Quantcast
PplWare Mobile

MaruOS – Android no smartphone e Debian no Desktop

Download

Download: MaruOS

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. halnaweb says:

    Questão… a Canonical não tinha já esta ideia à uns tempos atrás? Até acho que era a ideia de colocar o smartphone numa base e teríamos o ubuntu num monitor. Uma ideia tão interessante porque não vingou?

    • Douglas Ferreira says:

      Está previsto para lançar um tablet com o Ubuntu em março. Quanto ao smartphone não vingou… agora é torcer para que o tablet tenha força.

      https://pplware.sapo.pt/linux/bq-aquaris-m10-um-tablet-ubuntu-funciona-pc/

    • Zaark says:

      Porque a Canonical não tem os recursos de uma Microsoft, por exemplo. O Continuum do Windows 10 não é mais do que a ideia de continuidade da Canonical. E como não basta ter a ideia, quem tem recursos mais vastos consegue implementá-la primeiro.

    • Xinuo says:

      Eu acho que chegou a ficar disponível o Ubuntu for Android, procurei agora na Playstore e não achei nada. Mas a ideia não é original, a primeira iniciativa que conheço foi a da Motorola, que fez isso com o ATRIX. Daí a Canonical pegou a ideia.

      Quanto ao ATRIX, creio que não tenha vingado, pois o teclado que eles vendiam era muito caro e o sistema era muito lento. Foi uma ideia a frente do seu tempo, se fosse hoje eles poderiam usar mais memória, maior poder de processamento e maior espaço de “disco”, o que iria resolver os diversos problemas.

      Quanto ao Ubuntu for Android, se é que tenha ficado disponível mesmo, eu não tenho ideia.

  2. 123456789 says:

    Bem é engracado, basicamente era quilo que o ubuntu queria fazer mas falhou ne

    o problema é que o debian aqi é ARM, serve para um complemento, basicamente tas a chegar a um sitio (escritorio e algo do genero), e se necessitares de trablhar a sério ligas ao ecrã, e vẽs o mail com o icedove/thunderird, vais a net com o firefox, e editas documentos

    Ando smp com um pen com linux, mas nem todos os PCs tem a bios desbloqueada (tal como na universidade -_-), mas se fosse eu a comprar o nexus, não gastava espaço nisso…preferia gastar mais uns euros e comprar aquela “pen” para o HDMI do ecrâ da intel com ubunut (removes aquelo coisa e metes debian que tem um desempenho muito melhor, tanto o stable/testing/sid, ou até arch/manjaro que também são muita bons)

    • João Silva says:

      Ubuntu não falhou. Acabou de ser anunciado o tablet que irá fazer isto e os telemóveis com Ubuntu já fazem há mais tempo, apesar de ser uma versão DEV.

      Por isso não percebo porque dizes que falhou. Se calhar até está a fazer toda a questão de convergência melhor que a Microsoft com o Windows 10

  3. TiJoaquim says:

    Mais um projeto para ficar arrumado num canto…. Força!

    • 123456789 says:

      Ya, provavelmente morre aqui, mas fizeram-no

      Fizeram algo potente, num so dispositivo, este torna-se capaz de gerir dois OS ao mesmo tempo, sem virtualização

      Sabes fazer? entao pra que a critica? portuga é smp assim, so vê falhas

      è que programar pra gente assim é o que atrasa a evolução da tecnologia, faz-se algo novo, tentem pensar no que o projeto deu trabalho, em vez de matar logo o projeto

      Poderá não ter grande apoio no futuro, mas é algo novo que nunca ninguem fez desta forma,,,

      NO PC não consegues fazer isto assim, ter no portaltil um OS e num ecra outro OS, só com virtualização que gasta rescursos

      • Felipe Teixeira says:

        Sem duvida, quem me dera ter conhecimentos para fazer projetos deste nível, e isto só não tem sucesso porque não é apoiado por uma empresa tecnológica da moda.

