Quantcast
PplWare Mobile

Super Protecção contra pirataria nos jogos foi derrubada (de novo)

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. PilotEyes737 says:

    Se não têm nenhum trunfo na manga, deveriam ter! Aquele que faz pirataria devia ser punido pelos danos provados ao autor do produto – seja ele um jogo, aplicativo, música, filme ou um mero livro.

    • qbilio says:

      já ouvi tantos como tu que até custa acreditar que o menino nunca tirou uma música ou outra coisa da internet . A vida está para os espertos , aquele que e certinho vai sempre se dar mal foi uma coisa que aprendi.

      • PilotEyes737 says:

        Se der mal o problema não é teu. E não, nunca roubei nenhuma música na minha vida. Se quero pago por ela. Sou músico e sei bem o esforço que cada artista põem num simples arranjo. Então numa música, é melhor não falar.
        Já agora, estou a trabalhar num projecto é que já gastei 499€ em Plugins. Esse valor ao lado do que o álbum irá custar é uma ninharia, logo suportem os artistas e deixem-se de comentários idiotas e façam críticas construtivas.

        • claudio santos says:

          heheheheeh…olá Alien…ora aqui temos um alien mentiroso…é músico, e nunca na vida usou nada ilegitimo…sempre pagou por tudo…muito prazer, alien…eu sou Deus…e tambem sou um bocado mentiroso como tu…hehehe…para meninos como tu que acham que por terem feito uma música ou duas, devem viver o resto da vida á custa dos outros, a solução é simples…nunca ouvir essa treta que tu deves ter feito, pois nem deve ser nada de jeito, pois se fosses alguem com sucesso a sério, nem andarias por aqui a colocar postas de pescada…agora falando um pouco mais a sério…se tu és um dos gajos que anda a receber direitos de autor, o que te posso dizer é que andas a chular os portugueses…cada suporte de memória digital que compramos, tem uma percentagem que tu vais mamar…sendo assim, deveria ser legal copiar tudo, pois já está a ser pago sob a forma de taxa. Eu tenho vários cartões de memória, cada vez que faço a programação de alguma máquina nova, compro uma pen drive para fornecer esse programa ao cliente…ou seja, para trabalho meu, pago uma taxa para chulos como tu…isto tem piada…o mesmo se passa com fotografos e todos os outros que compram cartões de memória para as sua câmaras ou smartfones

          • Pedro says:

            Faz como eu, não compres nada de suportes de memória digital. Assim não irás dar mama a esse parasitas da sociedade que vivem à custa de quem realmente trabalha. Já somos chulados bastante em impostos. Por isso tudo o que puder comprar fora do país, vou faze-lo.

        • ivan says:

          Fdx, o Sr. está a candidatar se a presidencia?
          ou n sabe mudar o dns da ligação???
          ou n tem internet ilimitada ?
          O Sr. pelos vistos vivia bem com um plano de 10 gb por mes, ja que n faz downloads , n percebi mal o sr. faz downloads mas não são ilegais, siiimmmm.

        • khidreal says:

          vou dar exemplo de musicas, mas serve para jogos e programas tbm…
          uso o soundcloud, às vezes compro musicas lá. uma vez estava lá uma musica que apenas tinha batida, um pouco de synth, snares, pouco mais…não era nada de especial não mudava quase nada ao longo dos seus 5 minutos. eu, pagar 3€ por aquilo? se fosse 1,35, ainda ia, agora 3€? nunca na vida… não vale os 3€… mesmo com jogos, pagar 70€ na fnac pelo uncharted 4? o jogo nem 50 vale, um colega meu tem o jogo, ele diz que o jogo é porreiro a nivel de controlos e tem bastante qualidade, mas tbm disse que já jogou jogos de 20€ com melhor historia que o uncharted 4…
          ninguem põe em causa o esforço de quem cria a coisa, seja musica, jogo, programa ou filme, o problema é o preço… se vejo que o jogo não vale o preço, não compro, se vejo que vale definitivamente compro. para o criador o produto vale sempre muito, mas a questão é: será que o consumidor sente o mesmo? é esta questão que quem faz os produtos se esquece. windows vale 100€? nunca, só uso porque vem com o PC mesmo xd.

        • Zlatan says:

          haha acredito mesmo nisso, pirataria é um direito, todos tem o direito a arte gratis, se gostas entao compras mas nimguem devia ser forçado a comprar para poder usar/esperimentar, musica classica era gratis sabias? so se pagava apra ir ver ser tocada ao vivo, que tal fazer arte so por fazer e nao para ser rico? geraçao de hoje é uma merda é so dinheiro que pensao, Pirataria é o melhor que alguma vez fixerao isso e internet

        • SapoSempre says:

          Quando eu pirato tou a mandar passeiar os majors e não o artista. O artista ganha o que? 40 por cento do disco?

