PplWare Mobile

Taylor Swift ataca Apple Music


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. JBM says:

    Não tem agradado às pequenas editoras, já que isto foi acordado com as grandes editoras.
    Uma coisa que se esquecem de mencionar é que após os 3 meses a Apple também paga mais à Indústria do que os serviços concorrentes.

    • gFan says:

      A promoção dos 3 meses é da apple, pagando mais ou não, tem que pagar. ponto final!

      • JBM says:

        Isto foi acordado com as grandes editoras, por isso a promoção não é só da Apple, é um quid pro quo em que todos perdem com um utilizador no início e todos ganham a seguir, sendo que a Apple ganha percentualmente menos que nos outros acordos feitos pela Indústria! A indústria tem todo o interesse em que haja serviços que consigam mais assinantes pagantes, pois os esquema de publicidade paga pouco.

        • Sérgio Eustáquio says:

          Isso partindo do princípio que, para os pequenos músicos independentes vai haver um “a seguir” (passados 3 meses) onde ganhar.
          Eu por acaso também quis montar um pequeno bar mas, estranhamente os fornecedores não me quiseram fornecer bebida gratuita durante os 3 primeiros meses…

          • JBM says:

            Essa comparação não funciona pois ao contrário dos “teus fornecedores” isto não tem um custo directo para os artistas. As pessoas nestes serviços de subscrição muitas vezes ouvem as mesmas músicas mais do que 1 vez e “revisitam” os seus artistas favoritos durante muito tempo, por isso tornando-se pagantes no futuro os artistas obteriam retorno financeiro com o serviço da Apple.
            Para além disso muita gente continuará a comprar músicas, albúns e a pagar por outros serviços de streaming nos próximos tempos, não levando por isso a secar os rendimentos dos artistas, que têm toda a liberdade para determinar que músicas colocar no serviço, podendo fazer como a Swift estava a fazer… É reparar que daqui a 1 ano a maioria dos utilizadores do serviço da Apple serão pagantes, e nessa altura quase todos os artistas quererão estar nesse serviço, mesmo que haja pessoas ainda a experimentar 3 meses de serviço gratuito.

  2. 123gdvbnn says:

    vou assumir que as palavras “Este serviço revolucionário” sejam ironia 😀

  3. la_marca says:

    Revolucionário? Lol

  4. Pedro says:

    Desde quando é que isto é revolucionário? Só porque é da Apple? “Rádio a sério”? Isto é a gozar? A “rádio a sério” já existe há muito.

  5. Francisco C. says:

    Quer queiram quer não, ela tem razão, e exemplifica muito bem: “Nós não vos pedimos iPhones gratuitos. Por favor não nos peçam para disponibilizarmos a nossa música sem compensação”.

    • JBM says:

      Mas recebe depois mais daquilo que cada pessoa pagar na assinatura. O que fica aqui perdido neste negócio é que os 3 meses de gratuitidade é para o uso dum utilizador individual, é uma espécie de promoção para atrair as pessoas a pagar, não é gratuitidade das obras. Se não pagarem não podem usufruir mais do serviço, nem a Apple recebe nada. Muito rapidamente pode se chegar ao ponto em que são poucos os que têm acesso gratuito.

  6. Macb says:

    A melhor parte é que anunciam lucros para os devs de não sei quantos mil milhoes e a própria Apple faz isso a cada 6 semanas… Salvadores da pátria estes gajos são mesmo bons a vender lol

    This:

    “Apple has paid $30,000,000,000 to developers so far!

    … they make that every 6 weeks”

    • Gustavo says:

      A cada 6 semanas?

      Eles reportam isso de ano a ano, e só porque a Google também o fez…

      Só para ficar bem claro, para todos, qual é a Store que interessa…

      A Google até já o deixou de fazer… porquê? Vergonha?

    • JBM says:

      Os programadores recebem pelo preço que eles próprios determinam na loja, com uma percentagem da venda idêntica às outras lojas. E não esquecer que a loja da Apple continua a ser aquela que mais dinheiro rende aos programadores!

  7. pedro says:

    Com o “Este serviço revolucionário” aí está a imparcialidade deste site (ou redactor deste artigo, visto que vem sempre a graxa do mesmo) a mostrar-se. Agora sou eu a ser irónico. Esse serviço de revolucionário não tem nada. O que não falta na internet é serviços tão revolucionários como este. E ainda bem. Só quem quer é que deixa tapar as vistas com uma peneira.

