Quantcast
PplWare Mobile

PJ vai adquirir sistema para “escutar” Skype, Viber e WhatsApp

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. int3 says:

    Acabei de declarar guerra à pj.

  2. Fábio Sousa says:

    Todos os atentados, transportes de droga, homicídios, etc são combinados pelo o skype e as bombas já não são detonadas por SMS mas sim por WhatsApp com suporte a smiles!

  3. Daniel Nepomuceno says:

    Não sei se hei de rir ou chorar com esta notícia.

  4. Tuga says:

    Eu como trafico umas cenas tenho que arranjar alternativa.

  5. Luís says:

    O que raio andam a fazer os nossos serviços de segurança e para que é que lhes pagamos? Escutas telefónicas… é mesmo para rir a segurança nacional.

    • lmx says:

      O problema…

      é que a PJ depois de toda a gente saber que a NSA faz o que não deve…a PJ…é como os putos!!!

      Agora também quer fazer!!Com uma diferenças…ela não pode pura e simplesmente faze-lo do ponto de vista legal…porque não pode invadir a privacidade das pessoas só porque lhe apetece…

      Teria que existir uma autorização expressa de um tribunal e uma razão muito forte para o fazer…

      Ora …nas comunicações…esta resolvido porque as operadoras teem que guardar dados durante determinado tempo…sobre as chamadas etc…

      Porque é que as operadoras, não guardam dados sobre estas aplicações também??Nesse caso se for necessario cada operadora da-lhes acesso ao conteudo, se for legalmente requisitado!!!

      Não estou a perceber porque é que a PJ quer fazer as escutas só por si???Alguém percebe??

      Se os operadores podem guardar os dados…porque eles directamente escutarem as pessoas …o que é ilegal!!!

      Para escutar dados das pesssoas nestas aplicações, em que o IP das pesssoas muda constantemente…quer dizer que eles teem que escutar tudo 24h por dia….pois so assim garantem que escutaram fulano…e isto é ILEGAL!!!

      • Francisco Castro says:

        E achas mesmo que vão estar 24h/dia, 7dias/semana, 365dias/ano a escutar conversas?

        Além disso, o adquirirem equipamento que possibilite tal coisa não tem nada de ilegal, assim como escutar as conversas se houver uma autorização superior, coisa que obviamente vai ser necessária.

        Compreendo perfeitamente essa acção porque a tecnologia não pára e, como tal, têm de acompanhar (conforme lhes for possível) a mesma.

        Se te raptassem e interceptassem chamadas pelo Viber, etc, que conduzissem à tua salvação, já não ias criticar tanto.

        Quanto à questão do IP, também não sei como funciona, mas com certeza haverá alguma maneira, caso contrário, ninguém compraria 1 sistema desses.

        • lmx says:

          boas…

          “E achas mesmo que vão estar 24h/dia, 7dias/semana, 365dias/ano a escutar conversas?”

          pois essa pergunta é que não me parece normal!!! :S

          sendo que a PJ não adivinha a que oras os criminosos, etc vão estar ao telefone, ou em que dias… pois teem mesmo que ser 24h por dia…até o apanhar!!

          • António says:

            Pois, mas o que não percebeste é que eles depois de saberem quem faz merda, escutam essas pessoas, que óbviamente só utilizam esses serviços pouco tempo por dia… Ou seja, é uma boa notícia na realidade

        • obrigatorio says:

          Mas quantos raptos existem em Portugal? Anda tudo doido! Que merd* de sociedade do big brother. Se rapto vira negocio na europa isto torna-se tipo uma zona do terceiro mundo.

      • Imx, se calhar não entendes mesmo nada de comunicação virtual.

        As comunicações que fazemos via aplicações jamais passam pelo crivo das operadoras. As operadoras apenas têm acesso àquelas que são feitas com recurso aos seus servidores. As comunicações via Viber, WhatsApp, Line, InstaMessage, Skype, entre muitas outras aplicações são feitas através dos servidores dessas próprias aplicações. Há mesmo até aquelas aplicações que não registam a informação tramitada nos seus servidores. Estas desempenham apenas o ponto de ligação e encaminham apenas a informação de um lado a outro ficando apenas com registo da existência da comunicação (hora e utilizadores envolvidos) e não o seu conteúdo.

        A PJ pretende ter equipamentos que interrompam a comunicação fazendo uma cópia da mesma. Eu não acredito que isso seja fácil de acontecer mas vamos ver. Eu acredito que isso só é conseguido com a colaboração dos autores das aplicações ou por alguém que conheça o código e o que faz cada uma dessa aplicação.

        Acho que por aí está a haver muitas ações ilegais no sentido de conseguir algo que jamais deveria acontecer (escutas).

        Porque é que em Portugal não se investe em câmaras de video-vigilância nos organismos públicos? Gasta-se imenso dinheiro a escutar as pessoas e esquece-se os comportamentos que elas podem ter em locais públicos ou até mesmo na rua, entre os quais destaco: furtos e vandalismo. Isto sim é preocupante em Portugal e não tanto as situações de tráfico de droga e afins.

