Quantcast
PplWare Mobile

Mau tempo! Onde “andam” as SMS de alerta da Proteção Civil?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. André says:

    A meu ver, esse contrato deveria englobar 8msg gratuitas anuais para cada operador. Após esse saldo deveriam ser cobradas mas nunca a esse valor. Ora quase 1 milhão para o lixo e nem deram uso. Se fosse a AT já tínhamos recebido umas 10… quem faz esse tipo de contratos deveria ir preso.

  2. PGomes says:

    Eu bloqueie esses SMS.
    Não preciso de spam no telemóvel para saber o tempo.

  3. poiou says:

    O SMS melhor meio de alerta?
    Se tivessem usado o SMS, o pessoal ali para.os lados de Coimbra estava agora a começar a receber os alertas.
    É o melhor , tirando aquele pormenor demonstrando que permite falsificar as mensagens?
    A difusão celular ligou para dizer que a anedota é mesmo boa.

  4. PcRat says:

    Os outros Países usam a Difusão Celular, baseados nos telemóveis que estão ligados a cada torre de telecomunicações, e todos os telemóveis aceitam mensagens através desta ferramenta, que não tem qualquer custo, para muitos, o que é a Difusão Celular:

    Difusão Celular é um método de envio de mensagens para vários usuários de telefones móveis em uma área definida ao mesmo tempo. É definido pelo comitê GSM do ETSI e 3GPP e faz parte dos padrões 2G, 3G, 4G LTE (telecomunicações) e 5G. Também é conhecido como transmissão de célula de serviço de mensagens curtas (SMS-CB).

    Diferentemente do Serviço de Mensagens Curtas Ponto a Ponto (SMS-PP), o Cell Broadcast é um serviço de mensagens de um para muitos com segmentação geográfica e com proteção geográfica.

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Difus%C3%A3o_celular

    Andamos para não variar atrasados no tempo e no espaço, andamos a mandar SMS a fazer publicidade a vidraceiras e afins… Quando existe a Difusão Celular, muito mais segura e objectiva, que as meras SMS que vão para um todo, e não apenas para quem importa… Detalhes… Até me admira ninguém na Protecção Civil conhecer isto… São tão inteligentes para umas coisas…

    • João says:

      Tem toda a razão.
      É só cromos.
      Metem-se a fazer contratos sem perceber nada de nada.
      A Difusão Celular tem particularidades a observar, mas nada que não se pudesse resolver

      • Paulo Santos says:

        Em Taiwan, por exemplo, até os números internacionais recebem notificações sobre terramotos. Aqui é o de costume, Boys a decidir sobre o que não percebem.

    • Filipe says:

      Comentário bem totó a “difusão celular” é apenas uma variante do SMS baseada na localização e é precisamente o que a protecção civil usa. Por exemplo, no verão sempre que estava em zonas mais rurais recebia os SMS sobre os fogos e prevenção, mas que do voltava à cidade deixava de os receber.

  5. Joao Ptt says:

    “De relembrar que o envio de SMS é considerado internacionalmente um dos melhores meios de aviso.”
    ah ah ah ah ah
    Melhor meio de aviso é o “Cell Broadcast”, apesar de não estar disponível em todos os aparelhos, onde está, o aviso é recebido em aproximadamente 4 segundos após ter sido enviado… em todos os terminais ligados a essa torre de comunicações… no SMS as mensagens podem demorar 3 horas, dias ou até nunca serem entregues… maior compatibilidade, mas podem entupir as redes de comunicação por si só! E até agora parece que só enviam sms’s para informar algo que já está a acontecer desde o dia anterior…

    Só o “Cell Broadcast” é por isso apropriado a situações de emergência/ catástrofe onde as redes de comunicação ainda funcionem e em que seja importante receberem a informação imediatamente e agirem imediatamente.