        • Freitas says:

          Se estas á espera de ganhar dinheiro com a venda de musicas espera sentado, agora a pirataria ajuda a divulgar muita musica e com isso muita gente vai ver os concertos ao vivo, ai sim é de onde vai vir o teu dinheiro, mas se não quiseres que ninguém vá piratear a tua musica mete num cofre, e nunca terás algum reconhecimento. Eu antes de comparar vou a pirataria, se gosto compro senão apago e não desperdiço dinheiro.

        • Paulo Jorge says:

          Nunca tiraste fotocópias ? Nunca te esqueças que tirar fotocópias de livros, imprimir documentos da internet também é pirataria… Duvido que alguém que leia este fórum nunca tenho feito nada.

        • joao magalhaes says:

          Bem, uma coisa é certa, sem pirataria eu duvido que vá ouvir algum álbum teu e como consequência nunca vou comprar nada teu ou assistir a algum possível concerto que possas dar, resultado, só ficas a perder.

        • Rios says:

          Já dá pra ver a qualidade do artista pelas palavras de ofensa proferidas por ele, por favor , deixe o nome do seu “álbum” para sabermos com quem estamos tratando, ou a coragem eh menor que seu suposto talento?

        • Miguel Ferreira says:

          Suportem os artistas nao os fdp das esitoeas!

    • Tecnical says:

      Concordo em parte.
      Nalguns casos (não neste), os métodos que são postos em prática podem também ser utilizados para limitar a liberdade de expressão. E isso já acontece em alguns países.
      Além disso, para muita gente é a única forma de terem acesso á cultura.
      O que eu acho é que os limites devem ser bem definidos de forma a não permitir abusos.

    • pedro says:

      Ja se paga ( e muito ) em hardware por estas paragens. alem disso os jogos sao quaase todos amorais e fazem disto uma brincaderira.. agora se me falas em proteger direitos de autor sai ja tiro…

    • Carlos says:

      Vem cá, vem.. continuaremos online 🙂 REKT.

    • Megadrive says:

      Se não fosse pela pirataria o jogo No Man’s Sky tinha sido comprado por mais gente. E muita dessa gente viria depois a ver que tinha sido enganada. O jogo era supostamente muito bom. Mas não é… é repetitivo, não tem interesse e não funciona bem na maioria das máquinas.
      Basta ver o número de devoluções feitas nas últimas semanas.
      A pirataria só te deixa jogar até certo ponto. Os modos online por exemplo não existem.

    • Pedro says:

      nunca ouviu falar em open source global society? pois isto de não permitir cracks não funciona, o mundo move-se para um sistema cada vez mais open source. aliás isto de proibir tudo é coisa do passado. fazem muito bem crackar. partilhar é o futuro.

    • Miguel says:

      Isto é muito simples eu concordo com a “pirataria” alias ha muitas empresas que sao hoje o que sao graças a pirataria.
      Exemplos:
      Windows- se nao fosse fácil obter como sempre foi de certo que o mercado linux doméstica tinha crescido muito mais.
      Hoje em dia muitas pessoas nao se queres adaptar ao linux, logo as empresas pagam as licenças para utilização.

      Autocad/ solidworcks/premier/photoshop-
      Quem começa por arranjar pirata para testa, começar a fazer trabalhos (ninguem ia pagar 200euros para “brincar”) mas se 1/10 das pessoas se tornar um profissional na area de certo vai adquirir esse produto, pois ja esta familiarizado.

      No meu caso ja trabalhei em autocad/ solidworks e premier, para “brincar” pequenos trabalhos pessoais.
      Se algum dia eu possívelmente trabalhar na area ja vou optar por os ter de comprar, logo a empresa vai ganhar com isso.
      Caso nao tivesse acesso ao pirata iria arranjar uma opção free e talvez nunca iria mudar.

      • Miguel says:

        No caso dos jogos pirata, eu ja jogai muitos, que se os tivesse de comprar numa iria jogar e nao me chateava.

        Mas dou ja exemplos de jogos que comecei a jogar pirata mas que depois os acabei por comprar:
        A saga Assassin scread, o GTA, minecraft, entre muitos outros.

