PplWare Mobile

Chegou o Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver) Beta 1


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

31 Respostas

  1. Pedro Santos says:

    Estes screenshots nada têm a ver com o que vai ser o Ubuntu final…

    “Além do Ubuntu, como ambiente gráfico Budgie, a Canonical disponibilizou também Xubuntu 18.04 LTS Beta 1, Kubuntu 18.04 LTS Beta 1, Ubuntu Kylin 18.04 Beta 1 e o Ubuntu MATE 18.04 Beta 1.”

    Erro na frase como ambiente gráfico é o Gnome.

  2. 3m says:

    Então e a versão Gnome, sairá mais tarde ou foi banido?

  3. João Pereira says:

    É uma pena que não seja como o arch ou gentoo “rolling release”, acredito que em termos de publicidade, seja melhor, de seis em seis meses a notícia “saiu mais uma versão Ubuntu”

    Pessoalmente, estar com software actualizado, como no arch Linux é bem mais seguro, que andar com ppa’s e assinaturas extra distribuição.

    • arc says:

      PPAs, são no meu entendimento, uma fonte perigosa, salvo raros PPAs como é óbvio, e uma das formas camufladas, da introdução de LIXO, nos Ubuntus e derivados.
      Apesar do Ubuntu, utilizar Debian e como está vocacionado para o lado comercial (Ubuntu), daí o aparecimento e o apadrinhamento dos PPAs, contrariamente à filosofia Debian, que não permite essa opção.
      Bem, até nem é verdade, Debian permite, mas NÃO devem optar por esta situação, relacionada com os problemas de segurança, pelos quais a Debian não abdica.

      Essa de ter sempre o software actualizado, quanto a mim é sempre a melhor opção e o Arch, dá isso mesmo.

    • Marco says:

      Ainda bem que não são, se para desktop ser rolling release é quase insignificante, num servidor não é, de um momento para o outro (num update) o lib xpto passa da versão 2.X para a 3 e certos softwares deixam de funcionar e passas a ter uma empresa/instituição parada porque o houve um update na lib XPTO.

      • arc says:

        O impacto, que tem uma RR hoje em dia como máquina de produção diária, se for bem administrada é …zero. E no caso do Arch Linux, mesmo com os repositórios AUR ativados, o impacto é…zero, depende é quais as ferramentas que se instala, via AUR. Aliás é mais que conhecido, que muitos pacotes, existentes no AUR, passam para o repositório oficial da comunidade, somente por esta via.

        Acredite se quiser, não me recordo da última vez que tive preocupações em como o Arch funciona na minha máquina. Foi à quantos anos mesmo?

        Quanto a servers, sei muito bem, como se trabalha nesse âmbito e jamais iria utilizar uma RR, como medida de precaução e maior fiabilidade em termos críticos.

        • arc says:

          “arc, andavas tu com Debian e eu com RedHat 6 e Mandrakes derivados de RedHat, depois vi a luz e fui parar ao Debian.”

          Agora por momentos, senti o peso da minha idade…eheh

  4. Interessantíssimo says:

    Tantas melhorias e até hoje, desde 2008 não arrumaram um problema simples chamado “Caps Lock Delay”.
    Muito interessante a comunidade do Linux.

  5. arc says:

    MAs ALguém ESCreve DEsta FORma?

    E este delay existente, por muito estranho que possa parecer, é intencional.
    Ainda existem teclados com a tecla Shift??

    1. Evitar todos os erros sejam ocasionados, por uma pressão indevida nas teclas.
    2. Nos teclados AT e PS2, o problema está intrinsecamente relacionado o LED, o qual
    é controlado pelo CPU, e estamos a falar de uma latência na ordem dos 7 milissegundos!
    3. Se usarmos teclados USB, e a menos que seja digitado texto na ordem dos 120 caracteres
    por minuto, não existe esse problema, apontado por mim em 2.
    4. Por ultimo, nada como recompilar o kernel, e tem o problema resolvido.

    Espero que saiba compilar o Kernel para a sua máquina!!

    Não gosta do X Org, o Wayland está para sair, pode ser que resolvam, só para si!!
    Se mesmo assim, não quer esperar…(https://wiki.archlinux.org/index.php/Keyboard_configuration_in_Xorg).
    Se mesmo assim não gosta, considere este PROBLEMA ou BUG, como uma feature no Linux!!!

