevante.

        • nuno says:

          Mas há algumas distros que se assemelham ao windows (como é o caso do Zorin OS) e isso pode facilitar a transição.

      • Carlos says:

        Boa ideia!

        Bora tudo deixar de trabalhar para “explorar” não sei bem o quê.

        Não sei se sabes mas nas empresas os computadores não são brinquedos para “explorar”, são ferramentas para trabalhar.

        As pessoas aqui onde trabalho não “usam o Word”, escrevem cartas, relatórios, etc, não “usam o Excel”, fazem relatórios, mapas de contabilidade, etc.

        Mudar para o Open Office (que é uma piada ao pé do Office 2007 para nem falar no 2010) significaria que enquanto não aprendessem a usá-lo (e não têm vontade nenhuma de o fazer) não fariam nada disso.

        Mas ei, se tu queres vir cá e pagar o custo disso, estás à vontade.

        • cartoon says:

          Não percebo é como é que fizeram nos 20 casos que foram citados até agora… Repara que são grandes empresas, fartaram-se de perder dinheiro com a mudança, coitadas… Os funcionários não se conseguiram adaptar… E realmente, trabalhar em Linux, é mesmo muito complicado… Trabalhar em OpenOffice, então nem se comenta, é tão diferente do Office 2007… É mas é tudo uma cambada de comodistas que não quer fazer um chavo para mudar!! E tu, deves vender material da Microsoft, de certeza! 😀

        • PTGamer says:

          “…Mudar para o Open Office (que é uma piada ao pé do Office 2007 para nem falar no 2010) significaria que enquanto não aprendessem a usá-lo (e não têm vontade nenhuma de o fazer) não fariam nada disso.”

          então no teu “caso” é mais uma questão de comodismo e falta de vontade.
          Hoje em dia temos de ter diversidade no nosso conhecimento.
          as empresas não são obrigadas todas a usar o office 07/10, tens de te saber adaptar perante os desafios que te surgem.

          e não querer fazer nada é desculpa para ppl ja com 60(sem querer ofender ninguem e tentando ser o mais imparcial possivel) anos que sempre trabalhou na mesma coisa. Ai sim fica dificil de ensinar e por vezes nem vale a pena.

        • d0rp says:

          O que as pessoas pensam ou acham é irrelevante. A única coisa que conta é o que a direcção da empresa quer. Se quer mudar para linux, aguentam-se e não choram e ai de quem bufar. Tudo depende do que é vendido à administração 🙂 Se amanhã decidirem mudar para Apple, mudam ou não mudam? Ai mudam mudam! Quanto a custos, são os mesmos. A maior parte do trabalho que as pessoas fazem hoje em dia chama-se Farmville e é web-based. Aliás, quase tudo é web-based, até a contabilidade 😛 Ora, se as aplicações são web-based, o SO é irrelevante! E os custos de formação são os mesmos! Aplicações legacy? Há por aí empresas especializadas em fazer a mudança para um novo paradigma, e os custos da migração são compensados pelas licenças canceladas 😉

        • Belelé says:

          Na entidade onde trabalho passei/passo pelo mesmo.
          Resistência à mudança do MSO para OO.
          E é só mesmo resistência, comodismo, falta de vontade, …
          Já agora, quem pagou o custo da mudança que fizeste do MSO 2003 para 2007/10?
          A curva de (re)aprendizagem do MSO 2003 para 2007/10 é maior que do MSO 2003 para OO…

        • Paulo says:

          Concordo perfeitamente!

          Já não uso Windows à bastante tempo, e igo-te cada vez gosto mais de Linux..

          ..MAS ainda uso Windows porque Office é incomparavelmente melhor, mais intuitivo, organizado, eye-candy, e podemos continuar.. para não falar que uso e sei usar Word e excel à mais de 10 anos.. Já tentei várias vezes pegar em Libre Office e Open Office, é de perder a cabeça.. 🙁

          Mas relativamente ao tema, muitas destas empresas podem ter sido “forçadas” a fazerem a mudança, e muitas delas os utilizadores podem ter incomodado o Dep. Informático vezes sem contas.. mas isso até com o Windows acontece..

          Investir no Linux, acho boa opção agora para produção/secretariado e outras funções penso que o Windows ainda domina esse mercado.. os softwares das empresas são “estáveis” em Windows.. por isso muitas não mudam!

          Terminado, quero experimentar uma nova distro, Debian ou Archlinux?

      • Ricardo says:

        A tua frase choca com a realidade dos serviços 😀

        “no que toca a formação nada melhor do que deixar as pessoas começarem a explorar por elas mesmas”

    • Malic X says:

      Nos servidores sim. É uma boa opção. Os maluquinhos que compilam o kernel todos os dias ficam contentes e as versões ou distribuições usadas nesse meio são duas ou três no máximo.

      No desktop é que não serve. Nada funciona, só os geeks é que têm paciência para dar marteladas na linha de comandos e claro para compilar o kernel. Isso faz parte do DNA de qualquer fanático do pinguim.

      Por fim o preço. Atualmente na compra inicial o Windows é mais caro (pelo menos se fores a uma loja comprar o SO). Se comprares uma máquina com SO instalado veras que não tem diferença comprar com Linux ou Windows.
      Mas como tudo funciona na base do serviço a análise a 3/4 anos acaba por ser irrelevante o custo inicial, se no final ficar mais barata a manutenção do parque Windows.

      Do ponto de vista macro econômico o Linux até tem alguma vantagem teórica, pois o custo de posse igual ou superior ao Windows fica em Portugal na medida em que quem presta o serviço por norma são empresas portuguesas. Mas a mudança é muito complexa.

      Em resumo, nos servidores o Linux tem uma boa presença e irá continuar a ter, mas em desktop é para esquecer por duas razões:
      – simplicidade de uso em Windows / software disponível para o comum dos mortais e não geek
      – o mundo está a ficar mobile. O sistema local deixa de ter interesse. Agora é tudo iOS / Andróid e os servidores estão na cloud Azure ou AWS.

  2. Visitante says:

    Acho que cada um deve escolher o que achar melhor. Deve ser quem usa a escolher em vez de uma escolha centralizada 🙂

    • Mike says:

      Concordo em parte. Mas acho que deve haver um standard, por forma a que seja uniforme para todos.

      • Visitante says:

        Concordo totalmente 🙂 Se bem percebi, há uma distro (ou duas, vá lá!) que aqueles que estejam interessados possam escolher e assim estar salvagurdada a segurança, na medida em que há uma equipa que domina o essencial!

