PplWare Mobile

O meu smartphone pode ficar a carregar durante toda a noite?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. José Coelho says:

    Muito bom!
    Obrigado

  2. WPMM says:

    Boa. Este tema das baterias é como diz o artigo, há muitas ideias e mitos de como estender a longevidade delas.

    • JM says:

      Como é que sabemos se este texto não são apenas mais mitos a juntar aos que já se sabe?

    • mc says:

      Se reparares bem nos números e dividires os ciclos de carga pelo número de recargas parciais que tens de fazer, vais ver que a diferença para uma carga total não é muita e até pode bem estar dentro duma razoável margem de erro.

  3. Bruno Marques says:

    E esses carregamentos parciais devem ser feitos com os aparelhos ligados ou desligados?

    • Não Não says:

      É igual, quando pões o telemóvel a carregar, ele desliga-se da bateria, e vai buscar o “sumo” ao carregador, ao mesmo tempo que a bateria é carregada.

    • Echo says:

      Bruno: É indiferente.

      Já alguns anos vi um artigo muito parecido na Wired acerca dos carregamentos parciais. A partir desse momento apliquei estas práticas e o resultado não podia ser melhor. Tenho um Macbook Air e ao final de 1050 e tal ciclos a minha bateria está muito boa, noto alguma perda de autonomia mas nada significativo

      • bzzzz says:

        Pois… Os carregamentos ‘completos’ que faço há anos convencem-me que os mitos continuam. Sejam eles emitidos por fidedignos articulistas deste antro, quer pela experiência adquirida de gente que trata bem das baterias.
        De resto, é de realçar apenas que a probabilidade de uma bateria sucumbir precocemente é a temperatura elevada que se desenvolve com um carregamento longo… Mas, como nós que aqui andamos somos todos uns barras a Física, também sabemos procedimentos para que isso não aconteça…

  4. José Moreira says:

    Parabnéns, Pllware. Obrigado. Tinha a ideia, que verifici, agora, estar errada, de que os smartphones, devbiam receber sempre a carga completa.
    Vou rever a minha conduta.

  5. Rogério says:

    Tenho um S3 desde a altura em que saiu e carrego a bateria sempre até aos 100%. Tenho a dizer que não noto em nada alguma perda de eficiência da mesma. Por isso essa coisa de não carreguem até aos 100% para mim não serve. Mas façam como quiserem.

    • luCAnnavaro says:

      Acho que deves voltar a ler o artigo com mais atenção…

    • José Cunha says:

      Lê primeiro os artigos com muita atenção antes de dizeres algo que te faça fazer figuras diante de gente

    • Rui says:

      No artigo refere que não devemos carregar dos 0% aos 100%, porque diminui em muito a longevidade da bateria.

      Mas já podes e deves carregar o telemóvel quando a bateria estiver pelos 50%, até atingir os 100%.

      É isto que diz o artigo, evitarmos que ande muitas vezes a baixo dos 50% e em caso algum deixar chegar a 0%!

      • Ana says:

        Tens de ler melhor. A artigo claramente diz que se deve ter a bateria entre os 50 e os 80.. logo um carregamento até aos 100% é de evitar.

        • Ricardo says:

          A Ana é que tem de ler melhor. O artigo é bastante claro. Os 50% e 80% diz respeito ao nivel de bateria que deveremos manter no telemovel após o uso. Ou seja, se estiver acima de 80% não vale a pena carregar, se estiver entre os 50 e os 80 vale a pena carregar. O artigo refere que não de deve deixar ir a 0.

          • Aníbal says:

            Há já percebi tudo!!
            A malta anda toda chateada com a vida e aproveita para insultar os outros aqui!!
            Os comentários são mil vezes melhores que o artigo que anda com carga para aqui e para ali. Agora os comentários insultuosos estão de mais!!
            Obrigado a todos!
            Façam amor, um grande bem ajam para todos
            Abraços e beijinhos
            Aníbal

        • Rui says:

          Lê o artigo novamente, o que refere é que devemos evitar que chegue a 0% e depois carreguemos a 100% (100 – 0 = 100% de carga).

          Diz o texto: “Não deixem que a bateria descarregue na totalidade, até aos 0%. E não façam carregamentos completos de 0% a 100%.” Isto não quer dizer que a bateria não pode chegar a 100%. Quer dizer é que não devemos passar do 0% para 100%, mas em lado nenhum diz que devemos desligar a ficha antes de chegar aos 100%, até porque no artigo refere o seguinte: “deixar o smartphone a carregar durante a noite não é problema até porque ele é “muito esperto”. Isto é, quando a bateria está carregada na totalidade o equipamento “pára” de fornecer energia para evitar sobrecarga da mesma.”

          Conclusão, carregar sempre se possível a partir de 50% de carga e evitar carregar dos 0 aos 100%. Fiz-me entender?

          • eCarv says:

            Pois Rui, achei essas duas afirmações contraditórias.

          • Ana says:

            Deves ter algum problema com a lingua lusa porque diz claramente “•Façam carregamentos parciais e mantenham a percentagem de carregamento entre os 50% e 80%.”

            Carregamento entre 50 e 80% significa que a bateria não deve ser carregada até 100%… mas se calhar a tua matematica está enferrujada.

          • Rui says:

            Ana, o Pedro Pinto está a referir-se a carregamentos de 100% (só pode ser de 0% a 100%). De preferência devemos fazer carregamentos de 50 a 80%.

            Tu é que não estás a atingir o que diz o autor. Em lado nenhum diz que não podemos chegar a 100%. Diz sim que não devemos carregar 100% de uma vez (100 – 0 = 100%). Ainda não percebeste?

          • Vítor M. says:

            Este teu comentário serve também para outros mais acima 😉

          • Rui says:

            Ana? A percentagem de carregamento refere-se evidentemente à altura em que devemos carregar (algures entre 50 e 80%). Se for a 50%, faz 0,5 ciclos de carga. Percebido desta vez?
            Continuo sem ver onde diz que não podemos deixar chegar a bateria a 100% da carga. Deve ser uma teoria nova que deves patentear!!!

          • Ana says:

            Rui, deves ter alguma deficiencia nos olhos porque não vês o que está escrito.

            Aqui vai: Façam carregamentos parciais e mantenham a percentagem de carregamento entre os 50% e 80%.

            Um carregamento parcial significa que não se carrega a bateria TODA (para ti toda é o mesmo que 100%).
            A percentagem da bateria deve estar entre os 50% e os 80% (para ti é a velha historia, carregar quando estiver abaixo de 50 e não deixar ultrapassar os 80).

            Tenta fazer um desenho que pode ser que percebas melhor…

          • Manuel says:

            este principio aplica-se a baterias de lítio incluindo as dos laptops.
            existem laptops que aconselham a configurar a bios para não carregar a bateria acima dos 80%. Em relação ao nível mais baixo existem diversas opiniões que vão até aos 20%
            A temperatura do equipamento ainda é mais importante, altas temperaturas são muito prejudiciais.

      • Ana says:

        Umas aulitas de matematica iam fazer-te milagres…. o artigo fala de duas coisas distintas mas tu deves ser morcego….

