PplWare Mobile

Impressionante! Adoção do GNU/Linux dispara para os 6,88%


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

114 Respostas

  1. Tiago says:

    Fui um dos que mudou e estou a adorar

  2. eu says:

    A “culpa” pode ser da própria Microsoft:
    – Suporte oficial ao SQL Server para Linux que sai hoje a versão final: https://www.microsoft.com/en-us/sql-server/sql-server-2017
    – Suporte ao .NET Core para Linux e macOS (a versão 2 que finalmente ficou alguma coisa de jeito saiu precisamente quando o Linux começou a crescer)
    – Suporte oficial a uma série de outras ferramentas para Linux e macOS

    Das principais ferramentas da Microsoft, penso que só falta mesmo o Office para Linux (já temos para macOS).

    Coincidência ? Tirem as conclusões.

    • José Rodrigues says:

      O estudo só conta com desktops, nada de servers.
      Além disso, é tudo treta da netmarketshare que deixou cair as outras versões de macos, o que faz com que o gráfico altere.
      Houve crescimento sim, mas não foi de 100% e foram tudo chromeOS.

      • Samuel says:

        Não é nada treta pois o linux está cada vez melhor que o window e que os “macos”. O windows só o que é porque copia partes do linux.

        • José Rodrigues says:

          Gosto da tua opinião informada..

        • stealth says:

          nao e mentira…

        • Khidreal says:

          É verdade…
          Muita coisa que o windows e mesmo a apple estao a adotar, ja existia no linux a bue tempo…
          Um grande exemplo disso é por exemplo a appstore, tanto da ms como apple… A quantos anos, se nao passar de uma decada, ja temos um download centre no ubuntu?
          Entre muitas outras coisas… É so ir pesquisar…

          As tendencias vao e voltam, o imperio apple e ms nao vai durar pra sempre, e eles sabem isso. É sempre o mesmo: as mais pequenas tornam-se populares, as populares passam a historia, e depois voltam os mesmos desenvolvedores sob outro nome…

          Mais cedo ou mais tarde o linux irá reinar, ate lá apple e microsoft podem é tentar adiar o inevitavel ao colocar features do linux…
          É do tipo a progaganda “microsoft loves linux”… Até meteram um terminal linux no windows… Mas na realidade a microsoft estava muito melhor sem o linux, uma taxa de 6℅ a nivel mundial é muita gente, seriam muitos milhoes de euros a render à microsoft se este pessoal viesse pro windows…

          • Carlos says:

            Consegues imprimir numa canon em Linux? Consegues ter uma interface desktop decente em Linux que não mude de ano a ano? Consegues ter uma instalação do Ubuntu sem teres metade da internet dentro do teu PC, filho, as unicas distros linux unbloated são Alpine, Gentoo e Arch tudo o resto esquece…

          • XYZ says:

            Carlos
            Consigo sim senhor.imprimi durante 2 anos numa canon pixma mp170 (velharia) no Linux Ubuntu.
            Isso do desktop é relativo, as coisas tem de melhorar, e nao muda de ano pra ano… Fazem melhorias, ja vi o windows 10 mudar a sua interface 3 vezinhas… Os outros fazem melhorias, mudar de interface? Mudou o ubuntu do unity para gnome recentemente depois de anos com o primeiro…
            Interface decente depende do gosto, eu pessoalmente gosto de deepin DE, gnome 3 e o novo KDE.
            Isso da net, cada um sabe de si, eu usava fedora e mais tarde Solus e sim, nao sao unbloated, mas também nunca tive de desinstalar nada, eram ferramentas super uteis, nao era do tipo Candy crush soda saga do windows 10 ou links para software premium como a app “get microsoft office now” do W10….

          • Carlos says:

            XYZ
            Sim, mas eu nunca estava a falar de windows 10. Eu estava a falar do macOS… Isso o Windows 10, deixei-o ainda durante o 7 e sinceramente foi a melhor coisa que fiz…
            E geralmente o que se vê é o linux DE a copiar as coisas do macOS…
            Agora até ao facto do “Mais cedo ou mais tarde o linux irá reinar(…)”, esta resposta diz tudo: https://www.youtube.com/watch?v=KFKxlYNfT_o

      • alienflowerx says:

        At the end of the day …
        MAC OSX ALWAYS THE BEST SINCE EVER
        o resto são imitações fajutas daquilo que sempre foi um S.O a sério.