  8. Nagash says:

    Revolucionário em que mesmo? Pplware já foi um site melhor…

  9. daiquiri says:

    Lol Revolucionário. Eu ainda achava não ser possivel ficar admirado com o amor que o pplware tem pela maça, mas ainda me supreende às vezes lol

  10. CARLOS says:

    Sim, é péssimo perder mais uns milhões que tanta falta fazem a quem já é pornograficamente rica. Tenho tanta pena destes artistas globais que nem posso…

    • int3 says:

      “Perder”…

    • Marco Chapita says:

      entao por essa maneira de pensar tambem és contra a apple quando processa alguma empresa certo?porque se a apple ja é pornograficamente rica entao tambem escusa de exigir tanto dinheiro ou mesmo de exigir algum dinheiro ja que eles ganham bastante vendendo os equipamentos com grande margem por artigo….Voces mudam tanto quando é a apple os outros nao tem razao.

      • FG says:

        Que empresas é que a Apple processa? Empresas pequenas?

        É mais o contrário, é tudo a processar a Apple (patent trolls e não só), e já para não falar de casos inventados à lá CM

    • JD says:

      E por ser “pornograficamente rica” quer dizer que não tem direito a receber o que é de direito dela? Se a Apple, ou qq outra empresa, quer oferecer o serviço gratuito ofereça, mas tem de pagar em que está por detras dele. Ou tb durante 3 meses não pagar ao programadores responsaveis por desenvolver o serviço e fazer a gestão do mesmo?

  11. José Reis says:

    Eu pago mais que o Premium se poder não ouvir Taylor Swift.

  12. int3 says:

    Nem tenho palavras.

  13. Zé Montanelas says:

    Esta gaja é tão agarradinha que até nos festivais é sempre a única performer que não permite broadcasting do seu concerto

  14. Gustavo says:

    Pois é… ela tem toda a razão…

    Mas é um investimento por parte deles. A Apple quer pagar o máximo aos músicos, quer acabar com a música gratuita que eles tanto criticam no Spotify, no YouTube, que apesar de não ser 100% grátis, é praticamente, e etc…

    Sim, a Apple está a nadar em dinheiro, mas não pode pagar pelas contas gratuitas, não porque lhes ficaria caro, mas porque era logo processada por ser anti-concorrencial…

    Por isso, olha, têm o que andaram a pedir, e rezem que o Apple Music tenha um sucesso milagroso, senão podem sempre virar-se para a concorrência que ninguém lhes impede… aí é que nunca ganham um tostão…

    • me and me says:

      Sim, agora a Apple é a santa padroeira dos músicos…

      Se a Apple quer acabar com a música gratuita é pq vai ganhar com isso.

      Não vai dar dinheiro aos artistas só porque sim….

  15. Miguel Santos says:

    Revolucionário ou não é incrível como tudo serve para fazer as tipicas guerrinhas parvas de internet.

    O Pedro faz um post sobre a critica da melhor amiga do Kayne à Apple e 8 em 10 comentários aqui são a picar por um simples comentário. Esta geração de crianças é incrível ainda conseguem ser pior que a do “mas tu é mais … que eu” o pior é que esses deixavam de ser crianças a partir dos 14, aqui encontramos crianças já com barba a fazer guerrinhas do “a minha marca favorita é melhor que a tua”.

  16. Lester Lee says:

    Quando as pessoas da música e as editoras fazem barulho está tudo estragado. Streaming!!! Não me façam rir. Acham que os pacotes de dados é para um gajo gastar a fazer streaming de música. Poupem-me

  17. Censo says:

    Acho muito bem que a menina proteja o seu trabalho o melhor que consiga. O pessoal que aqui escreve sabe o que é depender da propriedade intelectual ou do direito de autor para sobreviver? E a Apple precisa desta atitude? Nesta altura não, mas noutra talvez. A menina Taylor precisa agora desta sua atitude? Se calhar não, mas tem de se proteger.