        Não se deve fazer uma carga completa porque isso é um mito. Não tem fundamento.
        Depois explicam, e bem, que a carga da bateria deve estar entre os 50 e os 80 para ter uma performance ideal. Carregar até chegar aos 100% é invencão tua e ninguem aconselha a carregar a partir dos 50% porque isso ainda está dentro do intervalo ideal. Carregar quando baixar dos 50 mas retirar antes de atingir 100…

        Agora que tens uma grande imaginacão tens porque fizeste um belo artigo alternativo na tua cabeca oca, que nada tem a ver com o que está escrito.

        • Filipe says:

          a Ana é fantástica!
          insulta todos e acha-se especialista em português, matemática e química (baterias de litio)… LOOOL
          Resumo do artigo:
          1) As baterias de lítio nunca se devem deixar descarregar por completo. carregar de 0% a 100% = 1ciclo = carga completa;
          2)Deve-se fazer cargas parciais de 50 A 80%, exemplo:
          2.1)carregar dos 50 até 100% = 0.5 ciclos = carga parcial de 50%?!?
          2.2)carregar dos 20 até 100% = 0.8 ciclos = carga parcial de 80%?!?
          2.3)carregar dos 30 até 100% = 0.7 ciclos = carga parcial de 70%?!?
          —-> OU SEJA, sempre que carregar a bateria deve ser até 100, mas se por algum motivo só carregar até 80 ou 90%, deve deixar a mesma descarregar até aos 50% ou no máximo deixar ir até aos 20%, para depois fazer UM CARREGAMENTO entre os 50% e 80%.
          “Nesse sentido, em vez de carregamentos totais, o utilizador faz carregamentos parciais”!!!!!???
          Com resumo e desenhos chegou lá????
          Utilize a sua super inteligência e pense antes de “falar” … bom dia alegria!

          • Joaquim Moreira says:

            A Ana não deve mesmo perceber Português!!!! Desligar o Carregador antes de chegar aos 100%… LOL vê lá no artigo onde está escrito isso . Os 50% a 80% é quando deves colocar o Tlm a Carregar…. não quando o deves Desligar da Ficha…. Bem se a Ana não é Portuguesa então tá explicado porque ainda não percebeu…..

        • Chefão says:

          Achas que faria sentido não carregar até aos 100%? Percentagem de carregamento é, efectivamente, a percentagem que falta para os 100%. Se tivered a 20% a tua percentagem de carregamento é de 80. Estás a cometer um erro de interpretação. Vê lá isso da melhor maneira.

        • Humberto says:

          Caramba Ana, com o devido respeito, não leias o artigo na diagonal porque sujeitas-te ao ridículo. Não me vou dar ao trabalho de re-explicar tudo os que outros comentadores tentaram sem sucesso. É que o pessoal atira-te a boiá e uma corda e tudo continuas a pedir socorro… Bom foi hilariante ler os teus comentários.

  6. MiGomes says:

    E podem aproveitar as dicas para todos os equipamentos com baterias de lítio: portáteis, máquinas de barbear, escovas de dentes, tablets…

  7. MAX says:

    E para as lipo?

  8. Não Não says:

    Eu uso o meu normalmente, durante a garantia, se a bateria ficar má, a Apple substituí de borla.

    O meu tem 13 meses e a bateria está com 90% da capacidade inicial.

    • Tavares says:

      Tendo as baterias uma garantia inferior ao “aparelho” propriamente dito…a Apple (ou outra marca qualquer!) vai-te substituir à “borla” a bateria sempre que necessitares! Valia mais teres os dedos quietos antes de teclares coisas destas…

      • Não Não says:

        Mas você tem alguma experiência com Apple ou é só vontade de dizer mal “Apple é como os outros ou pior”??????

        E a garantia das baterias é de 2 anos, não há excepção.

        Diga lá que asneiras disse, mas contrapondo com factos comprováveis…

        • Renny says:

          Por acaso a garantia para baterias é de 6 meses e não 2 anos mas isto é se a bateria for removível (bastando desencaixar a tampa traseira para aceder à bateria e a mesma também é de encaixe). Agora se a bateria for incorporada ao aparelho e só pode ser removida através de meios técnicos, o que implica o desmontar do aparelho, aí a garantia da bateria é a mesma do aparelho, 2 anos.
          Em aparelhos Apple, na maioria, as baterias são incorporadas ao aparelho, daí ” terem” 2 anos de garantia mas porque é uma garantia dada ao aparelho e não é diferente de se substituir outra peça qualquer.

      • Alves says:

        Melhor, sr. Tavares: a Apple troca o equipamento em garantia, por um novo, em caso de falha de bateria.
        Falo por experiência própria, com um iPod, a 15 dias do final da garantia de 2 anos.
        Esclarecido?

    • Nuno Gonçalves says:

      Pah tenho um iPhone3GS a quase 5 anos e a autonomia continua igual a quando comprei, logo não vais ter problemas mesmo passados anos! 🙂

    • Afonso says:

      Baterias Apple tem garantia de 1500 ciclos… ou 1 ano o que equivale a praticamente 3 ciclos completos de carga por dia…

      (utilizador Apple a mais de 10 anos)

  9. Lino Silva says:

    Parabéns Pllware.
    As informações dadas são muito uteis.

    Muito obrigado!!!!!

  10. Ricardo Santos says:

    A minha questão é, eu nunca utilizo outro carregador a não ser o próprio que veio com o telemóvel, mas costumo trocar várias vezes o cabo. Existe algum problema com isto também?

    • Não Não says:

      Podes trocar o cabo e o carregador sem problemas.

      • Hugo Cura says:

        Cuidado, não é bem assim.
        A qualidade de um cabo é o que mais compromete o carregamento. A grande maioria dos cabos chineses não consegue fazer passar a corrente em pleno, do carregador para o dispositivo.

        Devem ser utilizados sempre cabos de boa qualidade. Os que são fornecidos juntamente com os dispositivos, cumprem os requisitos. Os outros baratuchos são dá má qualidade e por isso prejudiciais.

        • Ricardo Santos says:

          Muito obrigado.
          Neste momento tenho um bq aquaris, mas uso um cabo de um Nokia 5610 xpress music, uso pelo Simples facto do cabo Nokia ter o dobro do tamanho do cabo bq e isso dá-me imenso jeito.

          Penso não haver problema algum segundo percebi pelo comentário do Sr. Hugo Coura

        • Não Não says:

          Tem razão, mas nem todos os “baratuchos” são de má qualidade, e nem todos os caros são de boa qualidade…

        • luislelis says:

          Mas normalmente todos os cabos sao chineses. Como se desting um bom chines de um mau chines?
          lol intervalo para comedia.

        • Anderson says:

          Boa noite Hugo, sabe me dizer se os carregadores e cabos da marca Nillkin são de boa qualidade? Pois penso em comprar para utilizar com o meu Lumia 930. Grato desde ja…

  11. Edgar says:

    Carrego sempre o meu iphone só depois dele acusar bateria fraca (menos de 20%), e sempre até aos 100%. Por experiência anterior, sei que se o carregar acima dos 40 ou 50% a bateria só dura 2 dias (mesmo c/ pouco uso) em vez dos habituais 6-7 dias. Sendo assim não acredito no conteúdo publicado.

    • James says:

      LOL. Tens um iPhone em que a bateria dura 6 a 7 dias!!! Rapaz o que tomaste hoje?

