Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Governo aprovou teletrabalho obrigatório até final do ano

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Indignado says:

    Acho tanta piada ás fotos que há em todos os blogs e sites sobre o tele-trabalho … como se alguém conseguisse falar ao telemovel ou fazer qualquer tipo de trabalho administrativo concentrado com os filhos a volta a pedir atenção.

  2. SANDOKAN 1513 says:

    Não concordo em nada com esta medida,em nada.

    • Jonny says:

      Então concorda com o que. Diga da sua justiça

      • SANDOKAN 1513 says:

        As pessoas têm que ir trabalhar para o seu posto de trabalho,qual teletrabalho qual carapuça,só faltava agora esta !! ಠ︵ಠ

        • Jonny says:

          Não é ter que ir. Se existe trabalho que pode ser feito em casa para evitar a propagação não vejo mal nisso. Quem fala assim normalmente é porque não pode

          • André Paraíso says:

            Só falta fazer as contas dos suicidios no final disto tudo. Obrigam que “pode” a trabalhar de casa mas esquecem-se que a há muita gente que não tem condições para isso, não só condições físicas, mas condições mentais.
            Não serve de muito esta medida se as pessoas começarem a chegar ao ponto que vão ignorar qualquer o isolamento porque a sua saúde mental deixou de existir. De que serve proteger a sua saúde se se passar 2 anos isolado em casa?

          • SSD says:

            Vejo muita gente a considerar isso, mas pergunto sinceramente, sair de casa, passar tempos infinitos no transito, passar 8,9h, enfiado numa secretaria/escritório/telefone,etc é mais stressante do que estar por casa, fazer tudo com muito mais vagar e poder dar uma volta para espairecer se foe preciso?
            Claro, que diferentes pessoas têm reacções diferentes mas pessoalmente estou muito mais relaxado desde que estou por casa. Porque tirando casos específicos ninguém está numa cela, que não possa sair nem que seja para respirar por um bocado

          • José Fonseca Amadeu says:

            SSD, no trabalho saio às vezes que quero e vou almoçar fora além de tomar pequeno almoço e lanchar fora e com colegas.
            Em casa tenho de me sujeitar a encomendar comida até me fartar de encomendar e ter de cozinhar que implica perder tempo na cozinha e ainda a limpar a cozinha pois devido ao covid dispensamos a empregada.
            Acabou por trabalhar mais horas e ser menos produtivo pois o nível de concentração e motivação é muito inferior.
            Tenho um escritório que até tem vista de mar, e não consigo deixar de me sentir preso dentro da minha própria casa.
            Sempre trabalhei em casa 2 dias por semana antes de tudo isto começar e nunca senti isto. Basta abrirem os restaurantes que volto para o conforto do meu escritório. Quem gosta de trabalhar em casa não deve ter muito trabalho nem nada que exija muita concentração.

          • ervilhoid says:

            @André Paraíso tele trabalho não implica que tem que estar sempre fechado em casa, mesmo assim prefiro do que ter 8 horas no escritório e mais 2 horas quando não mais enfiado no transito..

            @José Fonseca Amadeu, diz que quem prefere teletrabalho ou tem pouco trabalho ou é tipo robot mas vejo pessoas com cargos superiores dizerem que não sentem falta nenhuma do escritório.
            mas debater isto consigo não é para mim pois não posso dar ao luxo de dispensar a “empregada”

          • ervilhoid says:

            @José e a maioria se pudesses escolher 2 dias em casa e 3 no escritório talvez tivesse a sua opinião

          • José Fonseca Amadeu says:

            ervilhoid, a maioria pode, é só trocar de empresa para a que conceda os beneficios que querem, o tuga é que tem medo de mudar, eu por norma a cada 2/3 anos mudo de empresa caso esteja a estagnar em trabalho e beneficios. Se mais fizessem o mesmo os ordenados seriam bem melhores globalmente.

          • André Paraíso says:

            @SSD @ervilhoid
            Vou começar por pedir desculpa pelo “testamento”.