      • TiJoaquim says:

        Eu faço estes comentários para me rir de gente como tu.

        • Rafael says:

          Então mais valia ficares calado!
          Inútil por inútil, sempre poupavas o teclado.

        • 123456789 says:

          O portuga perfeito, não sabe fazer, não quer fazer, maaaaaaaaaassssssss

          critica como se fosse capaz de o fazer

          Aposto que nem tens a capacidade de perceber o potencial tecnologico disto:

          1) Em termo de Algoritmo de procesos e de memória, o Android teve que ser reprogramado pra não gerir um só OS, mas 2, sendo eles bem diferentes aliás

          2) Sem virtualização (que seria demasiado pesado pra o dispositivo), ou seja todo o codigo tem que ser gerido ao mesmo tempo…isso está ao nivel de assembley e C, sabes o que é isso? duvido

          3) Segurança, bem so porque consegues entrar no debian no PC, não quer dizer que possas entrar á maluca no android, se qiseres entras no modo de deputacao

          Ao o menos entendes o motivo de orgulho de uns gajos quaiqueres realizarem isso?, faz isso ou melhor, depois critica ahahah és daqueles que se fossem todos como tu nem haviam pessoas empreendedoras, apenas borucratas que nada produzem, eu é que me rio de gente como tu

          para de ser triste, ainda insultas outras pessoas no pplware….sad

          • Mike says:

            É preciso ler bem como o MaruOS funciona… mais uma vez no site deles está mencionado:

            “Connect your phone to any HDMI screen. Maru automatically detects when an external display is available and spins up your desktop. It boots in less than 5 seconds.”

            Como se pode ler, “boots”, ou seja, se não é virtualizado, o telemóvel irá reiniciar sempre entre Debian e Android, o que podem estar a usar é a técnica de hibernação, tal como aplicaram a partir do Windows 8 para ter um boot mais rápido…

  4. David ferreira says:

    Uma pequena correção. A Motorola foi a primeira a mostrar e implementar o conceito não foi a Canonical

  5. TiagoDM says:

    O Windows já n tem isso?

  6. irlm says:

    Ponto negativo, depende de um dispositivo “Nexus 5” para o efeito, ou seja Android mais Debian, não é universal para funcionar em pleno com outros equipamentos.

  7. Rui LUX says:

    Como é possível este artigo não referir/comparar com o continuum do Windows 10 mobile? Anti-MS?? Bem.. Se a Apple tive algo assim, o artigo começava com.. Bla Bla.. A Apple inovou.. E agora surgem os “clones”..

  8. ervilhoid says:

    E a bateria? ñ conheço o nexus 5, tem uma porta para o hdmi e outra para o carregador?

  9. JP says:

    Eu tenho um Motorola Atrix que já fazia isto há 5 anos atrás (2011) e continua a ser o meu telemovel pessoal hoje em dia, inclusive tem uma dock que traz uma bateria extra e teclado/ecrã, não me parece que tenha sido a Canonical a primeira a sair-se com um produto destes.

  10. José Nonick says:

    Acho a ideia do projecto bem interessante, o que me dá mais vontade de continuar a usar o meu debian! Acerca da forma como o ubuntu planeou/planeia trabalhar num projecto com estas características, nem comento porque na altura que usava ubuntu (até cerca de mais ou menos 1 ano) muito se falava nisto, mas nada surgia com a tão desejada visibilidade no mercado, somando este facto à onda de descontentamento que ocorria nessa fase em relação ao ubuntu, a indiferença dominou em muitas cabeças e eu não fui excepção.
    Quanto ao suposto rótulo dos “portugas” de criticarem sem darem indícios de saber e querer fazer. Bom, sejamos sensatos e não generalizemos porque também não faltam opiniões semelhantes de “brasucas” em contextos identicos. Portanto, tenhamos calma porque já basta a constante agitação do mercado tecnológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.