    • Interessantíssimo says:

      EU ACabo POr DIgitar ASsim SE DIgitar RÁpidamente… Tenho que digitar como se fosse uma criança pra poder usar o Linux… Eu uso o Caps Lock e não vou mudar pro Shift. Nunca tive nenhum problema usando o Caps no Windows ou Mac OS.
      Haha! Não vou nem falar de outro problema com o Num Lock pra não piorar ainda mais a situação.
      Outro problema é que as configurações de teclado em todas as distros são bem porcas, a menos pior foi numa distro com KDE que tinha mais opções acessíveis pra modificar, mas nada que fizesse o Caps funcionar que nem o Shift.
      Muita gente tem problemas simples assim mas acaba não falando o que dá a entender que o Linux é perfeito. #SQN
      Nunca compilei nada na vida, não faço nem ideia de como fazer. Já fui em diversos fóruns pedir ajuda pra resolver isso e levei um vácuo ou mandaram eu utilizar o shift.
      Não vou nem reclamar do til (~) que parece um mácron (¯) sobre a letra quando digitado no Debian/Ubuntu.
      A palavra, por exemplo: coração torna-se coraçāo.
      Detalhes bobos que fazem toda diferença pra quem trabalha com texto.

      • arc says:

        “Nunca tive nenhum problema usando o Caps no Windows ou Mac OS.”

        Otimo, é sinal que esses SOs atendem perfeitamente as suas necessidades. Entao se no seu entendimento, considera as distribuiçoes de Linux, porque as tenta utilizar?

        “Haha! Não vou nem falar de outro problema com o Num Lock pra não piorar ainda mais a situação.”

        Sabe que existem teclados sem o Num Lock????
        Qual o problema do Num Lock?

        O Num Lock é ativado por defeito quase sempre no boot time de qualquer distribuição Linux, e se em algumas não o fazem, basta realizar essa operação na configuração do teclado em X Window.
        Mas como você, não sabe mesmo do que fala relativamente a Linux, aí fica a dica:

        sudo apt-get update
        sudo apt-get install numlockx

        sudo gedit /usr/share/lightdm/lightdm.conf.d/50-unity-greeter.conf
        greeter-setup-script=/usr/bin/numlockx on
        Grave as alterações e reinicie!!!

        “Nunca compilei nada na vida, não faço nem ideia de como fazer. Já fui em diversos fóruns pedir ajuda pra resolver isso e levei um vácuo ou mandaram eu utilizar o shift.
        Não vou nem reclamar do til (~) que parece um mácron (¯) sobre a letra quando digitado no Debian/Ubuntu.”

        Eu acho que você, deveria mudar o seu nick…algo como “Desinteressado”.

        • Marco says:

          estás a dar a solução típica de um utilizador de linux, faça isto e aquilo no terminal que isso passa. Não pode ser assim, os sistemas se querem ser usados pelas massas tem de vir com estas coisinhas “corrigidas”, depois se existe um problema é arranjar solução e empacotar a solução de forma a que todos possam aplicar a solução, é que estou mesmo a ver-me a dizer aos meus pais, “olha abres o terminal e depois escreves isto e mais isto…”, no segundo isto levava logo com o “quando vieres cá arranjas”, ou “liga-te aqui para arranjares”.

          Essa também já foi uma batalha minha, linux é muito bom, neste momento é mais não gostas, então vamos arranjar um sistema que gostes mais.

          • arc says:

            Marco, com a minha experiência ao longo de quase 17 anos diários em Linux, entrei logo com Debian Potato, por isso já vi dias bem negros!!

            O que o Interessantissimo afirma é um NÃO problema.

            Mas concordo consigo, o Linux no seu global, tem de vir previamente, bem mais adaptado ao utilizar final, o tal utilizador que não precisa da CLI para nada.

            Nisso o Pllware, tem feito o seu trabalho de dar a conhecer muitas distribuições bem mais amigáveis para o utilizar final/domestico, e mesmo assim alguns até discordam do wallpaper!

            E se mesmo assim não gostarem, não falta MAC, Windows, etc.

            Cada um é livre de escolher o seu SO.

          • Marco says:

            arc, andavas tu com Debian e eu com RedHat 6 e Mandrakes derivados de RedHat, depois vi a luz e fui parar ao Debian.