        • AiOGajo says:

          Yep… S.O. a serio. Já podes retroceder utilizando o backspace?

        • Khidreal says:

          Yep… SO a serio… Ja podes instalar novas interfaces e deixar essa porcaria do tipo “brushed metal” a inicio dos anos 2000?
          Ja podes ouvir musicas em tipo .flac?
          Ha e ja podes comprar um mac sem pagar o preço de manufaturação + 600 vezes esse valor? E que tal computadores de metal real e nao essa porcaria de plastico com coberturas metalicas ou mesmo plastico modificado?
          E que tal hardware a sério? É que comprar um mac de 2000 euros com um i7 (que nem HQ é), 8gb de ram, um disco ssd de 500gb e uma grafica nvidea de 1gb… Encontro o mesmo hardware num asus rog strix de pouco mais de 1000€, com 2 vetuinhas e uma estetica que promove a circulacao de ar…

          • José Magalhães says:

            Desculpa mas não estás 100% correcto, musicas em formato flac sempre ouvi no mac, editei no mac e converto noutros formatos em flac desde pelo menos 2006, altura em que transformei o meu velhinho Pentium 4 num hackintosh. Brushe metal ?? bem, desde a versão Yosemite que isso já não faz parte do universo Mac OS e eu por acaso até tenho saudades.
            Quanto ao Hardware, é verdade sim, é caro demais para as especificações oferecidas, no entanto, como sistema operativo e metendo de lado as questões de legalidade e suporte, eu já uso Mac OS em hardware PC desde 2006 e não quero outra coisa.
            A minha actual máquina tem como sistema operativo principal High Sierra e tenho tudo a funcionar, tudo mesmo, apenas tenho um disco secundário com windows para a única coisa que nem Mac OS e Linux dão a sério, ou seja, JOGOS. pois nesse universo o windows ainda é rei.
            Mas repetindo a questão, Mac OS é sem dúvida dos melhores sistemas, não fosse ele baseado em Unix, ou seja, uma mistura de Linux com um excelente ambiente gráfico.

  3. Diogo says:

    Isto é uma excelente notícia, mas como referem no artigo, não consigo encontrar uma razão para um crescimento tão grande assim de repente.

  4. Amilcar Alho says:

    Há aí qualquer coisa que não bate certo… Crescimento demasiado repentino.

    • João says:

      +1!!!

      “Em resumo, o aumento do GNU/Linux significa uma quebra significativa da adoção do Windows em todas as versões.” – Não! Significa que há algo aqui que não bate certo!!! Não foi em 2 meses que desatou tudo a usar Linux!!!

      Sinceramente, algo aqui não me cheira bem!!!

      Das 2 uma,

      1. ou dantes algo não estava a ser contabilizado correctamente

      2.ou é agora que não está!!!

      Sinceramente, pendo mais para a primeira opção.

      Sempre me cheirou que tinha algo de estranho no detalhe do linux nunca passar de 1%. Apesar de os utilizadores serem poucos, sempre achei que tinham de ser mais de 1%…

      cheira-me que havia algo a passar por baixo da mesa dantes, que agora deixou de passar…

      • José Rodrigues says:

        O gráfico não corresponde à realidade, na verdade linux continua abaixo dos 3%.

        • Vítor M. says:

          José Rodrigues, quem faz clickbait é o José. Então qual é que conta para si, serão os dados da netmarketshare ou os dados da statcounter?

          E porque é que os seus estão corretos e os nossos não? Só porque sim? 😉

        • Vítor M. says:

          Já testei várias vezes e dá-me sempre 4.83%. Usei vários browsers e sistemas operativos e continua a dar o mesmo.

          Agora, estes dados são os que estão a ser veiculados, e como já referi, o estranho é de ano após ano certos mercados usarem Linux e isso nem se fazer refletir em determinadas ferramentas de análise, isso é que acho estranho.

          • José Rodrigues says:

            Vítor, faço parte da comunidade de linux há 20 anos e tenho perfeita noção que linux sempre foi um nicho muito reduzido, muito inflacionado pelo meio académico, coders e alguns auto-didactas que gostam de brincar ou aprender, no entanto essas pequenas comunidades o pessoal largou a escola, casou, teve filhos e por falta de tempo muitos foram para macos, assim tinham o melhor dos dois mundos.
            Por isso é que ano após ano mal se vêm flutuações de market share de linux e vês sempre algum crescimento de macos (que actualmente vai nos 11%).
            Duvido muito que algo mude nos próximos 5 anos, actualmente só serve mesmo para pessoal com pouco dinheiro/académico ou que gosta de aproveitar os chassos lá de casa, em minha casa vai tudo para o lixo, já nem para a garagem vai.

