Quantcast
PplWare Mobile

SIRESP: Relatório indica falhas graves de segurança nas comunicações

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Pijama says:

    mais do mesmo mais uns milhões de € gastos para nada funcionar como deve de ser, Portugal sempre no seu melhor.

  2. Joao Ptt says:

    Continuam a atirar dinheiro para um tipo de rede projectada para camionistas.
    Enfim, incompetência a toda a prova. O que vale é que esta gente vai toda para o inferno, por isso não se ficarão a rir, mas até lá causam muitos estragos infelizmente.

    • Amilcar Alho says:

      “esta gente vai toda para o inferno”, para o inferno foram todos aqueles infelizes em 2017, infelizmente e literalmente, enquanto esta bandalheira continua.

  3. PorcoDoPunjab says:

    O SIRESP, abreviatura para Síndrome dos Irresponsáveis Portugueses, é um escândalo.
    Com tantos milhões de euros , com tanta gente a mamar e aquilo não funciona.
    Num país que se dê ao respeito isto dava prisão por má gestão dos dinheiros públicos.
    Aqui dá maiorias.
    Por isso o nosso presente e futuro será risonho….

    PorcoDoPunjab, o encantador de burros

  4. Tiago says:

    E a novidade é ???

  5. PorcoDoPunjab says:

    Tiago, a novidade, ou talvez não seja, é que o lamaçal continua e vai durar por muito tempo.

  6. TrasMontano says:

    Não posso deixar de estranhar o timinig da publicação das conclusões deste relatório depois do julgamento do grande incêndio de Pedrógão Grande. Certamente que as conclusões incidem sobre falhas técnicas que apenas surgiram depois de 2017, digo eu…

  7. Luís Costa says:

    Pagamos nós (contribuintes) milhões e milhões por esta treta e no final alguém se ficou a rir com o dinheiro do povo

  8. Manuel da Rocha says:

    Portanto, um agente do SIS regista-se no grupo da protecção civil de Bragança, informa o pessoal que vai a caminho, segundo o estudo, é um dos piores casos, pois os membros da protecção civil, de Bragança, podem saber onde está o membro do SIS.
    Um bombeiro de Lisboa, compra um dos terminais de 36200 euros, regista-o na rede da protecção civil de Lisboa, podendo saber o que se passa por lá, a qualquer hora, sem ninguém saber que ele tem um em casa outro no quartel.

    Que PARVOÍCE É ESTA??????
    Antigamente bastava usar um rádio de onda curta e procurar os canais que estivessem nas redondezas dos usados pelos bombeiros, hoje já não é assim. Sem alguém dar os dados, mesmo assim são 438 canais em cada banda. Acertar no certo não é coisa de “2 segundos” como refere o relatório. Gostava de ver os tais especialistas, mesmo um dos terminais validados, a conseguiram ligar-se a outro canal, sem terem a informação de qual é. Seriam 65 a 800 dias de muito interesse… quando acertassem podiam dizer que tinham conseguido. Sendo que perderam 2 meses com 12 horas diárias, a tentar. Entretanto tinham descoberto que a vizinha tem algo em cima da cama que saltou pela janela, que a polícia foi chamada 28000 vezes, porque portões de garagens, equipamentos electrónicos, telemóveis e televisões, andam a receber barulhos suspeitos e a ligar/desligar sem ninguém lhes mexer.

  9. gambuzino says:

    Com o sistema de comunicações StarLink pode-se ter comunicações numa ilha perdida no meio do oceano pacífico ou numa duna no meio do Saara, para que é que precisamos desta porcaria do SIRESP ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.