      • Bruno says:

        É verdade, as baterias dos iPhones duram muito. Com a minha utilização diária chego a noite com 2%, sexta a noite deixo-o carregar até 100% e se não tocar nele durante o fim de semana todo chego a segunda com cerca de 70%.
        Os iPhones consomem muito quando em utilização mas em standby duram e duram.
        Tenho um 5C

    • Luis Sa says:

      Epa, desculpa que te diga mas eu não acredito que o teu Iphone dure 6/7 dias. Pelo menos ligado!
      A não ser que não o uses! Agora se fores até a net,receberes uma chamada e trocar umas SMS eu tenho sérias dúvidas que dure esse tempo todo.
      Mas aqui já vimos de tudo!!

      Agora a sério, muito bom artigo e vai dar uma grande ajuda.
      Por exemplo ja existem portáteis que em modo ECO o utilizador apenas usa 40% da bateria( dos 40 ao 80) e dizem eles no livro que assim a bateria fica com maior tempo de vida.
      Agora e depois de conhecer este estudo tenho que dar a razão aos senhores da Samsung! Estes nos portáteis dizem isso mesmo.

    • Xico says:

      epá o teu iphone tem pilhas Duracell????? Fónix

  12. Nuno Vieira says:

    Ora nem à uma semana atrás o Vitor M. disse que para aumentarmos a longevidade da bateria dos portáteis deveríamos deixar permanentemente ligado à corrente eléctrica. Ora agora dizem que a carga não deve de exceder os 80%. Decidam-se de uma vez por todas.

    • Vítor M. says:

      Lá está, e tinha razão. Se leres o artigo vai ler que a percentagem ideal para as baterias de lítio é entre os 50% e 80%. Ora não sendo o ideal, no meu caso, mantenho desde 2011 o meu Mackbook sempre ligado à rede eléctrica, ora com isso ele está sempre a 100% ou por lá perto (de vez em quando procedo a uma calibragem da bateria). Ora se continuares a ler o artigo vais ver que… os equipamentos são “espertos” e para evitar um sobreaquecimento eles quando estão com a bateria carregada desligam o fornecimento de energia. Mas este caso, em particular, refere-se aos smartphones e às suas baterias, com especificações para estes dispositivos.

      PS: uma bateria de um smartphone é bem diferente à de um computador, quer em construção, quer em stress. São coisas diferentes, como te referi anteriormente.

      Abraço.

    • MAC says:

      “à semana atrás”! Nuno, volta já para a 1ª classe para aprenderes a escrever a tua língua. É “há uma semana”. O ‘atrás’ deixa para trás, porque todo o tempo que passou é sempre atrás.

  13. Amaro Romão says:

    Existe alguma aplicação que quando chegue a 80% da bateria não deixe carregar mais o smartphone?

    Como dizem eu sou um de muitos que deixam o smartphone a carregar toda a noite e o carregamento vai até a 100%

    E como o ideal é entre 50% e 80%, preciso de uma aplicação que corta-se o carregamento quando chega-se a 80%.

    Amaro Romão.

    • Me says:

      Amigo o que diz no arquivo é para não deixar a bateria chegar a menos de 80% por cento em descarga ou seja quando tiveres 20% de carga, eles aconselham a carregares quando a carga da tua bateria estiver entre 50% e 20% de bateria restante. Não leste o artigo com atenção o que está a baralhar um pouco. Claro que deve ser carregada até aos 100%, eu sempre carreguei o meus de noite, quer tivessem pouca bateria ou ainda tivessem bateria suficiente e papavam a noite toda em carga, fora as viagens a usar o GPS e levar com carga do isqueiro, e dito isto nunca tive problemas com autonomia nem baterias viciadas.

      • Vera says:

        Mas vocês leram o artigo ao menos??
        A carga deve ficar entre os 50 e os 80. Em lado nenhum aconselha, muito pelo contrário, a carregar até aos 100%.
        Aliás, a carga ideal para estas baterias é sempre de 80% logo deve ser esse o valor máximo de carga, sempre que possivel.

        • Não Não says:

          Mas tu leste o artigo?

          Eles dizem que não se deve deixar descarregar mais de 50%. Ou descarregar o mínimo possovel, por isso deves andar com a bateria sempre carregada.

          • Filipe says:

            Resumo do artigo:
            1) As baterias de lítio nunca se devem deixar descarregar por completo. carregar de 0% a 100% = 1ciclo = carga completa;
            2)Deve-se fazer cargas parciais de 50 A 80%, exemplo:
            2.1)carregar dos 50 até 100% = 0.5 ciclos = carga parcial de 50%?!?
            2.2)carregar dos 20 até 100% = 0.8 ciclos = carga parcial de 80%?!?
            2.3)carregar dos 30 até 100% = 0.7 ciclos = carga parcial de 70%?!?
            —-> OU SEJA, sempre que carregar a bateria deve ser até 100, mas se por algum motivo só carregar até 80 ou 90%, deve deixar a mesma descarregar até aos 50% ou no máximo deixar ir até aos 20%, para depois fazer UM CARREGAMENTO entre os 50% e 80%.
            “Nesse sentido, em vez de carregamentos totais, o utilizador faz carregamentos parciais”!

        • Teresa says:

          Me… tens problemas de compreensão em PT mas tenta um pouco e usa o google para traduzires do EN:

          http://gadgets.ndtv.com/mobiles/features/how-to-prolong-battery-life-on-your-smartphone-or-tablet-600688

          “That means charge your phone when it reaches 40 percent charge, and stop charging it when the battery reaches 80 percent”

        • Joaquim Moreira says:

          A Vera será a Ana a usar outro Nick é que não percebe PORTUGUÊS como ela…. ONDE ESTÀ ESCRITO QUE A CARGA NÂO DEVE CHEGAR AOS 100% (tirando o 0% a 100% que não tem nada a ver….).Se o Artigo até diz que podes deixara Carregara noite toda…..

      • rmcrys says:

        É o que busco também.

        No PC tenho uma app da Lenovo que mantém a carga em 40-60%, conhecem para Android? (que não precise de root sff)

    • Rebelde says:

      Mas tu leste outro artigo ou foi mesmo este? É que eles não falam para não carregares até aos 100%, mas sim para começares a carregar o quando ela está dos 50% aos 80%.

    • Oscrates says:

      Este artigo aconselha a não deixar descarregar totalmente, mas como é lógico convém carregar até aos 100%

      • José Agostinho says:

        A “Vera” parece que foi a única que leu o artigo todo e mais importante do que isso, compreendeu-o na perfeição.

        Eu tenho uma aplicação no meu computador que só carrega a bateria até aos 80%, esta já vinha instalada de fábrica.

        Cumprimentos

        JA

  14. Daniel says:

    Portanto, um temporizador com detector de carga instalado dentro de um frigorifico será o ideal!! 😛

  15. Alvaro says:

    Uma pergunta, de onde tiraram estes dados ?
    Todas as baterias tem numeros de ciclos de carga bem definidos consoante o material de que sao feitas e a qualidade, resumindo, se uma celula tem por exemplo 500 ciclos, significa que quando ligada á corrente so vai carregar 500 vezes.
    Lembrem-se que aos fabricantes só interessa que a bateria dure os 2 anos da garantia, isso de carregar a bateria quando esta a 50% e nao carregar totalmente só vai limitar o tempo de vida da bateria, vai usar os 500 ciclos de carga mais rapidamente.
    Eu sempre usei ciclos completos de carga e descarga dos meus telemoveis e nunca tive problemas com as baterias, duram uns quantos anos.
    Esta noticia parece-me encomendada pelos fabricantes para reduzir tempo de vida das baterias e aumentar as vendas das mesmas.

