PplWare Mobile

Portugal: Março com consumo de eletricidade 100% renováveis


Autor: Vítor M.


  1. Zeze says:

    Então porque raio a electricidade está tão cara? Só exploram o povo!

    • Alexandre says:

      Porque contruir uma torre eolica ou uma barragem é muito mais caro que construir uns fornos para queimar carvao

      • Zeze says:

        Então mas não foi o estado que construiu as barragens e que subsidia a instalação de torres eólicas com o dinheiro de todos nós? O custo de construção já nós pagámos! Por isso a electricidade devia de ser mais baixa!

      • Tozé Antunes says:

        pois… mesmo que tenha-se de encher os bolsos a alguns investidores privados e continuar a pagar manuteção, as renovaveis são obviamente mais baratas, algo que ainda não se vê reflectido nos preços e possivelmente nunca se vai ver (independemente das taxas e taxinhas) a margem de lucro não desce só sobe e não será culpa da inflacção certamente…

        • Pedro says:

          O custo do vento (quando há) de facto é zero, a má noticia é que acaba por ser uma fonte de energia muito cara, devido à remuneração que todos nós, consumidores, pagamos aos produtores. Por outro lado, quando as eólicas estão a “bombar”, acabamos todos por pagar às termoelétricas pelo facto de estarem inactivas, para serem o backup da produção de energia. Estes custos, os famosos Cmec, ou rendas excessivas como se tem falado, contribuem para os elevados preços energéticos que temos que suportar.

    • Joao says:

      Porque as renovaveis sao geralmente mais caras de explorar.
      Isso e porque o nosso governo nos rouba com uma taxa para pagar a RTP.

      • O says:

        Caras de explorar o resto da vida. Quando estes senhores cobrir o valor investido à nossa pala nisto tudo o valor da fatura vai continuar no topo.
        Isto é uma desculpa para nunca mais baixar os valores da fatura, tomam o gosto ao dinheiro “a mais”.

    • Pedro says:

      Boa pergunta! A resposta está nos valores que todos nós pagamos para financiar as produtoras de energia, designadamente os cmec-custos de manutenção do equilibrio contratual, que são as famosas rendas excessivas que a troika tanto criticava, e que ninguém ousa em renegociar. Em todo o caso, as renováveis são infelizmente intermitentes, pelo que é impossível, pelo menos em Portugal, depender destas, havendo sempre a necessidade de possuirmos centrais térmicas

      • Pedro Coelho Silva says:

        Isso nao é 100% correcto, actualmente sim mas com o uso de baterias essa intermitencia pode ser suplantada. Além de que as baterias são mais rápidas a respondes( poucos segundos) comparadas com as centrais termicas. O futuro pode ser 100% renovável e o país devia investir a sério nisso, assim teremos total independência energética do exterior , carvão gas e petroleo nao sao recursos abundantes em portugal, agua vento e sol sim. Isto sem sequer ter em conta as enormes vantagens ecológicas que são inerentes as renováveis.

        O governo deveria fazer full push nas renováveis e pelo caminho acabar com rendas absurdas que a Industria usufrui actualmente.

        • Wishmaster says:

          Pedro Coelho Silva,
          Já ouvi dizer que as renováveis só dão lucro se forem sustentadas pelos subsídios do Estados…Não sei se é verdade, foi o que li por aí em vários sites na net…

          Quanto às baterias, isso não é possível. Veja a situação do cobalto, material usado para produzir baterias…Além da exploração ser feita em África com uso de mão-de-obra escrava e em condições de saúde deploráveis, o preço atingiu em 2017 valores inacreditáveis…altíssimos. Além disso, há a possibilidade de se esgotar.

          Imagine agora fazer baterias para armazenar energia eléctrica para as milhares de cidades…Seria caríssimo fazer baterias assim. Daí que ainda não o tenham feito.

  2. Francisco Torres says:

    Porque tem chovido a cântaros, e ventado de seguida. Agora quando a chuva for mais escassa e o vento menos, como se superam as necessidades???…E claro porque estamos a full power com a energia hidráulica, não há como encher as barragens. Até dá cheio para o ministro e seu coro vir já em finais de maio propalar que estamos em seca extrema e temos que fazer uma boa gestão da água. O que ele não diz o que é que entende por boa gestão…..será entregar o negocio do total do consumo das águas aos seus amigos financiadores???

