Quantcast
PplWare Mobile

Google Drive já suporta alojamento de sites

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. Pedro Cunha says:

    Nada bate um servidor próprio. 😛

  2. luis says:

    Mudo para o Google Drive quando me derem 30 GB de borla e um cliente nativo para Linux. Até lá, estou bem com o Dropbox. 🙂

    • Eu uso o drive para ficheiros de processamento de texto, folhas de calculo e afins que necessito de aceder em qualquer parte do mundo, a dropbox para quantidades indeterminadas de ficheiros que igualmente preciso de aceder.

      Mas concordo contigo, quando nos derem um cliente nativo (linux) ai será uma opção que se irá colocar na mesa.

    • Sérgio Caetano says:

      Essa da dropbox nao sabia nem da cloudpt, vou já exprimentar…

  3. Carlos Carvalho says:

    Bom dia ,

    A Google não para MESMO , mais um excelente serviço que eu vou usar e abusar dele , arriscaria que hoje a Google é a empresa que mais inova tanto nos serviços que já possui como em novos serviços que constantemente lança , e tudo isto sem o WOW de quem inventou a roda de outras empresas nesta área tecnológica .

    As pessoas podem andar distraídas e até dizerem que a Google tem o mesmo comportamento de todas as outras empresas , pois eu pelos dados que tenho digo que não até prova em contrario , prova do que estou a dizer pode ser bem evidenciado com a colaboração entre o browser Chrome e o Firefox ,que aliás a Google é o seu maior patrocinador , a Google quer fazer melhor ou igual , quer inovar , mas não me parece que queira abafar toda a concorrência , tanto se falou da aquisição da Motorola e das consequências para os outros fabricantes de Hardware , mais de 1 ano passado e nada mudou na politica da Google em relação aos seus parceiros , o que parece é que agora a Motorola produz melhores equipamento que infelizmente ainda não existem em Portugal .

    Cumprimentos

    Carlos Carvalho

    • Alexandre Amaral says:

      A questão de alojar Websites não é novidade nenhuma, o Dropbox faz isto já há muito, por ultimo o apoio da Google ao Firefox é bastante estratégica…de onde pensas que veio o Chrome?
      A Google apoia projectos open-source para depois tirar o know-how deles, não é que isto seja propriamente de lamentar é uma estratégia, mas fazer da Google a Santa Casa da Misericórdia é que não.

    • Sérgio Caetano says:

      Concordo plenamente, embora tenha tido um formador que á coisa de 2 meses me disse que a google não podia concorrer com a Microsoft e que de um dia pró outro fecha as portas…
      Não sei o que é que o gajo anda a fumar 🙂

      • Glink says:

        opah não percebeste ele tava a falar da MS XD

      • Alexandre Amaral says:

        Isso nunca se pode afirmar, pois dificilmente irá acontecer, mas o que se pode fazer é analisar o mercado a frio e ver que a Google terá alguns dissabores caso a politica da Microsoft referente ao cliente domestico tenha um novo boom (com o outlook, windows phone, winfows 8 etc). Ao contrario da Microsoft, o mercado da Google é na sua maioria virado para o mercado domestico…se esse mercado mude de tendências para outros serviços fora da Google, ai temos uma situação complicada para a empresa como deves imaginar. Claro que nunca nos podemos esquecer do motor de busca, que muito dificilmente irá ser destronado…mas a Google de agora já não se pode dar ao luxo de viver só desse serviço.

        Não é a toa que a Google não quer desenvolver para o Windows Phone, é uma estratégia velha já utilizada por muitos que dominavam certo mercado (ex. Microsoft).

        • Carlos Carvalho says:

          Boa noite Alexandre , mas a Google domina o mercado Mundial de equipamentos moveis , já tem a sua cloud a muito tempo , tem até um SO que no inicio era mesmo só pensado para a cloud , aonde é que a Google está em perigo , a Microsoft é que está em perigo o W8 está a ser um fiasco a nível empresarial , e a nível domestico tem uma taxa de penetração muito baixa , mesmo com a imposição nos equipamentos novos do W8 , na área móvel , este SO não consegue levantar voo e dificilmente levantará , vêm para aí mais concorrentes de peso a RIM pelos vistos até se está a aguentar e está a responder , isto para a Microsoft não está fácil , penso que será mesmo o seu pior momento da sua historia se retirar-mos o inicio aonde tudo podia ser possível .