        • lmx says:

          boas…

          não sei como se processa legalmente…o historico dos utilizadores…mas creio que é obrigatorio guardar um x de tempo, os conteudos…

          “As comunicações que fazemos via aplicações jamais passam pelo crivo das operadoras. As operadoras apenas têm acesso àquelas que são feitas com recurso aos seus servidores.”

          Claro e foi a isso que me referi…estas ligado por 3g á tmn…e ela funciona como um transparente proxy…logo deve ter registos e dados da tua actividade…

          Mas se estiveres ligado ao sapo adsl via wifi do tm…o sapo adsl também deve ter registos da tua actividade…

          Em suma se a PJ quiser saber…basta em “broadcast” perguntar a todos(os operadores) se fulano de tal fez comunicações via determinado serviço e a que horas e muito possivelmente os dados da comunicação…isto de depois de préviamente autorizada por um tribunal…

          depois de ter a info e com um pedido devidamente autorizado pelas ordens judiciais…pode pedir as chaves de encriptação daquele serviço ao serviço utilizado nas escutas…e a seguir fazer a desencriptação dos dados e saber o que lá vai…

          A questão coloca-se nos pontos wifi publicos, escolas, etc…ai ha uma lacuna defacto…

          Mas as operadores deveriam manter um registo de toda a actividade em rede dos operadores, por questões de segurança…digamos de no minimo 3-6 meses…

          Em relação a este tipo de serviços…muito sinceramente não sei como irias escuta-los sem teres que escutar toda a gente…como fazem os sacanas dos EUA….

          Porque não existe um IP fixo associado, a cada TM…o problema é esse…qual o mecanismo que te permite na rede escutar apenas determinada conversa via viber(por exemplo???)…nada destingue…um pacote ip ou udp é a mesma coisa…os ip’s não são factor de diferenciação…sendo que a entrega de ip’s pelas operadoras é dinamica…e ainda por cima as chamadas podem ser feitas de qualquer ponto com acesso publico :S

          Se escutares toda a gente…ai sim…porque
          um socket (protocolo, host,porto, server,porto), ja é um factor de diferenciação!!

          MAs apenas diferencia o serviço…e não quem o utiliza…

          o ip destino, porto define univocamente uma ligação a determinado serviço…e ai sim ja podes identificar uma chamada a determinado serviço…mas não sabes quem a fez!!
          porque o host,porto não define univocamente um utilizador…(ip’s dinamicos…ou de acesso publico :S)

          Soluçãoes duas:

          1)ou as operadores são obrigadas a guardar todos os dados(mas mesmo aqui existe a hipotse de insucesso…), e depois cruza dados para aceder a conteudos…e tens sempre o problema dos servidores de determinado serviço…não terem um historico das comunicações guardado…

          2)Escutas toda a gente em tempo real…o que é, e deve ser ILEGAL!!
          É o que os sacanas Americanos fazem!!
          Ao fazeres isto e se isto vem a publico(imagina um julian Assange ou um snowden…versão portuguesa…)…vai dar merda…imagina-te a escutar uma conversa de um cidadão nacional para um Alemão??Vai dar MERDA da grossa!!Além de que é ilegal…

          Portugal é um País demasiado pequeno para puder sopurtar uma coisa destas!!!

          Porque escutar tudo é mesmo escutar tudo…

          Fazer isto não é dificil…basta adicionares um filtro á range de ip’s de cada operador viber, skype, etc…e cada vez que comecem a sair de Portugal pacotes com determinado ip destino e porto, grava o conteudo…e depois com as chaves dos varios serviços desencriptas e ouves…

          Ou então…ser criada em portugal uma infraestructura que sirva de transparente proxy para estas aplicações e outras…

          Exemplo…imagina os DNS servers encaminharem pacotes para este proxy, e depois saem deste proxy para o destino… :S

          a questão é que para escutar determinado utilizador…tens que escutar todos…o que é ilegal…duvido muito que um juiz passe uma autorização para isto…sabendo ele que ele próprio também vai ser escutado!!

          Porque nã consegues garantir que apenas escutas determinada pessoa…por causa da constante mudança de ip’s…

          percebes-te onde quis chegar??

          Existe uma solução…
          mas que do meu ponto de vista continua a ser promiscua!
          E faz com que portugal tenha que pagar a estes operadores por determinadas funcionalidades…

          a existir isto, preferia de longe esta ultima solução…apesar de ser promiscua na mesma…ha mas esta funcionalidade, teria que ser gerida por uma entidade séria e creditada , e a PJ apenas poderia aceder a ela com devida autorização dos tribunais…e quem não cumprisse 30 anos de prisão e uma indemnização ao estado por danos causados elevadissima!!

  6. Paulo says:

    Pra que? O bimbo da costa ja usa What’s up?

  7. NT says:

    … e aos poucos o “bigbrother” deixa de ser só na televisão e passa a ser em todo o lado, já nem na nossa casa estamos ‘seguros’ quanto a sistemas de escutas…

    Este tipo de escuta só vai obrigar que o pessoal comece a utilizar sistemas de cumunicação encriptados que, por sua vez, os torna baratos para actividades ilegais.

