PplWare Mobile

4 dicas para dar já uma limpeza no seu Linux Ubuntu


Autor: Pedro Pinto


  1. Carlos Fernandes says:

    por esta ordem
    sudo apt-get update;
    sudo apt-get clean
    sudo apt-get autorremove…..:)

  2. arc says:

    BleachBit, existe disponivel para instalação em qualquer distribuiçao de Linux.
    Só para que conste!

  3. arc says:

    Vejamos via Debian way!

    * Se o pcaote foi instando via apt-get

    sudo apt-get remove pacote
    sudo apt-get –puge pacote -> remoçao com os ficheiros de configuraçao desse pacote

    Se o pacote foi instalado com o dpkg

    sudo dpkg –remove pacote
    sudo dpkg –purge pacote -> remoçao com os ficheiros de configuraçao desse pacote

    NOTA: caso optem pela instalaçao do pacote via aptitude, a sintaxe é a mesma do apt-get!

  4. arc says:

    NOTA: como medida de precauçao, é conveniente, pesquisar se existem configuraçoes residuais em ~/.config, ~/.cache ou ~/.local/share, localizados em /home.

  5. sakura says:

    Para não ter muito trabalho…
    http://www.pixelbeat.org/fslint/

  6. Daniel says:

    REMOVIDO PELO ADMIN

    também funciona bem.

    • Marco says:

      esta é a melhor dica até agora 😀

    • Daniel says:

      Concordo plenamente, podem usar, salva vidas

    • Jc says:

      Eu ia só com rm -rf ~/*

      • Pedro Pinto says:

        Pessoal, o que ganham com estas opiniões parvas?

        • Jc says:

          Ganha o mundo todo, com mais pessoas a saberem usar o comando man para verem o que o -rf faz no em.

        • Jc says:

          Também é um comando útil para ensinar os utilizadores a pesquisarem o que os comandos fazem em vez de seguirem cegamente todo que que vê na internet..

          • Pedro Pinto says:

            ve que pescas pouco da coisa…querias fazer um brilharete, mas felizmente os sistemas ja trazem proteções. Tu ´
            e que deves usar o man para aprenderes mais um pouco. Enfim!

        • Jc says:

          Não percebo a hostilidade Pedro.
          E não, não existe nenhuma protecção contra “rm -rf ~/*”
          Não existe qualquer impedimento a um utilizador apagar toda a sua home ( o comando “man bash” mostra o shortcut de “~” para a home do utilizador.
          Por outro lado, qualquer rm -rf / corrido com sudo ou por root vai funcionar até encontrar um ficheiro em “hard” read only e nessa altura dá erro. Mas quando dá erro já estragou muito…..

          Eu pessoalmente julgo que quem não sabe o que “rm -rf /” faz não devia andar a meter comandos que acha em comentários na sua consola……
          Se os mete na consola, que aprenda com o resultado….

        • Daniel says:

          A sério que passaram um lápis azul ?

          As pessoas deviam pesquisar, ler e investigar o que os comandos fazem, é assim que aprendem. Em primeiro, o comando sem sudo não ia funcionar, e se por acaso alguém usa o terminal em sudo piores males virão…

          Se tivesse metido o comando como “-fr” e não “-rf” provavelmente ainda iam pensar que só ia apagar a linguagem/teclado francês…

          • Jc says:

            O Pedro acha que devemos esconder os perigos dos utilizadores em vez de os mostrarmos de caras.
            Como se não existissem milhões de outros sites com comentários semelhantes.
            Eu julgo que a nossa(quem percebe de Linux) função é ensinar os utilizadores a pescar (man apt, man apt-cache) e não dar o peixe já pescado…

          • Vítor M. says:

            Não, não se deve esconder, mas deve-se ensinar, partilhar conhecimento mas não ser chico-esperto e tentar “prejudicar” terceiros para gáudio próprio porque se tem uma cultura pequenina de ajuda. A ideia não é levar a que os incautas tenham problemas.

          • Pedro Pinto says:

            Imagina que seja aqui um leitor, com poucos conhecimentos…instalou o Linux e decidiu seguir a tua dica…que até foi indicada sem perigo algum…achas bem?