          • Miguel Fari says:

            @José Rodrigues
            “actualmente só serve mesmo para pessoal com pouco dinheiro/académico ou que gosta de aproveitar os chassos lá de casa”

            Chega de internet, uma pessoa que diz que faz para do linux/comunidade à 20 anos e dizes que o linux só serve para isso.

            Sabes uma coisa, uso linux no meu trabalho todo, e nem imaginas o que é capaz está coisas que só “serve” para brincar.

          • Asdrubal says:

            Também cheguei a ver os 6,91% na manhã de 1 de Outubro para linux, e à noite já rondava 4 e tal, e por vários momentos parecia variar o valor. É meio estranho essas variações dos valores apresentados.

            Numa conta e password do netmarketshare que há por aí online , dá para ver que na china houve um crescimento abrupto com o linux.

          • José Rodrigues says:

            Caríssimo Miguel, também o usei para tudo e mais alguma coisa, depois acordei para a vida e queria que que “just works” que não me ocupa tempo da minha vida ocupada.

      • José Rodrigues says:

        PPlware, isto é algo fidedigno, http://gs.statcounter.com/os-market-share/desktop/worldwide/

        linux 1,66%, se contarmos com chromeos 0,84%, mesmo assim não chega aos 3%.

        Larguem esses gráficos de clickbait e cinjam-se a dados reais que efectivamente nos informem correctamente.

        • Pedro Pinto says:

          São duas empresas diferentes, com estratégias e métodos certamente diferentes. Não há nada de clickbait, apenas os dados que a empresa de consultadoria apresenta.

        • José Rodrigues says:

          Prova que o netmarketshare está mal, na página deles, se formos ao marketshare por OS e não por OS versions:

          https://netmarketshare.com/operating-system-market-share.aspx?qprid=8&qpcustomd=0

          Linux: 1,53%

          :\

        • Jorge says:

          Não José, não são fidedignos, só seriam se o Linux tivesses 0% não é?

          Como escreveu o outro torturem os números ………….

          • José Rodrigues says:

            Não Jorge, uso linux há mais tempo que tu usas computador, odeio é desinformação.
            E dentro do meu ciclo de linux users sei que grande parte da comunidade linux foi para macos, assim como eu fui e deixei distros linux só para servers.

          • Pérolas says:

            @José Rodrigues: o facto de ser uma estatística má para a Appl€ não retira a verdade dos factos! É só questão de se esperar um par de meses para ver o ritmo de consolidação. Vejo que és um acérrimo simpatizante da Appl€? Não há motivo para um desespero tipo M$. Há lugar para todos dentro do ecosistema informático: sejam utilizadores que querem mostrar que podem comprar o equipamento x, sejam utilizadores que vão ao supermercado e compra 1 das 10 opções existentes, ou sejam utilizadores mais esclarecidos, conscientes e que pensam no futuro…

          • José Rodrigues says:

            Pérolas, não sou acérrimo Apple, em casa tenho de tudo, cada um para a sua função, incluindo slack que é o meu menino há muitos anos, ando é nisto há tempo suficiente para saber como está o mercado e abominar estas trends de tentativa de influenciar mercado.

          • José Rodrigues says:

            Nota: tanto não sou acérrimo da apple que já defendi aqui inúmeras vezes que a apple tem os dias contados, se não muda, dentro de pouco mais de uma década, morre.

  5. Vinicius says:

    Eu utilizo o Linux no meu dia a dia mas algo vai mal nos cálculos. Pois custa-me acreditar que em um mês o Linux duplicou. Gostava de referir que o ChromeOS também conta como Linux de desktop para as contas da Netmarketshare.

    • José Rodrigues says:

      Além disso macos não caiu 5% do dia para a noite, é tudo fake.

      • int3 says:

        apply cold water to the burned area.