          Cumprimentos

          Carlos Carvalho

          • Alexandre Amaral says:

            Por ultimo uma breve nota para o Carlos, se conhecesses as ferramentas cloud da Microsoft ias ficar surpreendido (olá Windows Azure :D), mas lá está o publico alvo é sempre um bocado diferente.

        • Hugo says:

          O “mercado da Google” não é somente virado para o “mercado doméstico”. Esse é o erro de empresas como a MS de substimarem o Google (e terem ao longo da última década dissabores por o terem feito, não te esqueças do Ballmer em 2005 a dizer que queria destruir a Google, já vão mais de 7 anos em cima).

          Se olhares para a Google vês o quê? Search, mobile, serviços. Certo? Esqueces de content provider (bem, de certa forma), tecnologia hardware (e nem falo dos mobile, falo de tecnologia para datacenter), publicidade (capitaliza bem melhor a publicidade do que o Facebook – como ficou provado no relatorio de contas de ambos – por click, mesmo o Facebook tendo por trás a MS com o bing e afins), os serviços da Google de Business solutions.

          E não é à toa que a Google não quer desenvolver para o WP, possivelmente será o mesmo motivo pelo qual nós abandonamos também o desenvolvimento para WP (e não somos aves raras, somos na realidade a maioria). É o mesmo motivo pelo qual a Blackberry com a versão 10 decidiu suportar apps android ou de outra forma poucos quereriam desenvolver para eles: market share/market penetration. Ninguém quer andar a trabalhar de borla, que é o que aconteceria ao ter equipas dedicadas a uma plataforma sem justificação.

          É mais fácil o tapete sair debaixo da MS do que o contrário. Olha bem para o relatório de contas da MS. Normalmente dizem que o que a MS não mostra é que é de real interesse, mas olhando para o resultado da enterprise, em ano de lançamento, ficou muito aquem. E infelizmente a MS tem todos os produtos enterprise encadeados: caindo a necessidade de existir um Exchange ou SQL server cai a necessidade de ter um windows server, uma AD quiçá. Ao perder um contrato não perde um produto cobrado, perde N de uma vez (que por acaso nós não renovamos N licenças de uma enfiada com a MS porque arranjamos alternativa ao único produto que necessitavamos realmente de licença e a partir daí foi ver cair tudo atrás). Vê por exemplo um Team Foundation Server para desenvolvimento e gestão de projecto. Suportado por sharepoint, SQL, Windows Server e se forem amiguinhos ainda vem uma AD. Cortas com a necessidade da solução de ALM da MS e cortas não somente com essa licença especifícamente mas com tudo que tinha atrás (incluindo Visual Studios).

          • Alexandre Amaral says:

            Boas Hugo,

            Em relação ao que dizes sobre ser mais fácil sair o tapete debaixo do pés da MS que no resto concordo plenamente, e acho que ninguém tem duvidas disso. A ms no fundo tinha a faca e o queijo na mão e deixou-se antecipar, parou no tempo a ver a burra a passar.

            Quantas as soluções empresariais da Google vs Microsoft, não parece que exista duvidas que a grande maquina da lucro da Microsoft é as empresas e não o mercado doméstico. Ao contrario da Google, por muito que possamos considerar o Android como uma possível ferramenta empresarial ou um ou outro serviço desenhado directamente para este mercado (falas-te do Business solutions e muito bem) esta tem claramente o seu grande foco no mercado domestico, e eu na minha resposta estava a contemplar isso, não disse propriamente que a Google focava-se exclusivamente no mercado domestico. Como deves imaginar este mercado por natureza é mais volátil, logo é de um risco maior.