          • Jc says:

            Acho bem.
            Acabou de aprender a lição mais importante que um utilizador de Linux pode aprender à custa de uma hora de tempo perdido a olhar para o install.
            É bem melhor que fazer o mesmo no servidor de backups do qual vai ser responsável daqui a 2 anos….

            As pessoas aprendem pouco com o que lhes dizem e muito com o que lhes acontece.

            Quem não sabe o que é rm -rf / e o põe numa consola com elevação deve ter o desgosto agora que não tem consequências.

          • Daniel says:

            @Pedro Pinto @Vitor M.

            Até concordo com tudo que dizem, mas cada vez mais se nota a “moda” do “linux é que é fixe”, que abrir uma linha de comandos é para experts e hackers e afins. Se não notam isso na comunidade, eu noto. Pessoas a instalarem pacotes duvidosos sem verificar sequer as origens ?

            Quantas e quantas empresas não têm sistemas UNIX/Linux/BSD com aplicações configuradas à base de tutoriais de m$”!%!” que encontram na net cheio de buracos ? Se funciona só depois do comando X, então toca a inserir e correr o comando X.

            Não funciona ? Abre portas na firewall.
            Acesso negado ? Corre como root.
            Ainda acesso negado ? Desliga o SE (caso dos Redhats)

            Até me dei ao trabalho de procurar se já tinham feito referencia…

            https://pplware.sapo.pt/internet/explain-shell-entenda-os-comandos-de-linux-que-mais-usa/

        • arc says:

          A conversa, até em certa medida está interessante, para o meu gosto particular.

          Vejamos…

          1. A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, quer um sistema operativo Linux, como alternativa a outros, só porque SIM e ainda é mais verdade isto, já que agora é quase tudo realizado via GUIs.

          NOTA: nada contra as GUIs…

          2. A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, NÃO possui os conhecimentos MÍNIMOS desejáveis, para trabalhar minimamente com uma qualquer distribuição de Linux. Isto é CULPA, de uma formatação de longos anos com outros SOs e em sistemas Linux, tudo é diferente (melhor ou pior…é DIFERENTE).

          3. A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, NÃO tem INTERESSE algum, em aprender o básico da CLI e a sua relação biunívoca com o sistema no seu todo.

          3.1 A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, NÃO tem interesse em saber da existência do Terminal, e que muitas tarefas, são executadas de forma mais rápida, mais eficaz, e onde podemos sempre visualizar todos os outputs de um comando ou conjunto de comandos quando encadeados, afirmam peremptoriamente, que é coisa de NERD, HACKER, etc, e por isso mesmo, uma qualquer distribuição de Linux é FEIA e todos os restantes adjectivos conhecidos.

          4. A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, pensa que um sistema Linux, é seguro, à prova de tudo e mais alguma coisa.
          ENGANO, onde estão aplicadas as melhores praticas relativas a SEGURANÇA nas suas distribuiçoes?
          Ok, alguns possuem uma firewall, e mais o TOR, uma VPN e mais umas tretas, e ESTÃO SEGUROS, dizem com a maior das naturalidades. E ai de quem lhes diga o contrario!!!

          5. A grande maioria dos utilizadores recém-chegados a uma qualquer distribuição de Linux, utiliza a conta root, a seu belo prazer, sem ter em conta todos os perigos dessa utilização.

          NÃO implementam medidas de SEGURANÇA ELEVADAS para sua salvaguarda!!!

          6. Ler as man pages, a documentação das aplicações, ter cuidado redobrado com o AUR e os PPAs, conhecer minimamente como recuperar após uma situação mais critica, NAO ACREDITAR em tudo o que se le em blogs e outros web sites, estudar então NEM PENSAR, isso é para os outros, que gostam de escabulhar o sistema…eu sou simplesmente utilizador de Linux, NAO preciso de mais nada!

          E por aí fora poderia eu continuar com a prosa!!!!

          • Jc says:

            Mesmo que o utilizador queira ser noob para o resto da sua vida. Então que siga os comandos o site oficial da comunidade de ubuntu. E não o que é escrito na zona de comentários do Pplware….