  3. wolfytuga says:

    Lá está, tudo o que é considerado importante e que precisa de ter um SO que volta e meia não mostra ao utilizador uma mensagem do tipo:
    «O programa deixou de funcionar!»
    Tem o Linux instalado xD pois as alternativas, UNIX ou MacOS X são mais caros!

    • Hugo Pires says:

      Isso do “O programa deixou de funcionar!”, a maior parte das vezes é problema do software, e acontece em todos os SO se o software tiver problemas.

      • wolfytuga says:

        Ok, isso pode até acontecer nos outros SO, sim, mas o que quis realçar foi o problema de isto acontecer quando aparece por culpa do SO… É que ter um programa que funciona maravilhosamente em Windows XP, no início funcionava bem no Vista e no 7! Depois nestes dois últimos, vem uma actualização de sei lá o quê e, de x em x utilizações lá tinha de gramar com essa mensagem…
        E isto não acontece só a mim… e não é só com um programa!

        Desde que uso Linux, o único a mostrar isso foi o Banshee, de resto não tenho queixas (fora uns bugs no Unity, mas é por isso que lá está o Gnome 2.x).

  4. André Silva says:

    Uma proposta inicial seria implementar GNU/Linux em sistemas que não tivessem interação direta com as pessoas, isto é, sistemas de senhas, spots publicitários, sistemas com interface gráfica dedicada à tarefa (sem acesso ao sistema em si, por exemplo, quiosques de informação), …

    Mas não é só o sistema operativo que tem de mudar: o software atual também teria de ser modificado para aplicações multi-plataforma ou aplicações web em que basta ter um httpd.

    Mas como disseram no artigo anterior, parece-me que seja uma questão de “acordos e contratos” que põe entraves a esta mudança.

  5. CMatomic says:

    A muito tempo que utilizo sistemas linux , mas deixei de divulgar as ventagens do sistema em relação ao windows , pois cá em Portugal as instituições públicas e privadas gastão milhões com a microsoft , mas não reparam o beneficio em investir no sistema que é partilhado por todos e por varias empresas, pois dizem que transição é cara, mas acho que a preguiça sai mais cara.

    • Ruaben says:

      concordo plenamente contigo, mas eu acho que estam a começar a aderir ao linux, por exemplo o magalhães2 vem com win7 e caixa magica, o maior problema é estarem agarrados a ms, mesmo a mentalidade das pessoas, das poucas aulas que tive na sala de pc’s (tic só pro ano) nenhuma utilizei linux, a desculpa “é feio”, “não sei usar”, “não tem ms office 2007″…

      • @lmx says:

        boas…
        se o problema é de mentalidade muda-se…so a morte é que não dá para fazer nada a cerca dela, de resto se é mentalidade, altera-se, para bem das minhas e das vossas finanças…já não aguento mais gamanço!!!

        cmps

    • Wykzl says:

      A transição é cara porque há a questão da formação. Na grande maioria das empresas portuguesas o/a empregado é suposto saber trabalhar com windows e office. Onde aprendeu é com ele…
      Se mudar para Linux, de repente o que está em casa não serve de “formação”, pelo que há que dar formação a cada um…e antes que cruzem o braços e digam “não posso trabalhar porque não conheço a ferramenta”.
      Perguiça ? Também a há, mas não se pode fazer de conta que não há custos de formação/adaptação só porque o sistema é free.
      Se fosse passar para MacOs, tinhamos o mesmo problema – mais os custos do licenciamento

      • @lmx says:

        a transição é cara?então o linux é mais caro?se é mais caro porque é que montes de organismos mudaram porque afinal era a MS que era cara??
        alguém explica??

        cmps

  6. So7t says:

    Então e o Brasil…???

  7. slooney says:

    Faltava só o 19 para serem 50 locais.
    Muito bom este artigo!
    Quanto à pergunta colocada… Esta transição para os serviços e cidades portuguesas teria custos imediatos mas que depois resultariam numa poupança a longo prazo, na conjuntura atual seria um pouco arriscado.

  8. JC says:

    Acho que falta aí o 19 😀

    Artigo bastante interessante, vou seguir isto até ao fim!

  9. So7t says:

    Gostei especialmente de ver uma foto do Microsoft Word no monitor (Russia)… ]:) ;);)

    • Danilo Luiz says:

      Hehehe, também notei isso. Até procurei nos comentários antes de fazer o meu.

      Particularmente, depois que instalei o Windows 7 recentemente, só tenho vontade de conhecer o Mac OS. Hoje em dia a Apple está mais popular devido aos gadgets e o Windows está melhorando cada vez mais, as empresas grandes usam tudo da Microsoft (exceto quando se fala em tratamento de imagens e vídeos), acho pouco provável que o Linux chegue nos desktops e nas workstations. Quanto a servidores, a Microsoft está melhorando também, já a Apple não ouvi falar nada a respeito, só sei que quero o AirPort e um Time Capsule.

    • Vítor M. says:

      Não é o Word, é o novo AbiWord 😉

  10. Admirador Secreto says:

    A listagem salta de 18 para 20.

  11. zicx says:

    O problema de tudo isto vem do ensino, escolas e universidades deviam de ensinar prioritariamente em linux, quem mexe em linux tb mexe em windows. o contrario é que é mais difícil. as linguagens de programação ensinadas são maioritariamente .net. (tudo é microsoft)
    A administração central e local devia unir esforços e concentrar custos e implementar software de gestão, nacional com base no linux (caixa mágica), isso poderia ser um trabalho para as universidades a fim de terem lucros…
    gostava de ver essa medida no caderno da troika.

    • com as distribuiçoes que existem hoje em dia.. que mexe num pc mexe num pc 😛 tanto faz o sistema, é mais facil transitar de windows para linux que, por exemplo, de windows xp para windows 7…

    • @lmx says:

      boas..
      não é bem assim, na minha faculdade, tive windows durante dois anos, a partir dai, foi sempre a curtir em linux, Assembler,c/c++ ,java,bash, programação consorrente(client/servidores), https,ftp,ssh….API Posix..o homem nunca inventou nada melhor até hoje.
      E actualmente os miudos do 1º ano já se fartam de curtir no linux, até transpiram 🙂 …
      Mas só lhe faz é bem 🙂 , conhecimento é o que portugal precisa, cenas hardcore…
      Acredito que esta a mudar a mentalidade, temos que empurrar o barco para a frente, não podem ser uns a puxar para a frente e outros para trás.

      cmps

  12. Nuno Coito says:

    Como implementar um sistema Linux numa população que não sabe aceder à internet, instalar o programa das declarações eletrónicas e preencher a sua declaração…..