  16. JN says:

    Muito bem Pedro. Obrigado pelas dicas.

    E quanto aos carregadores? Dentro da mesma marca, temos carregadores que debitam mais mA (intensidade de corrente) do que outros, sendo que, os que debitam mais intensidade, carregam a bateria mais rápido.
    Há quem diga que um carregador lento prolonga mais a vida da bateria, isso é verdade se falarmos de baterias de chumbo como as dos automóveis, agora em baterias de lítio não faço ideia.
    Pergunto:
    A intensidade de corrente (mA) debitada pelo carregador exerce alguma influência na longevidade da bateria?
    Compensa a comodidade de um carregador mais rápido?
    E já agora, a utilização das PowerBank tem alguma influência sobre a longevidade da bateria?
    Agradeço o esclarecimento.

    • Pieidge says:

      Desculpa responder-te em bugalhos em vez de ser em alhos, mas talvez a minha dica te ajude. A única coisa que eu sei, é que no caso das baterias dos automóveis, por exemplo, quando a bateria do teu automóvel está fraca e ela precisa de receber carga de outro automóvel, é conveniente que a bateria do automóvel que envia a energia, para o teu carro, tenha os mesmos ampéres (A) e miliampéres por hora (mAh), que os da bateria do teu carro, isto vem no manual de instrucções do meu Renault Clio, embora o conselho não esteja bem justificado, penso que tem a ver com razões de longevidade, e até mesmo evitar curtos-circuitos ou incêndios.

  17. censo says:

    Eu tenho mais do que fazer do que estar ali a adorar o smart device à espera que atinja 80-90%. Quando carrego, carrego a 100%!

  18. Zefra says:

    Faço um descarregamento completo uma vez por mês em todos os meus aparelhos. Li algum tempo atrás que a bateria deve ser calibrada. Sobretudo usei a dica no computador e mais tarde nos smartphones.

    • Susana says:

      Isso não se aplica muito a baterias de litio.
      Estas baterias morrem mesmo quando não são utilizadas pelo que a calibragem apenas terá efeitos marginais.

      • Blueparty says:

        Existe alguma forma de recuperar um teclado bluetooth que não foi usado muito tempo, e a bateria já não aguenta carga? (só funciona quando ligado por cabo)?

  19. Patrick Pereira says:

    Excelente artigo!
    Só ressalvo para a uma coisa, e segundo Filipe Lourenço (http://batterycare.net/guia.html), deve ser efetuada uma calibração de vez em quando para a bateria reportar o nível mais preciso da mesma. Consultem este guia, pois explica tudo. Parabéns ao Pplware por fazer referência a estas questões de ambiguidade geral

  20. Rui says:

    Tenho sempre uma grande dúvida é com os actuais carregadores com saída USB. Podemos confiar em qualquer carregador com saída USB (qualquer tipo de USB) em qualquer telemóvel? Não há grande diferença de intensidade de corrente?

    • Hugo Cura says:

      A corrente é um factor que é limitado pelo gerador (o carregador) e depende, ou é requisitada, pela carga (o smartphone). Corrente a mais não faz mal (porque a carga não a pede), enquanto que corrente a menos simplesmente pode não conseguir concretizar a tarefa.
      A tensão é definida pelo gerador e limitada pela carga: para valores superiores, dependendo do valor, pode queimar a carga; para valores inferiores, pode não concretizar a tarefa e, além disso, queimar a carga, por uma hipotética “entrada em stress” do circuito em causa, por recorrer a mais corrente para compensar uma tensão inferior à esperada.

  21. Não Não says:

    Em suma: carregar todos os dias assim que se possa…

    Desde que saiu o iOS 8, tenho chegado a casa e posto o iPhone a carregar já pronto para “amanhã”…

    Uso o meu iPad e Mac para fazer/receber chamadas e SMS, tenho Wi-Fi extensido pela casa toda… Não preciso mais do iPhone…

    • LP says:

      Nem o iPad nem o Mac cabem no bolso. Não há nada mais chato que estar refestelado no sofá e precisar de me levantar para buscar alguma coisa e com o telemóvel nem sequer o crónico telecomando (que até parece que se teletransporta) preciso de buscar.
      Carrega-se ao deitar, vazia ou não e pronto… de qualquer das maneiras, nem que vá perdendo capacidade, esta não será significativa até se trocar o telemóvel.

    • Blueparty says:

      pois, assim tem que se estar sempre a carregar um bocado, diariamente, e apesar de se poder carregar até 100, o ideal era uma app que avisasse, para retirarmos do carregador (ou usar algo tipo tasker?). Isso vale a pena?

  22. Rui Costa says:

    Este artigo confirma a minha teoria. Uma boa parte dos portugueses, muitos deles licenciados são autênticos analfabetos, pois não sabem ler e muito menos escrever.

    Em relação ao artigo, obrigado, pois embora carregue o telemovel assim que se aproxima dos 50%, tinha consciência que seria errado.

  23. Sergio Bandeira says:

    Acho que só faltou mencionar porque muita gente não sabe que usar um carregador com capacidade para entregar 2 amperes como os dos tablets não provoca qualquer problema num telemóvel porque a carga é que pede a corrente que necessita.

    • rmcrys says:

      Sim mas muitos carregadores têm voltagens diferentes da original, além disso com carregadores mais potentes, se o circuito/código responsável pelo carregamento autorizar mais intensidade, como o carregador o permite a bateria carrega mais rápido e aquece mais.

      Se carregarem os telemóveis durante a noite (standby, pouco calor do SoC/RAM/Flash) com carregadores de fraca potência (ex smartwatch), a bateria vai carregar lentamente mas com qualidade, sem aquecer muito e com pouco desgaste.

  24. pedro says:

    Eu carrego o meu telefone sempre da mesma forma, dos 1/2%, ou seja quase a desligar-se, até aos 100%, em 3 anos a duração é sempre a mesma aproximadamente 26/27hr em uso regular. E carrega ligado porque mesmo que esteja desligado, ao ligar o carregador ele liga-se automaticamente.

    Mas esta é a minha experiencia. Se estou a fazer certo ou errado não sei, mas julgo que se tivesse a fazer algo mal a esta hora já não deveria funcionar da mesma forma que no inicio e a realidade é que não noto diferenças…

  25. Luis Andrade says:

    “•Usem sempre os carregadores e cabos oficiais”. Portanto se bem entendi tenho que gastar 15,00 por um carregador, que na realidade custa 1,08, isto só porque tem o logotipo da marca. Isto já para não falar nas baterias que variam 15,00 a 30,00, quando vindo da mesma fabrica, mas sem logotipo de referencia entre 2,50 a 5,00.

    • Zero Zero Sete says:

      Depois queixe-se que o carregador ardeu… “vinha da mesma fábrica, só não tinha o logotipo”…

      Ou que a bateria dura muito menos que as originais “ai diz que tem X mah na mesma”, etc…

      Só não vê quem não quer!

  26. Anderson says:

    Atualmente fico tentado a comprar um carregador e um cabo para meu lumia da marca Nillkin (pois me parecem de qualidade relativamente bons) para deixar em minha mochila junto com o meu notebook.
    Alguém saberia me informar da qualidade desses 2 componentes? Se terei algum problema ou se realmente são de boa qualidade? Grato desde já…

  27. luislelis says:

    Eu carrego sem lei nem roque, ha decadas q faco isto.
    Tenho uma simples regra. Sempre ligado a corrente quando possivel. (chegam a la estar semanas ligados)
    Seja laptops, smartphones, pilhas para os comandos, carros telecomandados, aparelhos Bluetooth etc…
    Numca tive um problema q fosse com nenhuma bateria. (ate hoje). Estou tb ciente q 5 euros normalmente resolvem qualquer problema.
    Pregicoso eu? Sim e tambem relaxado.