      • Janito says:

        Com os preços que dos macs, remoção de portas, hardware que não vale nem metade do preço do produto, entre outras desgraças, com a info que há hoje em dia, só apanha assim por trás que gosta meu
        Uma coisa eu admito: os computadores, a nível de design, eram lindos, e os materiais etc, mas eu quero um bom pc, não uma obra de arte com uma placa de cicuitos lá dentro, se o pc for bonito melhor

  6. Paulo Pereira says:

    Foi uma “promoção no regresso às aulas” ahaha

  7. andre says:

    Para mim isto deve-se ao facto de muita gente ter máquinas + antigas com o xp ou o vista e que querem ter um sistema operativo recente e seguro sem custos…

  8. Luís says:

    Fica mais barato que qualquer um da concorrência e é mais seguro. Sou utilizador de vários sistemas não tendo ainda experimentado MacOS mas posso dizer que estas mudanças de politica por parte dos sistemas de cariz proprietário me levou a adotar o sistema do pinguim: Linux MInt. Não que seja uma distro muito hard core mas mais segura é de certeza. Ainda para mais tenho hardware com 9 anos de utilização e até rejuvenesceu. Tenho em dualboot com W10 para poder deste modo alargar conhecimento pois tenho contacto com sistemas desde o windows 95 e ainda está a ser gradual a mudança para este novo mundo. É incrivel o que se aprende a fazer e a liberdade que se tem, não precisando de buscar software pois para tudo existe solução apesar de ter uma curva de aprendizagem grande. Parabéns à comunidade Gnu/Linux

  9. P says:

    Acho que isto se pode dever a muitos developers terem feito a migração.
    Eu, como utilizador normal, decidi fazer a migração no início do ano. Tirando um problema de drivers com a gráfica, ainda não consegui justificar voltar ao windows.

  10. Miguel F. says:

    Acabei de consultar o link para a NetMarketShare que o pplware publicou e o número que lá está é 4,86%.
    Não deixa de ser impressionante a taxa de crescimento do Linux num só mês, mas aqui há gato…

    • Vítor M. says:

      Está atualizado no artigo. Se há gato ou não… bom, como já falamos em todas as ferramentas e em todas alguém disse que havia gato… eu depreendo que são gatos da mesma gata 😀

      Agora, também é estranho certos valores estarem há anos “adormecidos”, mas…

  11. Osvander says:

    Pera ai, eu uso o linux em e pc, not, desktop e outro notbook de minha mulher e mais 4 com meu irmão. Só o pclinuxos Br teve um aumento de 30% aqaui no Brasil, conforme o site do pclinuxos brasileiro. Ora isso ai é pouco, ponho uns 10% nisso!!!

  12. Rui says:

    O pessoal das sondagens das eleições chegaram às sondagens dos SO! 🙂

    Não acredito que o linux passe de 3 para 6% no espaço de 1 mês, quando já existe à muitos anos!!!!!!

  13. Jota says:

    Então, o Linux ultrapassou o MacOS ou não?

  14. Filipe F. says:

    Adoro a ultima linha a questionar uma revolução… ficam doidos com variações de 1 mês.

  15. Jota says:

    O titulo desta notícia devia ser: Linux ultrapassa macOS a grande velocidade!

  16. Jorge says:

    Eu uso Desktop Linux desde que deixei o windows 3.1 e estou-me lixando para as estatísticas!

  17. Sérgio J says:

    Ora se eu for fazer uma sondagem do número de benfiquistas na República democrática do Congo e outro no estádio da Luz vi dar resultados diferentes.

    Nada justifica uma subida tão abrupta em 2 meses. Algo tem de estar mal. Ou antes ou depois. 3%sao muitos milhões de novas instalações.

  18. Manel says:

    Uso Linux há 6 anos e n quero saber do Windows parabéns!!!

  19. George Orwell says:

    Não me surpreende nadinha esta revisão em alta do uso do Linux.
    Penso até que o número continua a pecar por defeito, e muito, por não contar com servidores, mini pcs, TV boxes, sistemas embutidos, routers e Android ( sistema este que não pode prescindir do seu kernel Linux ) etc.
    E será que tal sondagem contempla exaustivamente o uso do Linux em países como a R.P. China, U. Indiana e outros países do extremo oriente ?

    Algumas distribuições, como as baseadas em Arch (Manjaro e Antergos ), Deepin, Solus, Elementary, True OS, Solus, CentOs, PcLinuxOS, Zorin, estão a alavancar um crescimento extraordinário do uso do Linux, algumas recentes e mesmo assim com uma fulgurante aceitação, o que prova uma assinalável dinâmica no mundo Linux, isto para não falar no Debian, Ubuntu e Mint.
    Empresas com renome no mundo informático não só pelo Linux, como a Oracle, Novell e outras, têm vindo a investir neste sistema.