    2,6 Milhões???? E depois falam em crises, ALGUEM VAI TER QUE PAGAR hoje ou daqui a uns anos…

    Infelizmente (não sei se é falta de recursos e/ou pessoal) a PJ não tem mostrado muito serviço (e não vale a pena mencionar todos os grandes casos que foram ‘arquivados’…) e se este sistema funcionasse será que eles iriam apanhar o pessoal que rouba telemóveis? Sim porque é possível, através do IMEI localizar qualquer dispositivo móvel desde que o mesmo esteja ligado e se vão investir os tais 2,6 Milhões…

    Digam-me lá qual é a segurança que isto irá trazer? Será que a Europa quer agora começar outra guerra? Será que vamos andar a ‘brincar’ aos espiões mas desta vez Europa VS Estados Unidos? Bem se entrarem por aí não se equeçam dos chineses pois eles têm um grande poderio no que toca a tecnologia…

  8. JJ says:

    Se calhar ficava mais barato utilizar os serviço da NSA…

  9. Diogo says:

    Onde está a fonte?

  10. Ricardo Filipe says:

    Vão comprar um telemóvel com Android 😉

    • Artur says:

      Porquê? Android não tem estas aplicações? 🙂

      • ASC says:

        tem mas tem outas encriptadas… infelizmente a base de grande parte dos algoritmos de encriptação vêm da NSA, o que torna fácil para eles decriptarem.

        • Juidi says:

          Na realidade o que torna fácil a intercepção no Skype é o backdoor que está embutido bo programa pela Microsoft, o Viber e o WhatsApp já há muito que se sabe que a encriptação (se a usam) é tão fraquinha (mal implementada) que é só para “inglês” ver. Daí o sistema conseguir, não é dos algoritmos em si felizmente, mas da maneira como são implementados, ou do backdoor que as empresas deixam.

  11. José Narciso says:

    Vou começar a comunicar por sinais de fumo… Aposto que é a maneira mais segura de comunicar hoje em dia.

  12. Ricardo Luis says:

    Nao compreendo o escandalo.

    As escutas telefonicas sempre foram uma arma forte para o nosso sistema judicial, desde que devidamente aprovadas e sancionadas. É necessario actualizar a jurisdição aos novos meios de comunicaçao.

    • Vasco says:

      Concordo plenamente.

      Desde que utilizadas para apanhar criminosos, acho que este genero de ferramentas deve ser utilizada.

      • DAB says:

        pois é, pode ser que encontrem a Maddie ou o Rui Pedro. As escutas é so para o que interessa. A ver se eles apanham algum assassino ou alguma pessoa raptada, isso é que era bom. Alíás, basta ver o director do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que está metido em esquemas de corrupção, assim como os PJ’s que usavam as escutas para roubar traficantes. Isso para mim diz tudo

    • João Reis says:

      Obviamente, não entendo. Quer dizer a PJ iria ficar a ver navios só porque qualquer comum criminoso combinasse as coisas usando estas APPS.

      Acho até que já deveriam estar a usar este sistema. Quem não deve não teme.

      Já a vertente NSA é diferente o caso, pois já começavam/estão com tentáculos passiveis de serem considerado Espionagem Industrial.

      De repente escutam qualquer país e qualquer empresa, ninguém sabe quem pode ou não usar os dados. Como o Snowden podem existir outros mal intencionados a trabalhar na NSA e a vender esses segredos ao mercado do EUA.

      São realidades diferentes.

      • Juidi says:

        A minha privacidade vale mais, mas isso é a minha opinião… essa do não deve não teme, é muito bonito, mas se andarem a tentar tramar-te não vais achar muita piada quando descobrires que andaram a ouvir para onde ias e tal para andarem a plantar provas, e arranjarem maneiras de encriminarem… afinal de contas são humanos… não são máquinas perfeitas.

    • Nelson says:

      Cá está, enquanto for só co mandato devidamente justificado, quem não deve, não teme…

  13. Nuno says:

    Os telemoveis android à muito que têm support da rede TOR. usem-na.

    • NT says:

      Infelizmente já foi possível ‘apanhar’ pessoal da rede tor, embora seja mais seguro não é 100% seguro, acho é que deveriam investir em pessoal para andar atrás dos criminosos e não andar a espiar tudo e todos só porque lhes apetece e sem se preocupar com a privacidade.
      Nestes últimos anos temos sacrificado a nossa privacidade em busca de algo que se parece com segurança mas se calhar o pessoal que não sabe o que era viver, em Portugal, antes do 25 de Abril e não sabe a importância disso bem como a liberdade de expressão, direito à privacidade e liberdade de impressa.