  28. Rui Rio says:

    TRETA!!!!!!

  29. Mestre Verde says:

    Estas dicas sobre como usar as baterias de Ion-Li ou Poli-Li dão um pouco que pensar.

    À parte de manter a bateria longe do calor e evitar descarregamentos completos não me preocuparia muito em utilizar a bateria entre os 50% e 80%.

    Esse intervalo de 30% de bateria (num tablet) daria para +/- 3h e acho que quando compramos os aparelhos ninguém considera passar a maior parte do tempo com o aparelho ligado à tomada do que com ele nas mãos.

    Assim sendo, seria mais sensato apresentarem os dados em termos de “ganho total em horas” para ciclos descarga de 100%, 50%, 25% e 10% em vez de nº de ciclos já que a informação que se pode retirar da tabela é limitada (apenas que para descargas mais pequenas temos muito mais carregamentos e logo ciclos).

    Considerando que o ciclo para 10% de descarga corresponde a 0.1 do ciclo para 100% então as contas são fáceis.

    10% teria 10x mais ciclos que 100% e assim facilmente vemos que os intervalos não variam muito:

    100%: 300-500 ciclos

    10*10%(perfaz os 100%): 375-470 ciclos

    Assim sendo, usar o aparelho entre os 100% e os 5% parece-me uma boa escolha. Evitam a descarga completa e usam o aparelho por muito mais tempo sem terem que se chatear com estas tretas.

  30. o analfabeto says:

    Tenho pena de não poder ajudar a quem não quer sêr ajudado. Sobre letras nada entendo, è verdade. Tenho porém conhecimento de tecnologia. Eletricidade de baixa tensão trato-a por tu. Faço lembrar que não sou licenciado nem preciso sê-lo.

  31. Benchmark do iPhone 6 says:

    “Não deixem que a bateria descarregue na totalidade, até aos 0%. E não façam carregamentos completos de 0% a 100%”, (vírgula) não mais do que uma vez por mês e apenas para calibrar o indicador de bateria.

    Por que é que o indicador de carga deve andar calibrado, percebe-se – para não se ficar sem bateria “inesperadamente” (não foi inesperadamente, o indicador é que indicava mais carga do que a que tinha a bateria). Quando é que é mais provável que o indicador descalibre? – quando se faz uma actualização do sistema operativo.

    P.S. O indicador de bateria andar calibrado ou descalibrado não altera em nada a duração da bateria.

  32. T16 says:

    Artigo muito bom

  33. Jose Moura says:

    Vou agradecer à pplware por este esclarecimento de dúvida sobre as Baterias, que muitos de nós temos. Uma coisa que me irrita nesta era, onde os smartphones são o pão nosso de cada dia, onde se paga mais que um salário mínimo Português em muitos desses dispositivos moveis, e no entanto, em seguimento desta progressão tecnológica que tem vindo em ascendência, as Baterias são uma dor de cabeça. Em muitos casos, usam quase como fixo devido à fraca Duração, enfim. À parte disso obrigado pela ajuda, mas não será facil pois nem sempre estou atento à percentagem da bateria ou nem sempre existe possibilidade de o carregar a qualquer hora quando necessitamos do telemóvel!

  34. Tripax says:

    Para os que estão com mais dificuldade em entender em escrita, deixo aqui um vídeo em que explica exactamente o que a Peopleware escreveu e muito bem.

    https://www.youtube.com/watch?x-yt-cl=85114404&v=EXO3Vt_Tlbg&x-yt-ts=1422579428

  35. Kitamura says:

    Posso estar errado mas comecei a pensar nestas boas práticas de carregamento e manutenção das baterias e acho que torna-se inconsequente aplicá-las. Se o meu raciocinio estiver errado corrijam-me mas…

    Imaginemos, tenho um smartphone com uma bateria que tem uma autonomia de 2 dias, seguindo as práticas de boa utilização do artigo passo a carregá-lo sempre que atinge os 50%, ou seja a sua autonomia foi de apenas 1 dia. Em vez de carregá-lo de 2 em 2 dias, passo a carregá-lo de 1 em 1 dia e mantenho a autonomia alta por mais tempo. Mas vendo por outro lado se eu continuar a deixá-lo chegar ao fim da bateria, irei carregá-lo de 2 em 2 dias.

    Ao fim de 1 ano, arredondemos para 365 dias, com o método do artigo terei carregado o smartphone 365 vezes, com o método “errado” terei carregado cerca de 240 vezes (contando as percentagens de perda de autonomia do artigo e outros fatores adversos, ou seja o pior cenário possível de degradação de uma bateria).

    Ao final de 2 anos e acreditando que o método do artigo realmente “salva” a autonomia original do equipamento terei carregado cerca de 730 vezes o smartphone. Pelo método errado e novamente calculando pelo pior cenário possível terei carregado cerca de 552 vezes.

    Ao final de 3 anos pelo método do artigo terei carregado 1095 vezes o smartphone. Pelo método errado terei carregado cerca de 936 vezes.

    Os cálculos foram feitos por alto e são apenas um pseudo-estudo que fiz com base nos poucos dados apresentados da situação. Tendo em conta que para mim e a maioria dos utilizadores não usam um smartphone por mais de 3 anos, acho que tendo em conta o “trabalho” a mais que terei com o método apresentado no artigo, será preferivel simplesmente carregar quando o smartphone me pedir. Posso estar errado, mas é só um ponto de vista, os smartphones não foram feitos para usar durante 5 ou 10 anos então não devo ser o único a pensar assim…

  36. helio c. says:

    Este artigo é Top. tkz

  37. pedro says:

    O mais engraçado é que de cada vez que procuro algo deste género, cada sítio diz para fazer a sua coisa. Chego à conclusão que o problema não deve ser do utilizador. Deve ser das baterias. Mas obrigado pelo artigo. Nunca é demais estar informado.

  38. says:

    Eu já tive alguns telemóveis com baterias de litium e já utilizei as práticas aqui descritas.

    E curiosamente os telemóveis no qual segui a prática de deixar chegar aos 0% ou quase e carregar até aos 100% com o passar dos anos a bateria apresenta um melhor estado do que utilizando as dicas aqui descritas.

    • Mario says:

      Não deixa de ser verdade o que foi publicado aqui…!
      O problema é que a grande maioria está a levar tudo à letra. Meus amigos, isto são apenas sugestões para manter uma bateria o mais “saudável” possível ao longo do seu tempo de vida.

      Podem usar a seguinte analogia se assim for mais fácil compreender:
      Se a esperança de vida da população hoje em dia está nos 80 anos (valor hipotético, não sei se está correto), tem como base certos hábitos diários, tais como alimentares, físicos, etc.
      O que não significa que um indivíduo que fume, ingira álcool e não faça exercício físico, não possa atingir esses hipotéticos 80 anos!