  13. PTGamer says:

    é impressão minha ou a georgia copiou os nossos Magalhães?

  14. m4x says:

    Porra, essa foto das filipinas…… O_O

  15. Serva says:

    Marisa ,

    Os meus parabéns pelo teu fabuloso artigo , só quero dizer o seguinte o Linux é de facto mais barato mais fiável que a Microsoft e explico a parte pecuniária da seguinte forma :

    Não confundir o custo do SO com o custo das aplicações que se instala no mesmo assim existem os seguintes custos no Sos pagos .

    Custo do So e no caso das empresas custo das licenças anuais
    Custo das aplicações (office outras mais especificas)
    Desenvolvimento das aplicações
    Custo do Nr de postos de trabalho
    Custo anual das aplicações

    Existe outro custo que esse é transversal a qualquer SO instalado , departamento de TI .

    Dou um exemplo com o Navision da Microsoft que foi pensado para gerir hospitais , mas que pela sua versatilidade hoje está instalado em companhias de seguros e até empresas de transportes , armadores etc … o que é que isto quer dizer é que no mercado de facto não existem assim tantas aplicações feitas a medida que se possam aplicar sem qualquer alteração e que os custos de desenvolvimento ou de módulos específicos ou para tornar a aplicação a medida das necessidades da empresa é muito superior ao custo do programa , cada alteração tem um custo enorme , lembro-me com o Navision que estiveram uma equipe permanente de 16 pessoas durante 3 meses a fazer entrevistas aos diversos departamentos da empresa aonde trabalhava e os trabalhos arrastaram-se por 6 meses e depois a formação era 1 hora e os bugs nós que descobrisse-mos ou que ligasse-mos para a linha de apoio mas sempre a cobrar .

    Quanto a um post que li em que se fala de incompatibilidades no que respeita a troca de documentos electrónicos , isso talvez possa acontecer mais provavelmente com a Microsoft quando produz novas versões do Office , mais se tivermos 2 partições uma de Linux e outra de Windows , eu quando estou na partição que tem o Linux instalado acedo a toda a informação da partição da Microsoft , mas o contrario não é verdade .

    Penso que se falou muito das compatibilidades , mas de facto não se esmiuçou todas as vertentes dos custos , nem eu estou a fazer, só chamo a atenção para uma pequena parte , poderia falar no custo das maquinas ou mesmo da renovação do parque de maquinas que em Linux e bem mais pacifico , porque o sistema corre muito melhor em maquinas com menos capacidade de processamento etc , não obrigando a um constante frenesim na procura de novos cpus e mais memoria Ram e etc etc etc .

    Bom já vai longo o meu post , os meus parabéns por estes 2 artigos a Marisa Pinto , queria terminar para os cépticos de Linux , sabem a quanto tempo não faço uma formatação ao meu PC OBRIGADO a 7 anos , de vez em quando quando quero fazer uma instalação limpa sem fazer update da distro formato , mas nunca antes de 2 anos que é o tempo das distros LTS e por vezes quando as novidades não compensam corro outras distros na maquina virtual para estar a par das novidades .

    Aceita os meus sinceros cumprimentos

  16. Revenge says:

    Eu acho que as escolas em Portugal deviam todas adoptar Linux. Está bem que já usam caixa mágica, mas ninguém trabalha no caixa mágica… porque já traz o ruindows seven. Acho estranho que neste tempo de crise ninguém tenha pensado nisso… que estranho.

    • @lmx says:

      boas…
      as escolas usam o que as pessoas usam, as pessoas é que teem que mudar, há 7 anos começamos por ser na minha faculdade, um grupo de alunos cheios de vontade e começamos a contrariar a coisa, tivemos problemas com profs á la Microsoft, mas não desistimos, paginas tantas alguns profs que também “gostavam da cena” começaram a lecionar em linux, e a coisa foi pegando.
      Mas lembro-me de chegar a perder 3 valores de nota final porque usei ferramentas que o prof nem conhecia e não gostava da ideia da coisa lhe fugir ao control, o menino so via o Outlook, e o VisualStudio,e o xp claro…
      Em suma ja se usa muito nas faculdades(e sempre se usou, alguma coisa, que mais não seja em cadeiras de sistemas Operativos), e cada vez mais…concordo.

      cmps

  17. lifeimor says:

    Ok Linux, também gostava de usar e experimentar e assim foi durante quase 1 ano de Linux Mint. Passado este tempo, cuja experiencia não foi má, voltei ao Windows porquê? Estava farto de procurar, investigar sempre que necessitava de um programa específico ou de um hardware menos comum e na maior parte das vezes ficava a chuchar no dedo. O que diziam os ” gurus” do Linux… ” Este software não presta… Então foste comprar hardware manhoso… etc., etc… Uma miserável placa gráfica nvidia de 2007 nunca funcionou em condições em Linux em n distros que experimentei (vídeos com lags com o compiz activado) e surpresa das surpresas em Windows funciona que é um luxo…. ( um exemplo !!) Linux poderá ter um futuro promissor mas ainda tem muito mas muito que evoluir. Este artigo refere locais ” chave” onde o Linux está implantado em vários locais do mundo, mas a realidade é que mais de 80% do mundo informático gira a volta do Windows e tudo o resto é retórica.

    • JPedrosa says:

      80%?
      Em qual mundo informático?
      Descontaste o mundo dos servidores não foi?

      Ou pensas que em servidores o Windows apita alguma coisa?

      Webservers … quantos viste em IIS?
      E então se não contares com os IIS … que tem mm que ser IIS pq rolam sharepoint ou qualquer outra app que só corre em IIS … ui ui, são abaixo de marginais.

      O Windows domina no mercado dos terminais end-user, ponto.
      E, verdade seja dita que domina por mérito próprio.
      Pode não ser pela sua qualidade, mas é mérito.

      Agora na gama de servidores … 😉

      E só não é pior, porque muitas empresas de todo, têm parcerias com a Microsoft e têm licenças baratíssimas, e parcerias em que ter windows ou windows+office+sharepoint+exchange é quase o mesmo custo, e isso dificulta a entrada do Linux, lá está … outra vez o mérito, nem que seja da maquina de marketing e pricing.