            Eu pessoalmente nunca gostei de trabalhar em casa, por realmente acabo por trabalhar mais horas.
            Pessoalmente quando mudei de trabalho a ultima vez tive de mudar de localidade, e por isso optei por morar próximo do meu local de trabalho, +/-5km, inclusive no verão aproveito para ir e vir a pé. Ok, tenho sorte nesse sentido, mas também pago essa sorte em renda absurdamente cara.
            E sim, teletrabalho não implica ficar fechado em casa (fora do horário de trabalho), mas tal como o @José Fonseca Amadeu referiu, implica cozinhar, e de seguida limpar (que vai consumir mais tempo); implica deixar de ter pausas para café com os colegas, que é um meio de distracção e redução do stress; implica a maior parte dos colegas ignorar que se começamos a trabalhar 1 hora mais cedo que que eles, também deveríamos acabar 1 hora mais cedo.
            Isto varia muito de caso para caso, dependendo do nível de concentração exigido, mas o problema é exactamente esse, foi tomada uma decisão que não tem em conta a saúde mental dos portugueses, principalmente quando se sabe que falar de saúde mental ainda é tabu, e que normalmente uma pessoa que esteja a entrar em depressão, muitas vezes não o sabe identificar e muito menos tentar procurar ajuda (quanto mais encontra-la).

            Eu sei que são opiniões, e há uma grande diferença que se deve ter em conta, estamos a falar de teletrabalho, não de trabalho remoto.
            Com todos os problemas que referi, se a minha empresa alterasse o contrato para trabalho remoto, aceitaria as coisas de fora diferente, porque aí podia sair da confusão da zona de Lisboa e mudar-me para a zona centro, onde me sentiria mais confortável em sair de casa durante esta pandemia. Mas teletrabalho continua a significar que temos de ir ao escritório, e por isso morar relativamente próximo do mesmo.

          • LR says:

            @José Fonseca Amadeu: ” no trabalho saio às vezes que quero e vou almoçar fora além de tomar pequeno almoço e lanchar fora e com colegas”. E com isso tudo ainda arranja tempo para… trabalhar?…

          • SSD says:

            @Jose Amadeu Dias, então quem trabalha em casa não deve ter grande trabalho nem nada que exija grande concentração e você diz-me que quer voltar ao escritório para ter meia dúzia de distrações por dia??
            O seu problema é ter a mítica atitude de o que funciona para mim tem de funcionar para todos, quando eu até respondi a isso no primeiro comentário, pessoas diferentes reagem de forma diferente a variadas situações.
            Eu estando em casa, não passo pelo stress do trânsito e pode ver pelos comentários que ao contrário de si não sou o único a ter uma ma experiência com isso, o tempo que perco a cozinhar e a arrumar a cozinha, geralmente é basicamente igual porque dantes preparava a comida antes e aquecia pelo escritório ou mandava entregar ocasionalmente mas não vejo problema por aí.
            De resto estou muito mais concentrado (e pelos exemplos que deu, peço desculpa mas não me parece que a falta da concentração venha do espaço onde está) e motivação vem do gosto de fazer o que faço, não porque estou a trabalhar com o Quim ao meu lado.
            A única parte que faltaria seria a convivência mas continuo a ir ao escritório um par de vezes por semana para entregar projetos ou fazer alguma avaliação de alguma entrega para breve.
            Mas tal como disse, pessoas diferentes, reacções diferentes, eu por mim sou mais produtivo quando tenho menos distrações se não é o seu caso tudo bem, mas não ponha tudo no mesmo saco.

          • José Fonseca Amadeu says:

            Porque é por 15 min para PA, 60 min A e 15 min L que vou deixar de ter tempo para trabalhar?
            Primeiro não trabalho 8h, faço sempre umas 10/12h, depois, mesmo que trabalhasse 8h, mesmo assim consumia menos tempo do que uma pessoa fumadora.

          • José Fonseca Amadeu says:

            SSD, não é o meu caso, mas é o caso da maioria, passo mais horas à frente do PC e tenho decrescimo de cerca de 10% de produtividade, segundas e sexta-feiras chega a 20%, isso tem um impacto gigante no meu trabalho.
            Felizmente os miudos já são crescidos, senão aí nem quero pensar, já tinha tentado atravessar a ponte a pé…

        • João says:

          Isso se chama inveja e “abraço de afogado”. Caso possa e não quer, vá tu arriscar-te.

