Quantcast
PplWare Mobile

Tem mais de 18 anos? Já pode agendar dose de reforço

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Voto antecipado says:

    E quanto a votar? Dia 30 ou voto antecipado.

    No voto antecipado distinguem-se ,com diferentes datas de para votação
    – Doentes internados em estabelecimentos hospitalares
    – Presos não privados de direitos políticos
    – Eleitores em confinamento obrigatório
    – Eleitores internados em estruturas residenciais (lares)
    Se se inscrevam podem consultar a inscrição em: https://www.votoantecipado.mai.gov.pt

    – Voto em mobilidade – votação no dia 23 de janeiro
    Há uma nova página só sobre o voto em mobilidade: https://votoantecipado.gov.pt
    Se por alguma razão não puderem votar no dia 30 ou se simplesmente preferirem ir às urnas mais cedo, os eleitores poderão exercer o seu direito de voto no dia 23 de janeiro.
    Quem se inscrever para dia 23 e não votar, pode votar no dia 30.
    As inscrições são entre 16 e 20 de janeiro no site: https://www.votoantecipado.mai.gov.pt

  2. Memória says:

    Ehud Qimron, chefe do Departamento de Microbiologia e Imunologia da Universidade de Tel Aviv e um dos principais imunologistas israelenses, escreveu uma carta aberta ao Ministério da Saúde:

    https://swprs.org/professor-ehud-qimron-ministry-of-health-its-time-to-admit-failure/

    • Há cada gajo says:

      Olha outro. “Não há emergência médica”… Sim, sim, pois, pois…. tem se visto. Até já se esqueceram das valas comuns no Brasil e nos EUA, enfim…raio de memória curta…ou falta dela.

      • Memória says:

        Afinal quem é o professor Ehud Qimron, head of the Department of Microbiology and Immunology at Tel Aviv University (recentemente nomeado) comparado com @Há cada gajo?
        Uma nulidade amnésica e mais nada.

      • donodacarne says:

        Não diga disparates , você é um ignorante …a diminuição do risco de morte só acontece para as pessoas dos grupos de risco …o vosso mal é que não passam de ignorantes e como os politicos também são ignorantes , junto com os muitos $$$$$$ que a vacinação dá , estão a dar cabo do mundo

      • donodacarne says:

        Ehud Qimron, chefe do Departamento de Microbiologia e Imunologia da Universidade de Tel Aviv , professor afiliado da UM , diz basicamente o mesmo que geert Vanden Bossch diz . Jessica Rose que fez o trabalho sobre os efeitos adversos da vacinação , está também em Israel e é Canadiana , faz parte da mesma organização a que pertence Geert vanden Bossch. Toda esta gente e muitos mais são eminentes investigadores que desde a primeira hora avisaram o Mundo do erro que se está a fazer….Cuidado porque a Pfizer já aí vem com nova “vacina ” contra a Omicron…..a ansia por $$$$$$ desta gente não tem fim

      • JD says:

        Valas comuns?
        Houve alguma guerra?

    • donodacarne says:

      Que é professor afiliado da Universidade do Minho

  3. Joaquim Sobreiro says:

    Agora com a população está devidamente vacinada, nunca houve tantos positivos. Será porque já vão caindo as máscaras?

  4. Memória says:

    Ao que chegámos: Nos USA um Professor Associado de Ética Médica, Humanidades e Direito propõe uma “Pílula da Moralidade” obrigatória, ou secretamente adicionada à água que todos bebem para resolver a crise Covid

    https://theconversation.com/morality-pills-may-be-the-uss-best-shot-at-ending-the-coronavirus-pandemic-according-to-one-ethicist-142601

    ‘Pílulas da moralidade’ podem ser a melhor chance dos EUA para acabar com a pandemia de coronavírus, de acordo com um especialista em ética

    Autor Parker Crutchfield Professor Associado de Ética Médica, Humanidades e Direito, Western Michigan University

    A COVID-19 é um risco coletivo. Ameaça a todos, e todos devemos cooperar para diminuir a chance de o coronavírus prejudicar qualquer indivíduo.
    Entre outras coisas, isso significa manter distâncias sociais seguras e usar máscaras .
    Mas muitas pessoas optam por não fazer essas coisas , tornando mais provável a propagação da infecção.

