Quantcast
PplWare Mobile

Será o fim das comissões bancárias do serviço MB WAY?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. EU says:

    é impressão minha ou o limitarem as comissões está MUUIIIITO longe do que é questionado no titulo da noticia?

    • ze says:

      O problema nem é esse, o problema é que colocam valores irrisorios como gratuitos mas depois querem taxar igual às taxas de transferências dentro da EU, façam as contas a quanto vão pagar no final, no meu caso será 10x mais do que pagar as taxas actuais.

  2. Hugo Nabais says:

    Exacto ainda bem que querem limitar as comissões. Mas não percebo o título que interroga sobre o FIM das comissões.

  3. xnelox says:

    Calma, o título é para incentivar leitura e comentários sobre ele próprio

  4. TugAzeiteiro says:

    (…) com um “limite de operação de 30 euros, um limite mensal de 150 euros, e até 25 transferências por mês”, que passam a ser gratuitas.
    Tanta complicação sempre….. Como uma aplicação super útil e simples de se usar ficou cheia de pontos e virgulas!!

  5. Ricardo Costa says:

    Muito honestamente, se for como diz no texto parece-me uma medida surpreendentemente boa para o tipo de gulosos que decidem e lucram com o trabalho dos outros (políticos e bancos, neste caso).
    Claro que era desnecessário complicar algo que veio para facilitar a vida às pessoas mas pelo menos são comissões bastante baixas a meu ver.

  6. Marte says:

    Resumindo, como sempre, para o cliente fica tudo igual.
    – MBWay, já havia opções gratuitas e só pagava quem queria;
    – Rescisão/Renegociação de Crédito, é algo muito pontual (uma duas vezes na vida);
    – Comissão de processamento, só nos novos contractos. Ou seja, quem já paga continua a pagar e os novos contractos terão um valor de spread e outros serviços obrigatórios de modo a compensar essa eliminação.

    Ficam todos bem na fotografia, mas na realidade, no bolso dos clientes vai ficar basicamente igual.
    Às vezes dá quase vontade em votar no Chega. Só não o faço porque sei que ficaria pior.

    • fc says:

      claramente não fica tudo igual. por exemplo tenho uma conta onde me dão 3 utilizações mensais de mbway de forma gratuita. é possível ter mais e até todos de forma gratuita se estiver a pagar por outro tipo de serviços bancários, não é isso que está aqui em causa.

    • albino negro says:

      Tas mesmo convencido que o chega iria mudar alguma coisa se fosse governo???
      A ver pela palhaçada que ate o programa do partido foi revogado…

  7. Firefight says:

    Limitações ridículas. Em vez de promoverem a empresa que por sinal é portuguesa, se não me engano, e ajudá-la a expandir o conceito para o resto da Europa dando o exemplo de uma boa parceria com os bancos portugueses não, preferem dificultar a vida à SIBS. Para mim é a das apps que mais uso e que mais utilidade tem no meu telemóvel. 150€ por mês e um máximo de 30€ por transferência não dá para nada…

    • Marte says:

      Sim. O meu receio é que com esta nova lei, os bancos que não cobravam passem também a cobrar. Mas acredito que haverá sempre uma alternativa gratuita como Moey!, Revolut, etc.
      Já em relação a quem tem prestação da casa, continuará a pagar 30 € por ano em comissão de processamento. No fundo, no principal ponto (e mais ridículo) fica igual.

  8. David Guerreiro says:

    Basicamente, os bancos aumentam outras comissões para compensar a quebra nessa. Eles não ficam a perder, e encontram estratagemas de dar a volta a isso.

  9. Urtencio says:

    cambada de ignobeis!
    é mesmo triste, podíamos simplesmente ser diferentes e inovadores em relação aos outros países, mas quando conseguimos em alguns aspectos vem sempre a mesma tralha cortar as pernas…

  10. Marco says:

    Muita discussão e comissões para transferências até 30€!
    Se eu fizer uma compra de 40 euros pago comissão ou é para transferência entre bancos?

  11. A. Costa says:

    “com um “limite de operação de 30 euros, um limite mensal de 150 euros, e até 25 transferências por mês” !!!!
    Porque não complicar mais um pouco….
    para os desempregados o limite seria por operação 47 euros, um limite mensal de 73% do RMSI , e até 33 transferências por mês, com um acréscimo de 21% por cada dependente até ao limite de 96% do RMSI e 128 transferências por mês. isto para o primeiro escalão….

  12. paulo says:

    o povo paga ao braco direito do estado! os bancos! é tudo para eles

  13. Jose Augusto says:

    E se eu partir um pagamento de 60 euros em 2 transferências seguidas de 30 euros cada uma?

  14. Marco Silva says:

    E como fica o gerir a conta MB Way?
    Há bancos que cobram taxas mensais da aplicação (limpeza de conta).

  15. Marco da Madeira says:

    Ok, está melhor assim do que cada banco fazer as suas próprias comissões, mas o valor de 30€ e150€ mês poderia ser um bocado mais alto mas ok agora sei que por esses valor não cobram €..
    A partir de agora sou Marco da Madeira e não só Marco já tem vários Marcos.

