PplWare Mobile

ARCH Linux – Parte II – Perguntas Frequentes (FAQs)


Autor: Pedro Pinto


  1. Aptenodytes Tuxus says:

    Olha um esclarecimento sobre a minha distro preferida!
    Bom trabalho ao dar a conhecer à generalidade dos “Pplwarezianos” as outras faces de Linux, neste caso a melhor diria eu 🙂

  2. ZiLOG says:

    A versão “original” do Arch ainda não instalei. Ou melhor, instalei no VirtualBox mas acabou só com a linha de comandos. Tenho que ver melhor a Wiki e a Beginners Guide.
    Já tentei instalar o Chakra no VirtualBox mas quando está a instalar os pacotes, o ecrâ fica preto e não sai dali.
    Agora instalei o VMWare mas algo se passa, pois leva muito tempo a ler do CD virtual (imagem ISO). Fiquei mais de 3 horas à espera da instalação e fartei-me… também tenho que fazer mais tentativas.
    Mas vou tentar de novo com o Arch Linux. Vou seguir o Beginners Guide e instalar no VMWare. Tenho um Magalhães e gostava de meter esta distro lá. De momento tem o Linux Mint e o Windows XP.

    • Guilherme de Sousa says:

      é normal q fique so com a consola qd instalas Arch, é esse o objectivo;)

      instala logo no magalhaes.. vmware é tares a perder uma instalaçao..
      cumps!

    • André Nascimento says:

      Um conselho para a instalação no virtual box:

      1. Fazes a instalação normalmente pela .iso do Arch.

      2. Instalas o servidor X.

      3. Antes de instalares o Desktop Environment (DE) instalas as V Box Additions, como está no fim deste tutorial: http://wiki.archlinux.org/index.php/VirtualBox;

      4. Testas o X para ver se está a funcionar correctamente;

      4. Instalas o DE que mais que agradar (incluindo a versão kde do projecto Chakra – mais informações no site do projecto).

      Como é referido neste óptimo artigo, encontra-se tudo na wiki do arch. Muito bom mesmo.

      Eu pessoalmente tenho o Arch instalado em dual boot com o Ubuntu neste pc, sendo que é este último o meu preferido. Sou um incondicional adepto do “E Deus disse: apt-get install luz” 😀

      Espero ter ajudado, mas de facto o Arch é uma distribuição bastante aliciante.

      • ZiLOG says:

        O problema é que não passou nem do teu ponto 1.

        Quanto estava a instalar, ainda nos 1% o ecrã fica preto e não sai dali.

        Mas agora estou a instalar pelo iso original do Arch.

  3. Lulzzz says:

    Bom post sim senhor.

  4. Alexsandro says:

    Cada vez que leio mais sobre o arch fico mais impressionado…há uma mão cheia de opções a escolher e ficamos mcom um SO mesmo ao nosso gosto…pena não dominar isso ainda muito bem…já instalei o arch numa virtualbox so que ainda nao tentei instalar um ambiente gráfico…esse será o próximo passo 😛

    • Aptenodytes Tuxus says:

      É sem dúvida o ponto forte do Arch, construir um sistema à nossa medida e ao nosso gosto 🙂
      Custa um bocadinho ao início, principalmente a primeira vez pois requer que se pesquise e se informe antes, mas depois fica soberbo.

  5. d05 says:

    Queria ouvir falar do fedora sempre ouvi falarem dele e é uma distro muito usada.

    • phoenux says:

      Pessoalmente o contacto que tive com o Fedora foi mais na perspectiva de administração e disponibilização de serviços Web, e não tanto como distribuição que utilize na minha estação de trabalho no dia a dia. Nos últimos tempos temos utilizado CentOS nos nossos servidores que, tal como o Fedora é baseado no conhecidissimo Red Hat Linux.

      O Fedora estará para o Red Hat como o OpenSuse está para o Suse, ou seja, são distribuições onde as empresas que as desenvolvem, em conjunto com a comunidade, testam ideias e desenvolvem conceitos que poderão mais tarde ser integrados nas distribuições comerciais.

      Se me pedissem para fazer uma divisão, eu diria que o Fedora, OpenSuse e Ubuntu seriam distribuições com uma curva de aprendizagem mais moderada e de utilização mais simples, e o Gentoo, Arch e Slackware seriam distribuições mais direccionadas a power users que querem controlar como o seu sistema deve funcionar (embora esta divisão seja uma generalização sujeita a alguma subjectividade).