    Os ciclos regulares de actualização por via dos “upgrades” ou a natureza “rolling release” mantêm o apelo constante para quem gosta de experimentar o último grito ou quem necessita de ver um driver corrigido via kernel ou pacote, fazendo os sistemas proprietários parecer lesmas se comparados à dinâmica “opensource”.

    Por outro lado, com o Linux, os computadores antigos ressuscitam da prateleira onde jaziam, “born again” por um elixir de uma renovada longa vida .

    Acresce que, as suites de produtividade presentes no mundo Linux, como o LibreOffice e WPS, são mais que suficientes para os utilizadores que não tiram partido sequer de metade dos atributos de uma suite e, mesmo que continuassem a preferir as clássicas, ainda podiam contar com elas nas versões online.
    A nível do software lúdico, a chegada da Steam ao mundo Linux veio provar que certos jogos até correm melhor do que nos sistemas proprietários. Se as demais editoras, sobretudo aquelas que produzem jogos multiplayer e online, apostassem no Linux, cairia fatalmente uma das razões que obsta à migração.
    Mas, quem queira aderir ao Linux e manter igualmente o sistema proprietário pode não só usar o dual-boot mas também a virtualização hospedeira através do hypervizer Qemu-Kvm com pci-passthrough e, além destas duas opções, ainda dispõe de programas como o Wine e o Crossover para correr aplicações não nativas.

    Chegará o momento em que o hábito será o derradeiro obstáculo à migração e, caso o consiga ultrapassar, pode vir a dizer, tal como Steve Ballmer ex-CEO da MS, “I may have called Linux a cancer but now I love it”.

    • 34 says:

      O kernel Android não é um kernel Linux, não tem Gnu-C, portanto não é Linux.
      Além disso o kernel tem OOM próprio, e não OOM do kernel Linux.
      E isto é o que me lembro de cor e salteado, sei que o kernel android tem muitos outros componentes adicionados.

      • Miguel Faria says:

        Claro que tem de ter, uma delas é os drivers específicos do hardware já que este corre no kernel.
        E sim, é baseado mas não é igual.

      • George Orwell says:

        “To be, or not to be” linux kernel é uma questão já longamente debatida ( embora não há tanto tempo quanto Hamlet ).
        A Google desenvolveu uma bilbioteca própria para o compilador C chamada Bionic para optimizar o kernel em dispositivos móveis e ao mesmo tempo tornear uma licença GPL, porém não escapou a uma licença BSD nem ao núcleo do Linux sem o qual esta modificação PARCIAL seria impossível. Seria a única maneira de possibilitar o uso de um sistema “Unix like” num smartphone com processador de arquitecura ARM e desenvolver um sistema de aplicações “on top”.
        Nada de invulgar, faz parte da filosofia Linux a possibilidade de o modificar.
        Mas, se dúvidas houvessem, em março de 2012, com o aparecimento da versão Android 3.3, o Android “on top” refundiu-se com o Linux num único sistema tornando-se assumidamente Linux em todo o seu esplendor.
        A objeção só teria algum sentido antes de Março de 2012.
        Navegue “root” pelos directórios de sistema do Android e repare nos nomes e arrumação destes. Será que a Android Inc. e a Google não tiveram imaginação para mudar os nomes ? E veja a versão do kernel nas informações do sistema. Que kernel é este e quais os seus antecedentes históricos e genéticos ?
        Hoje nem a Google pretende desmentir o seu núcleo Linux e até aposta nele nos Chromebooks.

  20. Celso says:

    Será impacto dos Chromebooks?

    • Janito says:

      Penso que sim também, vejo muita gente a procurar Chromebooks porque chega e sobra para o que querem fazer, e vejo maltinha a comprar também esses computadores e a instalar numa dristro de linux naquilo e fica uma maravilha
      É mais barato que comprar um PC com windows e chega para a maioria das coisas do dia a dia

  21. Janito says:

    Penso que está mesmo a mudar, especialmente a maltinha mais nova que está muito mais ligado e adapta-se melhor a mudanças de ambiente de sistemas operativos, entre eles eu que decidi experimentar e começar a mexer em linux para ver como é que a coisa é e sinceramente no dia em que existir um Office e software tão bom e capaz como o visual studio para linux eu vou tentar nunca mais ligar um windows, até porque o windows está a tornar-se num produto fruto da grande gula por €€ que se fizeram todas as grandes corporações