  7. Vanadu says:

    Existe sempre alternativas. Eu uso o ubuntu cleaner.
    Ubuntu Cleaner is a tool that makes it easy to clean your Ubuntu system. Ubuntu Cleaner can free up disk space and remove private information from your computer.

    Clear browser cache
    Clear APT cache
    Clear thumbnail cache
    Remove unneeded packages
    Remove old kernels
    Remove old installers
    http://ubuntu-cleaner.blogspot.com/

  8. Alex says:

    Bleachbit pra ti se es noob como o Cortano, vai adorar a dica

  9. Daniel says:

    Essa maldita

  10. jaugusto says:

    Limpeza geral dos Browsers á mão (s/bleachbit)

    1º backup bookmarks

    2º For Firefox:
    rm -r -v ~/.mozilla && rm -r -v ~/.cache/mozilla

    3º For Chrome:
    rm -r -v ~/.config/google-chrome && rm -r -v ~/.cache/google-chrome

  11. Paulo Simões says:

    Dá sempre jeito uma “faxina” na máquina.
    Bleachbit é uma ótima opção, mas recomendo também o Stacer. Com ele sempre é possível apagar mais uns ficheiros que o bleachbit não apaga, e tem mais opções como as aplicações que iniciam com o sistema, etc…

  12. sakura says:

    Já agora não tenham log,s com Gb,,,,,,

    sudo journalctl –vacuum-size=10

  13. Amilcar Alho says:

    – Por linha de comandos:
    sudo apt-get clean && sudo apt-get autoclean && sudo apt-get autoremove

    – ucaresystem-core
    sudo add-apt-repository ppa:utappia/stable
    sudo apt update
    sudo apt install ucaresystem-core
    sudo ucaresystem-core

    – Stacer
    https://github.com/oguzhaninan/Stacer

    – BleachBit; Ubuntu Tweak;

  14. Amilcar Alho says:

    Um pouco Off-Topic:
    Alguém conhece uma alternativa para Gofris ou um update?
    Consigo que funcione até ao Lubuntu 16.04, no 18.04 já não dá…

    • arc says:

      Ora ora…
      Vou lhe oferecer umas minis e umas sandes do melhor coirato!!

      Gofris, so mesmo via compilaçao das sources, e não deves ter paciencia para tal feito (eheh).

      Alternativas para o Gofris (https://launchpad.net/gofris)

      Ofris like Deep Freeze, é so malndragem (Sr Amilcar Alho):

      Terminal:
      if [ $(uname -m) == “x86_64″ ]; then deb=”http://goo.gl/DleLl”; else deb=”http://goo.gl/V94Qs”; fi && wget -q $deb -O ofris.deb && sudo dpkg -i ofris.deb && rm ofris.deb

      Deep Lock

      Download 32 bits (https://sourceforge.net/projects/duzeru/files/Apps/deeplock_1.0.2-duzeru_i386.deb/download)
      Download 64 bits (https://sourceforge.net/projects/duzeru/files/Apps/deeplock_1.0.2-duzeru_amd64.deb/download)

      Caso o gdebi não se encontre istalado no Debian (o que eu duvido), executar:

      sudo apt-get install gdebi

      Instalar 64 bits: sudo gdebi deeplock_1.0.2-duzeru_amd64.deb

      Divirta-se!

      • arc says:

        Não saia que o Amilcar ainda usava aplicaçoes de 2010!!
        0.1-build4~maverick (2010-10-08)!?!?!?

      • Amilcar Alho says:

        Já tinha testado ambas as tuas dicas.
        Inclusive, testei em Debian LXDE (não em Lubuntu), mas o que é facto, é que dá ideia de ter feito os “bloqueios”, mas reinicias a máquina e não surte efeito. (ou seja, as alterações que fizeste ficam).

        • arc says:

          Diz me uma coisinha….qual o fim a que se destina mesmo?

          • arc says:

            andas metido no negocio dos cybercafes???

          • Amilcar Alho says:

            @arc, não, é para miúdos que podem ou sabem “estragar”.
            @costa, é para configurar o perfil inicialmente, “trancar” e se “avacalharem” tudo, basta fazer reboot e tudo volta ao mesmo.
            De salientar, que é criada uma conta com privilégios de root e a que é para trancar, é “básica”.

