Quantcast
PplWare Mobile

PSP: 181 mil euros em máquinas de impressões digitais, mas…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Paulo Pedroso says:

    Nada que se espante… a distribuição de fundos europeus e a sua aplicação… depois queixei-se que não tinhamos direito a mais

    • Paulo Pedroso says:

      Queixem-se *

      • Ifm says:

        “imprescindíveis e de complexidade técnica elevada”.

        Já me esqueci a quantos anos tenho ponto de picagem com impressão digital na empresa.

        Realmente é um sistema muitooo complexo…
        Tao complexo que se manda vir os equipamentos e não se pensa na sua implementação.

        É o mesmo que comprar uma casa pre-fabricada e não comprar o terreno para a colocar.

        Espanta me está inteligência

        • Tiago Rodrigues says:

          E isto não é nada!
          O comodismo é tanto que dá-me vontade de rir.

        • k says:

          É a competência dos organismos públicos deste país.

          Recentemente, os municípios começaram a ser eles a darem equipamentos informáticos as escolas. Até aqui, tudo bem. Os gajos mandaram vir um servidor para a escola e a escola pediu-nos (uma empresa de informática privada, que já somos nós que fazemos o tech support habitualmente) para ir lá fazer a instalação e transição do srv antigo para o novo.
          A esta altura ninguém me soube dizer nada acerca de nada a não ser que me iam pôr em contacto com o Engenheiro no município responsável por ter mandado para lá o servidor que me ia dar instruções, por isso eu chego lá a assumir que quem gastou dinheiro (que nem foi pouco) deve ter pensado como ia fazer a coisa.

          Chego lá e realmente há um servidor com hardware suficiente para o trabalho, mas eles tem um bastidor para servidores e estes gajos mandaram uma torre gigante que não há maneira de caber lá. Ok, arranja-se um canto mas não começou bem. Ligo para o fulano e ele dá-me instruções muito vagas:

          – instala aí um software de máquina virtual, depois instalas aí um software que migra o servidor antigo para o novo e tá feito.
          – huh… ok, mas vocês têm algum software para isso? Licenças? Eu estou habituado a usar hyper-v mas…
          – ah, metes o vmware.
          – Ok, ninguém me disse que era para usar o vmware e não estou muito familiarizado com a versão baremetal mas sei como funcionam e devo conseguir. E licenças? vmware? windows server? Qual é o tal software de migração?
          – ah mete o free e o windows… eles acho que tem ai uma imagem dum windows server qualquer ai num disco. O software de migração (manhoso de terceiros) é o xpto é pago mas tem um trial.
          – … riiight, isto vai correr bem.

          Comecei aquilo, mas foi bastante óbvio que o vmware free tem limitações e não dava para importar uma máquina diferente p2v. Liguei pro gajo a perguntar se não havia uma licença e ele disse para usar o trial do vmware. … ok resolve. Para já. Depois tentei a migração, a coisa até parecia estar a correr bem mas chegou ao fim deu um erro e nada. O gajo garantiu me que “no portatil dele deu bem”.

          Por esta altura parei tudo e comecei-lhe a perguntar, ouve lá, estás me a dar instruções em cima do joelho que parecem ter sido pensada por um estagiário que leu umas merdas no google e achou fixe.

          Vocês fizeram algum tipo de planeamento? Voces analisaram o ambiente do cliente antes de comprar coisas e pensar em fazer isto? Viram que o cliente tem um bastidor e não tem sitio para este monstro de torre? Deram-se ao trabalho de verificar se o software sequer suporta o que vocês querem fazer? Se é preciso licenciamentos? Já sequer fizeram isto noutros lados? PORQUE NADA ESTÁ A FUNCIONAR COMO ME ESTÁS A DIZER PARA FAZER.

          Ao qual ele aí descaiu-se e disse “ah não, esta escola são os primeiros onde estamos a fazer isto” e não disse diretamente mas deu a entender que NADA foi planeado. De todo. Estava-lhe a fazer perguntas e parecia que estava a falar búlgaro para ele.

          Dei-lhe uma descasca de incompetência de cima abaixo, porque isto não é assim que se faz. Fez-nos a todos perder dias a tentar implementar as “instruções” dele, mandei-o pastar e fiz eu tudo como deve ser.
          E isto foi um engenheiro que é o chefe do departamento informático duma Câmara/município de uma cidade deste país.

          • Oi says:

            Percebo o teu espanto, mas este tipo de coisa só acontece a esses níveis (autárquicos). E’ a norma, não se procura competência, mas sim o oportunismo.

          • Joao Ptt says:

            Na polícia não sei como é agora, mas há uns anos os pc’s estavam sempre infectados com vírus informáticos, eles chamavam os técnicos, eles desinfectavam, iam-se embora e aquilo ficava novamente infectado num instante porque não metiam nenhum software antimalware… resultado: não conseguiam trabalhar nos pc’s porque os vírus não deixavam e os técnicos não iam propriamente a correr resolver o assunto… e resolvendo o problema voltava num instante porque nada prevenia a reinfecção nem sequer pelas coisas mais simples e perfeitamente reconhecidas por qualquer antivírus.

          • Zé Fonseca A. says:

            incompetência deles e tua por perderes tempo com algo que devias saber de antemão que não ia dar.
            projetos é diferente criar utilizadores e formatar máquinas, não é para todos.

  2. Adeus says:

    Falta de recursos humanos… O sistema é complexo quando instalado numa rede complexa e por esse motivo demora mais tempo a implementar.

  3. AlexS says:

    O nível de qualidade do Estado é este, não liga para o retorno no que se investiui. Basicamente o dinheiro não é deles…. É ver por exemplo como o IPMA deixa estações meteo sem funcionar por largos meses. Mas o investimento foi feito.
    Um grande trabalho jornalista seria fazer o inventario daquilo em que os contribuintes investiram por via do Estado e o que de facto está a funcionar e também a dar retorno aos contribuintes.

  4. Saiyajin says:

    é dificil de implementar porque esses leitores não têm drivers para o windows 7, estão à espera de outra tranche de milhões para mandar desenvolver os drivers

  5. Joao Ptt says:

    Talvez estejam com dificuldades em colocar o software e drivers em pc’s cheios de malware eheh.

  6. KodiakShadows says:

    Um país de otários, paga tuga e cala-te

  7. Zé Fonseca A. says:

    passo a explicar, o problema deles foi que compraram as maquinas de impressões digitais mas não anteciparam que iriam ter de desenvolver um interface para as digitalizar para o sistema informático da PSP, agora dão desculpas que não passam de incompetência e que vão precisar de gastar outros tantos milhares em serviços de uma empresa externa para fazer essa integração.
    apenas um pensamento, estará esta incompetência do IT da PSP relacionado com o número de mulheres no departamento de IT da PSP? Curiosamente é dos sitios com mais mulheres a trabalharem no IT e também dos sitios com mais recauchutagem de funções, facilmente colocam um policia que sabe instalar umas apps no telm responsavel por areas sensiveis só porque fizeram formações microsoft e afins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.