Quantcast
PplWare Mobile

MB WAY: Partido Socialista quer travar comissões dos bancos

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Astérix says:

    É melhor o PS abster-se de fazer o que quer que seja.
    Já se sabe que quando estes bancarroteiros mexem em alguma coisa, é para estragar.
    Neste caso, querem dar uma de bonzinhos, mas já todos sabemos onde isto vai parar.
    Dão 2 de um lado e tiram 5 pelo outro.
    Nunca me enganaram.
    Quem os conhecer que os compre.
    Ainda se lembram deles aumentarem os combustíveis em 7 cts o litro porque os preços estavam baixos e que depois se subissem iam retirar esse aumento?
    Pois já se passaram uns anos e não tiraram esse aumento brutal.
    Impostores, bancarroteiros, mafiosos.
    Metam mais uns primos na função público que o Zé Otário paga.

    • ToFerreira says:

      Qual quê? Eles nem ajudam nada os bancos… Tipo o Novo Banco…

    • Rui says:

      Que me lembre quem meteu esse imposto dos combustíveis até foi o PSD, claro que esteve iram mal os dois governos seguintes em não retirar, mas estão mais confortáveis a mamar impostos.

      Aconteceu o mesmo com o IVA que é um dos mais caros da Europa e também ninguém pensa em baixar.

      Acontece o mesmo no imposto pago sobre a importação automóvel .

      Acontece ainda na dupla tributação que apesar de ser constitucionalmente ilegal continua a ser prática corrrente do nosso estado.

      O estado tem de roubar muito nos impostos para distribuir pelos amigos políticos, empresários e administradores de empresas públicas.

      Infelizmente somos muito mal governados já desde o tempo da monarquia…..

  2. David Guerreiro says:

    Acho mal, e isso é coisa tipicamente socialista. O governo não tem nada que andar a impor aos outros o quanto podem cobrar pelos bens e serviços (salvo raras exceções). O MBWay não é nenhum serviço de primeira necessidade. Amanhã vão querer proibir a pastelaria de cobrar mais de 70 cêntimos pelo café, ou o talho de cobrar mais de 8€ pelo kg de picanha.

    • Emanuel Gonçalves says:

      Como o teu comentário é coisa típico capitalista.

      Um serviço que começou gratuito devia ficar gratuito ou pelo com comissões baixas para suportar os custos. Daqui a pouco começam a cobrar por levantamentos multibanco, por pagamento de serviços, ou mesmo pagamento com cartão de crédito etc. (que também não são de primeira necessidade pois existem alternativas) com todos os valores que são pagos em comissões todos os anos nas contas bancárias.

      • David Guerreiro says:

        Gratuito porquê? Tu trabalhas de borla? Bancos são negócios como outros quaisquer, estão ali para dar lucro, não para oferecer nada. Se começou gratuito, só tens é que agradecer. Os negócios não se fazem para suportar custos, mas sim para ter lucro.

        • Urtencio says:

          LOLS a plataforma mbway até é dos bancos e tudo!! Diga me lá que perdas é que os bancos tiveram depois que as pessoas começaram a usar o mbway!

          • David Guerreiro says:

            O negócio não é feito a pensar nas perdas que pode ter ou não, mas sim em quanto se ganha. O objetivo do negócio não é ser um IPSS, é dar lucro, e os bancos até têm acionistas, e como tal têm de prestar contas aos seus acionistas. Eles se puderem até fazem dinheiro com a cadeira em que esperas para ser atendido.

        • AM says:

          Estás a tentar proteger os corruptos, ou és um deles??!! Se estás a tentar protegê-los eles não precisam da tua ajuda, eles até cag… para ti!! Se és um deles, oxalá vás ver o sol aos quadradinhos!! Pelo ar que aparentas, deves ter uma cabeça tipo “André Ventura”!!…queres chamar atenção a ti próprio, a ver se ganhas alguma coisa com isso!!! ahhh..ahhh.aahh!!