      Estamos a voltar a regimes onde se dá o ‘voto’ ao povo mas que afinal o ‘povo’ nada decide a não ser quem vai fazer o que os “GRANDES” querem. Como nos dizem que temos segurança, abdicamos de tudo o resto, agora vejam quantos é que morreram devido a ataques terroristas/atividades criminosas e comparem isso ao pessoal que está a morrer porque lhes é negada comida/água e continuamos a enviar “ajuda humanitária” em vez de deixar vários povos arranjar os seus meios de subsistência e se formos a ver isso acontece com países com muitos recursos (petróleo, ouro etc.). Já agora tantas pessoas que morrem devido a doenças e não vejo nada a ser investido (tipo 2.6 milhões até que davam jeito) para serem investigadas CURAS e não tratamentos, para as doenças e que essas curas sejam livres das industrias farmacêuticas e que sejam acessíveis a qualquer um.

      • lmx says:

        “Nestes últimos anos temos sacrificado a nossa privacidade em busca de algo que se parece com segurança mas se calhar o pessoal que não sabe o que era viver, em Portugal, antes do 25 de Abril e não sabe a importância disso bem como a liberdade de expressão, direito à privacidade e liberdade de impressa.”

        exactamente…

        aquilo que muita gente que se dizia seria, e que apregoava contra as politicas mal empregues naquilo que mais proximo tivemos de um comunismo…antes do 25 de abril…parece agora querer voltar atrás… e implementar essas mesmas politicas…

        a represão sobre os povos é uma coisa que deve ser negada até as ultimas consequencias..

        Os menanismos de purga que existiam nos comunismos e que tinham tendencia a descambar…parecem começar a se parecer muito com os que actualmente querem implementar…afinal quem defendia noutros tempos essa sociedade que a gente matou aludidos a isso por meia duzia de individuos…é a que querem implementar nos dias de hoje…e afinal quem cometia esses crimes…não perecem ser pessoas tão más…sendo que queremos copiar esses mecanismos…

        A democracia acabou!!

  14. Jonny says:

    Isto é uma violação de privacidade.. Enfim, vou imigrar para outros serviços.. É uma autentica violação de privacidade.. Os Smartphones tudo bem agora skype? Já não é muito..?

    Bye Skype 🙂

    • Rui says:

      Quando algum dia violarem a tua privacidade e os teus bens depois não te queixes 😀

      • Pedro says:

        +1000. É com cada comentário. Como é possível que se ache que a PJ adquiriu este tipo de ferramenta para andar a ver os almoços e jantar que os amigos combinam pelo Skype, ou vai andar a ver as conversas picantes que alguém tem com o seu/sua amante ou mulher/namorada(o).. enfim…é que se alguém quiser fazer isso já consegue a policia apenas vai ficar dotada dos meios Legais para o fazer…

        • Francisco Castro says:

          Exacto, Pedro.
          O pessoal gosta é de reclamar e ser do contra.

          Se estão mal, é simples, deixem de usar smartphones, telemóveis, GPS, pc’s, etc

          Enfim…

        • lmx says:

          caro Pedro…

          sabes nos estados unidos existe isto…pois é!!

          E existem muitos casos de maridos que espiam as mulheres, de segredos de empresas sobre negócios que são vendidos a outras, etc…

          ha pois é não te esqueças que por detrás deste sistema estão pessoas passiveis de serem cossumpidas…e quando tens tudo a mão de semear…a ocasião faz o ladrão…ja houviste falar??

          Se ainda não tivessemos exemplos dos abusos que existem, mas nós temos e muitos!!
          Não ha desculpa para isso…

          cmps

    • Glink says:

      dude a NSA pode espiar-te no Skype, mas a PJ já não? sê coerente pah 😛

      • lmx says:

        não é porque a NSA o faz que tu também vais fazer…

        Os crimes não se tornam legais so porque alguém já anda prai a praticalos…onde raio ouviste isso??

    • ASC says:

      acho engraçado dizeres bye skype agora… TODAS as conversas por skype (visto os servidores serem americanos, as grandes empresas americanas são todas verificadas… e sabe-se que a microsoft tinha leaks no processo entre servidores… mas já se sabe que eles até actuam fora da america) já eram espiadas pela NSA à bastante tempo….

  15. Diogo says:

    Realmente, bora gastar mais uns milhões para espiar o povo.

    Eles que peçam a NSA, ja que trabalha tanto para proteger de atentados…já chegam de bodes expiatórios, qualquer dia nem posso ir ao site do continente encomendar os preservas que aparece logo no sistema deles que ando a trair a mulher com a vizinha -_-

  16. anonimo says:

    A PJ há muitos anos que dispõe das ferramentas necessárias para combater o crime através de escutas.

    todos os estados membro da união Europeia aderiram à directiva 2006/24/EC que obriga os ISPs de cada um dos países a dotarem-se de sistemas de retenção de dados.

    em teoria, estes sistemas permitem a transcrição de audio para texto das conversações e o registo de “todo” o trafego que passa pelo ISP. coloquei todo entre “” porque o trafego VPN não é registado por estes sistemas. após a retenção desses dados, é possivel efectuar uma busca por palavras chave nos dados retidos e desencadear acções com base nos resultados. por exemplo, podemos fazer uma pesquisa pela palavra “bomba” e filtrar as conversas (sejam elas de que natureza forem) para obtermos as conversações onde esse termo foi utilizado.