      • lifeimor says:

        Boa tarde. Quando falo do mundo informático não me refiro a máquinas se bem que o resultado não difere muito, mas sim em utilizadores. Em 2011 o mundo é do Windows, daqui a 10 anos não sei quem sabe…

  18. Sammboga says:

    So uma questao… os tribunais Portugueses usam o que? Linux ou Windows? Se calhar windows e que em cada caso a tratar devem estar sempre a espera das decisoes “Tem a certeza que quer condenar o arguido? Bom isto daria para muita coisa… mas talvez seja por isso que o sistema anda muito devagar…

  19. Mário César says:

    Embora goste desta compilação de informação, acho que o título não se adequa… Talvez se um deles fosse “Escritórios da Microsoft” aí sim, não esperava encontrar linux. Tudo o resto não me espanta, antes pelo contrário, espanta-me que nem todas as entidades públicas usem Linux.

  20. Serva says:

    @Lifeimor ,

    Boa tarde , algo fizeste de errado , eu tenho um P4 velhinho com placas de som da creative e tudo é reconhecido com a instalação , sem a complicação se as drives que tens são para o W98 ou outro , só tens de instalar 2 pacotes que estão no synaptic extra codecs no teu caso para o Ubuntu e eventualmente o Mediabuntu , já não tens mais Lag , já tens codecs para leres qualquer ficheiro de musica incluindo Flac etc , se os ” GURUS ” te trataram mal (”) , eu sou contra até porque penso que um dos problemas de algumas pessoas que sabem a SERIA de Linux é serem um pouco arrogantes e não ajudarem quem se inicia , Linux para mim não é sinal de elitismo nem nada que se pareça , representa exactamente o contrario , e não desistas experimenta uma instalação limpa do Ubuntu 10,04 LTS e não caias na tentação de actualizar para a actual 11,04 , vai aprendendo aos poucos e vais ver que eu tenho razão e vais gostar .

    Cumprimentos

    • @lmx says:

      mas isso existe em todo o lado…claro em linux as vezes a coisa fica mais técnica,e os iniciados fazem perguntas que aos olhos de alguém muito avançado são absurdas…
      Mas claro todos começamos por algum sitio, todos erramos e continuaremos a errar é uma coisa típica de humanos.
      O importante a reter é não desistir do que queremos, se desistimos so porque alguém foi indelicado, estamos tramados.

      lifeimor:
      vais ver que quando começares a “curtir” no linux vais começar a apanhar o bichinho e a partir dai, é o bichinho que te apanha a ti… 🙂 lol, é um vicio dos diabos.

      cmps

  21. Serva says:

    Esquecia-me , para a grafica tens de ir a barra superior- Sistema-Administração – drives adiconais , e fazeres o download das drives correctas para a tua placa grafica que o proprio SO identifica clicas em activar , fazes reboot uma das poucas vezes que o tens de fazer em Linux e ficos com tudo a funcionar , mais alguma informação dispõe se necessitares do meu email diz.

    Cumprimentos

    • JCarvalho says:

      Boa tarde.
      Já agora pergunto; e caso só consiga visualizar o que quer que seja caso no boot altere os parâmetros para nomodeset single? Drivers adicionais activadas ou não dão exactamente no mesmo.Sou um grande adepto do Ubuntu mas o facto é que desde a versão 9.xx que isto acontece no meu portátil o que arruína qualquer utilização dita normal que possa ter com o mesmo.
      Cumprimentos

    • lifeimor says:

      Boa tarde e obrigado desde já pela disponibilidade. Fiz isso tudo que disseste em vários distros Linux, desde o ubunto ao pclinuxos (melhor distro para mim) o problema é mesmo do compiz pois se não o activar, tudo funciona normalmente. O engraçado é que activando pela 1ª vez e mesmo desactivando posteriormente está o caldo entornado e os problemas de reprodução de vídeo não mais desaparecem. Os efeitos do KDE não “estragam” a reprodução apenas os do compiz. Como disse utilizei Linux mint durante cerca de 1 ano e gostei da experiencia mas estes pormenores para não falar de software incompatível ainda afasta muita gente do Linux. Tenho no disco rígido do meu PC uma partição de 100 GB em ext 4 inacessível portanto do Windows a espera de uma nova oportunidade para o Linux. Não a apaguei de propósito… Quem sabe mais tarde…. Fica bem e obrigado.

      • @lmx says:

        lifeimor:
        Parece que não te aguentas-te á bom-boca, eu confesso a primeira vez foi dura e também fui ao tapete, experimentei Mandrake,Red Hat, e mais tarde Fedora Core1 e a coisa andava feia, mas la endireitou e olha a partir dai, nunca mais “fui ao tapete”… 🙂

        cmps

  22. Plinio says:

    A foto da russia mostra a moça/rapariga usando um XP. Quanto a mim uso o ubuntu para fazer esta postagem.

    • Plinio says:

      No Brasil 70 % usa windows pirata, mesmo assim acabam pagando a taxa do windows start que vem nos notebooks. Precisamos é que os notebooks saiam de fabrica com Linux ou sem cobrança da licença, que pelo código de direitos dos consumidores do Brasil seria venda casada, crime comercial na minha opinião. A Dell já nos prometeu isso, mas como não tem pressão da comunidade linux, ela e outras empresas ficam sem cumprir o prometido. Acredito que o Android Free vai enterrar os SOs da Microsoft e Aple.

      • @lmx says:

        boas..
        o Deel tem maquinas linux a venda…a ZAReazon também e outras marcas, não são é globalmente comercializadas nas lojas, globalmente só através do site…é pena, mas a MS não dá grande descanso a malta.e depois á malta que fica chateada pelo pessoal do linux andar que nem pode com a MS, podera eles arruinam tudo…

        cmps

  23. CMatomic says:

    A muita gente a comentar como o Linux fosse como um windows ou mac no termo da palavra , ou seja o quero dizer é errado dizer que o Linux é um único sistema operativo mas sim vários sistemas operativos que utilizem o linux, de varias empresas logo o dito linux como alguns dizem , não só faz concorrência com outros sistemas mas consigo mesmo.
    Por isso acho que muita gente utiliza o windows e não sabe que é da Microsoft, se houve-se mais gente a verificar isso mais depressa se criava leis a proibir o monopólio da Microsoft com o windows, e acontecia a mesma coisa como aconteceu com os navegadores web , onde Internet explorer deixou de vir instalado por padrão , o mesmo poderia se fazer com os sistemas operativos, e o linux é um grande beneficio para isso mesmo pois permite termos vários sistemas Operativos todos eles compatíveis com o nosso pc, e sem o risco de monopólio.