    Mais sobre este assunto por exemplo em: https://info.vost.pt/2018/11/21/cell-broadcast-versus-sms-uma-discussao-necessaria/

    • The boy says:

      Cell broadcast é uma forma muito valida de enviar em massa mensagens da proteção civil, mas não é o melhor meio.
      O melhor meio será sempre uma função de duas variáveis, uma variável é o meio (tecnológico) por onde passa a mensagem, e a outra variável é o número de pessoas a que chega a mensagem, ou seja, o que vêem mais as pessoas ou o que possuem e ligam importância, para que dado um envio de uma mensagem, a pessoa vai ver.
      Dito isto, as pessoas dos 45+ usam muito televisão, quem anda de carro é o rádio, e também usam telemóvel. Dos 45 para baixo, até aos adolescentes, é basicamente telemóvel e TV para ver séries.
      Portanto, do ponto de vista de tentar chegar a mais pessoas, telemóvel e TV será o melhor, seguido de rádio.
      Se, não houver cortes de sinal na TV, ou se não houver cortes de sinal de telecomunicações com o telemóvel, a aposta será sempre TV + telemóvel.
      Mas isto é em pt, onde até ver não houve tornados que rebentem com tudo, nem terramotos (esses estão prometidos e são coisa certa algures no futuro).
      Num contexto de real catástrofe desse tipo, a melhor “tecnologia” é sem dúvida o rádio. Tomemos por exemplo a 2 guerra Mundial, onde em Inglaterra o rádio era usado para comunicar com a população e era eficaz.
      Montar antenas rádio e difundir é relativamente simples, mesmo que se diga que já ninguém tem ou usa rádio, não é bem assim. Todos os carros têm rádio, e há telemóveis que têm a função de rádio tbm (infelizmente são cada vez menos, o que é mau na minha opinião).

      • João says:

        Bem feito este comentário.

      • Joao Ptt says:

        Informação via rádio.. nos EUA têm rádios que se ligam sozinhos (se tiverem energia) e começam a difundir notícias (tornados/ incêndios/ inundações/ misseis a caminho…)… mas cá em Portugal ainda estamos na fase dos SMS, talvez um dia se chegue à “Cell Broadcast”, e na loucura completa talvez chegue o dia de alguém ter uma grande ideia de imitar o que é feitos nos EUA há dezenas de anos.
        E sim, lá as televisões também interrompem as emissões para difundir alertas à população, que em geral são considerados bastantes irritantes porque a maior parte das vezes são testes, e transmissões de muito má qualidade (o sistema é antigo, e pelos vistos ninguém está para gastar o dinheiro para garantir qualidade).

        • Filipe says:

          O “cell broadcast” é uma variante do SMS, que é precisamente o que a protecção civil usa.

          E contrariamente a to, eu espero é que acabem com esses sistemas, pois a idea de que o próprio estado me envia mensagens sem meu consentimento é algo bastante grave

          • Joao Ptt says:

            O “Cell Broadcast” é muito diferente no sentido em que a mensagem é entregue a todos os dispositivos capazes de receber tal mensagem poucos SEGUNDOS depois de ser enviada! Não demora minutos/ horas/ dias/ nunca ser entregue, é segundos, se estiver com o dispositivo ligado e o mesmo estiver ao alcance da torre de comunicação vai receber o aviso se for compatível. Isto é importante em situações em que tenha de actuar imediatamente (rebentamento de barragens, rebentamento de diques de rios, incêndios florestais, tsunamis, queda de meteorito, etc.)
            Também é diferente porque aparece em destaque no ecrã e apita, e permite escolher o idioma no qual a mensagem é apresentada, e alguns dispositivos até leem a mensagem recebida (útil para quem é cego por exemplo). Tem é menos caracteres disponíveis, acho que apenas 96 caracteres… têm de fazer uma boa sintetize da situação.
            E também é diferente porque como utiliza um canal dedicado não satura a rede móvel.

            Quando é para o bem comum, para avisar de uma situação grave que exige que a pessoa tome medidas de auto-protecção para se proteger acho correcto e vantajoso o estado dar conhecimento, ficando depois ao critério de cada um decidir o que fazer com tal informação, mas pelo menos tem a possibilidade de escolher… se gosta de viver na ignorância é um direito seu, pode sempre procurar obter um dispositivo que não tenha tal funcionalidade activa.