        • Interessantíssimo says:

          Meu nome é Interessantíssimo como forma irônica de dizer que nada disso é interessante na realidade. Pra mim o Caps Locks continuará a ser um problema se for visto dessa forma, ainda mais pela comunidade Linux.
          Sabe o que é engraçado? É que não importa a distro, a essência de uso é a mesma. É tudo a mesma coisa. Não importa que distro você use, o problema do Caps continua. Já instalei diversos scripts que “dizem mudar”, mas no fundo, não resolvem nada após reiniciar o PC. Se eu fosse rico, de fato compraria um Macbook (quem sabe quando for a Europa o faça!) Só estou usando Linux porque trabalho com T.I. e somos meio que obrigados a usar coisas no Linux como samba. O problema é que até as distros mais “fáceis” de se usar pecam em detalhes mínimos. Esse detalhe do Caps Lock que pra mim e muitas outras pessoas é um problema é o mínimo perto do que já vi no Linux de problemas.
          E você com tanto tempo de Linux não percebeu que os tempos são outros quando você começou a usar Linux tudo era mais difícil e hoje é mamão com açúcar pra quem está iniciando. Vide Deepin, Linux Mint e Ubuntu, sem contar nas derivadas das derivadas. Mas mesmo sendo “fácil”, muita coisa no Linux ainda se é obrigado a usar terminal. O dia que o terminal puder ficar de lado e a GUI ser suficiente pra fazer tudo o que um usuário comum almeja, aí sim me calo. Você tem que se colocar na cabeça de um iniciante em Linux e não como um expert que faz tudo via terminal e que compilar é coisa que você faz a cada meia hora. O usuário final não está interessado em ter que ficar 24 horas olhando uma tela preta e resolvendo enigmas que o sistema te dá. Se você não trabalha especificamente com isso, isso é coisa de usuário entusiasta. Até mesmo o BSD eu testei e há o mesmo problema do Linux vs Caps Lock. Não vou nem querer sua ajuda, pois no fundo, não há nenhuma forma fácil e pratica de arrumar isso. Um usuário comum não terá paciência de ficar caçando soluções pra problemas bobos que a pessoa nunca teve que se preocupar no Windows e Mac. Seria interessante se fosse ao contrário. Todos a usarem a tecla shift pra capitalizar as letras e não conseguissem fazer o mesmo no Linux; cômico pra não chorar! Afinal aí seria visto como um problema, afinal 90% da população usa o shift então aí sim vamos “consertar isto”, que f*rre-se os chorões que estão a usar Caps Lock com a mesma função!

          • arc says:

            Meu caro, eu vou dar por terminado o tema, da minha parte.

            No entanto,..tenho algo a firmar.

            Tenha perfeitamente assente e se for ler comentários meus no Pplware, verá certamente, que nunca escrevi, que o Linux modernamente, tenha de obrigar o utilizador comum, a usar uma GUI, para resolver os seus problemas em ambiente desktop.
            E ainda aplaudo, o caminho que como diz e muito bem, algumas distribuições, estão a emprestar cada vez mais facilidade de instalação e execução dos programas.
            Tenho bem ciente, que esse é o caminho a seguir, até pelas distribuições, mais enviesadas, como seja o OpenBSD, TrueOS, Ghost-BSD, tudo melhorou para o utilizador comum.

            Agora uma coisa é certa, tudo na vida OBRIGA a estudo, com mais ou menor grau de profundidade, e isso é valido em qualquer SO, na sua vida de trabalho (certamente o problema que tem pela frente, o vai estudar previamente, tentando obter rapidamente uma solução, ou alternativa, não o vai apresentar ao seu Director da mesma forma que o apresenta ao seu colega do outro lado da secretária de trabalho, ou até num intervalo para o café), ou seja lá onde for, existe sempre estudo.

            Sobre um mesmo tema, eu não irei falar da mesma forma para um newbie, como da mesma forma não irei falar para um “expert”. O que em nada invalida, algum dia um newbie, não me venha a falar como sendo um expert.

            A isso se chama…ESTUDO e uns gostam e outros não querem nem saber!

          • arc says:

            Onde se lê “a usar uma GUI”, deve ser lido…a usar a CLI.

        • Marco says:

          Podes crer, é mesmo um não problema.

          Engraçado que aprendi e sempre vi a utilização do shift para colocar a primeira letra maiúscula, não o caps.
          Mas pronto, são opções….

          • Lucas says:

            No Windows vc pode usar o tanto o shift quanto o caps lock que não tem nenhum problema. O problema todo é o maldito xorg o responsável por essa dor de cabeça

      • Lucas says:

        “Não vou nem reclamar do til (~) que parece um mácron (¯) sobre a letra quando digitado no Debian/Ubuntu.”

        Pensei que só eu tinha notado isso. Bom saber que outros estão a parte desses detalhes.

  6. Henrique says:

    O mundo Linux ignora as resoluções 1920 x 1080 nem sei bem porquê…. lá tenho de ir atrás do xrandr…:)

  7. Pedro Borges says:

    Solução do porblema do Caps Lock
    https://ubuntuforums.org/showthread.php?t=2303202

    Só passei aqui para divulgar e ajudar vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.