      No fim, é tudo uma questão de probabilidades. Se usares a tua bateria de lítio tendo como base maus hábitos, descarregamentos até 0%, ir de 0 a 100%, etc… as probablidades de ela “morrer” mais cedo serão mais elevadas, o que não significa que irá…

  39. ed says:

    Eu sempre carreguei o meu smartphone à toa mas até que nem foi mau, às vezes estou com pressa e carrego só 10 ou 15% outras vezes (quase sempre) deixo toda a noite a carregar e o que é certo é que não noto diferença nenhuma desde que o comprei, tem 3 anos

  40. José Carlos says:

    Parece me um tema com algum sentido. Obrigado.

  41. Ferreira da Silva says:

    Bastante interessante e didáctico este artigo. Parabéns pelo mesmo. Já agora, em jeito de nota de rodapé, não seria melhor “lançar por aqui” um “mini-curso” de interpretação de textos em língua portuguesa? 🙂 É que este artigo, além de estar escrito de uma forma muito simples é bastante compreensível, mas mesmo assim, existe muito boa gente que não consegue compreendê-lo. Porque será? Eu sei que este meu Portugal não tem Ministério da “Kultura” (lapso meu, é Cultura, mas penso que não será por falta disso…. 🙂

    • Alexandre Ventura says:

      Digo-te mais , é impressionante como as pessoas pensam…..é nestes pequenos detalhes que compreendo porque nós não nos conseguimos governar….incrível….conseguem fazer de um artigo no geral bem escrito, Geek como convém e deve ser nestes sites…mas o pessoal ainda consegue tornar isto mais absurdo e obcecado….
      epá tirem o essencial do artigo e não façam equações com logaritmos para tentar descobrir como o vosso telemóvel vai durar 10 anos com a bateria impecável….

      ciência + bom censo.

      1º Hoje muda-se de telemóvel muito rápido para estar a pensar em grandes longevidades…

      2º tentar maximizar a vida da bateria com a informação deste artigo NÃO DEIXAR A BATERIA DESCARREGAR COMPLETAMENTE!!! Quando se aproxima da meia carga voltar a carregar a 100% porque os 100% existem para lá chegar certo? ou tão a olhar para a rodinha da bateria a rodar à espera que chegue aos 80% (até pode haver aplicações par isso ao que parece….)

      Agora o bom censo. É óbvio se o meu telemóvel descarregar rápido não ando preocupado de hora a hora estar a carregar porque assim a bateria vai durar 5 anos!! epá chegou aos 80 zuca!!!!

  42. sakura says:

    ciclo carga/descarga e descarga é mais importante que a carga.
    pq tanta tralha em backgrund? modo ECO ou prefil do user (software).
    “”Um dos maiores inimigos das baterias de lítio é o calor”” por isso não se deve carregar de 0..100%
    com 0% uma bateria de li, morre. com 100% dura anos.
    na realidade o que importa é a temperatura da bateria, por isso o ideal é de 50….80% ,
    “o calor irá aumentar a temperatura da bateria “”o que leva”” à oxidação das células e por consequência à diminuição da autonomia das mesmas””
    A culpa é da temperatura!!!!

  43. Herculano Santos says:

    A empresa que produz as baterias explica-nos como manter durante mais tempo essas mesmas baterias de modo a facturar menos….fico desconfiado. O que me disseram é que as baterias de lítio, pelo menos uma vez por mês deveria ser descarregada completamente, e proceder ao carregamento total sem a utilizar. Mais um mito? Talvez, mas é assim que eu faço para todos os meus aparelhos e já tenho um Vaio há quase 3 anos e a bateria dura “non-stop” a ver um filme mais de duas horas. E quando digo descarregada não é quando o PC entra em stand-by mas sim qd desliga abruptamente por falta de carga. Abraço a todos!

    • Benchmark do iPhone 6 says:

      Isso é para calibrar o indicador de carga da bateria – mas o indicador calibrado (a indicar a carga certa) ou descalibrado não altera em nada a carga da bateria nem a sua duração.

  44. JRM says:

    Por aqui se vê o estado do português do nosso povo, nem um simples texto são capazes de interpretar corretamente. E não foi apenas uma pessoa, foram várias as que não conseguiram entender que o que está escrito no texto é que se deve colocar um telemóvel a carregar quando a carga da bateria tiver descido até um valor entre os 50 e os 80%…

    • Sandra says:

      Realmente, nem tu percebeste o texto…

      O telemovel deve ter a bateria entre os 50 e os 80, ninguem disse para carregar nesse intervalo até porque é nesse intervalo que a bateria deve estar.
      Deves carregar quando a carga está abaixo dos 50 (por ex. nos 35 ou 40) mas não deixar atingir os 100%. O ideal é retirar nos 80% mas a ideia principal é que não atinga os 100%.

      Falas dos outros mas devias pensar em reler o texto antes de mandar postas de pescada.

      • Joel Oliveira says:

        Existem as pessoas com dificuldades de interpretação, e isso pode ser considerado uma dificuldade, nada contra isso, aliás, caso isso se colocasse neste caso, eu teria todo o gosto em ajudar a esclarecer melhor a pessoa em causa, MAS, depois temos o tipo de pessoas como a Sandra, que para além de achar que percebe muito de pura interpretação PORTUGUESA, não percebe PONTA e ainda induz pessoas em erro com a sua falta de interpretação de pontuação da língua, penso eu de que… MATERNA.

        Quando não se sabe do que falamos por vezes o melhor é ficar no seu canto e tentar perceber o porquê de 99,9% da comunidade lhe dizer: “O SEU raciocínio está ERRADO!!!!!!!”

        Um resto de um bom dia para todos e uma ótima entrada no fim de semana ! 😀

  45. lucas says:

    Uma pergunta sobre a parte que não entendi ???
    Porque devemos carregar “parcialmente” a nossa bateria ????

  46. Pois says:

    Se eu fosse seguir estes conselhos maravilhosos de estudos em si duvidosos, já tinha todos os meus equipamentos sem bateria.

    Num portátil cheguei a nunca tirar a bateria e estava sempre a carregar, resultado, passado 2 anos a bateria não durava mais de 5 minutos. Actualmente tiro sempre a bateria quando está ligado à corrente e quase só carrego a bateria com ele desligado, resultado, passados 3 anos e meio ainda dura 2h00 a 2h30.

    Nos smartphones é semelhante, faço sempre carregamento completo, tiro o carregador assim que está completo, e sempre que fiz a peregrina ideia de carregar aos bocados, ficou sempre com menos tempo de capacidade.

    Nestes testes devem ter baterias especias, ou eu tenho muito azar.

    • Viviana says:

      Eu usei um portatil para trabalho (todo os dias ligado á corrente com bateria) e mesmo mais de dois anos depois a bateria funcionava bem. Mas um portatil é um sistema diferente.

      Um iphone ou samsung mesmo com todo o cuidado a bateria passado um ano fica manhosa. Não que não funcione mas perde 30 ou 40% da capacidade inicial.

  47. B@rão Vermelho says:

    Isto sim é algo de útil e quero dar os parabéns ao PPlware por isso mesmo.
    Eu por acaso só carrego os meus aparelhos quando se desligam por falta de bateria tanto nos tablets como nos tlf, tenho um S3, sempre o fiz, e com a rom CM 11, chega a durar 5 dias, sempre com o hifi desligado e os dados moveis igual só ligo quando preciso, o único jogo é o Quem quer ser Rico, igual se passa com o meu Iphone 4, nas mesmas condições de utilização que o S3 a duração da bateria chega a durar 5 dias.
    Neste momento no S3 instalei a rom CM 12, e com as mesma utilização já referida não dá mais que dois dias, outra coisa que notei em tempos era que por vezes o Iphone a bateria só durava para um dia, outras durava para os já referidos 5 dias, e isto devia-se ao facto de carregar o Iphone com os cabos dos Ipodes das primeiras gerações.
    Ainda me lembro que era pratica no Iphone para a bateria durar mais tempo ponha-se a iluminação do visor no máximo em quanto carregava,( mito da internet), não sei se é o poder de sugestão mas realmente acho que durar mais tempo.
    E carrego os equipamentos, sempre desligados.