    • Filipe Santos says:

      O Cell Broadcast (pt: informação de célula, acho eu), em Portugal, só serve para indicar os indicativos da região, nunca lhe deram a devida função. Ainda me lembro ter isso ligado no meu 8310 e só me mostrava o indicativo e região. Enfim.

    • Filipe says:

      O cell broadcast é uma variante do SMS baseada na localização, que é exatamente o que a protecção civil usa. Analfabetos abundam aqui nestes comentários

  6. joao Antônio says:

    O contrato só engloba fogos e não mau tempo, querem avisos de mau tempo renegoceiem o contrato.

  7. Spoky says:

    Mau tempo… Uiii vem ai uma chuvinha, cuidado! Não vá esquecer o guarda chuva em casa, não apanhes chuva senão ainda te queimas.

    Hoje em dia, é um exagero na sociedade. Chove ou há mau tempo, já começam a exagerar. Tanto a sociedade como a proteção cívil.

    Por haver uma tempestade, digamos “chuva” já é um bicho de sete cabeças, incomoda muita gente. Depois vê-se as mesmas pessoas que se queixam e reclamam, são as que pedem chuva para regar as plantas, a horta etc…

    Chuva é bom para o mundo, a fim de evitar secas extremas e falta de água nas serras.

    Obvio que a Proteção Cívil deve informar caso seja algo muito grave ou que ponha em perigo a sociedade. Mas não estaremos a levar isto para o exagero? Qualquer chuvinha já dão nome “tempestade Elsa” tempestade não sei o quê.

    É chuva, meramente isso. Ainda se fosse um Tufão / Furação, Terramoto, Tsunami ainda se compreendia.
    Agora chuva? Tudo bem que existe cheias, mas caramba basta dizer que vai haver mau tempo.

    Daqui a uns anos, caso Chova é crime! Cuidado que vem ai a precipitação e aguaceiros fracos, a tempestade Joaquim!

    • Marisa Pinto says:

      Certamente não foste afectado para falar assim. Até é uma falta de respeito por quem foi afectado, pelas vidas perdidas. Enfim.

      • Spoky says:

        Em nenhum momento faltei o respeito, acho que o conceito de “faltar ao respeito” esta muito desorganizado. Hoje em dia um comentário ou uma opinião “propria” sendo a “minha opinião” é falta de respeito, mesmo sem conter insultos ou ofensas a alguem, já é considerado uma falta de respeito.

        Sinceramente, eu acho que existem pessoas demasiado frágeis (o que é natural, e entendo) mas não podem ficar sensíveis a opinião das outras pessoas.

        E isto sendo um blog de noticias onde há comentários e noticias menos agradáveis e agradáveis.

        Um exemplo uma pessoa com Stress deve evitar ir para lugares onde fique stressado certo? A mesma coisa se aplica as pessoas “sensíveis” evitar, não significa proibir ou deixar de ir, mas com precaução.

        Não, peço desculpa mas não consigo entender a falta de respeito. Cheias? Sempre houve, e sempre haverá caso a Natureza assim o decida, em nenhum momento ou lugar desejei o mal alguém ou ofendi, ou gozei.

        Mas estou aberto para perceber onde é que o fiz, pelo qual cita-me onde é que faltei o respeito (se faz favor com ofensas, insultos).

        • Marisa Pinto says:

          Vou ser breve:

          Não, isto não é uma simples chuvinha, uma simples e rotineira cheia. Isto é um fenómeno atípico, considerado grave com possíveis consequências catastróficas como foi o caso.

          Cairam casas, ruiram estradas, aluíram terras, foram cortadas via de acesso muitas delas prioritárias, morreram pessoas (já disse esta?.. já), inundaram cidades, casas e lojas, desalojaram-se pessoas, rebentaram diques, etc (podes ter acesso a isso tudo se ligares a TV ou acederes ao site da Proteção Civil…)

          Isto não foi só numa localidade, isto foi de norte a sul. É, sim, falta de respeito e noção dizer que é ‘apenas uma chuvinha’.