    todos os ISP utilizam sistemas de retenção de dados, sendo que o mais comum é o DRAGON da HP. existem, contudo, ISPs que utilizam sistemas “big brother” de desenvolvimento interno.

    o grande entrave à entrada em pratica destes sistemas é a CNPD e a propria legislação portuguesa que não permite que os dados sejam acedidos por um inspector da PJ sem deliberação de um juiz.

    a minha opinião é que devemos abdicar um pouco da nossa privacidade se isso permitir a captura de pedófilos, terroristas, enfim, criminosos no geral. não era bom que as mensagens de phishing fossem capturadas antes de chegarem às vitimas? não era bom sabermos o historico de sms quando uma criança está a ser vitima de bulling ou enquanto tentava aliciar uma criança num chat?

    por ultimo, se estes sistemas que agora se falam para a PJ trouxerem uma componente de autonomia para a propria PJ, tudo bem, sera considerado um salto em frente. se mantiverem uma legislação obsoleta que não permite o acesso em tempo real aos dados retidos, ora bolas, mais dinheiro deitado fora.

    não respondam logo a este comentário, primeiro pensem durante um bom bocado no verdadeiro significado da palavra privacidade no mundo actual.

    • Rui says:

      Nem precisei de 5 segundos para concordar!

    • Tiago Santos says:

      Concordo com o teu ponto de vista 🙂 mas . . .

      Temos a certeza que apenas usam os nossos dados para deter criminosos, até que ponto não podem usar os nossos dados para fins pessoais / danosos para os autores sem que tenham violado a lei. Se os dados ficam no sistema qualquer pessoa mal intencionada pode fazer uso deles e as maneiras de o fazer são infinitas. Mais… Onde e como vão ser armazenados esses dados, todos sabemos que na realidade atual todas as instituições estão sujeitas a ataques.

      Por fim termino com a dica, não tenho nada a esconder, mas se puder escolher entre ter ou não ter tudo registado, prefiro não ter.

      Cumps,
      Tiago Santos

      • anonimo says:

        Tiago, o teu raciocinio está correcto mas….

        1. os agentes da autoridade têm fé publica.
        2. o relacionamento entre o estado e os cidadãos rege-se pelo principio da confiança.

        são pilares da constituição…ao adquirirmos a cidadania Portuguesa fomos obrigados a aceitar! “ah e tal mas eu não assinei nada!” pois não, principio da confiança….

        por cada solução que eu dê para o problema que levantaste, vai haver alguém a encontrar uma falha. por exemplo, eu digo que deve ser incumbido ao PGR a autoridade para conceder o acesso rapido a esses dados, a garantia da destruição dos mesmos no final do processo e a obrigatoriedade do segredo de justiça, mas tu podes alegar desconfiança no PGR…

      • Woot! says:

        Isso é a mesma coisa que os Bancos. Uma colega tua que trabalhe numa agência bancária onde tens conta tem acesso aos teus depósitos, ordenados, tudo. Essa tua colega também pode fazer uso dessas informações e as maneiras de o fazer também podem ser infinitas.

        Estás cheio de exemplos parecidos em todos os serviços que possuis.

        • António says:

          Por isso é que tem que ser ilegal. Senão a tua colega pode andar livremente a vender os teus dados a quem lhe apetecer, a cuscar a tua vida e até a usar isso contra ti sem que te possas proteger de qualquer forma.

          Tem que haver alguma privacidade em comunicações e dados que não são explicitamente públicos! Sejam conversas de whatsapp seja outra coisa qualquer.

          Para apanhar pedófilos e terroristas não se pode deitar ao lixo todas as regras. Não se justifica e no final acabamos por ter uma sociedade menos segura:

    • luis santos says:

      aqueles que abdicam da liberdade para ter segurança não merecem liberdade nem segurança.

      a tua opinião é de alguém que não tem a noção do que diz. obviamente, estes meios só devem ser usados mediante ordem de juiz, bem fundamentada.
      o que tu defendes é que façamos o mesmo que se faz nos EUA, a NSA espia toda a gente e as pessoas são perseguidas por terem opiniões diferentes. (com a TSA e outras). basta ver os casos q têm vindo a publico.
      era bem feita que os imbecis q concordam ctg sofressem isso na pele.