  24. Nuno Gonçalves says:

    Ou a gente e q copiou os magalhaes deles LOL

  25. Bem ao contrário do título, era onde eu mais esperava encontrar linux.

  26. Pedro Caetano says:

    Penso que deveriam alterar o título do artigo para:
    50 locais onde EU não esperaria encontrar Linux

  27. Pedro says:

    Um dos sítios mais improváveis era no meu PC de casa.
    Sendo eu um fã das primeiras Distros – adquiri o meu Red Hat 2.1 na Espanha pois em Portugal não havia à venda ou se havia não consegui comprar, download estava fora de questão pois o modem era mais lento que o windows vista… Tudo instaladinho por linha de comandos. Fiquei tão fã que assim que saiu a 1ª versão do Mandrake que já reconhecia a impressora e o modem, desisti de imediato: era o começo do um sistema operativo tipo Windows.

    Não contente acho que instalei e desinstalei perto de 300 distros no coitado do PC, mas sempre em dual boot com o XP e o Win 7.

    Apesar da perda de performance e estabilidade do ubuntu em relação às velhinhas distros, desta vez fiquei convencido com o unity. Eu aprecio novas experiencias e então só falta mesmo nunca mais fazer login no windows 7 (vou na 1ª semana sem logins no windows).

    Espero que seja desta…

  28. dj24 says:

    Sei que é algo off-topic, mas se alguém me conseguir explicar como posso ter legendas decentes no linux (Linux Mint 10, em particular) e por decentes quero dizer que não estejam pixelizadas, nem deformadas e na posição do ecrã que mais me convém, pode se que a comunidade Linux ganhe mais um membro, pelo menos a nível experimental. Já ando farto de andar à procura de soluções para isto e ainda não consegui arranjar nada que me ponha as legendas “normais” como as do GOM Player em Windows, por exemplo.

    Anyway, parabéns ao pplware por mais um bom artigo.

  29. Navyseal says:

    “Qual a vossa opinião: Deveriam os serviços e cidades portuguesas aderir ao Software Livre?”

    Toda a função pública e administração pública, desde que hajam as respectivas equivalências para Linux.
    Assembleia da Republica, Presidência e Governo.
    Assim como institutos, empresas e fundações onde o Estado contribua a 100% ou em mais de 50% com verbas.

  30. Não sei como é aí por Portugal, mas aqui pelas bandas brasileiras a maior parte dos órgãos federais e estaduais utilizam Linux, e inclusive vai haver uma contribuição com um dos maiores projetos livres atualmente, o LibreOffice. Mas mesmo que vários órgão façam o uso, ainda há alguns outros no governo que utilizam Windows pirata ao invés de migrar para o sistema operacional do Pinguim. As pessoas deveria dar uma chance às distros Linux, até porquê está mais fácil do que há alguns anos atrás.
    Também temos centenas de fórum na internet para ajudar caso haja alguma dúvida, e não existe a necessidade de gastar dinheiro com licença. Minha primeira distro foi o Kurumin Linux, quando eu tinha por volta dos 7 anos, e hoje 7 anos depois já estou a prestar suporte para amigos que estão com dúvidas.

  31. HMendes says:

    Eu pessoalmente gosto muito de Linux, mas também de Microsoft. Sou consultor de TI desde 1994 e trabalho com os 2 sistemas há pelo menos 14 anos. Só vos posso dizer que como opinião particular, o maior número de vendas de SO’s desktop Windows só se deve devido à grande capacidade de marketing da Microsoft. Linux nunca vai conseguir convencer o utilizador doméstico em geral, devido ao baixo nível de marketing deste SO. Quanto a isso não há nada a fazer, pelo menos é assim que vejo. São 2 grandes SO’s cada um com as suas vantagens, cada um com os seus defeitos. Como a minha profissão me obriga a propôr as melhores soluções para uma empresa, normalmente aplico o melhor dos 2 mundos, dependendo das necessidades do cliente.

  32. marcio santos says:

    A microsoft é america… a moodys e a standart & poours são americanas…

    o kernel do linux foi inventado por um europeu…

    Claro que os servidores deviam de mudar para linux…

    • marcio santos says:

      fora brincadeiras…
      SE analisarmos bem a questão, o preço que o estado gasta em licenças dá bem para dar emprego a dezenas de pessoas, tanto para manutenção como desenvolvimento…

      e o dinheiro fica em portugal…
      Não é o que o Cavaco pede????

  33. Manuel Mimoso says:

    Olá Marisa, parabéns pelo artigo
    E em Portugal? A troika deveria ter considerado a mudança para opensource ,….
    O único caso que conheço é a rádiopopular

  34. Nuno says:

    A menina russa está em windows 😉
    Bom artigo mas preguiça na escola das imagens

  35. Pedro says:

    Sempre trabalhei com windows.. agora profissionalmente sou “obrigado” aprender a trabalhar com os server´s em várias distribuições linux… e não está a ser nada fácil… o facto dos comandos serem diferentes em distribuições não ajuda nadinha… quem sabe de linux não esta disposto a ajudar… ainda não percebi bem porque…e a dois meses de começar a trabalhar a 100% em servidores linux vejo-me obrigado a testar vezes sem conta maquinas virtuais… penso que em servidores o futuro é linux… mas para uso domestico duvido que as pessoas queiram andar sempre à procura de software ou aplicações para rodar algo que no windows roda sem procuras….para terminar..deus nos livre de desligarmos o linux 1 mês (para ferias por exemplo) ….updates……:-(

    • @lmx says:

      boas…é igual as pessoas para MS Windows procuram tanto como para linux.
      é igual, tens um x de programas predefinidos, mas vais “consultado” outros que vão aparecendo,etc, é igual.

      cmps

  36. Nuno says:

    Eu acho que devia de haver liberdade na escolha, seja ela Microsoft, Linux, Mac OS, etc.

    Obrigar a Administração Pública a somente utilizar Linux, não deixa de ser tão criticável quanto os supostos lobbies das grandes Software Houses.