  18. Nelson JP says:

    Como qualquer comenta qualquer coisa, a mim apetece-me comentar só porque sim.
    Ora o serviço Apple Music não é revolucionário? Não! Faz streaming como os outros. Mas as semelhanças acabam aí. Têm um processo de ‘curation’ humano, tem um serviço de rádio a sério com 3 radialistas de luxo, tem ferramentas para os artistas usarem a plataforma como uma plataforma digital de interação directa com os fãs, vai pagar mais aos artistas que as restantes plataformas. E quase que aposto que vai ser a plataforma de música on-line que mais dinheiro vai gerar para a Apple e para os artistas. Quanto à Taylor Swift… sem comentários! Tão preocupada que ela está com os artistas pequenos! Se o problema dela é esse, uma vez que sendo tão nova e tem uma fortuna avaliada em 200 milhões, que leve para cada concerto dois ou 3 desses artistas pequenos e os ajude a chegar à ribalta! Podia ter feito isso na digressão anterior, em vez de ter convidados de renome do mundo da musica country (que foi o estilo e o publico que lhe deram o estatuto que tem)! Mas agora percebe-se bem o porquê da jogada! Saltar de vez para a pop e deixar para trás uma base de fãs de alguns milhões requeria uma certa dose de charme! Ela não é burra não senhora… mas ocorrem-me outros nomes para lhe chamar! Além de não cantar NADA! Aquilo em disco ainda vá lá mas dos concertos ao vivo que vi, mais de 80% do tempo ‘canta’ fora de tom! Deve ser por isso que não transmitem os concertos dela dos festivais. Ao vivo é pior que mau!

    • me and me says:

      O serviço ate pode incluir viagens a lua para os artistas, mas ela não deixa de ter razão.

      O artista não tem de dar borlas só porque a Apple quer.

      Mundo livre é assim, se ela n gosta não assina.
      Por muitas razoes obscuras que existam, no fim ela tem razão é compreendemos

      • me and me says:

        *eu compreendo

      • Joao G. says:

        o spotify não tem subscrição free? Tal com o Apple music irá ter. Qual é a questão? Tenho o spotify subscrito por 24 meses e não pago nada por ele directamente, já que veio com o plano do telemovel. A Apple não paga simplesmente lhe tirem os direito de reprodução já que é ela que os detém.

    • Marco Chapita says:

      LA porque nao gostas nao tens que criticar a rapariga,eu tambem nao gosto,mas uma coisa é verdade grande fatia das pessoas que vao ouvir este servico sao Putos ,e quantos mais artistas destes tiverem mais sucesso o servico ira ter.se todos tirarem os albuns do servico entao so as pessoas mais velhas vao aderir enquanto que os novos iram usar o spotify ou outro por exemplo.ela nao burra nao senhora e tem razao no que diz.entao se a apple nao oferece nada a ninguem porque é que ela tem que oferecer??se ela deixar de vender discos a apple continua a oferecer lhe lugares de destaque nas musicas que aparecem como sugeridas??provavelmente nao.entao porque é que em se falando da apple toda a gente tem que baixar a cabeça e dizer “sim se a apple quer assim vamos fazer”e ja que dizes que eles sao tao bonzinhos,entao podiam fazer a campanha de oferecemos uns Beats na subscricao do servico de musica da Apple,assim ja perdia a taylor swift e perdiam eles e ganhavam os utilizadores finais 😉 porque é que nao fazem?ha porque eles nao oferecem nada a ninguem tinha me esquecido…

    • JD says:

      Coitada da rapariga virou todos os iSheeps contra ela!.. Enfim, gostos musicais à parte, ela tem todo o direito de receber pelo trabalho dela! Então a Apple tb não pagar aos programadores que fizeram e fazem a gestão deste durante 3 meses? Tb não vai pagar a eletricidade necessaria para manter os servidores onde estão alojados os serviços durante esses 3 meses? S

      • JD says:

        Se a Apple quer dar uma borla que dê! Que não seja é as custas dos outros! Mesma coisa que a CP dizer que durante esta semana as viagens de comboio sao gratuitas, portanto não pagam aos condutores, inspectores, …

        • JBM says:

          Isto era um acordo da Apple com as grandes editoras, sendo que a Apple ficava a pagar mais a seguir. No global todos no fim ficavam a ganhar pois os 3 meses ajudaria a convencer as pessoas a pagar pelo serviço

          • JD says:

            Se os artistas se estão, ou estavam, a queixar é pq não será bem assim.

          • JBM says:

            Os artistas que estavam a queixar-se pertencem às pequenas editoras, e o seu queixume é muito semelhante a pessoas que escolhem comer 1 bolo agora em vez de ter 2 bolos a seguir se esperarem um pouco!
            São modelos de negócio e nem toda à gente “vê” os possíveis benefícios, embora neste caso seja mais a esperteza de saber que pode aproveitar para ter o bolo agora e os 2 a seguir se jogar bem as cartas!

  19. Benchmark do iPhone 6 says:

    Vamos lá a ver, Taylor Swift não sai do iTunes Music (compra de música por download), só não aceita as condições do Apple Music (streaming de música e web radio), por causa dos tês meses gratuitos.