            Quanto a tua empresa ter deixado as soluções Microsoft para trás, pois bem acho que foi uma boa jogada se é o que se adequa melhor a vossa realidade, agora o que não podemos deixar de dizer é que esse acto não é fácil por n razões validas. Primeiro porque mudar um sistema já montado é complicado, segundo porque (quer se queira quer não) o ambiente Windows fornece ferramentas de um nível que nenhum concorrente está lá perto e isso também deves saber que é verdade, tanto a nível de programação (que é a minha área) como outras.

      • Carlos Carvalho says:

        Alguma coisa daquelas novas shops com as supostas coisas legais , deve-lhe ter fritado os miolos , coitado .

        Carlos Carvalho

    • Ricardo Santos says:

      Vi o inicio do teu comentário… parei de ler. Fan Boy Alert. Isto não é nada de novo.

  4. Ricardo says:

    A CloudPT também suposta alojamento de websites..

  5. Pedro M says:

    Eu já mudei! O acesso aos documentos em todo o lado é essencial! Está cada vez melhor!

  6. Sérgio Caetano says:

    yap… funciona, pode vir a ser bastante útil para criar um portefólio online…
    Por enquanto só fiz uma pagina de teste…
    https://googledrive.com/host/0B6GPUJcbnC3md0lfWnBvXzk0NXc/index.html

  7. Razor says:

    A CloudPT permite este serviço desde o inicio. Aqui é a GOOGLE que anda atrás do prejuizo parece-me.

  8. Fernando Silva says:

    Alguém sabe se existe algum serviço identico onde possa utilizar ficheiros php e db?

    Penso que isso só mesmo com dominio proprio mas… quem sabe.

    Cumps

  9. Rui Costa says:

    Há aqui uma outra mais valia por parte da Google. Quem usa GMail já reparou com certeza na velocidade daquele serviço, nomeadamente quando o usamos com o Chrome.
    Parte desta velocidade deve-se ao facto de os servidores da Google, sempre que detectam que o utilizador está a aceder com o Chrome, utilizarem o protocolo SPDY (Speedy), em vez do HTTP.
    Se não me engano o Firefox também já suporta ou suportará brevemente este protocolo.

    • Paulo Ferreira says:

      Não me leves a mal mas esse argumento. Só porque um demora mais uns segundos do que o outro. Até parece que alguém vai deixar de ler 1000 mails só porque browser X demorou mais 1 segundo que browser Y

  10. paulo g. says:

    O Google já tinha uma ferramenta de criação de sites, tal como podem ver esta amostra:
    https://sites.google.com/site/orilebres/Home
    A nova forma permite apenas que os sítios sejam mais “customizáveis”.

  11. Lewandowski says:

    Dá para alojar site em WordPress?

  12. Dav7 says:

    Será que os sites alojados no GDrive também vão ser fáceis de optimizar com SEO tal como os do blogger?

    É notório a relevância que o Google dá nos resultados a blogs da sua plataforma, se for igual com estes sites é de aproveitar!

  13. Nuno Paiva says:

    Boa evolução por parte da Google, mas um Website com linguagens apenas executadas do lado do cliente e sem base de dados parece-me que serve para muito pouco… ou melhor, para nada mesmo..

  14. gabriel says:

    Boas…
    Por acaso alguém sabe se existe algum plugin para WordPress que permita colocar imagens (com link)tipo de publicidade nas laterais fora do site? Assim como por vezes aparece nos sites do JN, expresso e até mesmo aqui no pplware. Agradecia a quem tiver alguma dica. Obrigado

  15. André Sousa says:

    Já usava a uns tempos mas não tinham a função preview para ir buscar os links…tinhamos de abrir e copiar o link em cima. Agora apenas esta mais pratico.

  16. Rogerio Machado says:

    Porém o Google disponibiliza uma API para o Drive, então é pode ter sim páginas dinâmicas, mas teremos de mudar a forma de fazê-las.
    https://developers.google.com/apps-script/?hl=pt-BR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.