Apostas online: Concentre-se nos mercados que conhece melhor

Por Roberto Teixeira para Pplware.com

Destaques PPLWARE

12 Respostas

  1. luislelis says:

    Como conhecedor da indústria do jogo, digo.
    Não joguem!(devia ser a msg de gente responsavel)

    Nunca se esqueçam.
    O jogo pode levar a seria dependência.
    Que o programa foi feito para o dono ganhar. Quem te disser o contrário, podes crer que é um mentiroso, ou dono de um negócio de jogo.

    Nunca conheci um jogador vencedor. (tenho 55 anos conheço umas centenas deles)
    Todos foram a falência, ou foram obrigados a desistir de forma indigna. (suicídio, roubo, prisão, divórcio, pobreza extrema, bebida. etc…)
    Padrão comum, sempre levaram terceiros ao desespero.

    Ganhaste? Pira-te, dificilmente terás outro dia assim.

    Se houvesse alguma fórmula para ganhar estávamos todos ricos.

    Pplware o vosso público é maioritariamente jovem (não sou moralista nem acredito em deuses)
    É vossa obrigação avisar dos perigos do jogo, Q vcs conhecem ou deveriam conhecer.
    Quer publiquem isto ou não fica a consciência de ter exercido a minha obrigação.

    • Vítor M. says:

      O jogo online, legalizado há pouco tempo, é igual a qualquer jogo de sorte ou azar. O loto, o totobola, o euromilhões, a raspadinha… e tantos outros. Se conheço quem tenha ganho dinheiro? Sim conheço, totalistas milionários, outros que ganharam algum numa quantia avultada e que lhes ajudou na vida, há quem tenha já ganho salários na raspadinha….

      E se conheço quem perdeu no jogo? Sim, todos os que jogam semanalmente, ou diariamente, mesmo que sejam dois euros hoje, três amanhã e por aí em diante e no somatório de um ano (por exemplo) tenham perdido mais do quer o que ganharam. Mas é jogo… e quem joga sabe bem disso.

      E não, o publico maioritário do pplware está entre os 25 e os 40 anos, adulto portanto.

      Depois é uma questão pessoal. Eu, por exemplo, não jogo. Não jogo em nenhum jogo, nem numa raspadinha, mas não critico quem jogue, quem tente a sua sorte, mas eu não acredito no jogo… se calhar sou um pessimista, o jogo nunca me atraiu. Mas, na verdade, conheço alguns casos de quem viva bem à conta do Poker…

      O que está sempre em causa é a moderação, o equilíbrio mental. Isso é o mais importante. Jogar estes jogos de sorte ou azar tem de ser com moderação, faz parte da sociedade, vem já dos tempos ancestrais… apenas não pode ser um vício, uma dependência descontrolada… isso já extrapola o conceito de jogo, é uma obsessão patológica.

      Mas obrigado pela partilha de experiências e de vivências. É sempre importante alertar.

      • Hugo says:

        Nos dias que correm é uma verdadeira vergonha fazer propaganda ao jogo em horário nobre.
        Há uns anos deixou-se de de fazer propaganda a tabaqueiras…agora começa-se a incentivar ao jogo (digo incentivo partindo do pressuposto que toda a propaganda/publicidade tem essa finalidade)

        • Vítor M. says:

          Mas o Totoloto e totobola não foi sempre… desde sempre em horário nobre?

          Foi. O que mudou? Mais jogadores? Mais dinheiro?

          • Hugo says:

            Tens razão, eu é que já estava a entrar noutro campo que em nada tem a haver com estes jogos. Mais abaixo estava a pensar no euromilhões…e aqui já ia lançado a divagar para jogos online..tipo poker, que, penso eu, (pois também não sou jogador) são mais viciantes que propriamente jogos de boletim.

    • Asdrubal says:

      Tipo os jogos da santa casa da misericórdia, outrora servia misericórdia, agora é um autêntico negócio. As pessoas apostam, apostam, apostam para enriquecer, depois querem recuperar o que perderam, e acabam por perder ainda mais. Onde está a misericórdia nisto? Sinceramente, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa só conheço os jogos, nunca vi darem nada a ninguém, e desta instituição só vejo nojo.

      • Hugo says:

        Mesmo.
        Não faço ideia do que se passa na realidade. O que eu vejo é um negócio, que basicamente consiste na recolha de “migalhas” (2,4..10€ por pessoa) a milhões de pessoas, com o pretexto de que podem ficar milionárias.
        O que se passa na verdade…é que para além do lucro brutal que o jogo em si deve dar, no fim, embora hajam totalistas, quem mais fica a ganhar com o negócio são os bancos, que são constantemente injectados com milhões só porque sim. (com alguma sorte ainda conseguem controlar/manipular estas “injecções” :P)

  2. Asdrubal says:

    Eu costumo apostar no campeonato das Ilhas Samoa.

  3. Asdrubal says:

    era na resposta ao a. 😛

  4. Tiago says:

    na minha opinião o jogo se for jogado de forma saudável penso que não tem problemas de maior. há quem gasta centenas por mês em tabaco, outros em alccol, outros em ambos e se calhar há quem não tenha esses vícios e gaste uns trocos a jogar.
    O tópico remete nos mais para as apostas desportivas, eu acredito que até haja pessoal que ganhe algum dinheiro, não como aparece na net, uma data de tugas ricos e a viverem á conta da apostas de futebol, mas meia dúzia talvez acha, com muita dedicação e disciplina talvez………

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.