      • Guilherme de Sousa says:

        concordo totalmente ctg @phoenux!
        cumps

      • lmx says:

        boas..
        sim, embora slackware seja um icone no que toca a administrar o sistema, nem instaladores de pacotes tens nem nada, este é para masters em sistemas operativos unixlike.
        Mas concordo que arch está num intermédio…costuma-se dizer que no meio é que está a virtude 🙂

        cmps

  6. Leonardo says:

    Para quem quiser um bom tuturial de instalação e configuração do Archlinux, visitem estes links:

    http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Mamae-quero-Arch-%28parte-1%29

    http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Mamae-quero-Arch-%28parte-2-final%29

    Está em Português do Brasil, mas acho que os portugueses não se importam.

    Tem também a Wiki Brasileira do Archlinux:

    http://wiki.archlinux-br.org/

    Abraços.

  7. Leandro says:

    Essa é uma distro que tenho imensa vontade de descobrir como é…uso linux desde 2007 e sempre usei o ubuntu, mesmo sendo uma distro pesada, ela possui tudo o que se pode esperar de um sistema, mas agora quero uma distro mais nua para mim molda-la com carinho….shuahsuhuashua

    • phoenux says:

      Sinceramente acho que dá outro gozo esculpires e adaptares o sistema a teu gosto, sem teres que ficar preso à fórmula “one size fits all”… Só isso é metade da piada de utilizar Linux.

  8. ZiLOG says:

    Já instalei o Arch em VMWare mas não correu muito bem.

    – Instalei o Fluxbox, mas o rato não trabalha e no Fluxbox só apareceu 2 janelas de consola.

    – Não sei como meter o Fluxbox a “entrar” sozinho, sem ser eu a escrever na linha de comandos.

    Vou o tutorial que o Leonardo aconselha, para ver se corre melhor.

    • Guilherme de Sousa says:

      se tivesses lido o beguinners guide tinhas visto la como se fazia para arrancar automaticamente.

      tens q editar o .xinitrc e da jeito teres um login manager. se vais usar fluxbox ou openbox aconselho te o Slim (igualmente tmb tens uma pagina na wiki para saberes como o slim trabalha).

      com todo o devido respeito ao post do Leonardo, acho q todos os tutorials q existem na web para instalaçao do arch sao bastante inuteis, pois é para isso q a Wiki do arch existe, e mais completa q esta n ha..

      cumps!

  9. Eu estou tendo problemas quando tento usar a partir do pendrive, visto que quando uso o flashnul para instalar ele fica irreconhecivel no windows o resto do espaço que sobra da instalação do mesmo…

    Alguém poderia me ajudar???

  10. Matias says:

    excelente! em meu blog postei um pequeno guia, baseado no oficial, mais algumas informações sobre o gnome, aqui:
    http://www.incerteza.org/blog/2008/08/gnome-no-arch-guia-para-iniciantes/

  11. tymonn says:

    Experimentem a montar um servidor web com mysql e a activar o mod_rewrite no apache lá e depois venham cá dizer que sao os reis porque conseguiram instalar o arch…

    • phoenux says:

      Desculpa não percebi a relação…

      Sinceramente, quem consegue instalar um arch, consegue montar um webserver com as características que mencionaste sem grandes dificuldades no Arch (como o Guilherme disse, a wiki é mesmo bastante completa – http://wiki.archlinux.org/index.php/LAMP).

      • tymonn says:

        servidor web com mysql e a activar o mod_rewrite

        mas experimenta e depois diz-me como foi…

        • Guilherme de Sousa says:

          foi mt dificil para ti e querias dizer ao mundo q conseguiste foi?

          so podes tar a gozar cmg. alguem disse q era rei por instalar o arch? pelo teu raciocinio quer dizer q tu és o rei por teres instalado um servidor web.

        • phoenux says:

          Sim, já tá… E agora?

          Depois de instalares o LAMP e de activares o módulo descomentando a linha “LoadModule rewrite_module modules/mod_rewrite.so” no teu ficheiro de configuração do Apache (no caso do arch, /etc/httpd/conf/httpd.conf), é só adicionares as regras onde pretendes.

          Pessoalmente prefiro utilizar o .htaccess para especificar estas regras por directório/projecto, mas podes fazê-lo directamente dentro do ficheiro de configuração do apache.

          Para activar o .htaccess no apache basta adicionar (ou substituir o None) na directiva AllowOverride do directório do teu projecto (no meu caso, e como é máquina de desenvolvimento ficou “AllowOverride All” – por uma questão de comodidade).