  3. Luis Parallax says:

    A electricidade está carota sim ZeZe , mas NAO está assim tao estupidamente cara…!! lol Deixa me adivinhar… querias viver numa sociedade onde nao pagavas serviços, ou entao 1 mes de edp eram 10 euros… e podias gastavas á francesa! lol..

      • alves says:

        As imagens são sem duvida elucidativas. Mas, ado 1º link, permite ver uma evidência que ainda não vi aqui debatido: as taxas. Quase toda a gente se vira para a EDP (não são nenhuns santos…) e a produção, mas no preço final, 52% são taxas, que não dependem dos produtores, mas sim da ERSE (ou seja do “poder”). ..

        • Celso says:

          Calma porque 23% do preço final que pagas, é iva e que nada tem a ver com a ERSE. Aliás, basta veres a fatura da eletricidade para perceberes isso. Mas concordo contigo, metade é taxas.

          • alves says:

            o iva a 23%, é aplicado sobre o total, ou seja energia + redes. apenas a taxa de televisão tem um iva de 6%. mas sim, as taxas antes de iva correspondem em média a cerca de 50%, sendo que quanto mais baixa a potência e o nivel de tensão contratado, mais alta é esta parcela, proporcionalmente.

        • Nuno says:

          Como é que pode ser 52% de taxas? Pagas o IEC e o seu IVA de 23% que não deve chegar aos 0,50€. Pagas a taxa de Audiovisual e o seu IVA de 6% que não chega aos 3€. E pagas os 23% de IVA das restantes parcelas. Explica lá como é que chegaste aos 52% de taxas?

      • Toder says:

        tu estás é muito errado! deixa de viver na internet e olha mai para a realidade! eu aqui na Alemanha gasto menos que os meus pais em Portugal mas eles pagam uns 40-50 por mês como dois frigoríficos e eu aqui pago 85! sim lá vai a coisa que aqui se recebe mais e tal mas a energia em Portugal é mais barata que em muitos países da eu

        • ZeTolas says:

          O que interessa é o poder de compra… se o salário mínimo é 500€ e a família paga 50€ estamos a falar de 10% do rendimento… certamente que se o salário mínimo fosse 1500€ e a mesma família pagasse 100€ não seria pior hum???

        • darksantacruz says:

          Salario minimo na Alemanha: +/- 1500€, salario minimo em Portugal: 580€.
          Comparando com a realidade ou seja custo de vida a eletricidade em Portugal é das mais caras senão a mais cara da Europa.

          • Luis says:

            Alemanha 1 498,00 EUR por Mês ‎(07/2017)
            Portugal 649,83 EUR por Mês (07/2017)
            fontes incluem: Eurostat, Banco Mundial

            Portugal recebe 14 meses(subsídio de férias + natal)

      • Wishmaster says:

        Infelizmente, em Portugal paga-se tudo tão ou mais caro do que no resto dos países da UE…
        E entretanto, as pessoas votam nos mesmos de sempre….
        Vá lá que nas últimas eleições sempre deu para fazer a gerigonça…senão a esta altura já metade do país tinha emigrado.

    • Taptigpot says:

      Não sabes o que dizes, mandas coisas sem nexo para o ar e ainda escreves “lol”. Está bem…

  4. navyseal says:

    Não vi a tarifa da electricidade baixar, portanto nem sequer devia ser noticia. Se o custo de produção baixa então isso deve resultar em menores custos para o consumidor e não se tem visto isso, pelo contrário!

    • Nuno Ferreira says:

      Se o custo de produção baixa ? Sabes que é ao contrário … se for de renováveis.. aumenta.. e pior é que ultrupassou os 100% logo tivemos de pagar a Marrocos e a Espanha para ficar com o excedente.

      • navyseal says:

        Só pagamos se quisermos, pode-se dar a energia produzida e não aproveitada como perdida.

      • celso says:

        “ultrupassou os 100% logo TIVEMOS QUE PAGAR a Marrocos e a Espanha para ficar com o excedente.”

        Onde é que viste isso?

      • Joel Reis says:

        O que percebi do artigo é que o custo de produção baixou e que exportamos excedente (com lucro).