        • Toni da Adega says:

          Já estamos no séc XXI. Passar o dia todo no escritório é coisa do passado.
          Sempre tive a opção de trabalhar de casa ainda antes do Covid, e recuso trabalhar em empresas que não dêem essa opção.
          Aliás em muitas partes do mundo é rara a empresa em que se trabalha 5 dias por semana no escritório, com essa mentalidade vai ser difícil arranjar trabalho

      • José Fonseca Amadeu says:

        Com ter de ficar fechado em casa até ao final do ano.

    • ervilhoid says:

      és ridículo…

      dá vontade de não visitar o pplware com receio de encontrar um comentário teu.

      picuinhas, sempre com a treta do dinheiro e agora o teletrabalho.. ainda bem que é só uma opinião tua

  3. iSad says:

    Mais loucuras, conheço muita gente farta do Teletrabalho.

    • José Fonseca Amadeu says:

      Não fosse ter restaurantes fechados já tinha voltado ao escritório.

      • GM says:

        Leva a marmita.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Marmita? Nunca usei disso, tenho pavor a essas coisas, não só pelo planeamento como pelo ritual, péssimo hábito, maior parte das empresas que trabalhei sempre tiveram bons refeitórios e quando não têm ou não são bons vai-se ao restaurante.
          Mais depressa fazia como colegas meus estão a fazer, vão para o escritório e mandam vir uber eats ou semelhante, mas para mim vai dar ao mesmo, teria de ficar fechado na empresa e ainda sujeito a comer comida de segunda categoria.

          • Incredulo says:

            Ah uma coisa q refere q não percebo, o que tem o teletrabalho a ver com ter de cozinhar em casa?… Quando os restaurantes abrirem pode mt bem continuar a trabalhar em casa e ir almocar ao restaurante, estar em teletrabalho não o obriga a nao sair de casa…é livre de ir dar as voltas q quiser. Eu de longe prefiro trabalhar desde casa… rendo mt mais, consigo dormir mais, posso ainda por exemplo por a roupa a lavar e extende-la sem ser ao fds.. não tenho q ir para o meio de transito.. até se poupa imenso em roupa ;-)… não vejo nenhuma vantagem em ir para o escritorio.

    • João says:

      Eu fico muito bem em teletrabalho para sempre. Muito mais produtivo, sem gritaria e conversas paralelas ao lado, sem fofoca, consigo me concentrar muito mais. Não gosto gasolina e não perco tempo no trânsito. Uma maravilha.

  4. ToFerreira says:

    Este governo é o 8 ou o 80… Que desgoverno!

  5. Ricardo Gonçalves says:

    Venha o tele trabalho estou adorar

  6. B@rão Vermelho says:

    Isto é tão normal em outros países, trabalhar a partir de casa, tenho uma amigo que esteve emigrada nos EUA vários anos e voltou para Portugal à 10 e continua a trabalhar para a mesma empresa, mas em Portugal.
    Eu estou a trabalhar em casa desde 16 de Março do ano passado por motivos de saúde trabalho mais e mais horas.

  7. Vasconcelos says:

    Acho que é uma ótima medida proposta pelo Estado. Eu vivo longe das grandes Metrópoles e sempre trabalhei longe de casa (60 km para cada lado) por não haver opções perto da minha zona de residência e infelizmente com os salários que são praticados em Portugal no final do mês não sobrava nada! Neste momento consigo poupar, tenho mais tempo com a minha família, sinto que sou muito mais produtiva em casa e não perco 1 hora de trajeto para cada lado. Não devemos apenas criticar mas sim respeitar as diversas opiniões.

    • José Fonseca Amadeu says:

      Então queres resolver um problema estrutural do país como os baixos salários com teletrabalho para sempre?
      Depois ficas com outros problemas estruturais como falta de identidade corporativa, falta e comunicação empresarial, falta de relacionamento interpessoal.
      Mais parte das pessoas que vejo a quererem ficar em casa são aquelas que no trabalho eram apenas pequenas formigas robot, dessas ninguém sente falta e o patrão agradece.

      • Toni da Adega says:

        “problemas estruturais como falta de identidade corporativa, falta e comunicação empresarial, falta de relacionamento interpessoal” Se isso acontece é porque a empresa é muito mal organizada e não devido ao teletrabalho.

        Onde trabalho as reunioes são, sempre foram e sempre irão ser por videoconferencia.
        A maioria das reunioes com clientes são por videoconferencia e estamos a falar de grandes projectos. As poucas vezes que tive que ir a clientes todas as reunioes eram também por videoconferencia porque os participantes estavam espalhados por esse mundo.