    Aliás até a minha mãe que nada percebe de pcs tem o ubuntu no pc dela e dá-se tão bem ou melhor que no windows, nada de “filho welp o pc ficou preto e não passa daqui” e é algo estável em que o utilizador tem 100% controlo e é isso que eu espero que aconteça cada vez mais no futuro

    Todos temos interesse em que o software seja livre, estável e confiável, pelo menos sistemas operativos, espero que a humanidade abra o olho agora, até porque muitas distros de Linux hoje em dia estão muito mais fáceis de usar que windows, espcialmente para a maioria dos utilizadores que apenas pretende Office + browser + ver um filmes e séries de vez em quando

    Pena é photoshop e outro software do género não existir para linux, mas há de chegar o dia, e nós hoje que que nos estamos a adaptar e a lidar melhor com estas tecnologias só vamos influenciar gerações futuras a lidar e saber escolher e adotar software, esta brincadeira do “olha esta cópida do windows é tua mas somos nós que controlamos basicamente tudo ok” há de ter a sua cova já cavada

    • Samuel says:

      Qualquer distro traz um office de borla. Quanto a software existe muito por onde escolher.
      A diferença entre um windows/macos e o linux: Um programa de electrotecnia para o windows/macos custa cerca de 50 mais a licença vai aos 80 (minimo) o mesmo programa no linux fica de borla e não é necessário licença.

      • Janito says:

        Sim de facto é verdade o problema muitas vezes é a compatibilidade com pessoas que usem outros programas no que toca aos office
        Sim lá está, uma empresa, qualquer uma, tem interesse em ter tudo o que é software livre, é menos gastos

  22. CS says:

    A culpa é dos universitários a fazer projetos que requerem linux.

  23. arkan says:

    kkk SEI……

    IMPRESSIONANTE…..

  24. xor3 says:

    Tenho as minhas sérias duvidas do crescimento do Linux e do MacOS/OSX…
    Claramente algo bate mal porque os meus resultados são claramente outros, com o Linux a ter uma taxa de 3,99%, e o MacOS/OSX 3.68%
    Podem confirmar aqui: http://tinypic.com/r/2zxwq6r/9

  25. xor3 says:

    Tenho as minhas sérias duvidas do crescimento do Linux e do MacOS/OSX…
    Claramente algo bate mal porque os meus resultados são claramente outros, com o Linux a ter uma taxa de 3,99%, e o MacOS/OSX 3.68%
    Podem confirmar aqui: http://tinypic.com/r/2zxwq6r/9

    • Pérolas says:

      Tens de levar em conta as empresas que estão a migrar do window$ para linux. Imagina que eras CEO de uma empresa e um empregado, por negligência decide, antes de almoço, clicar em alguns links dos e-mails manhosos que recebe. A meio da tarde alguém chega ao pé de ti e diz que há um ataque de ransomware a decorrer. Fica tudo lixado! Todos os departamentos ficam em baixo! E a seguir pedem-te um regate de milhões, pois, sabem que informação têm nas mãos e que informação pode ter sido comprometida. Já sabes que os sócios e os accionistas vão pedir a cabeça de alguém, mais a mais, depois de “n” memos do departamento de informática a sugerir medidas correctivas que não foram aceites pelo CEO… tu! Agora, imagina que és amigo deste CEO, vês a casa dela arder e ele comenta contigo que deveria ter seguido as recomendações do departamento de TI e não o fez para não incomodar os utilizadores com migrações de software. O que farias de seguida na empresa onde és CEO? Há pois é… A quota de mercado do linux vai continuar a subir por várias razões… além disso uma boa partes das novas gerações já não querem ser colaboracionistas com certas e determinadas prácticas corporativas que tanto mal trouxeram ao mundo… É complicado…

      • Janito says:

        E penso também que há mesmo muitas empresas que estão a passar do windows XP e também 7 para linux por ser um grande alívio nos custos, penso que esteja a haver a um “upgrade” relativamente conjunto às tecnologias e quem gere agrada-lhe tecnologias do melhor + livre

      • xor3 says:

        Conheço ZERO empresas a migrar para Linux. Não só por causa dos custos que isso iria representar, como a grande maioria do software não existe em Linux….