    Quando alguém opta por não seguir as diretrizes de saúde pública em torno do coronavírus, está desertando o bem público.
    É o equivalente moral da tragédia dos comuns : se todos compartilham o mesmo pasto para seus rebanhos individuais, algumas pessoas vão pastar seus animais por mais tempo, ou deixá-los comer mais do que seu quinhão justo, arruinando os comuns no processo.
    O comportamento egoísta e autodestrutivo prejudica a busca por algo do qual todos se podem beneficiar.

    Regras aplicáveis democraticamente promulgadas – exigindo coisas como uso de máscara e distanciamento social – podem funcionar, se os não cooperativos puderem ser coagidos a aderir a elas. Mas nem todos os estados optaram por aprová-los ou fazer cumprir as regras que estão em vigor.

    Minha pesquisa em bioética concentra-se em questões como como induzir aqueles que não são cooperativos a fazer o que é melhor para o bem público.
    Para mim, parece que o problema dos não cooperativos do coronavírus pode ser resolvido por aprimoramento moral: como receber uma vacina para fortalecer seu sistema imunológico, as pessoas podem tomar uma substância para aumentar seu comportamento cooperativo e pró-social.

    Uma pílula psicoativa poderia ser a solução para a pandemia?

    É uma proposta extravagante que deve ser controversa , mas acredito que vale a pena pelo menos ser considerada, dada a importância da cooperação social na luta para controlar o COVID-19.
    . . . .

  5. Sardinha Enlatada says:

    Deixem-se das vacinas, comam antes uma peca de fruta que faz melhor a saude. Se a vacina anda a matar pessoas significa que o produto final foi criado com falhas, porque uma coisa nao pode fazer bem e fazer mal ao mesmo tempo as pessoas. Daqui a 5 anos se o pplware ainda existir vamos-nos lembrar todos dos tais negacionistas (seja la o que isso signifque) que andaram a alertar e nao lhe deram ouvidos nenhuns.

  6. Joaquim Sobreiro says:

    Algum destes vírus dará positivo numa prova PCR?
    H1N1 (2009)
    Seasonal H1N1 Influenza Virus
    H3N2 Influenza Virus
    H5N1 Avian Influenza Virus
    H7N9 Avian Influenza Virus
    Influenza B Yamagata
    Influenza B Victoria
    RSV Type A
    RSV Type B
    Enterovirus A
    Enterovirus B
    Enterovirus C
    Enterovirus D
    Parainfluenza Virus Type 1
    Parainfluenza Virus Type 2
    Parainfluenza Virus Type 3
    Rhinovirus A
    Rhinovirus B
    Rhinovirus C
    Adenovirus Type 1
    Adenovirus Type 2
    Adenovirus Type 3
    Adenovirus Type 4
    Adenovirus Type 5
    Adenovirus Type 7
    Adenovirus Type 55
    Human Metapneumovirus
    Epstein-Barr Virus
    Measles Virus
    Human Cytomegalovirus
    Rotavirus
    Norovirus
    Mumps Virus
    Varicella-Zoster Virus
    Legionella
    Bordetella Pertussis
    Haemophilus Influenzae
    Staphylococcus Aureus
    Streptococcus Pneumoniae
    Streptococcus Pyogenes
    Klebsiekka Pneumoniae
    Mycobacteruym Tuberculosis
    Mycoplasma Pneumoniae
    Chlamydia Pneumoniae
    Aspergillus Fumigatus
    Candida Albucabs
    Candida Glabrata
    Cryptococcus Neoformans
    Cryptococcus Gutti
    Pneumocystis Jirovecii (PJP)
    Coronavirus 229E
    Coronavirus OC43
    Coronavirus NL63
    Coronavirus HKU1
    Coronavirus MERS
    Coronavirus Sars
    Pooled Human Nasal Wash

    Ler informação nas instruções das provas PCR pode ajudar a responder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.