        “parte das pessoas que vejo a quererem ficar em casa são aquelas que no trabalho eram apenas pequenas formigas robot, dessas ninguém sente falta e o patrão agradece.” Podia concordar se não fosse o facto de que os gestores sao os que mais teletrabalho fazem.

        Já agora um fun fact: Normalmente o pessoal que mais ganha ou que tem mais responsabilidade são os que mais liberdade possuem para teletrabalho.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Tenho projectos às vezes com 100 pessoas, 30 países diferentes e videocall nunca foi um problema. A questão não está no trabalho, a questão está em tudo o que diz respeito à cultura de uma organização que não é passivel de ser transmitida com 100% teletrabalho.

          Devem ser bons os gestores que optam pelo teletrabalho, os que conheço preferem todos estar presencialmente na empresa, mesmo com o escritorio vazio, até muitos vão para as empresas ao fim-de-semana com a empresa fechada. Deves lidar com gestores brincalhões..

          • Toni da Adega says:

            ” cultura de uma organização que não é passivel de ser transmitida com 100% teletrabalho.” Quando se tem colegas de trabalho e clientes espalhados pelo mundo não existe outra alternativa, mesmo estando 100% do tempo no escritório.

            Por acaso os gestores até são brincalhões, temos bom ambiente de trabalho e estamos todos á vontade para brincar e mandar umas piadas a qualquer altura.
            Ir para o escritorio estando vazio só faz sentido se tiver algum equipamento especifico fora isso não. Trabalhar ao fim-de-semana é bastante raro, mesmo os gestores, só se for algo muito grave e mesmo assim somos bem recompensados por isso.

          • José Fonseca Amadeu says:

            Toni, trabalho numa empresa com 50k colaboradores, sei melhor que ninguém o que é ter colegas espalhados pelo mundo, clientes, parceiros, fornecedores, ter de viajar constantemente, e claro que não existindo alternativa tudo se faz. Problema é quando existe alternativa, em todos os países temos um head office e embora toda a gente esteja autorizada a trabalhar de casa, toda a gente opta por ir 3 dias por semana ao head office, tirando pessoas com deficiencias, mobilidade reduzida ou doença prolongada, e nada substitui o relacionamento com os colegas.
            Vê lá tu que eu até estou habituado a ter de trabalhar no avião ou num quarto de hotel, e neste momento trocaria a minha posição para estar nesta situação.

      • Bruno Sousa says:

        Lamento imenso, mas tenho que discordar. Quando alguém vem dizer que por existir teletrabalho irão existir problemas estruturais mencionados, apenas indica falta de condições na empresa ou nas empresas Portuguesas. Desde há alguns anos que as grandes empresas mundiais que tem a possibilidade de teletrabalho, pelo menos parcial e em nenhuma existem esses tipos de problema. Agora existe sim em Portugal uma necessidade do “patrão” ter que controlar o horário do funcionário, não tendo a ideia de ser apenas necessário definir objetivos.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Teletrabalho parcial e opcional é diferente de teletrabalho obrigatório e permanente.
          A dissociaçao da identidade corporativa vai a acontecer, até pelo simples facto de de não privares com ninguém.

      • David Magalhaes says:

        Falta de Identidade corporativa?, Falta de comunicação empresarial?, Relacionamento interpessoal?… Com todo o respeito, mas em Portugal é uma condição já existente na maior parte das empresas. Não foi necessária pandemia. Concordo com a deslocação algumas vezes por mês, concordo na interação humana deste que existam opções de teletrabalho para as profissões compatíveis.

        Se uma empresa oferece essa tal “identidade empresarial” dava precisamente essa liberdade aos colaboradores.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Teletrabalho parcial e opcional é diferente de teletrabalho obrigatório e permanente.
          Sempre fiz 2 dias de teletrabalho e nunca me senti afastado de ninguem nem da identidade da empresa, como é logico.

      • O Pobre says:

        …problemas de primeiro mundo, não é?
        O meu amigo é um prepotente como eu já não via há muito tempo…

        • José Fonseca Amadeu says:

          Se vives e trabalhas num país do 1º mundo queres preocupar-te com problemas de onde?
          É preciso paciência para aqueles que pensam que todos temos de ser pobres oprimidos e preocupados com os outros.
          Estive imigrado mais de 10 anos, passei muitas dificuldades, passei por países de 3º mundo e seus problemas e nunca pedi pena ou simpatia de ninguém nem tão pouco fiquei mais “humano” por ter passado por isso, se for preciso volto a fazê-lo.