        Agora havia jogos queeu jogai pirata que se os tivesse pago ia ficar furioso comigo mesmo.
        Como o AC unity( fps da treta, injogavel 60euros para p lixo), batman outros 60 euroa para o lixo), minecraft stort mode( trailer muito bonito mas lixo de jogo é uma novel 30 euros lixo)

        Tudo tem os seus pros e contras.

        Olha as ferras que ja levai pk de compara sem jogar pirata:
        Lego world – porcaria, muitas expectativas e sai aquilo
        Ark survivel- cheio de bug, outra desilusão

        Estes foram as ferras mais recentes..
        Viva a pirataria saudavel

      • claudio santos says:

        uma pequena correcção ao que escreveste…se o autocad custasse 200euros, toda a gente comprava, pois justificava totalmente o investimento…o preço do autocad base, deve rondar algo acima dos 5000€ (exactamente…cinco mil)…se for dedicado, tipo para arquitetura ou desenho mecânico…sobe muito mais ainda

    • luis santos says:

      kkkkkkk

    • Ricardo says:

      Epá, terem até têm. Chama-se Intel SGX e foi criado mesmo por causa de questão relacionadas com DRM.

      SGX vai no entanto mudar a computação como a conhecemos toda, não me cheira que seja desejável se quer ver essa alternativa. Temos sorte que só daqui a alguns anos é que há market share equipada suficiente para utilizar, mas eu temo pela computação para ser sincero.

    • Bruno M. says:

      Cito o excelente jornalista a um dos membros da aca(pigs):
      Sr Jornalista:
      – O Sr alguma vez estudou por fotocópias?
      Sr membro da aca(pigs)
      – Sim, já estudei por fotocópias……..

  2. JJ says:

    Mesmo tendo algum truque na manga, mais cedo ou mais tarde vai ser ultrapassada essa barreira. Nem que seja por meio de um ex-funcionário que não gostou de ser despedido…

    Acho que o problema da industria é não se ter adaptado e começar a procurar outras formas de rendimento. A maioria dos jogos podiam muito bem sustentarem-se com base na publicidade. E não digo publicidade como aparece nas apps moveis. Refiro-me a publicidade integrada no jogo, quase que naturalmente.

    Por exemplo o FIFA:
    Os cartazes publicitários no campo, podia ser espaços vendíveis como na realidade, onde as empresas tinha de pagar x para lá estar um determinado tempo. Tendo em conta que hoje quase todos estão ligados a net, essas publicidades podia indo alterando conforme as empresas iam alugando o espaço. O jogo até podia ser free, e ganhar bastante na publicidade. E era uma publicidade não agressiva.

    Outro ponto em consideração, é que actualmente os jogos são mais do mesmo… é a versão 2014, 2015, 2016… etc, etc, etc… O que acaba por não haver grande interesse para a maioria dos consumidores comprar todas as versões. Alem disso, quem gosta realmente do jogo, vai sempre acabar por compra-lo (pode não ser todas as versões, mas algum delas). Porque um jogo original é sempre melhor que usar um crack.

    • Miguel Santos says:

      Mesmo e pessoalmente há uma coisa que me irrita profundamente e me leva a não comprar o jogo e optar pelo jogo pirata: a porcaria das DLC e Season Pass. Esses gajos vendem um jogo (maioritariamente nos PC) muito mal optimizado e super incompleto e ao preço de um jogo normal… Depois é, quem quer o jogo completo que pague um valor absurdo por umas expansões…

  3. Daniel says:

    Deixei de meter alfas e betas a 60€, talvez as pessoas deixem de fazer isso.
    Há vários saldos na Steam e Origin todos os anos, às vezes a preços “ridículos”…

    Mas como querem espremer a vaca até não dar mais, ela vai acabar por morrer…

  4. Ben says:

    A meu ver outro dos grandes problemas da actualidade é o hype criado na pré-venda, isto leva muitas pessoas a comprarem jogos confiando na opinião de terceiros, ou em vídeos extremamente bem elaborados e que só por si vendem o produto, como é o caso do recente lançado “No Man´s Sky” basta ver o trailer e jogar o jogo para se perceber que não tem nada em comum, depois de algumas horas a jogar é vira o disco e repete.
    Já caí na cantiga do hype à alguns anos atrás, hoje experimento e compro, se não conseguir, espero pelo lançamento, vejo uns vídeos no youtube, ou procuro opiniões de amigos, desta forma reduzo a probabilidade de ser enganado. E sempre que encontro um jogo que gosto, prefiro sempre o original a uma cópia pirata.