    Sabe-se que a Apple não vai passar todo o catálogo do ITunes Music para o Apple Music, por falta de acordo com alguns editores/produtores. Por exemplo, as músicas dos Beatles não passam. Taylor Swift tem todo o direito, primeiro, de dizer o que entende, segundo, fazer o que é melhor para ela. Agora, se o Apple Music for um sucesso e o dinheiro correr desse lado, facilmente chega à conclusão que os três meses à borla são um pequeno prejuízo.

    Estive a ver e ela lança um single a cada quatro meses . Vá lá que perca o dinheiro de um (ou melhor, perde o dinheiro de não o vender no iTunes) para os que aderirem ao Apple Music por essa altura. Não me parece uma grande tragédia para ela. Tragédia seria se a Apple não tivesse forma de controlar os tês meses – mudava-se de conta e tinha-se mais três meses à borla 🙂

  20. LG says:

    Sinceramente ela é muito burra ! Temporalmente falando, o que são 3 meses comparando com o que ela vai ganhar durante o resto da vida graças ao Apple Music ?

    • Marco Chapita says:

      amigo o que é k isso tem a ver?o que sao 3 meses? entao porque é que a apple nao oferece durante 1 mes apenas iphones e ipads para fidelizar clientes ? ou seja dar lhes a conhecer os produtos para ganhar clientes?porque é que tem que ser sempre os outros a perder e apple nao ?? se a taylor iria ganhar o resto da vida entao e apple ia perder passado 3 meses era?era o mesmo que eu ir por um produto num sitio em que se pague para publicitar e eu nao pagar nada,estar a ter publicidade “sim” porque ao utilizarem o servico vao ganhar fidelizacao de novos users que saiem do spotify e afins a custa das musicas de artistas que tiveram que pagar para as produzir.porque é que eles nao absorvem o prejuizo inicial como qualquer grande empresa faz.Dando o exemplo da MediaMarkt quando abre uma loja o primeiro mes em que sao akeles precos malucos eles estao a perder dinheiroporque vendem abaixo do preço de custo.mas porque sao uma grande empresa as outras lojas absorvem no primeiro mes esse impacto para depois compensar a longo termo,Porque é que a apple nao faz o mesmo e quer ganhar sem perder nada??

      • JBM says:

        A Apple não é a primeira com este tipo de acordo, será talvez é a primeira com mais do que 1 mês. Todos não ganham nada com esses 3 meses e todos ganham se a pessoa pagar. A Apple até perde dinheiro para manter o serviço sem receber dado que não há publicidade. E agora pelos vistos a Apple ainda vai perder mais dinheiro para não ter esta publicidade negativa.

    • FG says:

      Daqui a 3/6 meses, ela já lá põe o álbum…

    • me and me says:

      3 meses a escala global é MT MT MT m MT MT tempo.

      Quando milhões ou biliões vão aderir ao serviço?
      Se as músicas dela forem ouvidas 1 milhão de vezes durante os 3 meses e se ela, por direitos, devia de receber 3 cêntimos por cada vez que fossem ouvidas… Faz as contas.

      PS: os 3 cêntimos são um exemplo para teres a noção, o valor correcto não sei como é obvio

    • JD says:

      Sim, deve mesmo de ser mto burra! Por isso é que aos 25 anos e tem a fortuna que tem e o mercado que tem.. Muito burra mesmo! Se calhar o que precisa mesmo é de um manager como tu! E o que são 3 meses?? Qual é o tempo de vida de um single hoje em dia? Quanto gera um single popular em 3 meses? Vendo no caso do youtube em que um single popular de um dia para o outro passa de 0 viewers a meio milhão, e fazendo as contas a cada view em 1 centimo, faz as contas o quanto perder logo no 1º dia..

  21. R!cardo says:

    Serviço revolucionário?!?!?!?! Só podem estar a gozar… uso o Meo Music e é de borla!

  22. Robert Soares says:

    revolucionário e caro! lol Meo Music de borla e sem aquela porcaria da Taylor Swift nem a marca da maça…

  23. Antonio says:

    Para responder aos fanboys e hateboys (??), tenho um pc da apple (também chamado macbook pro pelos fanboys) e tenho um telemóvel LG (com android obviamente), sim é possível ter produtos de duas empresas concorrentes, sabiam? Sim é possível dizer que não se gosta de uma coisa sem insultar quem gosta, sabiam? Aquelas pessoas que dizem que a apple é a melhor empresa com os melhores produtos e que os pc’s não apanham virus e essas coisas (fanboys) POR FAVOR acordem para a vida. Para aqueles que dizem que a apple não presta e essas coisas, primeiro usem os produtos (durante algum tempo) e depois ai podem criticar com razão.

