Quantcast
PplWare Mobile

Opera processa ex-empregado que foi trabalhar para a Mozilla

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. wishmaster says:

    É muito bem feito, sim senhor…Este senhor nunca deve ter ouvido falar de Pacto de Não Concorrência….a que quase de certeza está obrigado por força do contrato que assinou com a empresa do Opera.

    • pnunes says:

      O Pacto de Não concorrência, pelo menos em Portugal, e para ser legal, obriga ao pagamento de uma compensação ao trabalhador durante o período de limitação da sua actividade. Não sei se terá sido o caso, mas duvido…

      • Vitor says:

        “Pacto da não concorrência”…penso que não é aplicável a funcionários individuais,mas sim às relações empresariais.Mas conheço a “clausula de confidencialidade”(eu estou sujeito a ela)que existe nos contratos de trabalho para algumas funções/profissões.E aí diz(preto no branco!) que não posso “transportar” para empresas concorrentes qualquer técnica ou trabalho que efetuei enquanto era pago pela empresa onde o desenvolvi.

    • vwr says:

      Wishmaster: leste o contracto de consultor do T.H./Opera? és conhecedor da Lei Norueguesa, para julgares dessa forma? ou és mais um dos “iluminados” que cada vez que houve uma opinião muda de “razão”?!
      Antes de julgares, deverias te informar sobre o que contempla o contracto, e se ter ideias não patenteadas pela empresa o impediria de as realizar mais tarde…
      Enfim, mais um a opinar sem conhecimento de causa .. “Viva a liberdade de imprensa!”

  2. Alucard says:

    Honestamente, gosto muito do Opera, mas acho que deviam abrir o código como forma de estimular o interesse de mais programadores para o browser. Tanto secretismo até a data, apenas fez do Opera um navegador para um nicho de utilizadores.
    Esta notícia, contudo, demonstra que mais depressa as galinhas ganham dentes, do que o Opera seja open-sourced.

  3. Vítor I says:

    Além de processar os ex-empregados contratem bons advogados, “arranjem” umas violações de patentes e ponham em tribunal umas quantas empresas.
    Desde que se deitaram na cama com o Google é a única saída que vejo, caso contrário teremos brevemente O Fantasma do Opera.

    (Comentário escrito por um “fanboy” do Opera.)

  4. José Leite says:

    Eu já nem comento nada sobre o Opera,desde que se soube que iria abandonar o Presto e aliar-se à Google,e seguir o novo motor,o Blink.Fiquei super admirado.Off topic:mais dois browsers,baseados no Chromium que descobri na Web.Um deles é o Beamrise:http://www.beamrise.com/ ,o outro é o Perk:http://www.perk.com/ .O Beamrise é o típico browser do “social”,enquanto que com o Perk se pode ganhar pontos para utlizar em certos sítios da Internet.Gostava de saber o que vocês pensam sobre eles.Se possível,nem que os desinstalem depois digam-me o que acham deles,ok?Um abraço.

  5. m4x says:

    lol, como se a mozilla precisa-se de saber alguma coisa “secreta” do opera….

    Opera nem concorrência é, por amor de deus…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.