  5. SIGAAAA says:

    Ainda vem qe existe pirataria senao em vez de 50 e 60 paus (que é um abusrdo)… (atenção há jogos qe valem esse dinheiro) eram 80 a 100 paus cada jogo!!
    Agora isso do denuvo sao gajos qe “Crackeavam” jogos e agora fazem “Cracks” para o mesmo nao ser crackeado e lucrarem com isso! Mas isso nao resulta porque existe montes de crackers qe tentam e tentam e acabam por descobrir passar pelo Denuvo! Eles vem tentam mas nao conseguem!
    PS: Essa protecao custa 100 mil paus aos Desenvolvedores!!!

  6. Castlead says:

    Há vários anos que não faço download de jogos piratas, com tantos sites de keys e com a steam, só pagam quantias exorbitantes se quiserem embarcar no hype train, depois de alguns meses os jogos vão para menos de metade do preço inicial, de momento estou a jogar The Division no Pc e paguei a uns meses atrás 43€ plo jogo e season pass, isto para não falar em grandes títulos a menos de 10€ por jogo 🙂

    • khidreal says:

      passados algums meses os jogos baixam muito… eu comprei o dragon age origins em modo compre 1 level 2 na worten. DAO e tomb raider anniversary por apenas 5€ ^^ grandes jogos, um pouco antigos, mas viciantes como sempre, e isso é que interessa pra mim, que seja viciante e me faça passar o tempo.

    • gribias says:

      Aqui está outro assunto…cgamado grey market. A maior parte das Keys que vês a venda em sites não oficiais principalmente de jogos em pré order são Keys roubadas em que o dinheiro que pagas não vai nem um cent para os devs. Eu sei que fica muito mais barato(não sendo regra geral) mas não é muito diferente da pirataria.

  7. Altamente says:

    Baixem os preços=diminuição da pirataria.

    • khidreal says:

      @Altamente
      nem por isso… minecraft é um jogo sandbox que custa apenas 10€ e existem milhoes de pessoas com o jogo pirateado xd… Counter Strike Global Offensive tbm custa 10€, no entanto como percebo (cuff cuff) de computadores já tive algumas pessoas a dizerem-me no facebook: “olha, não me consegues arranjar a sacar o CS:GO na net sem pagar?”. tanto minecraft como CSGO valem bem os 10€, principalmente o minecraft, apesar de ser um “mundo quadrado estilo Legos” suporta muitas modificações (devido à sua simplicidade existem centenas de milhoes de mods para o jogo), é um jogo bem feito, tem um bom nivel de dificuldade e demoras meses a concluí-lo, sim, meses!!! (isto claro se já souberes como fazer os items e onde tens de ir é outra coisa xd, existem guias na net, embora eu me recuse a usá-los). 10€ para um jogo que dura bastante tempo a concluir? e concluir como quem diz, no minecraft mesmo depois de passar todos os niveis existe exploração, podem-se fazer construções… o jogo nunca acaba… no caso do CSGO, eu não concordo muito com pay to play, principalmente quando tens “first assault”, uma especie de CSGO futuristico 100% de graça e LEGAL, também online.

  8. guery says:

    Será que vão crackar o fm 2016? lol

    • Fábio says:

      lol? o fm 2016 já está crackeado á tempo! ja o jogo prai á 8 meses!

      Lá está, eu arranjei o fm 16 crackeado, para experimentar, (e porque nao tenho dinheiro) lol,
      Joguei uma epóca e fartei me.

      Agora que arranjei um emprego porreio, os jogos que gosto compro e mais nada

  9. khidreal says:

    eu por acaso defendo os cracks, quer dizer, defendo e não defendo. eu defendo porque posso testar jogos que nem versão trial têm… não defendo porque dão acesso ilimitado ao jogo. o problema é que ao poder acessar 1, pode-se acessar o outro… até há vários cracks que dizem “for testing purposes only” e recomendam a compra do jogo… é o tipico vês o jogo na G2A ou na Steam, procuras na net por um trial para testar o jogo antes de desembolsar os 50€ e ves que não existe trial version. o que é que fazes? arranjas uma virtual machine e sacas um crack pro jogo. o verdadeiro problema é a fé das pessoas, pensam “se já tenho o jogo de graça para quê comprar?”. mas estas pessoas esquecem-se que sem dinheiro a empresa não produz jogos, além do mais que se são lançados updates estas pessoas não têm direito, entre outras promoções ou regalias. imagina ficar preso num nivel do jogo? aconteceu-me isso no Dragon age Origins, e o que me safou foi um update… que se o jogo fosse pirata era impossivel de jogar (a menos que houve-se crack, lá está).

    mas tenho de concordar em alguns aspetos, é tipo um jogo que o meu sobrinho comprou na Worten, 60€ para um jogo base que se passa em 2 semanas e 10€ por cada expansão??? eles andam a brincar com a cara do consumidor? e o pior de tudo é que daqui a 1 ano esse jogo encontra-se a 20 ou 30€…

  10. Eph says:

    Artigo demasiado simplista. Ainda há jogos com Denuvo que não estão crackados, e cada edição do Denuvo é diferente, por crackarem um não quer dizer que consigam crackar os outros.