      • anonimo says:

        Luis, a NSA espia individuos e entidades, os sistemas de retenção de dados filtram palavras chave previamente definidas.

        o que quero dizer com isto? quero dizer que o comportamento da NSA está errado pois é uma devassa da privacidade no sentido em que todas as conversações são escutadas e interpretadas. no caso dos sistemas de retenção de dados, vai-se à procura de palavras-chave e só essas conversas são marcadas para analise.

        dou-te um exemplo concreto. um dos ataques lançados aos clientes da CGD através do home banking, consistia num malware instalado no telemovel que colocava esse aparelho num estado Zombie. apartir do momento em que era enviado um sms para esse dispositivo com o termo “system activate” (o comando ao certo não me lembro) o aparelho entrava em modo vigilante e redirecionava todos os SMS recebidos e enviados para um determinado site. esses SMS incluiam o PIN de canal da CGD. Imagina que que se corria uma query no sistema de retenção de dados à procura de SMS que contenham as palvras “system activate”, palavras essas que não são normais numa conversação entre duas pessoas. o resultado dessa query poderia proporcionar uma forma proactiva de a PJ informar a vitima que esta esta a ser vitima de fraude.

        gostei da tua primeira frase, tens razão no teu comentário e reformulo a minha opinião no sentido em que apenas um juiz pode ajuizar. Os agentes da autoridade aplicam a lei, não podem fazer interpretações da lei. isso cabe a um Juiz.

        P.s – Não chames imbecis aos outros. Não há necessidade disso. os comentários nos forum são apenas texto, não espelham as emoções de quem escreve e de certeza que se esta conversa ocorresse num café ia dar origem a um brainstorming muito empolgante por causa, precisamente, da diferentes opiniões.

        abraço

      • neopunk says:

        Caro Luís Santos,

        Com todo o respeito mas existem 2 problemas com a sua quote do Benjamin Franklin, 1º porque Liberdade e Privacidade são 2 coisas diferentes, nem entendo onde é que a Liberdade entra aqui no tema, 2º porque Benjamin Franklin viveu no século XVIII e o desajustamento dos efeitos da Internet na sociedade são Gigantes.

        Se o Luís conhecesse melhor os desafios inerentes à investigação criminal nos dias de hoje, iria perceber que as forças da Lei travam uma luta desigual, quer seja pela falta de meios, como pelos desafios que a cifra das comunicações lhes trazem, como pelas CNPD’s deste mundo fora que não entendem que o sentido prático de certos valores e ideais inibem a defesa de 2 pilares fundamentais da sociedade “segurança” + “justiça”.

        Tal como foi dito, o principio da confiança com o Estado deve ser preservado, não vivemos na republica das Bananas!

        • António says:

          A privacidade também deve ser respeitada, é um direito humano tão fundamental como a segurança, e não é nenhum entrave. Claro que para as forças de segurança o ideal era vivermos num ambiente tipo 1984 ou Admirável mundo novo só que esse ambiente de subjugação dos interesses individuais não é saudável! Só porque torna o trabalho dos inspectores mais fácil não quer dizer que seja. Mais vale andar 1 pedófilo à solta do que milhões de pessoas subjugadas sem haver razão para isso. Para alem de que se as forças de autoridade tiverem um poder muito unilateral sobre a sociedade há um potencial gigante de abuso. Basta ver por exemplo as censuras de informação na China, a perseguição a activistas, etc.. Para mim não é esta evolução da sociedade que queremos.

          • neopunk says:

            A Privacidade, Segurança e Justiça representam direitos fundamentais, contudo como já todos percebemos por vezes entram em conflito e como tal, é essencial garantir o principal direito, a “Vida humana”.

            Podemos vir para aqui com um espírito ativista a bajular os “Edward Snowden’s” desta terra, recriminar as agências de inteligência e forças de segurança, mas a realidade é que é por via da investigação que se tentam evitar atentados similares ao 9/11, Madrid, etc, se combate a pedofilia, tráfico de droga e de seres humanos, lavagem de dinheiro, corrupção, etc, este tipo de crimes nas mais diferentes formas são atentados à vida humana.

            Para que me serve uma espécie de totalitarismo de direito à privacidade se os diferentes agentes governativos, económicos, legais e de segurança não me puderem garantir a minha condição de direito à vida?

            Perante a lápide ou miséria e tristeza no rosto de crianças e demais desfavorecidos pelos abusos do crime, a retórica da privacidade não vale a ponta de corno.

          • neopunk says:

            Outro aspeto que devo mencionar em relação ao seu comentário, preferir que um pedófilo ande à solta do que as entidades em que devemos confiar por defeito possam fazer o seu trabalho, é realmente algo surpreendente e que me choca bastante.

            Por outro lado está a misturar a censura com privacidade, China, Coreia do Norte, Venezuela e outros estados bem conhecidos pelo regime de ditadura não são bons exemplos e de forma alguma são aceites na sociedade moderna das principais regiões, nomeadamente UE, USA, etc.

    • pedro says:

      É pá, isso é bom pois se traduzir áudio para texto tão bem como Google tradutor, vão perder meses só para conseguir perceber em que língua está aquilo falado..

  17. Gil says:

    Eu tinha a ideia que o tráfego do skype era cifrado…

    • luis santos says:

      e é. e p2p. mas qd a microsoft o comprou, ficou com as chaves de cifragem e montou uma rede de servidores para capturar os dados, decifrar e entregar às autoridades americanas. é possivel q, agora, vendam esse serviço à PJ.
      se for com mandato, ainda se aceita. mas se for à vontade do freguês, como alguns aqui defendem, estão a abrir um precedente perigoso e quem decidiu isso deve ser demitido imediatamente.