          Cumps

          • Joao Ptt says:

            Ainda há não muitos anos, apanhava muitos dias destas supostas chuvas loucas durante o período de aulas.
            Estas nem foram piores que muitas das que apanhei, a incompetência é que é cada vez maior e então os problemas em vez de ser prevenidos/ resolvidos é tudo a tapar os olhos e ouvidos e assobiar para o lado que não é nada com eles, é como os incêndios florestais, existe há mais de 20 anos, e todos os anos ocorrem, com mais ou menos publicidade nas TV’s e jornais (que às vezes os políticos pressionam para esconder, não sendo a desgraça menos má… lá se indo a teoria de que falar nisso torna a coisa pior), excepto se estiver a chover.
            Veja lá se a protecção civil, e restantes autoridades já retiraram as pessoas de leitos de cheia perfeitamente identificados? Nem pensar nisso, e até autorizam e por vezes promovem locais onde o perigo é mais do que óbvio… e depois é um grande choque e admiração… eu chamo-lhe incompetência.
            A protecção civil a pedir às pessoas para limpar o escoamento de água… quando deveriam pedir era às autarquias para limpar os escoamentos das águas que esse bando de incompetentes não actuam nem mesmo quando se denuncia as situações, quanto mais prevenirem por eles… já para não falar que anos após anos, a situação repete-se nos mesmos locais com coincidência de marés e outras situações, que acontecem frequentemente e o que é feito… nada, que é mais barato e não implica pensar nisso… a protecção civil e prevenção em geral no seu melhor.
            É depois de admirar que morra gente, e que fique gente altamente prejudicada? Claro que não.

            E podemos falar das barragens, um terramoto, com barragens cheias e vai ser mais uma desgraça em larga escala! Já acabaram com as barragens em favor de sistemas alternativos de armazenamento de águas? Claro que não, nem vão pensar nisso. Querem saber do ambiente? Mas andam a alterar tudo com tais barragens! Preocupação com isso? Nenhuma! Não acabam com as barragens porque isto e aquilo… então já tiraram as pessoas das áreas que serão afectadas em caso de falha catastrófica? Claro que não, nem o vão fazer.
            Prevenção, é pá… vergonha completa, aqui e um pouco por todo o mundo.

  8. Tony says:

    Acho que aqui a questão é:
    Quem foi o Governante que pagou 900.000.00€ (dinheiro dos contribuintes), e com que justificação ?
    Acho que o povo Português tem que ser mais exigente, mas… votaram neles, é aguentar, paga e não bufes.
    Governar com o dinheiro dos outros é fácil.

    • Mestre em direito says:

      O governante apenas pagou ao lobby de telecomunicações; faz décadas que anda a pagar 100x mais ao de energia… ou achas que o presidente com um salário milionário leva a EDP para a frente porque é bom gestor? LOLOL

  9. Mestre em direito says:

    1) SMS não é o melhor método, senão a difusão celular

    2) a maior parte dos países obriga os operadores a permitirem esta difusão, apenas com uma pequena compensação em caso de uso!!!

    Portugal no seu melhor… é 5G, internet Gigabit, fibra, TDT das mais caras do mundo… E no final é tudo só viverá de café e não funciona nada como devia.

  10. Zé Duarte says:

    Mas querem as sms de alerta para quê? Não têm televisão ou internet? Já se falava há semanas da depressão e ela ainda não tinha chegado. Uma pessoa completamente desligada do mundo durante este tempo todo também não ia receber a sms. Era mais eficaz mandar folhetos informativos pelo correio.

    • Joao Ptt says:

      Vem lá (por exemplo) um Tsunami que vai atingir toda a zona sul e da costa alentejana, chega às 23h59m de 23-12-2019.
      SMS… se chegar a toda a gente horas depois de já ter passado é uma sorte, folheto informativo: dias, o tsunami já tinha ido embora à muito… cell broadcast segundos depois de a informação estar disponível à Protecção Civil teriam recebido esta informação a tempo de fazer alguma coisa (locais mais altos, irem a correr para a praia para ver a onda…).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.