      • João says:

        Você deve trabalhar para uma empresa onde o que importa é aparecer e falar mais do que fazer. Onde eu trabalho o que importa manter tudo funcionando e em evolução.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Como qualquer multinacional existe 1 que faz para 10 ficarem encostados, só que nunca passou por uma para não saber. Eu sou dos que faz, quando deixar de querer fazer parto para outra freguesia.

  8. Silva says:

    Depois há aqueles que querem poder ter a opção do teletrabalho mas a entidade patronal não o permite!

  9. Alvim says:

    E depois tb há aqueles que lhes é exigido teletrabalho mas depois a entidade patronal não fornece meios nem €€€ suplementar.
    Tipo hardware , software, telefone e internet pagos , etc…

    • José Fonseca Amadeu says:

      Compreendo perfeitamente que uma empresa que tenha maioritariamente workstations não tenha possibilidade de comprar hardware novo para quem precisa de ir para teletrabalho, aí tem de existir um compromisso entre ambas as partes, não vejo mal nenhum disso.
      Quanto a € suplementar não sei do que falas, nenhuma empresa oferece dinheiro para mandar as pessoas para teletrabalho.

  10. Zé das coibes says:

    O meu trabalho é presencial e como tal tenho que estar no local de trabalho e não me queixo, mas tenho conhecimento de casos onde pessoas foram para casa em teletrabalho e aproveitam para fazer outros trabalhos (remunerados e sem serem declarados) fora de casa e com isso subcarregam os colegas que estão a trabalhar para a entidade empregadora.

  11. Incredulo says:

    Já se deram conta que se as empresas portugueses vierem a optar por permitir o teletrabalho depois da pademia, isso vai trazer inumeras vantagens a todos?
    – Quem faz teletrabalho pode/vai poder faze-lo de qualquer lado, sendo assim mts poderão optar por regressar a terra ou ir para locais mais traquilos e com nivel de vida mais barato, melhorando as suas condiçoes de vida e a dos seus filhos.
    – As vilas do interior (e não só) começem a receber novos habitantes, dinamizando a economia local.
    – Quem não pode fazer teletrabalho, usufrui de quem o pode fazer, visto q se há menos pessoas nas grandes cidades, há menos transito, há menos poluição, há menos confusão nos transportes publicos, havendo menos procura de habitação os valores das casas nas grandes cidades acaba por baixar.
    Em sumo todos lucram… antes dava-se o exodo do campo para a cidade.. agora somos capazes de começar a ver o exodo das grandes cidades para o campo… eu já faço isso metade do mês passo-o fora de lisboa, trabalhando desde “o campo”.

    • André Paraíso says:

      Há uma coisa que as pessoas confundem bastante, que é Teletrabalho e Trabalho Remoto.
      Quando se fala em teletrabalho, o local de trabalho oficial continua a ser a empresa, pelo que sempre que há necessidade de ir à empresa o colaborador tem de o fazer.

      Gostaria de poder voltar à minha terra natal onde conseguiria pagar 1/3 da renda por o triplo da casa, mas não estou disposto a fazer 4horas para cada lado, com custos a sair do meu bolso, sempre que alguém decidir que preciso de ter uma reunião presencial na empresa, ou por qualquer outra razão valida para ser forçado a ir à empresa.

      Se falarmos em contratos de trabalho remoto, aí sim, se for necessário ir à empresa a deslocação é feito em horario laboral e paga pela empresa, mas não é isso que se está a falar, é manter um contrato onde o local de trabalho continua a ser a empresa, e manter os colaboradores a terem de pagar o excesso de gastos , por exemplo a aquecer ou arrefecer a casa (e arrefecer nem sempre é possível de forma assim tão fácil), sem verem real retorno por isso.
      Percebo que muita gente beneficia de não ter que andar no transito, mas para outros os custos de ficar em casa são realmente superiores, e as horas reais trabalhadas também, sem haver retorno por isso.