    Deve haver uma avaliação das necessidades em cada serviço, pesar os prós e contras (custos, funcionalidades, etc.) e abrir concurso público para a aquisição das licenças/hardware…

    Quanto a haver só vantagens na utilização do Linux, tenho uma vaga ideia de uma instituição alemã (não me lembro a que nível) ter inicialmente adotado Linux, converteu tod o parque informático para depois perceber que tinha mais custos que a plataforma Linux e voltou tudo ao Windows.

    Depende sempre das necessidades!!!! just my 2 cents!!!!

  37. Soviet says:

    Geórgia soviética? Por favor… lol

  38. ObscureAngel says:

    Acho que para PME ou mesmo para uso caseiro de alguem que não seja gamer no PC

    O linux entra muito bem!
    Estou vos a escrever do Fedora 15 que instalei hoje (atenção que não sou nenhum fanatico por linux, lá deves em quando testo um ou outro por curiosidade) e defacto o fedora 15 até irrita por tudo ser tão simples!

    Ou seja o linux já não é nenhum bicho de 7 cabeças, isto para efectuar tarefas basicas como processamento de texto e etc..

    Acredito sim que a termos de manipulação de servidores e dados mais importante seja algo de complexo e dificil configuração! Ainda por cima tenho a ideia de que existe muito mais suporte e apoio por parte da microsoft nesse aspecto!

  39. SamC says:

    Já há vários anos que uso um PC com dualboot e já deixei de ter há alguns anos aquela opinião que no futuro (2010) tudo usaria Linux.
    Para mim agora no futuro a nível empresarial até vai ser verdade com mais opções na cloud e apps web based.
    Mas com a minha experiência pessoal digo que não abandono o Windows 7, tenho possibilidades para ter uma licença e para mim o factor produtividade conta muito. Já não tenho os tempos de adolescente para passar noitadas de volta do PC a tentar resolver problemas. Quero uma coisa que funcione bem e sem problemas.

    Libre Office, é muito bom, mas no mundo onde me insiro toda a gente usa Office 2007 que está muito melhor e não me posso dar ao luxo de andar com problemas de compatibilidade ou de tentar aprender algumas funções avançadas noutro programa.
    Browser com Flash no Linux é para esquecer, no Firefox tenho refreshs estranhos, no Chrome já é aceitavel mas consome demasiado CPU.

    Aplicações profissionais que uso da Adobe correm em Windows, as alternativas OpenSource não me convencem…
    Sincronizar o telemóvel com o iTunes -> Windows, Jogar esporadicamente um jogo -> Windows, etc.

    E falta ainda mencionar que a nível de hardware infelizmente ainda há grandes lobbys e os computadores (LAPTOPS) estão feitos para um universo Windows, várias funcionalidades só funcionam com Windows e outras mais “avançadas” não são assim tão simples de colocar a funcionar (exemplo: ligar monitor externo).

    Defendo o Linux como alternativa para quem quer poupar nas licenças e tem alguns conhecimentos mínimos de informática (porque por mais simples que as novas distro estejam, há-de chegar o dia que precisam de um toque de alguém mais entendido), agora quem tem pouco tempo e não se pode dar ao luxo de andar a resolver problemas de compatibilidade, continue com um sistema dual boot e aproveite o melhor que cada OS tem a oferecer (no linux os repositórios estão excelentes, tudo indica que em breve serão “copiados” por a Microsoft)

  40. Serva says:

    Essa é a questão suporte , a comunidade ainda não percebeu isso , ao nível dos servidores aonde o Linux é líder , não entendo esta falta de informação que coloca sempre os responsáveis pelas TIs numa situação difícil e que a primeira optam pelo SO que mais suporte dá , eu não os condeno .

    Cumprimentos

    • @lmx says:

      Serva :
      Tens montes de empresas que dão suporte para linux, o problema é que a malta não quer pagar esse suporte, já que tem o SO de borla, tenta desenrascar, mas esse suporte há muitos anos que existe, e é de excelente qualidade.

      cmpd

  41. Hélder Ferreira says:

    Transição para software livre, tem custos, apesar de não serem muito elevados, mas tem.
    * Equipa técnica especializada e qualificada
    * Formação técnica
    * Manutenção (Instalação, configuração, reparação, etc)

    Entre outras coisas que engloba a transição e o uso.

    Obviamente que os custos com o Windows Server são bem mais elevados, custos com a aquisição do software mais as licenças. Por outro lado com Linux, não existem estes custos de aquisição e de licenças, mas existem os outros custos.

    A maior parte das comunidades de distros Linux, cobram pela assistência técnica que prestam.

    Não se iludam que por ser software livre que não existem custos, são valores muitíssimos mais baixos do que com as outras plataformas, mas são custos.

  42. Miguel Fonseca says:

    Boas, antes de mais, já acompanho este site há algum tempo, mas esta é a primeira vez que vou “postar” algo.
    Desde já, os meus parabéns aos criadores e redactores do pplware pelos excelentes conteúdos apresentados aqui.
    Quanto a este artigo em particular, não me vou adiantar muito senão nunca mais saía daqui!
    Como tal, vou apenas referir-me a um ponto, o dos custos de formação. É claro que instalar sistemas Linux em vez de Microsoft iria acarretar despesas de formação. Mas, e parece-me que ninguém quer falar nisto, mesmo numa empresa (apenas um exemplo, pois serve para tudo) que trabalhe com um sistema microsoft desde 1990 (é só um exemplo), os funcionários são sujeitos a constantes “formações” e “reciclagens” em virtude das actualizações dos sistemas operativos e do próprio sofware! Portanto, se mudassem agora para um sistema Linux, apenas iam repetir aquilo que já fazem normalmente na sua empresa! Como tal, os custos são iguais! Sim, iguais, porque no microsoft office, (exemplo) abrir ou criar um raio de um ficheiro é igual no libreoffice (exemplo). Deixem-se de desculpas, pois elas verdadeiramente são isso mesmo! O pessoal é calão e acomoda-se, não estando disposto a aprender por pouco e fácil que seja! Quanto a implementar sistemas Linux nas organizações estatais, já o deviam ter feito, só que anda tudo a comer do mesmo “tacho”! Ou seja, politicos e os amigos poderosos da microsoft! E, neste aspecto, andam a gastar o nosso dinheiro de uma forma irresponsável!
    Se eu, com 39 anos e o 9ºano de escolaridade, instalei Ubuntu no meu pc e, com algumas pesquisas nos foruns e sites (este incluído), consegui me orientar neste mundo do Linux, porque raio qualquer pessoa, ainda para mais com formação adequada não o conseguiria?! E, por motivos financeiros, só tenho computador próprio desde 2006!
    Bem, já me alonguei demais.
    Cumps e pplware, continuem o vosso excelente trabalho e, neste caso, um agradecimento à Marisa.

