Quantcast
PplWare Mobile

PaperVault ajuda-o a guardar as suas facturas

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. luislelis says:

    Ideia interessante mas ainda baseada na pesada burocracia e no monopolio.
    Dificilmente tera peso no mercado pq nao reflete a individualidade,diversidade de sistemas e privacidade intitucional.
    Implementacao impossivel
    Aquele abraco

  2. Paulo Gonçalves says:

    Este serviço parece muito interessante, no futuro faz todo o sentido que as facturas sejam digitais e seja possível aceder e analisar extractos online. Implica é uma normalização grande mas que vale a pena.

  3. goncalo says:

    Qual a diferença para o viactt?
    Parece-me identico.

  4. Paulo Gonçalves says:

    (Para seleccionar Notificação…)

  5. Inês says:

    Já aderi ao Paper Vault há já uns bons meses, e ainda não tenho uma única factura na plataforma.

    A ideia é boa mas é preciso haver empresas a aderir!

  6. Jose says:

    Sou contra o BigBrother das finanças, mas cada um sabe de si.
    Deduções? Pois, ta bem.

  7. Sérgio Andaluz Ramos says:

    O conceito é interessante mas, lá está, precisa de aderentes.

    O ideal seria haver um único repositório nacional (E-fatura) mas sem a necessidade de suporte de papel.

  8. Carlos Silva says:

    A ViaCTT faz o mesmo, existe à anos, pertence aos CTT e mesmo assim o nº de entidades aderentes é muito baixo.

    Se PaperVault não tem estratégia muito bem montada para cativar as entidades, o futuro advinha-se difícil.

    Como consumidor, e sem olhar para o nº de entidades não vejo nenhuma vantagem sobre o ViaCTT.

  9. bipc says:

    Muito interessante e serei cliente

  10. Rui says:

    Podem fazer o arquivo de facturas de uma forma muito simples. Eu tenho uma endereço no Gmail (Google) e que é acedido pelos diversos terminais, ipad, computador, portáteis, etc. Os meus mails estão sempre na internet, não despejo os mails em nenhum terminal e quando recebo as facturas da EDP, PT, etc, vou arquivando em pastas próprias, pasta: EDP, pasta: PT, etc.

    É muito simples e eficaz, basta que as facturas sejam enviadas para o meu mail….. e se eu quizer confirmar uma factura de à alguns anos atrás, ela está lá guardada e pode inclusivé ser feita a conciliação do débito directo com o extracto bancário, que julgo vai até 3 anos atrás, no caso da CGD.

    • LSM says:

      Não são pastas, são labels 😉

      • Rui says:

        Eu sou fundamentalista da língua portuguesa, até desprezo o novo acordo ortográfico 🙂

        • LSM says:

          Desprezas o acordo ortográfico mas escreves de acordo com o anterior, qual é a lógica disso? Se queres escrever em português “puro” devias escrever conforme as regras do séc. XVIII.

          De qualquer das formas estás errado numa coisa, não são pastas, são etiquetas. De certo percebes a diferença.

          • Rui says:

            Acho que fui claro, desprezo o NOVO acordo ortográfico. Só há um novo, porque o anterior já está a funcionar à muitas décadas. Já agora, não sei se realmente o novo vai avançar, é que o Brasil só vai pensar se o aplica em 2016!!!!

          • LSM says:

            Ah ok, assim percebi!

            Este contra este NOVO acordo ortográfico, mas adoptas o antigo porque está em vigor há décadas.

            Isto é, só vais adoptar o novo quando este estiver activo há, pelo menos, algumas décadas.

            Para que conste, eu sou um crítico deste novo acordo ortográfico, e até um apoio um movimento de revisão do mesmo, mas com argumentos como este do Rui faz-nos parecer… um pouco… vá lá… patetas.

            Enquanto as pessoas não conseguirem articular mais do que um simples, “foi sempre assim que escrevi” (por essa lógica retorcida todos falaríamos Português arcaico), não vamos a lado nenhum.

  11. Boa noite,

    Foi essa a ideia que tive quando comecei o desenvolvimento do invoicewall.com (agora em http://robertofrancisco.com/invoicewall/i/pt/index.php – ALFA), no entanto a adesão nunca foi muito promissora, tinhamos várias ideias, app móvel, etc…

    A grande ideia seria depois de termos massa critica, ou seja, utilizadores a usar o serviço e a fazer o upload manual para a plataforma, começar a apresentar resultados às empresas e aí criar o envio directo para a plataforma.

    A pouca adesão acabou por deixar o projecto estacionado, talvez com uma nova estrura avance (um dia destes) 😉

    Abraço!

  12. zeca says:

    mais uma cena inútil e repetida, não guardem as facturas em papel não e depois admirem-se…

    • Vítor M. says:

      Mas se usares podes ter um sistema documental fiscal muito bem organizado 😉

    • A lei é bem clara, a factura tem que ser mantida na forma como foi emitida, se for emitida em papel deve ser guardada em papel para o caso de ser necessário efectuar alguma reclamação/comprovativo.

      No entanto, ter um organizador de facturas, como já foi referido facilita muito o processo, eu uso uma versão melhorada da webapp que apresentei acima e não quero outra coisa.

      Para além disso, de todas as facturas que recebo periodicamente, apenas uma é enviada em suporte papel.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.