    O ponto a fazer aqui é o seguinte: Não é uma questão de conseguirem ou não conseguirem crackar. Acho que podemos continuar a presumir que mais cedo ou mais tarde, tudo é crackado. A questão é o tempo que o sistema de protecção consegue oferecer, até ser quebrado.
    Uma fatia extraordinariamente importante das vendas ocorre no lançamento e nos dias e semanas posteriores, portanto um sistema de protecção que regra geral consiga proteger o jogo durante as primeiras semanas ou meses é já um grande sucesso para a indústria, e de certeza que é economicamente viável vender esse sistema para os grandes jogos (mesmo as 6 semanas do INSIDE é algo assinalável, no sentido em que provavelmente mais que compensou o investimento da produtora do jogo no sistema de protecção).

  11. David says:

    Quem tem dinheiro que pague, quem nao tem vai a boleia da pirataria, simples. Quando o investimento da empresa for recuperado mais 50% de lucro o jogo tornase public domain, nao sejam gananciosos que o mundo nao tem condicoes para isso, quem gosta de fazer jogos continuara a fazelos quem so faz jogos por dinheiro pode fartar-se e procurar a sua verdadeira vocacao noutro lado, assim garantimos a qualidade artisrica dos jogos e reduzme-se esquemas de publicidade enganosa.

  12. José Cristiano Sousa says:

    Só pirateia quem quer. Obrigado Internet por todos os links!

  13. knight says:

    Rock star caiu no meio conceito depois da bizarra descontinuação do ps3.
    Sony então que vai disponibilzar jogos que ja comprei para o pc tera que pagar de novo, eles pedem.
    Quero mais que o jogos sejam pirateados logo no primeiro dia.

  14. Serato says:

    A única protecção que ainda não foi crackada nos últimos anos foi a wibu….
    Just saying…..
    E quem anda aqui á muito tempo, sabe bem que na darkweb se encontra muita coisa….

  15. Player1 says:

    será que já há crack para o fm 2016?

  16. LUMIA 630 DS says:

    As empresas de jogos deviam contratar estes homens e pagar-lhes um bom ordenado.
    E assim matinham as protecções dos jogos.
    O “trono” destes homens, acabaria, no dia em que alguem, comprovadamente, quebrasse a segurança…
    Os hoteis em Las _vegas ja fizeram isso no passado…

  17. joao magalhaes says:

    Isso nunca vai parar, é fácil perceber porquê, se existe mentes brilhantes a programar para o “bem” também existe para o mal. Para nunca ser desbloqueado tinha que haver só uma pessoa que fosse mais inteligentes e melhor que eles todos e como deus não programa a pirataria vai continuar, amém.

  18. Nildo says:

    Será que a empresa tem algum trunfo nas mãos para parar os crackers?

    SIM!
    Seria abaixar os preços dos games, ao menos em 50%, e parar de vender os jogos por “fazes, capítulos” os tais DLCs.

  19. Miguel Ferreria says:

    acho que deviam gastar dinheiro em melhorar os jogos e não a tornar mais difícil piratear.. . ou gastarem menos dinheiro para o produto final ficar mais barato

  20. hateme says:

    os jogos tem o seu trabalho e é necessario pagar a quem os faz, mas se virmos bem a percentagem de lucro da editora é enorme. Numa distribuiçao gobal venderem um jogo por 60 paus, e o resultado das vendas for de 10000 undades(que é sempre mais) vejam o lucro disto

  21. me and me says:

    No ano passado o denuvo tinha sido quebrado no Batman arkham knight e MGSV phantom pain…

  22. papagaio says:

    ..todos sabemos se não fosse pelos piratas isto estava estagnado á bastante tempo…

  23. papagaio says:

    é só gente seria..eheheh

  24. Paulo Santos says:

    Bom, eu sou do tempo pré-internet. Alguém se lembra, ou sabe, o conceito que está por trás da sua criação?
    É que só quem corrompeu, desvirtuou, “marketizou” a internet, é que tem lata para vir choramingar uns trocos.
    A internet é livre, e sempre será. Querem “aereos” …. vão trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.