    P.S. – Ah, é verdade, não sou fanático por Linux e estou a escrever este post no Windows 7 (vim actualizá-lo).

  43. Oxsav says:

    A imagem da escola da Russia nao foi a mais apelativa :P..
    Windows XP

  44. Serva says:

    @SamC ,

    Bom dia , desculpa , mas tenho de te dizer que não sei que distro Linux usaste e em que época , porque quando dizes que o Firefox funciona mal em Linux e faz um refreshs estranhos e o Chrome consome muita memoria ??????? será que instalaste mesmo uma distribuição Linux ….. não abres PDfs em Linux ???? …. bom só surpresas , mas pronto estamos sempre a aprender a 7 anos que uso Linux e agora vou ter mais cuidado com as distros que instalo não vá a Microsoft estar por trás .

    Agora sem brincadeiras , gostava que de facto instalasses uma distro Linux e que tu próprio confirmes o que escreves porque de todo a área que falaste é das mais desenvolvidas que o Linux tem ,eu estou a escrever na versão Alpha 7.02 do Firefox , a versão estável está na 5 e nunca experimentei nada dessas anomalias mesmo a 7 anos atrás .

    Concordo plenamente com o post @Miguel Fonseca , a malta tem é preguiça e depois ficam-se pelas desculpas , vou dar um exemplo para não pensarem que estou a fazer Bluf .

    Aonde vos escrevo a esta hora uso um portatil HP Pavillon DV 9000 de 17” Dual Cuore , aconteçe que este brinquedo que já me acompanha a 3 anos vinha com o vista instalado , após os 2 anos passados de garantia apressei-me a formatar a maquina e instalar em dual boot W7 e Ubuntu , bom com o Ubuntu tudo funcionou as mil maravilhas desde o som , placa grafica mesmo o touchpad ficou com as funções de scroll a funcionar etc , surpresa das surpresas com o W7 foi uma dor de cabeça a HP não tinha suporte de drives para o W7 , o pc funcionava mas com muitas limitações , foruns para aqui e para ali e com o pessoal da pesada lá consegui dar a volta a questão , resumindo , hoje só tenho no portátil Ubunto mesmo , portanto meus caros não vejo qual a dificuldade em usar seja em que maquina for uma boa Distro de Linux .

    Certamente será mais difícil em muitos casos conseguirmos instalar um novo sistema operativo da Microsoft seja por problemas de exigências de hardware seja por falta de suporte , os utilizadores de windows todos têm estes problemas e não me digam que não é verdade os foruns estão cheios de pessoas a procura de drives para Windows , não me venham dizer que nessa área o Windows é mais fácil porque é de facto um falso problema .

    Cumps
    Agora fora de brincadeiras concordo plenamente com o post

    • SamC says:

      ubuntu 11.04 x64 ->
      e o que me queixo é da navegação em sites com flash. Tenho uma experiência sem comparação no Chromium. Mas se olhar para os níveis de CPU quando estou a utilizá-lo, até assustam!!! Quanto à RAM basicamente não ligo, vivemos numa altura que a RAM chega e sobra para as actividades normais, se ocupar bastante RAM e tiver um desempenho melhor, óptimo! No caso do processador queremos que o processador não entre em esforço, para não aumentar o consumo energético, aquecimento, optimização de recursos, etc. por isso o meu reparo.

      Fico contente por quem tiver uma experiência melhor do que eu nesse ponto que referi. Mas conforme disse no comentário anterior, não vai ser por isso que vou deixar de usar Linux. Pode ser que a Adobe continue a fazer progressos no plugin do Flash assim como tem feito para Windows (que está nitidamente melhor, temos de admitir).

      • Miguel Fonseca says:

        Boas SamC, não és só tu que te queixas desse mal do flash, eu tenho o Ubuntu 10.10 32bits e tive que recorrer a 3 passos especificos para ter menos problemas com o flash em particular no youtube.
        Quanto ao consumo do processador, ram, etc, não há nada a fazer, o futuro é html5, muito mais leve e opensource (como devia ser tudo na internet!).
        Se quiseres testar está aqui o link https://www.youtube.com/html5 e lê o que está lá escrito. Vai-te reduzir alguns problemas com o flash, acredita!
        Lê também este artigo http://tiqx.blogspot.com/2011/06/adobe-air-deixa-o-linux.html (existem mais é só pesquisares) e verás que as coisas não tendem a melhorar no uso do flash em Linux, a menos que a comunidade opensource consiga (penso que até fará melhor que os gajos da adobe)!
        Entretanto não desistas, instala uma distribuição Linux á tua escolha, eu sou parcial e gosto do Ubuntu, se for também a tua escolha, vai para uma versão LTS (Long Term Support), o 10.04 ou o 10.10 que são mais estáveis e quando tiveres problemas recorre à comunidade. Como exemplo deixo-te 2 sites: http://ubuntuforum-br.org/ (mais técnico) e http://ubuntued.info/ (menos técnico, mas óptimo para conheceres programas, personalizares o teu Ubuntu, estares a par de actualizações de software e resolveres alguns problemas, exemplo: http://ubuntued.info/os-videos-flash-bloqueiam-em-fullscreen e http://ubuntued.info/instale-o-adobe-flash-64bits-no-ubuntu-10-10).
        Até mais e cumps.

  45. Serva says:

    Bom dia de novo ,

    Desculpem a última linha é para ignorar , atendi uma chamada enquanto escrevia e não percebi que tinha já começado a escrever um novo período .

    As minhas desculpas

    Cumprimentos

  46. mr_mufy says:

    Boa tarde pessoal.

    Cara Marisa Pinto, agradecimentos pelo seu artigo.
    Em relação à questão;

    “Qual a vossa opinião: Deveriam os serviços e cidades portuguesas aderir ao Software Livre?”

    Posso indicar que já existem muitas identidades publicas a operar com Linux, mais em especifico o software que na empresa onde trabalho se desenvolve.

    SO IPBrick Podem verificar a vontade produto nacional.

    http://www.ipbrick.com

    Este sistema esta a ser utilizado em varias Câmaras municipais e no Hospital de St. António (Porto).