  48. Marco Antonio says:

    Porque nao pode carregar 100% da bateria?

  49. André Pereira e Ferreira says:

    É impossível manter a bateria de um smartphone abaixo dos 30ºC vivendo no Brasil

  50. Mr.Antunes says:

    Tanta mas tanta barbaridade junta…

    O artigo não é dos melhores e da forma como está escrito e com o ppl que vem ao pplware que nem sabe ler português… Mais confusão ainda fizeram.

    Que bem que eu me ri, obrigado!

  51. joao matos says:

    Coloquem um comentário qual a diferença no carregamento de bateria de um sitema android e de um sistem ios…vão ver que aumentam o número de posts de comentários 😛 Lol. Agora a sério:pessoalmente quando tenho a bateria a 25% carrego até aos 85/90%. No entanto não vou andar stressado e preocupado sempre a controlar…porque tenho mais que fazer. Isto é uma sociedade de consumo, e os fabricantes precisam de vender baterias e smartphones. Just simple as that! 🙂

  52. Amag says:

    é engraçado, as pessoas lêem o artigo e fazem logo apreciações apresadas quando no artigo tem links para sites que ajudam a compreender o que é uma bateria e como é feita, primeiro passo para tudo.
    Depois decidem se seguem ou não as recomendações… mas deviam seguir 🙂 e aquando do primeiro alerta da bateria fraca, por a carregar.

  53. rmcrys says:

    Acho esta conversa sem sentido:

    as baterias são para carregar quando e até quanto for necessário, e não sou eu que vou ficar dependente das baterias/aparelhos feitos bebés.

    Eu carrego normalmente quando preciso ou vejo que não vai chegar, de resto carrega tudo cá em casa por norma durante a noite.

    Normalmente vai dos 10/15% aos 100% (durante toda a noite) e desde o tempo dos Nokia duraram as baterias anos a fio. O resto depende da qualidade delas é de aparelhos que tive:
    – Nokia : anos a fio 5 estrelas,e dura e dura …
    – iPhone/iPad: 5 estrelas até 2 anos, depois cai a pique
    – iPod: até 1 ano, depois a pique
    – asus/hp/Samsung: 1 ano 5 estrelas, depois cada ano perde uns 15% de capacidade
    – Lenovo: ainda pouca experiência
    – Acer, Huawei e marcas chinesas em geral: 6 meses ok, depois cai a pique, a pior …Acer e chinesas desconhecidas.

    • LP says:

      Se tivesses gasto umas boas centenas no telemóvel e ainda por cima não pudesses trocar (facilmente) a bateria, tendo em conta que o telemóvel tinha se durar uns anos, tratavas como um bebé!
      Tenho um portátil Acer com uns bons anos e a bateria nem perdeu muita capacidade…

  54. Gasganete says:

    Ohh PPLWARE, com tantos sabichões que por aqui andam, quase nem se justificam os artigos que vocês publicam…

  55. Rúben Gomes says:

    E utilizar o telemovel enquantl carrega traz algum problema ?

  56. André M. says:

    Pois bem a falha fundamental aqui é que o 0% que mostra no telemóvel não significa 0% na bateria, mas sim que a bateria chegou á voltagem mínima em que pode ser utilizada sem se danificar. Tal como o telemóvel não carrega mais do que a voltagem máxima admitida, também não a deixa descer abaixo do mínimo.
    Cumps.

    • KEYSERSOSE says:

      André M. falas muito bem… Na realidade as baterias nunca carregam a 100% nem descarregam a 0%.
      Virtualmente sim em termos de interface… pois faria muita confusão aos utilizadores que indicasse menos de 100% ou mais de 0% quando nessas condições estivesse.

  57. Rui says:

    Vou apenas apresentar o meu caso w a minha opinião, muito se diz w muito se fala sobre este assunto, mas é por experiência e o meu telefone tem 3 anos não dá para mudar a bateria e hoje tem sensivelmente a mesma capacidade de bateria de quando o comprei… Podem dizer o que quiserem mas estou inclusivamente a usar no fim de um dia de uso normal para mim e ainda restam 34% de bateria.
    o que faço? Deixo carregar todos os dia durante a noite sem capas para não haver sobreaquecimentos, mas o Maia importante e podem escrever, é:
    Quando carrega, deve sempre carregar até aos 100% carregue a partir dos 80, dos 40 ou de 0%, deve ir sempre até ao máximo e o meu equipamento vai muita vez à 0%, uso, raramente carregador de carro Mas quase sempre com carregador original que carrega em cerca de 2 horas de 0 a 100.
    muita coisa se diz, mas pouco se faz pelas baterias, no portátil, é a mesma coisa, uma bateria com 4 anos e a fazer carga completa…
    experimentem quando carregarem, deixar ir sempre ao máximo e depois verão a diferença….

  58. Pedro Nunes says:

    Comigo as coisas são muito simples.
    Saio de casa uso o telemóvel que nem uma besta. Chego à cama meto a carregar tenha ele 60% tenha ele 20%

    Na maioria dos casos sou extremamente activo com o meu telemóvel falo entre 2 a 3 horas de chamadas por dia
    Wi-fi/trafego de dados ligados praticamente 24/7. 2 horas de música ou 2 horas de jogo aproximadamente (viagens de comboio).

    Pelo que me é muitas das vezes impossível chegar a casa com mais de 50%.

    O meu problema com as baterias émais o aquecimento.
    Tenho o meu smartphonw à coisa de 6 meses ou mais e isto aquece bem o que é muito prejudicial para a bateria. Ate ja danifiquei o ecra com o aquecimento tenho uma mancha meio amarelada e tudo.

    Agora com temperaturas de 35/38c la fora nao sei como deva estimar sequer o telemovel

  59. João says:

    Bom artigo!

    Um truque para que o telemovel não aquecer tanto de noite,já que são umas boas horas a dormir, é usar um carregador com uma tensão mais baixa, assim o carregamento demora mais tempo e acaba por aquecer menos a bateria

  60. Valdemir says:

    Muito boa explicação, me ajudou bastante e já até compartilhei com meus amigos do face, duvida tirada com sucesso obrigado!

  61. Bruno says:

    E os carregadores Qi?
    Posso deixar o tlm a carregar a noite toda?

  62. Deixar Claro says:

    Quaisquer que sejam as baterias, seja de portátil ou telemóvel, se não descarregar completamente e carregar completamente, acaba por viciar.
    Este artigo é optimo para as marcas e concorrência(loja dos chineses) vender baterias…

  63. KEYSERSOSE says:

    Li o artigo e até gostei… mas depois de refletir e ler alguns comentários, penso que a todos faltou o essencial.