  16. albino negro says:

    Uso MBway para pagamento diversas vezes.
    Comissão paga ZERO
    Tenho cartao Novo banco associado. No dia que cobrarem mudo de banco…

  17. AC says:

    A minha interpretação é que os 0,2% e 0,3% de comissão aplicável às transferências associadas a cartões de débito e crédito, respectivamente, equivalem à comissão máxima , suportada pelo comerciante, se fosse utilizado o cartão para o pagamento no ponto de venda (TPA). Fica assim protegida a desvirtuação do mercado pela fuga dos pagamentos em TPA (com a comissão paga pelo comerciante) para a ferramenta electrónica (MbWay sem comissões), que se vinha verificando.
    As infraestruturas e plataformas tecnológicas têm que ser pagas e o modelo aqui referido parece-me evitar abusos, mantendo a tendência de gratuitidade.

  18. Carlos says:

    Podem me criticar se quiserem ,mas tenho a certeza absoluta neste país é so chulos…Nunca vamos ser um país organizado…ate com uma app que devia facilitar a vida,outros se tentam aproveitar da mesma…QUE FIQUE BEM CLARO, QUANDO UM PAÍS NÃO TEM UM CAMINHO TRAÇADO (um objetivo) TODOS OS CAMINHOS SERVEM…POIS ISSO NÃO NOS LEVA A LADO ALGUM, SO VERGONHAS

  19. JLB says:

    SE todos deixassem de usar MB Way é que era, acabava-se esta palhaçada de vez !!! Mas não, a malta vai atrás dos facilitismos. Uns centimos aqui outros ali e os Bancos a mamar. Mas depois apresentam lucros do caraças, mas claro à custa do Zé Povinho e destas chulisses. Eu não uso MB Way, o BM cobra-me por fazer transf. entre contas de Bancos diferentes no serviço homebanking. Qdo quero fazer uma tranf. vou a uma caixa MB e não pago nada. Não alimento este tipo de chulisses ! Mas isto sou eu… e muito mais tinha para dizer !

    • rjSampaio says:

      ok boomer

    • MalicX says:

      É por causa dessa ideia parva que temos as comissões bancárias que temos. Ou achas que o MB nasce em árvores?
      A esquerdalha é que acha que sim. Mas não meus amigos. Pagas e não bufas. Se não é diretamente, pagas indiretamente.
      Faz lembrar o aluguer dos contadores de água. Os xuxas acabaram com esse aluguer, agora temos a taxa de disponibilidade do serviço que é, por norma, o dobro do anterior aluguer. Xuxas, está tudo dito. Inúteis.

  20. MalicX says:

    Sampaio. E a SIBS é a santa casa da misericórdia? Não tem custos? Não fatura todos os meses cada transação do MB ou do MBWay aos bancos?

    É mesmo de quem não tem a noção de como funciona o mundo.

    • rjSampaio says:

      Vou voltar a repetir.

      A SIBS faz as coisas de borlar, quem quer sacar dinheiro são os bancos.
      Ora se a SIBS achas que pode fornecer de borla, qual o problema?

      O que dizes fazia sentido se fosse os bancos que tivessem os custos mas não é.

      • Caustico says:

        Mas que grande confusão vai nessa cabecinha rjSampaio.
        A SIBS cobra, e bem, aos bancos por cada transação efetuada na rede, pela simples ligação e até pelo facto de os bancos disporem de um serviço (independentemente de o utilizarem ou não).
        Nem lhe passa pela cabeça o «balúrdio» cobrado mensalmente nas múltiplas faturas da SIBS a cada banco; queria você ganhar num ano, o mesmo que um mês de faturação da SIBS a um banco (e nem precisa ser dos maiores bancos).
        DE BORLA … essa é boa!

        • rjSampaio says:

          E se for pelo multibanco tambem cobra?

          É que as transferências ai são de borla…

          • Caustico says:

            TODAS as transacções efectuadas na rede são cobradas, inclusive as consultas.
            Por questões históricas e de relacionamento com o cliente, os bancos têm optado por não cobrar a utilização das ATM (também porque ajudaram na redução de custos das redes comerciais). Em outros países, a simples utilização do ATM está sujeita a comissionamento.
            Espero que as mais recentes alterações legais, cujo objectivo será «proteger» o utilizador bancário, não tenham o efeito contrário, porque os custos associados ao suporte da infraestrutura têm que ser pagos e as comissões são um dos meios para o fazer.
            Sem pagar, o que nos espera é um sistema onde se vão suceder os erros, indisponibilidades e problemas, a todos os níveis, inclusive na fraude.
            Como utilizador, não é o que pretendo.
            Já agora e a título informativo, a SIBS é uma sociedade prestadora de serviços, criada e detida pelos bancos, com o objectivo de economizar custos associados à implementação da rede de pagamentos, com sucesso reconhecido internacionalmente e que só nós, em Portugal, não compreendemos (não tenho relação contratual com a SIBS, apenas conheço, bem, o sector).

  21. Marco da Madeira says:

    Sim o mbway é gratuito os bancos é que querem cobrar comissões (não todos).
    O mbway foi criado para facilitar a vida de consumidores e comerciantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.