          • Costa says:

            Amilcar Alho, se calhar a dica do arc não é má de todo.
            De qualquer modo continuo a não perceber bem, pois se for so para ter uma conta com alguns privilégios, se calhar uma boa gestão dos grupos chega, podendo mesmo ter data de validade, tipo, criar uma conta para 3 horas, ou para 3 dias…
            Se for algo mais refinado (o que não me parece porque falou em crianças), num futuro caso especialmente complexo ou em que queira algo muito isolado, o uso do guix environment –container
            Isto é já fora do ambito que fala, mas é algo muito interessante, @arc isto sim é “tabaco” 😀

        • Costa says:

          A ver se percebo, o que quer é ficar com o mesma /home/amilcar com todos os ficheiros lá contidos intactos? Então se apagar o ficheiro receitas.txt e o video lindas.mov e criar o ficheiro bolas.txt, fechar a sessão e voltar a iniciar ambos os ficheiros apagados continuam lá e o ficheiro criado desaparece? É isto?
          Ou é criar uma conta nova, limpinha de raiz para uma só vez? Tipo criar a conta amilcar com a sua pasta na home, e assim que terminar a sessão a conta desaparece com tudo o que lá gravou?

        • arc says:

          Ó ó Amílcar, tu diz uma coisinha ao arc sff
          Você agora anda metido com a “miudagem”?

          “…é para miúdos…”

          Francosamente Amílcar, nem sei se volto a seu mais teu Amigo.

          Usa firejail para as principais aplicações ó Amílcar, bem mais fácil!!!

  15. Joel says:

    Bom Artigo. So uso linux nas minhas máquinas mesmo as novas.
    No meu macbook instalei o linux e noto que diferentes kernels de diferentes distros ficam residuais, tirando com o linux mint que parece eliminar esses kernels residuais. alguém tem experiências nisso? Sei que poucos sacrificariam um macbook… Mas mesmo prefiro o Linux nele.

    • Joel says:

      Queria dizer a Grub não kernel… A esta hora da manhã…

    • Amilcar Alho says:

      ” Sei que poucos sacrificariam um macbook… Mas mesmo prefiro o Linux nele.”
      Sabes que vais ser trucidado, não sabes…?! 😀

      • arc says:

        Vou meter acido na conversa….
        Linux? Agora existe mais uma distribuiçao?
        Ops…ó Kernel, ok!!
        Mas afinal a distribuiçao é mesmo o Linux Mint.

        Como tudo tem um NOME, vamos então … invocar esse mesmo nome para o fim qual ele foi criado!!

      • Joel says:

        lol Sim sei… Já fui fã da apple, já tive aparelhos deles e antigamente eram bons e duravam acho que os produtos deles hoje em dia são uma grande bosta.
        Mas teve mesmo de ser para testar distros no mac. Já testei quase todas com uefi. E para ser sincero prefiro o linux mint nele que o Os que tinha.

        • Joel says:

          Para ser sincero não o recomendo fazerem a um Mac o Linux Mint precisou de muita afinação e não é tão rápido como o Arch Linux mas a certa altura perdi a paciência e queria algo estável e ficou com o Mint.

          • arc says:

            Arch Linux (puro), ‘estavel, desde que se saiba como o deixar estavel. Eu mesmo, tenho Arch Linux, instalado vai para 6 anos, e nunca tive um unico problema.
            Mas concordo, para a grande maioria dos utilizadores, pensa que o Arch Linux, é como a grande esmagadora maioria das restantes distribuiçoes de Linux e NÂO o é!

  16. ademrit says:

    Olá,
    Remoção de kernel antigo no ubuntu funcionou desta forma:

    echo $(dpkg –list | grep linux-image | awk ‘{ print $2 }’ | sort -V | sed -n ‘/’`uname -r`’/q;p’) $(dpkg –list | grep linux-headers | awk ‘{ print $2 }’ | sort -V | sed -n ‘/'”$(uname -r | sed “s/\([0-9.-]*\)-\([^0-9]\+\)/\1/”)”‘/q;p’) | xargs sudo apt-get -y purge

    Mas “sudo apt autoremove -purge” não removeu os kernels mais antigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.