      • Ribeiro says:

        De certo tivemos que escoar o excedente de electricidade, a que preço não sei, os valores de compra e venda de energia entre Portugal e Espanha são flutuantes. Quando pplware.sapo.pt aborda este tema sobre energia renovável produzida mais parece propaganda barata ou então desconhecem os reais factos. Eu sou defensor de energia renovável mas não às custas apenas do
        consumidor. Um simples exemplo toda a gente já ouviu falar das parcerias público privadas. Ora então imaginem que a EDP constrói um site eólico, tem um beneficio do estado que garante um pagamento durante 8 anos, de 0.25 euro o kwatt. Claramente o preço é flutuante, então imaginem que temos vento forte durante toda a noite em Portugal e temos energia excedente. Portugal tem que vender esta energia a Espanha, e Espanha não precisa! Portugal tem que vender a baixo custo a preços que podem ir ao negativo o kwatt! Negócio pra quem? De certo não para quem paga a factura de electricidade. Acordem para a realidade!

        • Vítor M. says:

          O caríssimo Ribeiro é que não pode misturar as coisas. Falamos na produção de energia por métodos hidroeléctricos, eólicos e solares.

          As nossas barragens, como é natural, têm estado nos níveis máximos de produção, os parques eólicos igualmente e isso é ganho.

          O resto, quem vai comercializar… e se a energia que pagamos esta cara…. isso é outra história. Não misturem.

          • Ribeiro says:

            Caro Victor compreendo e peço desculpa se causei algum incomodo, eu só esclarecer que não misturei as coisas. Uma coisa é potência instalada outra é energia produzida. Se temos muita energia renovável instalada é um motivo de orgulho, se temos excesso de produção de energia renovavel não é. Pois essa energia não é aproveitada em benefício de todos é isso é revoltante.

  5. Carlos Alves says:

    Isto tudo muito bom quando da lucro ninguém diz nada como em tudo sejamos claros quando acabar o tempo das vacas gordas vejamos tudos virados parar tirar do povo para que o lucro seja sempre

  6. Nuno says:

    A única coisa que eu peço é que baixem o IVA da luz. É um absurdo pagarmos 23% imposto de de luxo sobre a luz, quando o gás paga 6%. Já nem falo do preço da luz. Baixem é a porcaria do IVA sobre a luz.

  7. Wilson Antunes says:

    É uma excelente notícia para os produtores (EDP, etc
    ) mas uma péssima notícia para os consumidores por causa do modo como são calculadas tarifas. É uma vergonha e um roubo descarado ao consumidor.

    • Wilson Antunes says:

      Os preços no mercado grossista ronda os 5 cêntimos por MWatt (em março chegou aos zero cêntimos) mas as eólicas tem preço garantido de 90 cêntimos e prioridade na injeção de electricidade na rede. Essa diferença é paga pelo consumidor aumentando o chamado défice tarifário. É um roubo descarado!!!
      As novas eólicas já não terão estes contratos leoninos mas todas as eólicas que foram contratadas por José Sócrates tem este contrato é nem Passos Coelho nem Antônio Costa tiveram coragem de rasgar esses contratos. Inglaterra rasgou contratos semelhantes.

  8. Arlindo says:

    Mas a explicação também não está só nas barragens. O consumo agrícola (que tem uma grande quota parte nos gastos) também e provável que tenho baixado. Depois de tantos meses de seca, os agricultores provavelmente aproveitaram para baixar os consumos elétricos com a rega e com o motor dos furos.

  9. luis says:

    vi uma noticia num canal de TV espanhola em que a electricidade tinha este ano em Espanha baixado de preço 23% devido ao excesso por motivo das chuvas e vento, “energias renováveis” agora cada um que pense o que quiser.

  10. Rui says:

    Este titulo é completamente FALSO e desinformativo.

    Houve dias do mês de Março em que o consumo não foi 100% renovável.
    Nem me dei ao trabalho de ver o mês todo, bastou ver que nos dias 1, 2, 3 e 4 foi consumida energia produzida pelas Centrais a Carvão e Gás.

    Quanto muito podem dizer que: “A energia eléctrica produzida a partir de fontes renováveis no mês de Março foi superior ao consumo”. O que é muito diferente de: o consumo de energia no mês de Março foi 100% renovável.

    Vejam lá isso……

  11. Correia says:

    Pois eu prefiro pagar 50€ mensais por estas energias, do que pagar 0.5€ por energias de fontes fosseis ou de fontes nucleares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.