          Depois te teres suporte ao .htaccess, basta adicionares um ficheiro com este nome no directório com as tuas regras.

          Por exemplo:

          RewriteEngine On
          RewriteBase /
          RewriteCond %{REQUEST_FILENAME} !-f
          RewriteCond %{REQUEST_FILENAME} !-d
          RewriteRule . /index.php [L]

          onde se verifica se todos os pedidos para a raiz são ficheiros ou directórios e, caso não sejam, recaminha o pedido para o index.php como parâmetros.

          Por último fica a nota: se fossemos reis, a tua dúvida/questão/comentário possivelmente ficaria sem resposta. Temos todo o prazer em ajudar (aliás outros visitantes tiveram muitas dúvidas neste e no artigo anterior sobre o tema, e o Guilherme bem como outros visitantes prontificaram-se a ajudar).

          Não confundas a partilha de conhecimento/experiências por arrogância pois essa não é a mensagem que queremos passar.

  12. ZiLOG says:

    Para instalar programas através do AUR, como posso adicionar os repositórios?
    Conheço este: http://repo.archlinux.fr/i686
    Há mais alguns?

    • Guilherme de Sousa says:

      lê o artigo:P
      para instalares apps do AUR usas o yaourt;)

      cumps!

    • ZiLOG says:

      Sim, já percebi.
      Só mais uma ultima pergunta.

      Para podermos instalar programas sem ser pela consola, podemos usar o Shaman ou o gpacman.

      O Shaman deu erro a instalar/compilar.

      O GPacman depois de instalado, quando vou executar dá-me o seguinte erro: “Falha ao instalar o processo filho ‘gksu’ (No such file or directory).

      Alguma sugestão?

      • Guilherme de Sousa says:

        usa a consola.. mt mais facil..

        sudo pacman -S gksu

        instala assim à pata.. dps instalas o gpacman.

        cumps

      • ZiLOG says:

        Obrigado.

        Até podias ter perguntado, porquê usar um Frontend para o pacman quando podes usar a consola.

        Mas como estou habituado ao Linux Mint/Ubuntu para procurar e instalar aplicações, é mais fácil ver a lista toda no ecrã junto com informações e um screenshot. Claro que já souber qual o pacote a instalar, até é mais rápido ir à consola e “pacman -S pacote_a_instalar”.

        • Guilherme de Sousa says:

          tmb vez a lista toda.. fazes pacman -Ss pacote e aparece te a lista de aplicaçoes.. n aparece imagem, mas com essas gui’s tmb nao. e no ubuntu/mint se bem me lembro tmb n eram mtas as aplicaçoes com imagens, a n ser q mt tenha mudado.

          cumps

  13. JO says:

    Olá,

    Já andava para experimentar esta distro, vendo estes posts lá arranjei tempo para experimentar. É absolutamente fantástico, o utilizador tem o poder de configurar tudo a seu gosto sem ter “lixo” desnecessário, depois de ter a base e mais algumas tools que considero indispensáveis, lá instalei o X e o Openbox. Com o Openbox podem criar todo o vosso ambiente, desde o mais simples e minimalista, passando por um estilo mais Mac OSX ou até mais Windows (se gostrem 🙂 ). O que não faltam por aí são panels, docks, wallpapers, etc Para deixarem tudo rigorosamente a seu gosto.

    Já agora fica aqui a nota para quem fizer instalação de alguns packages off-line após instalar o sistema base(só tinha Kanguru, tive de ir ao Windows sacar as tools para instalar a pen da Huawei no Arch) que existe um bug no wvdial(utilizado precisamente para ter o Kanguru a funcionar) quando instalado manualmente falha o make. Caso se orientem bem com apontadores devem conseguir chegar ao erro, caso contrário posso dar uma ajuda. (acredito que não haja muita gente a instalar o Arch sem ter uma ligação cabo ou wireless por perto, mas acontece 🙂 )

    Recomendo 🙂

    • dockme says:

      Já instalei arch bastantes x sem net. xD
      Quanto ao modem huawei não precisas de usar o wvdial já tens o modemmanager (pacman -Sy modemmanager). O networkmanager detecta automaticamente o teu modem huawei. 🙂

      E um tutorial a falar sobre gentoo?

  14. geneiros says:

    Ola…

    eu tentei instalar o chakra baseado em arch, mas nao consigo instalar a lingua em pt-pt. Será que alguem me pode ajudar a configurar a lingua pt-pt?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.