        • Pérolas says:

          Lamento ter de te contradizer, mas, os “custos que isso iria representar” e a “grande maioria do software não existe em linux” não é verdade, é mais um “mito urbano” e uma “narrativa” que os negociantes de licenças, royalties, viagens, etc, etc querem fazer passar para continuar com as negociatas… Quanto à migração de empresas, se imaginares que, neste pais, existem cerca de +- 700,000 empresas e se comparares este valor com o universo de empresas que realmente conheces, de facto, até podes não conhecer nenhuma. Há muita empresa a migrar e por razões obvias; sei do que falo, pois, passo o dia a “virar este tipo de frangos”… E na cloud a presença de vms linux é cada vez mais forte, mais a mais, as gerações mais novas já não têm “pruridos” em utilizar sistemas diferentes…

    • Samuel says:

      O teus números estão errados pois o gráfico mostra que ninguém usa BSD. Mas eu conheço pelo menos 30 pessoas que o usam portanto não pode ser 0.00%.

  26. Alf says:

    Sempre gostei deste, os resultados parecem mais reais:

    https://www.w3schools.com/browsers/browsers_os.asp

  27. sakura says:

    A Ms anda a brincar as casinha uma na apple +uma em linux (and android) enquanto windows mobile, windows server….. ao que parece mais vale pagar a formação aos empregados (linux).
    Paciência tem limites e a Ms está a passa-los TODOS nos dias de hoje sem Móbil……. se a MS love linux Nos mais e com as ferramentas da Free da MS em linux pq usar windows?

    • xor3 says:

      Porque 90% das coisas não funcionam, ou existem para Linux… Nem todos usamos um OS para ir ao Facebook e fazer uns posts em Forums ou Blogues.

      • Pérolas says:

        A sério??? Já usaste alguma distro linux??? É que isso que está a dizer mais parece um filme de ficção de série B… Dou-te um exemplo: 9 em cada 10 bancos americanos usam linux e não me parece que usem o SO para facebooks e posts em blogues e foruns…

  28. edu says:

    Minha família adotou 100% Linux, Xubuntu foi o escolhido.

  29. Luiz Paulo Kenny says:

    kkk legal ne.. ou nao ?

  30. Dimitri says:

    Fui apenas eu que para experimentar instalei 50 mil máquinas virtuais em Linux.

  31. Carlos says:

    Qualquer pessoa com um conhecimento básico de estatística desconfia imediatamente dum crescimento tão repentino.
    Para isso ser verdade teriam de se ter vendido, porque sejamos honestos o comum dos mortais nunca irá mudar o sistema operativo que vem pré-instalado, até porque não o saberia fazer mesmo que quisesse, milhões de PCs com o Linux pré-instalado. Estamos a falar de muitos milhões, porque a base instalada do Windows roda os 1,5 mil milhões de PCs.
    Dito isto, acho estranho o ChromeOS não aparecer no mapa, tendo em conta que praticamente todos os estudantes pré-universitários nos EUA têm um, e até mesmo muitos universitários, aqui sim, estamos a falar de milhões. Largos milhões.
    O que me parece é que os moços da NetMarketShare estão a contar o ChromeOS como Linux, mas o ChromeOS, tal como o Android só vagamente é o Linux, e não é definitivamente o GNU/Linux, porque do GNU não tem nada. Isso explicaria a subida repentina do Linux coincidente com o regresso às aulas.
    Mas no dia em que passarem a contabilizar o ChromeOS separadamente, rapidamente se vai ver o Linux voltar para perto do 1%.

    • salsichas com atum says:

      Carlos
      O Linux nao é um sistema operativo, é um kernel…
      Por isso, tudo o que é baseado no kernel do linux pode ser e deve ser junto na mesma fatia. O android nao se junta a esta fatia porque linux mobile é a google que o desenvolve, a google pega no linux e reescreve, entao o linux que usas no android nao é desenvolvido por Linus Torvalds (criador do linux) mas sim pela google, tanto que até nao tens acesso ao codigo do kernel do android.
      Demais, é tudo junto na mesma fatia, tamos a falar de um kernel nao de um sistema operativo, estarias a falar de um sistema se no grafico aparece-se “Ubuntu”, aí fazia sentido mencionarem chromeOS e outros OS a usarem kernel linux, mas aí passariamos a ter um grafico com 1001 sistemas operativos, muito mais facil simplesmente contabilizar e somar o share de todos os SO que usam kernel linux.

  32. informado says:

    Linux !!! Sempre!! Arch Linux Perfeitíssimo! Não Falha !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.