  24. 1berto says:

    Concordo com a Taylor Swift, os artistas devem ser pagos! Até o Spotify tem anúncios para pagar às pessoas que ouvem de borla, se é pouco ou não isso é outra conversa…

    E já agora este serviço revolucionário devia de ser proibido, porque a Apple não permite nos iPhones ou iPad a subscrição ao serviço Spotify sem que este pague à Apple parte da subscrição, ou seja, cria um problema de concorrência desleal. Imaginem se para usar Spotify no computador tivéssemos de pagar à Microsoft, fazendo o Spotify ou lucrar menos, ou aumentar os preços, e depois a Microsoft com esse dinheiro extra, lança um serviço concorrente, em que tem totalidade dos lucros podendo praticar preços mais baixos…

    Mais info aqui: http://www.theverge.com/2015/5/6/8558647/apple-ftc-spotify-app-store-antitrust

    • JBM says:

      Podes ter subscrição no Spotify num iPhone sem que esta pague alguma coisa à Apple! Só paga se a subscrição for paga/feita directamente pela aplicação, mas a pessoa pode fazer pelo browser ou doutras formas

      • 1berto says:

        Errado, como podes ler na notícia, a Apple não permite subscrições pelo browser nos seus dispositivos, tendo de se utilizar sempre a store para esse efeito.
        Como disseste e bem há alternativas, como subscrever num computador, porque felizmente a Microsoft não obriga ao mesmo, agora isso não altera o facto de a Apple estar a praticar concorrência desleal nos seus dispositivos.

        • JBM says:

          Falso! Informa-te como deve ser! O que a Apple não permite é que as aplicações tenham links directos para subscrições por outra via, mas não impede que as empresas/programadores tenham outras vias para fazer subscrições, entre elas através da Web, podendo usar o Safari no iPhone para o efeito, e isto aplica-se a todos os tipos de subscrições e é algo que existe há anos não é de agora!

          • 1berto says:

            E? Isso faz com que não deixa de ser uma prática que prejudica a concorrência?
            Até parece que por haver volta a dar, faz do que eles fazem algo correto… Esses argumento enfim…

          • JBM says:

            1- Faz: contradiz o que disseste, da Apple não permitir subscrições ao Spotify no iPhone sem pagar à Apple, o que é falso! As pessoas podem fazer no browser do próprio iPhone
            2- Faz: ser uma medida que vem quase desde o início, que se aplica a tudo e a todos, não tendo sido direccionada a concorrentes. É uma forma de rentabilizar a estrutura da loja de aplicações da qual essas empresas também beneficiam. Não é agora o caso do Spotify, com os seus artigos “comprados” na TheVerge, que muda a história.

          • 1berto says:

            LOL
            Do momento em que a Apple tem um serviço concorrente, não deve cobrar aos seus concorrentes nada, independentemente da forma como subscrevem. É concorrência desleal, ponto final.

          • JBM says:

            não sabes o que é concorrência desleal, nem é só agora que há uma situação destas. A Apple pode ter alguma vantagem, mas as outras empresas se pagarem é porque fazem uso da infra-estrutura montada pela Apple, distribuindo aplicações gratuítas pela loja, usando as contas de utilizadores da Apple, etc, ou então usam as alternativas sem pagar nada à Apple!

  25. David.pt says:

    Ok sendo assim continuamos a piratear se ela achar melhor…… Mentes sem visão…

  26. sakura says:

    Quando não tiveres musica no meo vais ver que é “revolucionário”…..
    Ou nocticias “”The simple answer might be that Apple can include or exclude whatever stories it likes in its own news app””””knock-on “chilling effect” on publishers deciding whether to run a story criticising Apple.”””
    Ou devlop.s….pagar para não devl /p windows Ou eBooks que tal combinar os perços….
    Ou Internet neutrality, or net equality.
    Ou tv etc……

    sim a apple é uma santa que tal trabalhar 3 meses for free……. quando for pago coloco-la o álbum, e ela é que é burra?……. lol.

    http://www.theguardian.com/technology/2015/jun/16/apple-news-app-editors-curation

  27. Necroman says:

    TODOS os serviços Apple que tenham acordos entre terceiros acontece o seguinte:
    – A total responsabilidade é do terceiro, ou seja se algo correr mal, o terceiro é que fica mal, se correr bem a Apple é inovadora
    – A Apple limita-se a receber uma comissão sobre o serviço
    – Na Apple não há nada realmente gratuito
    Basta ver como funciona o iTunes, Apple Pay, Apple Music, etc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.