Quantcast
PplWare Mobile

Portugal recebeu 1181 ventiladores… mas falta uma peça

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Rui says:

    Continua a ser admirável estarmos perto da ruptura no SNS por causa do COVID-19, temos cá os ventiladores, mas mesmo assim há 253 que por falta de uma peça de cêntimos ou meia dúzia de euros não são utilizados!!!!!!!

    Surpreendente!!!!!

    Faz lembrar as Escolas Públicas que recebem dezenas ou centenas de caixas com computadores lá dentro, mas ficam anos ou para sempre a apodrecer num canto!!!!!!!

    • Urtencio says:

      Demonstra a competência de quem nos governa!
      já diz o outro, a culpa é sua, você é que votou neles!!

    • Paco says:

      Não vamos mais longe, no Hospital do Barlavento Algarvio (actual Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA – Portimão) que foi inaugurado no dia 22 de Julho de 1999, fez 21 anos, fala-se que ainda há equipamentos médicos ainda embrulhados desde a inauguração, que nunca foram usados porque não há quem os saiba operar. No mínimo, ridículo.

      • Rui says:

        Também tenho conhecimento de situações semelhantes!!!!
        No estado funciona da seguinte maneira, cada “casa” e “casinha” faz o orçamento para o novo ano, pegando no que gastou no último e acrescenta mais alguma coisa, mesmo que não precise!
        E numa obra nova…. quem faz o projecto nunca deve ter falado com as pessoas que vão operar os equipamentos, podem ter comprado ou copiado um projecto de um hospital de outro local, com outros requisitos quaisquer!

        Eu sei de uma Escola feita em Portugal, que implementou um projecto de outro país……. até copiou uns adereços para a entrada que nunca perceberam para que servia…… eram para deixar os skis da neve!!!!!!!

        Ou os edifícios todos vidrados e muito bonitos que copiamos dos países nórdicos, mas no verão, com o nosso sol e temperaturas superiores a 40 graus são edifícios a evitar!!!!!!

    • Carlos Fernandes says:

      1º colocam licenciados em Direito em locais de Gestão e Administração
      2º pay peanuts get monkeys…

      • Rui says:

        Percebo perfeitamente o que refere e concordo em absoluto.
        Se formos ver os administradores hospitalares, são quase todos pagantes de quotas de um partido e é extraordinário que quase todos eles são advogados!!!!!! Quando se exigia alguém da área da Gestão, Economia ou Contabilidade!!!!!!

        Eu gostava de saber como é que por exemplo escolhem o equipamento A em vez do B numa compra de um equipamento de 1 milhão de euros!? Ou se sabem o que é um Balanço, Demonstração de Resultados ou tão só calcular a Quantidade Económica de Encomenda!!!!!!! Coisas que um gestor costuma fazer…… trabalhar com uma matriz de decisão………

  2. Obs says:

    É o que dá ser “um País de Serviços” e a viver do Turismo. Quando é preciso fabricar alguma coisa… as fábricas foram deslocalizadas e estão “algures na asia”…

  3. JimMorrisson86 says:

    Se falta-se só uma peça… Faltam profissionais com formação para operar os ventiladores..

  4. PhotoShot says:

    alguém pensou em 3D print?
    Penso que mesmo cá em Portugal alguém o conseguiria fazer…

  5. António José Portela says:

    Com tanta engenharia e não se fabrica, ou adapta uma simples peça, que a ser verdade, que para mim é mentira, será mais uma mentira de Marta Temido, também pode chorar, que não vou ter pena dela, está há muito tempo a ajudar a destruir o serviço Nacional de saúde !

  6. Jorge Fernando says:

    O problema agora é que para resolver problema e para comprar algo que custaria simplesmente uns 10 euros por unidade, tem de entrar em concurso público se pedir um monte de orçamentos diferentes, pedir aprovação no ministério, esperar aprovação. com tanta burocracia lá para junho os adaptadores chegam aos hospitais.

  7. TugAzeiteiro says:

    Eu diria que a peça mais importante que falta será mesmo as camas disponíveis para internamento de doentes Covid e não Covid! Se não há camas os ventiladores não vão servir para nada… e claro estes aparelhos também não trabalham sozinhos e sem formação adequada ao profissionais de saúde! A isto tudo podem juntar a falta de enfermeiros(as), médicos(as) e auxiliares… isto porque num ano normal já são poucos, quanto mais num ano em que há milhares de baixas médicas por infeção!

  8. Blackbit says:

    Bem-vindo ao mundo das compras centralizadas

  9. Luís Costa says:

    Tantos experts a comentar ….. só falta a cerveja e os tremoços .

    • Urtencio says:

      Apesar de poderem não perceberem do assunto como dizes.. tem espirito critico e lançam ideia para resolução de problemas? Não é assim que funciona em qualquer ramo quando existe um problema?

      Se calhar com esses simples comentários enquanto trincas o tremoço, lançaram mais ideias do que as pessoas realmente envolvidas…

      • Luís Costa says:

        Não é assim que funciona em qualquer ramo quando existe um problema?

        exato …… em qualquer ramo quando existe um problema a forma de resolução é ……. chamar quem não percebe nada do assunto …..