      • Sergio says:

        Ele tem uma certa razão e lógica no que está a dizer, é possível fazer transferências gratuitamente sem o mbway? é..
        É possivel levantar dinheiro gratuitamente e dá-lo a alguém? é..
        É possivel pagar um serviço gratuitamente sem mbway? é..
        Tens opções válidas sem que o governo tenha que estar a meter o bedelho? Tens..

        Contudo percebo o teu ponto de vista, o mbway facilita e simplifica algumas coisas..
        Em muitos países da Europa, nem te fazem o split de uma conta de almoço com varias pessoas.. e aí entra a modernização de um mbway.. de um revolut

        E não estás a chatear o funcionamento de um restaurante com 6 pessoas a pagar uma conta de cada vez, uns com com multibanco, outros com dinheiro e outros com visa.
        Principalmente agora que area da restauração está sempre cheia com turismo

    • Visco says:

      pois .. mas o Socialismo é exatamente isso “O governo e andar a impor aos outros o quanto podem cobrar pelos bens e serviços”

      • Carlos Fernandes says:

        Pode impor o pode pedir para ser regulado, independentemente de o governo ser Socialista ou de Social Democracia. Devem ter sempre em conta que a instância Supranacional é assumidamente capitalista com iniciativa de Mercado Livre.

    • rui says:

      é a forma de acabar com o serviço, obrigar privados a fornecer serviços gratuitos e ainda a ter de reportar todas as transacções a banco de portugal, finanças, etc. e manter registos durante sei lá quanto tempo, com normativos de armazenamento xpto
      Deixem a concorrência trabalhar e metam a CGD que são “accionistas” (e se calhar também o novo banco) sem comissões como outros bancos que há aí, que as pessoas escusam em vez de fecharem a conta na CGD pode ser que a comecem a usar

      • Carlos Fernandes says:

        se todos deixarem de usar mbway deixa de mercado para as comissões

      • David Guerreiro says:

        Essa é que é essa, essa malta do governo reclama que os bancos cobram muitas comissões, e começam logo a dar o pior exemplo na CGD que é um verdadeiro assalto ao cliente. Antes de apontar o dedo aos outros, olhar primeiro para a nossa própria casa.

    • Tiago Ferreira says:

      Se o governo faz alguma coisa, é porque o governo não tem nada que andar a impor aos outros isto e aquilo, se o governo nada faz, é porque este governo quer é poleiro e só quer receber o ordenado e mais nada. Enfim, os vossos comentários são mesmo típicos do português, que só está bem a criticar tudo e todos. Arre porra, este povo não sabe o que quer! Epá comprem uma ilha e vão viver para outro país, já que para vocês nunca nada está bem!

    • Paulo Martins says:

      Eu não acho correcto também esta medida vir da Assembleia em forma de uma nova lei, acho sim que o Banco de Portugal já deveria ter imposto limites nas comissões, porque o serviço MBWay assenta na serviço da SIBS – a aplicação nada mais é que uma “máscara” para usar os serviços de MB no telemóvel – e uma vez que por regulação do Banco de Portugal os serviços das caixas de multibanco não podem ser cobrados não vejo justificação plausível para os bancos cobrarem comissões tão altas quando os custos para os bancos serão basicamente os mesmo que um cliente usar uma caixa multibanco.
      Se o Banco de Portugal não tem poderes para impor limites então acho bem que a Assembleia da República lhe atribua poderes para tal.

    • RPG says:

      Tipicamente de esquerda talvez, até porque a esquerda aparentemente está toda “unida” nesta matéria e em levar este projeto de lei à frente, e muito bem. Agora os bancos podem cobrar o que querem por um serviço que nem é gerido por eles (embora alguns sejam accionistas)? Todos conhecemos diversos meios de pagamento, com dimensão 1000x maior, com custos de gestão e logísticos 1000x superior, e não cobram nem perto do que estes marmelos andam a cobrar lol.

    • Rudi says:

      O SIBS já foi pago pelo teu cartão multibanco e por todas as comissões de conta que cobram, o MBWAY é uma expenção do MultiBanco para telemovel, que reduz o custo do SIBS, isto é uma forma de o banco arrecadar mais dinheiro.
      É de lembrar que pela primeira vez os na história de portugal os bancos ganharam mais dinheiro com comissões do que com emprestimos.