  18. Filipe YaBa Polido says:

    Força nisso… não uso nenhum dos 3 🙂 LOL
    – Skype por ser MS.
    – Viber porque apenas 0.1% dos meus contactos usa.
    – Whatsapp pq requer demasiadas permissões no Android.
    Continuo a achar que é mal empregue, por cada serviço que conseguem escutar, surgem mais 10 alternativas.
    Como alguém disse: quem não deve não teme.

    • António says:

      Que não deve não teme, então concordas em viver com câmaras de video-vigilância atrás de ti 24/7, todos os dias ser feita uma revisão dos teus actos e ser armazenado um arquivo das tuas acções para revisão futura, acessível por qualquer pessoa claro, afinal de contas não deves nada a ninguém.

      • Filipe YaBa Polido says:

        Se isso ajudar a impedir que seja assaltado no meio da rua força.
        Se ajudar a identificar criminosos, força.
        Se for só para gastar dinheiro e ser mal implementado… mais vale estarem quietos.
        Neste caso recente, do miudo desaparecido na Madeira, diz lá que não era melhor existirem um par de câmeras na rua e ver o que se passou na realidade?!?!
        Pois…

        • lmx says:

          pois concordo…

          mas agora imagina alguém com a sua “maria” em que o ambiente aquece, e teem que se por ao fresco 😀 …

          ja imaginas-te a falta de privacidade e as desculpas que vão surgir por parte de quem espia??

          Eu ja vi muitos videos irem parar a net de muita gente em locais publicos e supostamente ninguém deveria aceder aos mesmos, apenas em caso de necessidade…mas eles saltam de la para jornais, revistas, etc…

          Poderia ser bom, mas poderia ser muito mau também…pesando os prós e os contras…não sei mesmo…uma sociedade ter que sofrer porque meia duzia cometem crimes…é estar a favorecer o criminoso e a criminalizar o inocente…mas já nem sei, o assunto é delicado.

          cmps

  19. fábio eliseu says:

    nao entendo que “sistema” sera este sendo as ligacoes encriptadas, ou sao as próprias empresas a venderem os seus backdoors?

  20. navyseal says:

    A ver se esclareço algumas mentes:

    NSA – instituição federal americana, secreta, com intuito de obter informações sobre ameaças que afectem os EUA, ao longo dos anos evoluiu de forma a obter outros dados que possam colocar o país em vantagem.

    PJ – policia de investigação criminal, devidamente enquadrada na legislação portuguesa, responde perante o Ministério Público e Ministério da Justiça. O seu raio de acção está definido por lei e as intromissões na vida privada requerem autorização de magistrados.

    Perceberam a diferença?

    A PJ investiga crimes, a NSA supostamente deveria tentar evitar ataques aos EUA. Portanto estar a comparar uma com outra não faz qualquer sentido.

    Porque quer a PJ ter um sistema melhor? É simples, é verdade que há uns anos comprou um sistema de escutas israelita de topo, mas como tudo na vida as coisas evoluiram, na altura só havia telemóveis e telefones, agora há sistemas de voip para os quais a PJ já vai tarde. É normal que se façam então investimentos de forma a que cubram lacunas do processo de investigação.
    Diga-se ainda que no que toca ao combate cibercrime não há grande investimento na matéria, saindo ainda muita gente impune, a PJ até queria investimento na área, mas o $ não estica para implementação de recursos humanos e tecnológicos.

    Eu não temo a PJ pois não ando a cometer delitos informáticos, mas temo o que a NSA sabe sobre mim, como usa os meus dados e qual a possibilidade de um agente americano poder usar a minha identidade numa missão num qualquer país. Preocupa-me estar a realizar um trabalho cientifico ou um acordo potencial que pode gerar milhões e uma empresa americana subitamente superar-me com informações priveligiadas… isto é algo que todos nos devemos preocupar!

    • Diogo says:

      Percebo que vou ter de usar caracteres unicode no meu nome –‘

    • António says:

      Eu temo qualquer gang de funcionários públicos com autoridade! Sejam Portugueses ou sejam Americanos, devem ser regulados e controlados para fazerem apenas o estritamente necessário ao seu trabalho e para o bem da sociedade e nada mais.

  21. João says:

    era muito melhor esse dinheiro, que foi roubado aos velhos fosse dado para as crianças que passam fome poderem comer, não vão comprar sistemas para espiarem o cidadão num pais que tem a menor criminalidade da Europa e mais, estes sistemas na realidade são usados sem qualquer especie de control.

    • lmx says:

      agora disses-te tudo…e olha ainda pior…

      No pais mais pobre da Europa…os deputados e mesbros do POTE, andam em grandes carros pagos por nós e teem grandes salarios motoristas e tudo mais…

      Mas em contrapartida vão tirar dinheiro das reformas dos velhinhos com a pseudo-desculpa que precisam de dinheiro!!