        Talvez , talvez no seu ramo .

  10. Jose says:

    Falta só uma peça . O botão On Off .

  11. tmr022 says:

    Eu tenho um adaptador de corrente de chinese para EU. Se eu precisar levo a peça para o meu ventilador.

  12. David says:

    A peça não devia ser a noticia principal. A principal devia ser… “Portugal recebeu 1181 ventiladores… mas faltam pessoas com formação suficiente para trabalhar com elas adequadamente, e uma peça…”

  13. ToFerreira says:

    O SNS não entrou em rutura? O que definem como rutura? Definir (nalguns hospitais) um limite de idade para os doentes com acesso a UCI não é rutura?
    A peça não importa porque os ventiladores também não. Numa primeira fase de total desconhecimento e em que os doentes apresentavam grave dessaturação, e de acordo com as boas normas neste caso, os doentes foram colocados nos ventiladores. Com o tempo percebeu-se que, atipicamente, estes doentes, apesar das baixas saturações, não precisavam (sempre) de ventilador, que podia até ser pior (pelos efeitos secundários) e nesta segunda fase os ventiladores deixaram de fazer falta.
    O que continua a fazer falta são “camas” e profissionais para tomar conta de quem lá está. Neste momento, há hospitais a dispensar profissionais dos turnos, por não haver dinheiro para lhes pagar, somando ao cansaço destes, mais trabalho, com equipas mais reduzidas em plena pandemia do que normalmente (pre-covid).
    Portanto, esqueçam os ventiladores e preocupem-se é com a falta de “camas” e profissionais.

    • Carlos Fernandes says:

      A ordem dos médicos diz que existem médicos suficientes em Portugal, por isso não existe uma necessidade em abrir uma Universidade Privada de Medicina(vai abrir para o Ano). Nem aprovam a contratação por parte do Estado de médicos estrangeiros, aprovam sim um aumento de vencimento, redução de horas e liberdade d escolha de local de trabalho, não onde eles são necessários.

  14. Euéquesei says:

    Bem-vindos à República dos Bananas…

  15. R says:

    Os ventiladores de pouco servem sem profissionais de saúde em quantidade suficiente e com a formação adequada.
    Há muito tempo que se vem a assistir a uma diminuição da competência de quem ocupa os cargos de decisão; os cargos são atribuídos por “cunha”.
    O resultado está à vista…

  16. Sardinha Enlatada says:

    Falta uma peça como ? Os produtos nao sao montados correctamente ? Algo mal contado como sempre.

  17. informado says:

    Governo Socialista incompetente. Quando é que este Costa e os seus 70 Ministros e Secretários de Estado desaparecem de vez do Governo. Nem 5 ministros conheço quanto mais os outros 65!!!!!

    FAlta uma peça !! Patético!

    • Euéquesei says:

      Caro Informado, sabendo que mais de metade dos eleitores em Portugal é de tendência xuxa/comuna, fique desde já com a certeza que estamos desgraçados.
      Eu já tenho esta certeza há muitos anos e a realidade cada vez mais me dá razão.
      A única solução para este país se desenvolver como deveria, seria…

      1— Colocar como governo indivíduos estrangeiros, ou Portugueses, comprovadamente competentes na arte de bem decidir e gerir.
      Estou a lembrar-me, por exemplo, do Horta Osório, mas há muitos mais, felizmente, só que como são honestos e trabalhadores não se querem meter na lama da política….

      2—- Remover a maior parte da Portugueses daqui e mandá-los para Cuba, Venezuela, Coreia do Norte ou outro paraíso do género.
      Já que gostam desses países e regimes, era um favor irem para lá.

      Como nenhuma destas soluções é exequível, faça como eu, é um dia de cada vez, sabendo sempre que o nosso caminho é mais uma bancarrota e o último classificado dos países da EU.
      Neste momento atrás de nós só a Roménia e Bulgária.
      Roménia vai passar-nos em 2025….Calma, ainda estará 1 atrás de nós..

      É o nosso futuro. É triste? É! Merecemos melhor? Talvez não…

      Aprenda a viver com isto e viva o melhor que possa…

      Um Feliz Natal com votos de excelente saúde para si e os seus é o sincero desejo do Euéquesei.

    • Luís Costa says:

      FAlta uma peça !! Patético!

      não falta porque você já apareceu .

  18. RS says:

    Deve ter de ir a concurso público….
    Entretanto as funerárias não têm descanso.
    Burocracias!!!
    KISS – keep it stupid simple
    Ainda para mais quando estão vidas em jogo.

  19. Sardinha Enlatada says:

    E ainda ha pessoal que acredita que com este virus covid as pessoas vao abrir os olhos e derrubar o proximo governo. Isso e uma piada bem contada. Se nao for PS vai ser PSD e a danca vai continuar assim por muitas geracoes. A nao ser que alguma coisa aconteca e se extinga os governos e sejam os cidadaos a gerir as suas financas. Se e para continuar a roubarem, cada um rouba a sua parte, e nao ficar concentrado apenas nos politicos do costume.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.