      • David Guerreiro says:

        E porquê? Porque as taxas de juro estão como estão. A atividade tradicional da banca alterou-se, e como tal tiveram de encontrar outras formas de obter dinheiro.

    • albino negro says:

      Então porque impõem taxa de usura? Porque não deixam os bancos cobrar as taxas de juro que querem e taxas que lhes apetece?

  3. Pedro Fernandes says:

    Não queria mas tenho que usar a tão famosa palavra “Vergonha” o que os Bancos fazem, no outro dia ouvi o seguinte para as comissões não existe nenhuma regra/patamar de limites o que não deixa de ser bastante preocupante, para terminar não vou mencionar o Banco no qual teve lucros de não sei quantos €€€€€ e estava ponderar aumentar ainda mais as comissões por não existir nenhuma Regulamentação para tal.

  4. Luis says:

    Muito bem.
    Se os bancos querem usar comissões que as coloquem nas aplicações deles.
    o Mbway é um serviço da SIBS que nada mais é que a desmaterialização do multibanco.

  5. Miguel says:

    O governo não tem nada que ditar o que empresas privadas podem fazer, pelo menos nao deveria. País de doidos, estes socialistas taxam tudo e mais alguma coisa e agora vêm querer acabar com estas taxas em medidas populistas que não beneficiam ninguém.

    • RPG says:

      O governo não dita o que as empresas podem fazer. Existem no entanto leis aprovadas em assembleia que ditam o que as empresas NÃO podem fazer, e bem, uma vez que em muitos dos casos protegem nós consumidores lol.

    • Tiago Ferreira says:

      Tu leste bem a notícia? Onde é que o governo quer taxar alguma coisa? O governo quer é limitar e legislar aquilo que o privado abusa. Os bancos têm imposto valores muito elevados por um serviço que não tem custos para os bancos, que não impedem os bancos de lucrar e que era um serviço que foi criado pela SIBS. Os bancos já cobram taxas de juros, despesas de manutenção e anuidades dos cartões que são um roubo. Por isso acho muito bem que o governo limite os valores cobrados pelos bancos, se não qualquer dia este país no que toca ao privado passava a ser a república das bananas.

      • David Guerreiro says:

        Não te preocupes que não pagas de uma maneira, pagas de outra. Eles de uma forma ou outra vão arranjar forma de ir buscar esse dinheiro que deixam de conseguir cobrar no MBway.

      • Miguel says:

        Le novamente o meu comentario. O Estado, e o Partido que constantemente nos leva à bancarrota quer legislar limitando entidades privadas a terem liberdade de taxar o que quiserem. Não gostas de ser taxado pelos bancos, usa outros que taxam menos, mas no fim são entidades privadas e estão livres de taxar. A CGD é um caso à parte mas também deveria ser privada. O que eu referi é que o PS usa estas táticas de fazer crer que os privados é que taxam e que está a fazer um grande favor à sociedade em limitar as taxas quando são eles que nos meteram a maior carga fiscal de sempre. Agora em relação à republica das bananas, tens razão, somos uma republica das bananas porque temos muitos idiotas a acreditarem na narrativa impecável do costa e a darem-lhe votos

        • King Banido says:

          damnn, Miguel,com esses argumentos vais ser chamado de extrema direita… E de capitalista e de rico e de tudo e mais alguma coisa.

          O Chega ta a chegar e bem mais cedo do que se está a pensar!

          • Miguel says:

            ahahah posso ser chamado de todas essas coisas. Agora quem me chamar isso não percebe a minha ideologia. Abomino todas as extremas, seja direita e esquerda como tenho medo da subida do chega, que diga-se o que se disser é um partido racista. Vou mais para o liberalismo.

        • Rudi says:

          A partir do momento em financias esses privados para pagar prémios a gestores acho que é um abuso arranjarem mais taxas para pagar a bancos da sua má gestão privada.