      Se precisassem mesmo, os carros e motoristas seriam dispensados(eu vou trabalhar no meu carro), e as pensões de sobrevivencia de mais de 1000 euros seriam dispensadas(existem pensões de sobrevivencia de mais de 25 mil euros…que vergonha este pais…chamarem-lhe pensões de sobrevivencia)…

      é tudo a roubar…ninguém tem vergonha…

      a culpa é nossa que não impomos respeito!!

  22. neopunk says:

    A prática de crimes com recurso a meios informáticos, de acordo com um perfil organizado toma em consideração eventuais escutas, aliás, por norma os criminosos nem se dão ao trabalho de recorrer a métodos muito sofisticados, quando falam por telefone recorrem a linguagem de código que anula qualquer valor de prova em tribunal.

    A CiberSegurança é uma espécie de corrida sem vencedores nem vencidos, com uma dinâmica constante de evolução na mitigação e novas ameaças.

    Aquilo que eventualmente quaisquer sistemas possam permitir em escuta de VoIP ou serviços de comunicação online, podem sofrer um reverso tremendo com aquilo que está a ser preparado no BlackPhone (https://www.blackphone.ch/) com cifra a todos os níveis.

    Infelizmente as boas intenções do Edward Snowden despertaram a atenção de todas as organizações criminosas, anularam investigações e comprometeram imensas operações, não apenas por parte dos EU, mas sim de todas as agências mundiais de inteligência, forças de segurança, etc.
    A cifra tornou-se uma exigência em quase todos os vetores de ligação online e isso torna as operações de vigilância um verdadeiro pesadelo, abrindo assim uma espécie de autoestrada para a prática do crime.

    A vigilância devia ser regulada Internacionalmente, com um tratado de não agressão (espionagem) entre estados e onde de forma deliberada se definem as regras e medidas de Cibersegurança que salvaguardem a segurança dos cidadãos, promovam a partilha de informação entre estados e agilizem os processos Judiciais.

    A privacidade é fundamental, nos termos em que permita garantir a nossa segurança e não iniba as ações da Justiça.

    • António says:

      A privacidade é fundamental e claro que não deve inibir as acções da justiça, no entanto a violação da mesma não deve ser algo considerado de forma leviana! Tem que ser um processo regulado, controlado e auditado.

    • navyseal says:

      Onde estão as provas que indicam que colocou em causa as investigações? É o mesmo que dizer que graças a esses meios se impediu muitos atentados… onde estão as provas? Ninguém pode simplesmente acreditar nas palavras dessas instituições nomeadamente americanas e depois vir a saber o que se sabe… é preciso é ver provas irrefutáveis, e não fabricadas (invasão do Iraque).
      Blackphone é treta, vale o mesmo que qualquer outro telemóvel, basta ser interceptado e puff vai tudo ao ar. Porque não telefones por satélite? São os mais usados tanto por criminosos a sério como por agentes secretos.

      • neopunk says:

        Por razões óbvias de confidencialidade e para não comprometer operações, raramente são revelados os dados sobre as práticas de intelligence e remote digital forensics.

        Fica aqui um artigo que aborda os 54 ataques terroristas que foram evitados com recurso aos programas de vigilância:

        http://www.propublica.org/documents/item/802262-us-13-alexander-keynote.html#document/p14

        Estou ansioso pela resposta do género: “preferia que XYZ civis tivessem morrido do que ter a NSA a colher metadados”.

        Aquilo que eu considero que tenha falhado por parte das agências de informação (especialmente as que fazem parte do G20…) foi a falta de informação à população, era preciso explicar porque motivo é necessário recolher metadados, realizar escutas, etc, garantir a existência de mecanismos de controle internos e independentes às agências que acedem a tal informação e mostrar indicadores (nem que sejam estatísticas) do número de potencial # de vidas salvas, impacto económico da lavagem de dinheiro, corrupção, etc, # de crianças salvas de pedófilos e outras pessoas salvas no tráfico de seres humanos, etc.

        Não importa o detalhe de como o fizeram, se foi com recurso a método XYZ, mas sim os indicadores do impacto positivo que isso teve na sociedade.

  23. Bruno says:

    só consigo pensar no que o pinto da costa está a sofrer com esta noticia!!! Pobre coitado arruinaram a vida de uma pessoa assim sem mais nem menos.. Penso eu de que!!!

  24. Joao Barroso says:

    Boas, já ouviram falar da aplicação de mensagens instantaneas chamada Threema? Alguem usa?

  25. billyboy says:

    as pessoas não percebem que caíram na maior teia de todas, que são as redes sociais, não só, varias aplicações do windows vem com os termos, e nos nem ligamos.

    Esta aplicação tem permissão para utilizar

    Armazenamento amovível, incluindo adicionar, alterar ou eliminar ficheiros numa unidade de disco rígido externa, pen USB ou dispositivo portátil

    A sua biblioteca de imagens, incluindo adicionar, alterar ou eliminar ficheiros

    A sua câmara Web, incluindo tirar fotografias e gravar vídeos

    O seu microfone, incluindo gravar áudio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.