PplWare Mobile

Produção renovável abasteceu 43% do consumo de energia (setembro)


Autor: Pedro Pinto


  1. Asdrubal says:

    Houve uma época de chuva em que diz que se produziu mais energia eléctrica de fontes renováveis daquela que se consumiu no total. Agora, se apenas se produziu 43% de energia renovável do total consumido, mesmo em época que não choveu, parece-me mau. Parece haver pouco investimento nas fotovoltaicas, mesmo que se saiba que em Portugal pode se produzir muita energia solar.

    • Miguel Porto says:

      Já foi pior. “Ainda sou do tempo” em que a alimentação renovável não ultrapassava os 15% e não foi assim á tanto tempo. Mas sim, temos de continuar a apostar.

  2. qqq says:

    baixar o iva da electricidade é que nem pensar

  3. Joao Ptt says:

    “Compensou” então todo o esforço das empresas eléctricas para impedir os painéis solares nos edifícios. Continua a ter aquela contribuição absolutamente marginal, apesar de ser um país com imenso Sol.

  4. Rui says:

    Não há maior aposta nas energias renováveis, principalmente nos particulares, porque o estado deixou-se manietar pelas empresas que têem instalações de painéis solares em Portugal, para terem os incentivos todos para si!!!!!

    A isto chama-se um estado capturado por interesses que não são do país!!!!!

    Que incentivos têem um particular para instalar painéis solares? Quase nada!!!! Ou instala para auto-consumo, ou tem de pedir quase autorização ao Presidente da República e mesmo assim as instalações novas estão limitadas e fornecem energia a preço 0€ à rede!!!!!!! Ou próximo disso!

    Não é preciso o estado dar incentivos, basta obrigar as eléctricas a aceitarem a injecção na rede da energia produzida pelos particulares, ao preço que estes pagam nesses períodos, ou vá lá, com um desconto de 5 ou 10%. Com esta medida, resolvíamos o fornecimento de energia em ponta, que é em princípio quando a produção solar atinge o máximo.

    Mas para isso temos de ter políticos que não sejam sustentados pelas eléctricas!!!!!!!

    • LSousa says:

      Já acontece nalguns paises mais evoluidos em que a energia injetada na rede fica em crédito no contador inteligente e quando o habitante dessa casa passar a consumir energia ele primeiro consome desse crédito só depois passa a contabilizar a energia da rede propriamente dita.

  5. Fulano says:

    É a produção de energia renovável e a conta da eletricidade que não pára de aumentar…
    Desde que a EDP foi privatizada por causa de interesses políticos e não por necessidade, que os contínuos aumentos na conta não param.
    Está mais que na altura de re-nacionalizar certos sectores que foram vendidos ao preço da chuva só para encher os bolsos de certa escumalha…

  6. Fulano says:

    É a produção de energia renovável e a conta da eletricidade que não pára de aumentar…
    Desde que a EDP foi privatizada por causa de interesses políticos e não por necessidade, que os contínuos aumentos na conta não param.
    Está mais que na altura de re-nacionalizar certos sectores que foram vendidos ao preço da chuva só para encher os bolsos de certa escumalha…

  7. Luis Maia says:

    E depois vemos a EDP cobrar mais de 70 milhões por manobras na produção de electricidade 🙂
    Chinocas são lixados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.