          Querem taxar tudo bem, o governo não dá mais dinheiro e a justiça vai atras por gestão danosa. Agora escolham

  6. Vitor says:

    Quando tenho alguma dúvida em relação ao País em que vivo…tiro as dúvidas nos comentários aos artigos aqui publicados e fico com a certeza que estou em Portugal! Se existem comissões num determinado serviço são uns ladrões…se proíbem as comissões são uma cambada de chulos que exploram os trabalho dos outros…se alguém quer REGULAMENTAR são esquerdistas ou socialistas! No fundo é praticar o verdadeiro desporto nacional…CRITICAR sem apresentar alternativas! E muitos destes “críticos” até estão convencidos que são inteligentes…isso é o pior!

  7. Barta says:

    Não esquecer que os bancos RECEBERAM O NOSSO DINHEIRO, DOS NOSSOS IMPOSTOS, para sobreviverem. DINHEIRO PUBLICO É DOS PORTUGUESES e como tal os bancos deviam era pagar-nos pelo dinheiro que lhes “entregamos” contra a nossa vontade.

    • Astérix says:

      Faça como eu, pago tudo o que for possível em dinheiro.
      As minhas poupanças estão num banco estrangeiro, no estrangeiro tb, claro…
      Aqui, já sabe o que aí vem, não tarda estamos noutra bancarrota.
      É só o BCE deixar de alimentar a máquina e vamos logo todos assistir ao disparo dos juros.
      E sabem para o que serve aquela coisa de verificar quem tem mais de 50 000 euros na conta, sabem?
      Exactamente, é para isso mesmo, em caso de necessidade essas contas levam um haircut.
      Para quem vier a seguir dizer que isso não é possível, que se informe antes de dizer barbaridades.
      Procurem pelo que aconteceu no Chipre na altura da crise…
      Fica um aviso de quem tem muitas décadas de vida e conhece este esterco muito bem. Sei o que a casa gasta…
      Em relação ao MBway, é simples, quem quiser usar, usa, quem não quiser, não usa.
      O meu banco mandou me mensagem a informar que para mim o MBway seria sempre gratuito.
      Não sei se mandou para todos ou não, mas para mim, mandou.
      Há bancos que não cobram comissões, deixem de ser comodistas e mudem.
      Fui cliente de um banco durante 30 anos. Começaram a cobrar 5 euros mês, mudei logo a seguir.
      Ai e tal vai mudar porquê? Vou mudar por este motivo.
      Espere que vou falar com o chefe para saber se podemos alterar isso e não pagar os 5 euros.
      Eu disse, não precisa. Não é pelos 5 euros, é pelo respeito pelo cliente.
      Há 30 anos que tenho conta, gratuita, e agora vêm com isto? Falta de respeito monumental. Vou embora. E fui.
      Fizessem todos isto e as coisas eram diferentes…

  8. Joao Ptt says:

    Os bancos podiam ter-se contentado em cobrar tipo €0,10 por transacção (mais impostos do estado), que a maioria dos utilizadores ia ficar chateado mas não a ponto de ficar “furioso”.

  9. LSousa says:

    Aprovo. MBWay deverá ser gratuito!

  10. jimmypt says:

    Há que ter cuidado com este tipo de medidas,os bancos tem de ter receitas.
    Se não lá vai o povo continuar a pagar resgates ,atrás de resgates,milhões atrás de milhões.
    O parlamento que deixe está pobre gente em paz.Já viram ás vergonhas que estes senhores têem passado ultimamente:Ricardo Salgado,Tomas Correia entre tantos outros.Este último Senhor foi lhe atribuída uma pensão de miséria,tanto é assim que o homem teve de recorrer da decisão.Sejamos justos,por amor de Deus.

  11. Fernando Pinto says:

    Por amor da santa, pelo que sei existem bancos que não cobram comissões quem utiliza frequentemente o serviço mude de banco.

  12. N1ldo says:

    A cada transferência que faço me é informado o custo antes de confirmar, mais transparente que isso não sei o que é.

    Como foi dito acima, o governo não tem nada que meter o bico no setor privado, simples, tá caro? Não compre ou use, o comércio é regulado pelos próprios clientes, não importa o tipo de comercialização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.