    1º O telemóvel é para ser usado por nós, e não para nos usar a nós;

    2º por experiencia própria, as cargas parciais muitas vezes acusam percentagens “ocas” que derrepente vêm por ai a baixo e nos deixam sem “juice” antes da hora certa;

    3º tudo isto é relativo, pois um utilizador que por norma usa 80% da bateria as 8h da manhã até às 20h, nem sequer vai querer saber dessa pintelhice de não carregar até aos 100%…;

    4º sou mesmo eu que vou ficar a olhar para o telemóvel enquanto carrega para não deixar passar os 80%, e depois… “AI DEIXEI ATE AOS 97%… AI QUE O MEU TELEMÓVEL ESTÁ A SER MAL ESTIMADO… AI CREDO…”
    O melhor é irem confessar-se depois disto acontecer…

    5º (e já chega) leiam outra vez o 1º…

  64. Paula Melo says:

    Recentemente cometi um erro único, sem precedente: a bateria descarregou na totalidade, até aos 0%.

    O resultado disso é que liguei o carregador já há vários dias, 3 ou 4 dias, e a bateria tem carregado lentamente, o visor do telemóvel é sempre preto. Aparece só o símbolo da bateria, é impossível receber chamadas e é impossível telefonar.

  65. Miguel says:

    Tenho uma dúvida e como são n comentários que aqui andam, caso já a tenham feito peço desculpa.
    Tenho um Iphone 6 e antes dele tive um 4, eles por vezes necessitam de calibração de bateria, segundo a marca de 4 em 4 carregamentos ou sempre que haja uma atualização no IOS, a minha questão é se a calibração é deixa-lo chegar a 0% e carrega-lo até aos 100% isso vai contar sempre como um ciclo completo mas ao menos tempo deteriora a bateria. Existe algum método para calibrar a bateria?

  66. Tiago Pereira says:

    Este texto pouco de científico tem, isto porquê? Vamos por pontos, foi tentar utilizar termos mais fáceis de compreensão, para ser melhor entendivel.

    -A não ser os engenheiros que projetem o sistema, ou alguém que pegue no aparelho, vá ao nível de hardware e trace uns gráficos e faça umas análises em aparelhos de medida, mais ninguém saberá se o que está a ver corresponde há realidade.

    – há um IC(circuitos integrados), na pior das hipóteses dois que são responsáveis pelo carregamento e monitorização da bateria, o de carregamento falo de seguida para abordar o ponto do aquecimento, o de monitorização o mais comum é a utilização de IC com algoritmos de gas gauge, mas é preciso “informa-lo” qual é a capacidade da bateria para ele “saber” quando é que começa e termina a capacidade de utilização da bateria, isto é, quando vais dos 0 aos 100%, isto irá depender do threshold definido, por exemplo para uma bateria de 3.7, a carga máxima vai aos 4.2 e mínima vai aos 3.5V p.ex (depende), e este era o intervalo de trabalho(0%=3.5V, 100%=4.2V).

    Agora eu digo ao meu IC, tu vais enganar o pessoal que vai ver a tua informação no formato de uma pilha no canto do tlm, e em vez de apresentares a carga máxima real, 4.2V, vais apresentar aos 4V, e a mínima em vez de ser aos 3.5V, mais ser aos 3.7V, o cliente fica a perder autonomia, mas ganhamos em performance da bateria, menos problemas, menos custos de pos-venda, etc.

    Agora aplicando às vossas teorias, o que acabaram de dizer deixou de fazer sentido certo?

    A parte do carregamento e o aquecimento, os IC responsáveis pelo carregamento da bateria, consequências dos componentes resistimos e activos que têm dentro deles, libertam energia em forma de calor, está energia está diretamente relacionada com a corrente que está a passar nesses componentes, se for um carregador que a corrente de saída seja 100mA, ao passar pelo IC, logicamente que a potência dissipada seja menor do que se passasse 1A, a diferença está no tempo de carregamento. Obviamente que as temperaturas não são muito amigas dos componentes electrónicos, dai o conselho de tirar a capa, apesar de ano fazer qualquer sentido face ao tempo de vida de um dispositivo na mão de uma pessoa, esses efeitos só se começam a fazer sentir alguns anos depois.
    O que é importante respeitar é a corrente máxima informado pelo fabricante para os carregadores.
    Ainda em relação à temperatura da bateria, os IC que mencionei acima, e mesmo algumas baterias já o têm, possuem um sensor de temperatura que faz “disparar um alarme” desligando o sistema de fornecimento de energia à bateria, até que está arrefeça até a uma determinada temperatura não problemática.

    Aconteceu-me com o IPAD air, estar com ele ao sol a ler, e puff “Temperature IPad needs to cool down before you can use it”!!

    Agora não sei se foi o da bateria ou o do LCD! Um deles foi.

    Em relação aos carregadores duvidosos, esqueçam, mesmo, aquilo não tem qualquer tipo de proteção, não há proteção de dispositivo que valha alguma falha desses carregadores. Para não falar do perigo do local onde possa estar a carregar, esqueçam mesmo.

    Deixo aqui um excelente artigo http://www.righto.com/2012/10/a-dozen-usb-chargers-in-lab-apple-is.html

    Desculpem lá a maçada, mas para mitos já basta a política!!

    Cumprimentos

  67. Michael says:

    Discordo do conteúdo do texto,. Tenho um iphone 4 e desde sempre o carrego quando chega ao zero absoluto, desliga-se. Carrego-o até os 100% durante a noite, toda a noite e pela manhã desligo o carregador. A bateria dura cerca de 4 ou 5 dias, Faco 3 ou 4 ligacoes por dia e vou aos emails 2 ou 3 vezes por dia. Agora tenho um Samsung Tab A, adotei o mesmo criterio, a bateria dura cerca de 7 ou 8 dias.
    Por estes motivos eu discordo do texto aqui publicado.
    Cumprimentos
    Michael

  68. João says:

    O meu tablet, carrega só as vezes.
    E quando ligo , a bateria do tablet fica sempre com uma corrente ,de carga.
    Mas o tablete não está ligado ao carregador.

  69. Jose Seco says:

    Nada me prova que os ciclos de carga e descarga total danificam a bateria!

    • Miguel says:

      A minha experiência diz que o ciclo de descarga total estraga a bateria e muito principalmente se depois da descarga total ficar mais de 24 hr sem carga pode levar a valores abaixo de 2.6v o que é mau para a mesma.

  70. maria geralda moniz alves says:

    tenho um celular Dodgee voyager 2 DG 310, só carrega a bateria se estiver desligado. isso é normal?

  71. Bruno says:

    Não, não é.
    Acerca do iPhone 4 posso garantir que se o mesmo não tiver cartão sim, não se mexer nele e uma carga total dura uma semana. Aconteceu comigo. Comprei outro equipamento e tirei o cartão daquele e coloquei o numa gaveta. No fim de semana a seguir estava a apitar a pedir bateria

  72. Vitor says:

    Quando se mete a carregar, então é indiferente que aguardemos que o tlm complete a carga completa?

    Relativamente a outro mito que se ouve por aí, dizem que as capas de silicone dos tlms fazem com que o tlm gaste mais bateria, é verdade ou mito?

    Existe alguma app que diga o estado da bateria e real capacidade da bateria que se está a usar e que permita comparar diferentes baterias durante um período de teste diferentes baterias?
    Arranjei um bateria supostamente de maior capacidade mas quase não noto maior capacidade de energia no tlm…cheira-me que a capacidade da bateria é falsa.

  73. Ze says:

    E a Ana tinha razao

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.