    Em todos os comentários que li, esquecem-se de um ponto muito importante que foi referido algumas vezes e que precisa de ser analisado e não só apontado, refiro-me do comodismo.

    Pessoal, o que se aprendeu na escola??? Windows certo!
    Pois e se fosse ao contrario LINUX, não estariam a ter exactamente a mesma reacção? Linux é um sistema operativo Livre, não implica ter que se comer sempre do mesmo.
    Gostam de ter sempre a mesma comida N de vezes no prato em casa? não gostam de variar? Eu gosto!!!

    Então porque não poderei também alterar o meu sistema operativo e mudar pra o que é bom tal como a comida?

    Linux e Windows serão sempre rivais isso esta visto, mas a relação de SERVIDORES esqueçam LINUX manda e mais nada.

    Não refiro MAC OS X por causo do fanatismo com que a Marca que o desenvolve apple. (jovens que vendem Virgindade e RINS para poder comprar um TABLET) por favor…

    Só tem servidores Windows quem gosta de ter STRESS, perder tempo com BUGS e Actualizações malucas. Claro no Linux TB existe, mas 80% menos…

    A nível dos custos referidos só tenho uma coisa a dizer.
    – Serviços Públicos como a segurança social que supostamente se gastaram vários milhões a modernizar e a formar encontramos 70% dos operários a escrever no teclado com um DEDO e por vezes despacham-nos para não ter que escrever mais, pois preferem estar a falar sabe-se lá do quê…

    Pois é meus amigos aqui é que está o grande problema de PORTUGAL a mentalidade e comodismo.

    Os outros podem mas nós não… Só podemos para as missões impossíveis como por exemplo comprar seja o que for e que maneira for (carros, créditos para férias), mas tem que ser melhor que o meu vizinho.

    Mudem a mentalidade deixem de ser dinossauros (não pretendo ofender ninguém).

    Custa tirar a carta condução, custa tirar um curso superior, custa ser casado, mas são tudo questões que se superam.

    Então porque não controlar os nossos custos nas nossas empresas, sim elas são de todos nós, pois são publicas, e não dos gestores incompetentes que temos.

    O povo é que deve de mandar no que é seu.

    • Miguel Fonseca says:

      Boas mr_mufy

      Foi mais ou menos isso que escrevi no meu post, mas adicionaste mais uns pontos importantes!

      Como tal, subscrevo na integra!

      Cumps.

      P.S.- Já voltei ao Ubuntu (já actualizei o Windows 7). rs rs.

  47. Serva says:

    @Mr_Mufy ,

    Os meus cumprimentos , bom post

    Serva

  48. cmr says:

    Linux é uma tecnologia que incomoda a todos que estão com a “viseira” da microsoft.

  49. Hawk says:

    Aquela professora da Geórgia, com a blusa aberta, está uma beleza hein.

    A tela do computador da Rússia está com cara de Windows…

  50. Miguel Fonseca says:

    Boas, para o pessoal que só consegue ver um possível erro na imagem associada à noticia da implementação de Linux nas escolas russas, de alguma maneira pondo em causa a veracidade da noticia, ponho aqui uns tira dúvidas em Português e Inglês!

    http://eng.cnews.ru/news/top/indexEn.shtml?2007/09/14/266177

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/technology/7034828.stm

    http://news.ithub.com.br/2007/09/22/todas-as-escolas-russas-usarao-linux/ (neste refere o sistema a usar)

    http://www.altlinux.com/ (este é o site do sistema a usar)

    E este último acrescenta que o presidente russo anunciou que o governo russo também vai migrar para Linux: http://www.masternux.com.br/2011/07/linux-governo-russo-muda-para-o-linux.html e no fim da noticia também refere que as escolas já têm implementado Linux desde 2008!

    Cumps.

  51. Pensamento Positivo says:

    Há uns tempos atrás quando começaram a aparecer os iPads ninguém sabia lidar com eles. Hoje até eu que não tenho nenhum sei mais ou menos como funcionam… Hoje, para as coisas básicas qualquer sistema é bom! E quem aprendeu a usar o bem velhinho Office 2.0 por exemplo sabe muito bem usar qualquer um. Hoje as coisas a este nível estão mais fáceis e eu diria que qualquer sistema é bom!… O problema é que é tudo uma questão de marketing. MS todos sabem o que é, Apple também, mas Canonical Ubuntu? Logo as pessoas porque não conhecem, desconfiam…

    E quanto às ferramentas específicas de certos negócios? Meus caros: Essas tanto custam para Windows como para outro qualquer e muitas delas são hoje web based e por isso são multi-plataforma, mas aí os custos são constantes… Grandes… E não se iludam porque não se vão ver livres deles!…

    Boa noite e muito obrigado pelo bom artigo!

  52. Ana Narciso says:

    Óptima continuação, espero pelo próximo 😉

  53. Serva says:

    @ Marisa Pinto , já estás a ganhar embalagem para o próximo ?… já viste o Nr de posts , fiquei muito contente com o nível dos posts , revela que aqui no Pplware temos malta com muito cinzento ……. ou desculpem com células cinzentas , foi uma pequena distracção , hora tardia e tal ….

    Abraço a todos

    PS – Marisa não penses que me esqueci quero ver o próximo …… I’ WAITING

    Serva

  54. Renato Louro says:

    Olá Marisa,
    Não sei se falará sobre o brasil ou sobre o governo brasileiro entre estes 50 locais onde não se esperaria encontrar o linux. Mas acho que já deve saber que aqui o governo esta investindo ‘pesadamente’ em software livre. Veja, por exemplo os investimentos no Banco do Brasil:
    http://www.softwarelivre.gov.br/clientes/softwarelivre/softwarelivre/casos/Apresentacao_BB_CISL2008.pdf

    Só aí são vários servidores linux…

    • tonyfrasouza says:

      E os milhares de telecentros com Linux Metasys e o projeto Proinfo com Linux Educacional. Milhares de Casas lotéricas todas com Linux, etc…

  55. tonyfrasouza says:

    Todos em casa (3 Desktop e um Laptop) usam Linux há muitos anos, hoje em dia usamos 10.04 e um 11.04.

  56. Rúben Lopes [Lopesmaio] says:

    Na imagem das escolas da Rússia, o computador da miúda está a rodar Windows XP xD (ou uma distro Linux com visual semelhante ao do WinXP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.