PplWare Mobile

Mozilla lançou versão 64bits do Firefox 38 para programadores


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. daiquiri says:

    Finalmente!!
    Agora só falta, tabs separadas por processos e sandbox e posso ponderar deixar o Chrome 😡

    • O Firefox Beta já tem carregamento das tabs, extensões e pluging em separado, apesar de ainda ser experimental e de ainda ter imensas falhas.

      Relativamente à sandbox também já foi implementada, mas por enquanto ainda só está presente nas versões nightly e developer.

      Também foi implementado de forma experimental nas nightly uma ferramenta permanente de conversão de Flash para HTML5.
      Isto é, de forma automática o Firefox “converte” tudo o que seja Flash (neste momento só suporta alguns provedores de vídeos) para HTML5.
      O Chrome tem algo semelhante mas não funciona de forma directa, sendo necessário o utilizador inserir o ficheiro SWF ou o link da reprodução em flash.

  2. Nunes says:

    “Para já apenas disponível para Windows e Linux, pode ser escolhida da lista de versões disponíveis para a Developer Edition.”

    Tanto quanto posso saber a versão para Mac já é 64 bits há algum tempo

    • Flavio says:

      Também tens versōes Linux e Windows a 64 bits há bastante tempo. O que está em causa é a “Developer Edition a 64 bits” que ainda não saiu para Mac (como podes ver no link disponibilizado) .

      • Nunes says:

        O link disponibilizado dá uma versão para Mac que é 64bits, pelo menos é assim que se apresenta ao sistema… Lá por não indicar na página uma versão para Mac à parte que diga 64bits, não significa nada, pois as aplicações no Mac podem ser distribuídas como universais, incluindo código de 32 e 64bits e de diferentes arquitecturas no mesmo pacote. Neste caso o Firefox nem sequer parece ter uma versão de 32bits no pacote – já há várias versões que deixou isso para trás.

    • daiquiri says:

      se usares uma distribuição linux 64bits tens o firefox 64bits

      • Nunes says:

        e…?
        O meu comentário advém da ideia de que a versão 64bits só existe no Windows e Linux, quando na verdade 64bits existe no Mac há já bastante tempo.

  3. Homo Erectíssimo says:

    Deixo só um reparo a este excelente artigo do Pedro Simões.É que agora a Mozilla também já nos fornece a versão 64bits do Firefox na versão beta,Eis o link:https://ftp.mozilla.org/pub/mozilla.org/firefox/candidates/37.0b2-candidates/build1/win64/pt-PT/ O estar na língua portuguesa já é um bom atractivo.Muito bem e parabéns à Mozilla e aos desenvolvedores do Firefox. 🙂

  4. Alucard says:

    O Firefox já é 64-bits em Linux e Mac há anos. Em Windows é que é uma pouca vergonha. Mas mais vale tarde que nunca.

    • rmcrys says:

      Porque razão no Windows não é 64 bit se nas outras plataformas já o é?

      • Cláudio says:

        Desconheço porque não programo para windows, mas se o Firefox tal como outros tantos milhares de softwares teimam com a versão 32bits é porque não deve de ser tão simples como alternar uma configuração.
        Deve de mexer com mais, e deve de ser necessario alguma adaptação. Isto sou eu a supor, mas uma pesquisa pela internet deverá de responder.

        • Alucard says:

          Também é coisa que me irrita sobejamente no Windows. A esmagadora maioria do software ainda não está compilado para 64-bits, só mesmo os programas da Microsoft, ferramentas do próprio Windows e Office e alguns excepções 3rd party. O que me leva a crer que haja alguma dificuldade técnica no próprio Windows, porque penso que os programadores do Windows não sejam mais preguiçosos que os de outras plataformas.

          Eu pego numa distribuição qualquer de Linux para x86_64 e virtualmente 100 % do código está compilado para 64-bits, incluindo milhares de programas em repositório. Mas isto há muito anos já! Ou seja tenho um processador 64-bits e tiro partido dele, não uso a meio gás. Da mesma forma que esse repositório também existe para ARM, PowerPC e outras tantas arquitecturas diferentes. Sempre foi um grande ponto forte do Linux, corre em qualquer arquitectura com facilidade, já o Windows durante décadas só corria numa, a x86, a qual recentemente se juntou a ARM (e com limitações).

          Não estou a querer começar uma guerrinha, porque uso os dois SOs, mas o Linux sempre pareceu ser mais flexível neste aspecto.

          • Nunes says:

            realmente dá a entender que a implementação do 64bits em Windows não facilita o salto das aplicações para 64bits!
            No Linux e no OS X a maioria das aplicações já têm código a 64bits!

        • rmcrys says:

          Eu também näo programo, mas se há apps avancadas que com rapidez säo compiladas em 64-bit (Paint Shop Pro quando passou para 64-bit, Anti-Virus, Handbrake, e muuuuitas outras apps grátis), näo vejo o que custa ao firefox. Acho é que näo andam muito para aí virados…

          • Nunes says:

            tanto andam virados que se tivesses prestado atenção teria visto que já tinha tentado e desistido por causa dos problemas que causava com os add-ons

  5. sakura says:

    Então a Msgoogle não convida o ppl da Mozilla para a festa do verão….. (google Summer of Code 2015)….?

    So por isso já vale a pena reconpilar o Firefox para as maquinas c/ linux.
    anti pub?. or firefox é bem melhor que o chromium.. ????
    ps, não uso o firefox mas ……….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.