      Se o governo “obrigasse” os contratos a serem alterados para contratos de trabalho remoto, aí sim a questão iria beneficiar os colaboradores, e ira ser possível ir morar para o centro do país, mas não é esse o caso.

      • Incredulo says:

        Chamem-lhe o q quiserem remoto ou nao remoto.. gastava mais antes em combustivel (e em alimentação) do que gasto agora com o excesso que pago de energia eletrica, e no caso da empresa para o qual trabalho, somos livres de ir para la trabalhar ou trabalhar desde casa, é como preferirmos.. e olha q são mesmo mt mt mt poucos os que la vão. Quanto a trabalhar mais, depende dos dias, mas ai chamo-lhe mais é ser responsavel… durante esta semana regressei de onde estava a fazer teletrabalho, para lisboa, e como ainda eram 4h de viagem sai as 15h (ninguem me chateia com isso, desde q o trabalho apareça feito)… como hoje havia um prazo a cumprir, tive hoje sim q trabalhar mais horas… mas tanto num dia posso trabalhar 9 como noutro trabalho 6 , se tiver q tratar de algum assunto (desde q o trabalho apareça feito e o somatorio das horas for 40, nao querem saber qual é o horario q fazemos…obviamente desde q isso seja feito com bom senso)…durante os periodos que trabalho desde fora de lisboa,posso se quiser pegar na bicicleta e estou logo em sitios espectaculares para andar… qd tinhamos de ir ao escritorio em lisboa não era possivel sair de bicicketa com a facilidade que tenho agora, só esse tipo de liberdade tem um valor enorme, do q sentir-me como um robot… acordar, ir para transito… trabalhar 8 horas no mesmo sitio , regressar para transito…chegar a casa a tempo de fazer jantar… sempre a mesma coisa… confesso q nao entendo as pessoas q querem voltar ao rame rame do escritorio… qual a vantagem?..tomar café com os colegas?.. marquem um jantar entre colegas uma vez por semana, por exemplo.

        No caso de se ter varias reunioes presenciais durante a semana, sim ai nao há nada a fazer, mas caso a obrigatoriedade de ir a empresa for 1 vez por semana ou de 15 em 15 dias, não vejo pq não existe a possibilidade de se viver longe de lisboa… o q se poupar dá-lhe para pagar o gasoleo para ir a empresa 1 vez por semana (obviamente q se a terrinha for em bragança se calhar não, mas se for entre 100 e 200 kms de lisboa, nao vejo o problema.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Isso tem um nome, é o ruralshore.

          On a side note, nem toda a gente tem uma terrinha e nem toda a gente se pode dar ao luxo de reduzir o horário de trabalho, eu poderia trabalhar 24h seguidas durante 1 ano que mesmo assim não teria o trabalho em dia.

  12. Incredulo says:

    Ok…mas isso aí advém de outros fatores (e nao em a ver com teletrabalho ou trabalho remoto) ou é dono (ou tem participação na empresa) e qt mais trabalhar mais lucra…ou tem comissão e qt mais negocio gerar mais lucra…ou então quem tá acima de si não filtra o número de projetos q a pipeline que a sua area com os recursos que tem pode suportar. Eu e os meus colegas e o nosso diretor direto , qdo os comerciais querem nos atirar com vários para cima ao mesmo tempo, recusamos…ou alertamos que a jornada de trabalho são 40h semanais, por isso alguns hao de ficar para trás alguém e há de decidir prioridades, pode haver excessoes pontuais, mas de modo geral é raro ter de trabalhar mais de 8h por dia, as coisas sao dimensionadas para q tal nao aconteça. Deixei há mt de ser escravo, há vida para além do trabalho.Já recebi ofertas das chamadas big Four (consultoras) onde o trabalhador é considerado uma peça de uma material inanimado que apenas serve para q eles cumpram os objetivos independentemente das baixas, e por isso sempre as recusei. Prefiro trabalhar numa empresa em q as chefias de topo são humanas . Eles já perceberam que uma empresa é composta pelos seus funcionarios e com eles contentes , a produtividade aumenta…a prova disso é q o ano de pandemia em q fomos todos para casa trabalhar foi o melhor ano de sempre no cumprimento de objetivos, tendo os superados largamente. Eventualmente qd se vê que o volume de trabalho para determinado periodo é superior a capacidade q a equipa pode produzir, recorre-se a subcontratação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.