PplWare Mobile

5 Perguntas básicas antes de criar a sua loja online


Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.
Artigo escrito por Tiago Nogueira para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. Francisco Pedro says:

    Seguindo um tutorial de wordpress, ou seja, usando o woocommerce para fazer uma loja online, aproximadamente que custos terei em certificados SLL para ter um site com pagamentos seguros?

    • Rui Costa says:

      Quaisquer 20€ ano, já te dá acesso a um certificado SSL. Inclusive já há um consórcio a fornecer certificados SSL gratuitamente, sendo apenas possível a instalação dos mesmos por linha de comandos o que poderá não ser intuitivo para o “comum dos mortais”

    • António Pinto says:

      Actualmente consegue encontrar certificados SSL gratuitos utilizando por exemplo o https://letsencrypt.org/ que é um projeto conjunto de vários nomes do mundo da tecnologia como o Google, Mozilla e Cisco entre outros (https://letsencrypt.org/sponsors/).

      É importante referir que um certificado SSL como meio de encriptação é igual, custe €0 (gratuito) ou custe €100 (assumindo que utilizam o mesmo método de encriptação). A maior diferença está na autenticação que o provedor (CA) faz antes de emitir um certificado e dos métodos de gestão utilizados (ver por ex (2013) http://security.stackexchange.com/questions/18919/are-there-technical-disadvantages-in-using-free-ssl-certificates).

      Para uma loja normal o que necessita imperativamente de estar com certificado é a zona de pagamentos (que caso usem PayPal já está protegida por um certificado do PayPal), o restante site é obviamente útil ter SSL (especialmente porque já conta como fator SEO).

      Nota: esta informação está incompleta e sugiro uma pesquisa mais aprofundada (por ex os forums do letsencrypt são uma boa fonte de informação atual e de confiança).

  2. Carlos Reis says:

    No final da resposta à primeira pergunta tem lá um pequeno erro “(…) freelancers especializados a um preciso bastante acessível.”
    Quis dizer preço não?

  3. Tiago Almeida Nogueira says:

    Boa tarde, Francisco. Se usares CloudFlare não precisas comprar. O plano Free dá HTTPS sem custos.
    Se quiseres comprar, pesquisa: Let’s Encrypt, NameCheap, SSLs.

    Qualquer assunto, podem-me contactar através do me@tiagoalmeidanogueira.com ou da minha página em facebook.com/tiagoeanogueira .

    • Francisco Pedro says:

      Hey, obrigado pelas sugestões. Vou explorar isso. Cumps

    • António Pinto says:

      O Let’s Encrypt é 100% gratuito, de facto é um projeto que tem como base a abertura dos certificados a todos os sites de forma a tornar a internet mais segura.

      Relativamente ao CloudFlare, os certificados são mesmo gratuitos mas é preciso ter atenção que para encriptar a ligação ponto-a-ponto (recomendado para eCommerce) é necessário ter na mesma um certificado.

  4. Modem says:

    “Em nenhuma circunstância utilize o pagamento por transferência bancária (NIB/IBAN).”
    Porque….

    • Tiago Almeida Nogueira says:

      Esse pagamento não o protege, caso esteja perante uma situação com um vendedor menos honesto. Tem um comprovativo de transferência, mas não um comprovativo de pagamento de algo, pelo que para “reclamar” o seu dinheiro, caso algo corra mal será uma situação complicada. Claro que, caso pretenda, poderá usar. Esta é apenas a minha opinião. Pois terá bastante trabalho para reaver o seu dinheiro caso o vendedor ou a loja onde efetuou uma compra seja uma “burla”.

      • Hugo says:

        mas neste caso nós é que somos os vendedores

      • Gusmão says:

        Na minha opinião se estamos a falar de confiança da parte do cliente face aos pagamentos, estes e em primeiro lugar deverão fazer uma busca pelo “Google” com o nome da loja/empresa e procurar até 3 páginas que são 30 links e ver se há “reports “ (a haver normalmente são negativos).
        De seguida e não menos importante deverão ver se a loja é cuidada e profissional, se tem regras de utilização, quanto tempo de existência tem, se tem morada, telefone (não se perde nada em ligar).
        Procurar também nas redes sociais da entidade e estudar as mesmas um pouco, ver se têm interacções, sejam positivas ou negativas e assim poder ajuizar com ponderação a loja.
        Adicionalmente por norma uma loja fraudulenta não se dá ao trabalho em investir tempo e dinheiro, pois o intuito é conseguir enganar o maior número de pessoas no menor espaço de tempo possível para de seguida fechar e abrir outra loja recomeçando o processo.
        Em relação ao PayPal existem dois tipos de contas, uma que não é verificada para recebimentos até 2500,00€ e outra que informa o cliente na hora de fazer o pagamento que o fornecedor (leia-se loja) é verificado pelo PayPal (recebimentos ilimitados). Assim também se atesta da credibilidade da empresa.
        Multibanco e transferência bancária têm por ventura uma menor protecção ao cliente, no entanto e como são transacções electrónicas será sempre possível segui-las e dar seguimento a uma acção em tribunal, logo também são formas de pagamento seguras.

  5. fernando marques martini says:

    se for no Brasil, com franquia de uso de banda larga fixa 24hs online va i estourar a franquia e seu negocio acabou

    • Tiago says:

      Duvido que essas “franquias” irão existir para empresas de hosting, isso seria completamente estúpido e não faria sentido.

      • Joao 2348 says:

        Em especial porque existem centenas de milhares de empresas de alojamento… a maioria tem tráfego limitado, mas anda na casa dos 4 ou 5 dígitos de GB’s, e sim alguns até têm tráfego ilimitado para débitos de velocidade inferiores.

  6. lol says:

    A melhor maneira de abrir uma loja online eh com a Lightspeed, mais info em https://www.lightspeedhq.com/products/ecommerce/

    temos alguns clientes com sites em PT, e se o mercado crescer facilmente entramos em PT…
    é muito fácil criar uma loja com os métodos de pagamento mais usados.

    Eu faço parte da equipa de desenvolvimento 🙂

  7. Joao 2348 says:

    Porque é que o pplware.sapo.pt ainda não está disponível via IPv6?

  8. Charib says:

    Mas existem outras formas de pagamento mais baratas e seguras. Refiro-me a referências multibanco, payshop, mb way (apenas para pagamentos nacionais) e lusopay wallet (funciona em toda a união europeia), por exemplo. Todos estes tipos de pagamentos são irrevogáveis e muito mais baratos do que os cartões de crédito ou o paypal.
    Mas se a loja online tiver um mercado internacional, deverá ter os cartões de crédito.

  9. Gusmão says:

    Antes de mais parabéns ao conteúdo e ao tema, pois quanto maior for a discussão do e-commerce, melhor será para os comerciantes e para os consumidores, todos saem a ganhar!!!
    Para quem se quer iniciar numa loja online, deverá preferencialmente fazer um estudo de mercado a ver se compensa o investimento (tempo e dinheiro) para o imediato. Não esquecer que se o target for o mercado nacional, os Portugueses estão entre os cidadãos Europeus que menos compram online. De salientar ainda a faixa etária da área de negócio onde se vai operar, pois as pessoas mais idosas têm uma maior resistência às compras em linha…
    O exemplo do passado diz-nos que as empresas investem no e-commerce com a espectativa de ser uma “galinha com ovos de bronze (no mínimo) ” e passado pouco tempo devido aos resultados menos conseguidos desinvestem, ficando as lojas online a gravitar entre conteúdos desactualizados, lojas semi inactivas e outras situações ainda piores…

  10. Não Interessa says:

    Não vi ninguém a falar no problema das faturas (é preciso um software licenciado para serem passadas eu sei disso), há alguma forma de conseguir passar facturas online, isto é sem ter que as enviar junto com a encomenda?
    Imaginemos que queria vender um produto apenas disponível online, como passaria/fornecia fatura ao cliente final sem ter que a estar a enviar pelo correio?

  11. jorge alves says:

    eu tenho uma loja online feita por mim em joomla e gostava de remodela-la para algo mais atual. conhecem alguma empresa que preste este tipo de serviço e que seja recomendável?

  12. David says:

    Só faltou justificar esta recomendação – Em nenhuma circunstância utilize o pagamento por transferência bancária (NIB/IBAN).

    E dar alguns links …

    De resto excelente artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.