MasterCard coloca leitor de impressão digital nos seus cartões


Destaques PPLWARE

22 Respostas

  1. Reuyi says:

    Os avanços do Big Brother…

  2. toni da adega says:

    Enquanto isso a Fujitsu lançou o primeiro dispositivo móvel (Tablet) com Leitor biométrico que le a palma da mao.

    http://journal.jp.fujitsu.com/en/2017/02/09/01/

    • Bruno says:

      Ter que deslizar a palma da mão sobre o aparelho não é propriamente um método muito apelativo e prático.

      • Toni da adega says:

        Verdade mas pelo que percebi é igual a um swipe to unlock, e ao mesmo tempo faz scan à mão

        • Bruno says:

          Não me parece que seja a mesma coisa! O slide to unlock não requer grande precisão de movimento e pode ser feito de muitas maneiras.
          No caso deste sensor tens que encostar a palma da mão e deslizar para que passe por cima do pequeno sensor que está na margem, fora do ecrã, o que requer alguma precisão, provavelmente mais do que nos sensores de impressões em que era preciso deslizar o dedo, o que causava algumas dificuldades nos smartphones. E deslizar a palma da mão sobre o vidro causa muito mais atrito do que deslizar a ponta do dedo, não será um movimento suave, será desconfortável.

  3. censo says:

    A questão não está tanto do lado da tecnologia, mas sim do lado do utilizador querer usar ou não. Também a VISA lançou o contactless e no entanto não é muito usado, havendo bancos que já não a incluem nos cartões que emitem.

  4. Alvega says:

    Vou deixar a minha opinião, e fazer alguém rir…muito.
    1º nao era suposto inderir o chip no utilizador ?
    2º o que vai acontecer é algo parecido com o que se passou com os automóveis:
    Antigamente os “amigos do alheio”, quando queriam “pedir emprestado” um automóvel, apoderavam-se das chaves, muitas das vezes nem era preciso, bastava uma simples ligação directa, e adeus até ao meu regresso. Muitas das vezes o proprietário nem dava conta de imediato, somente após ao desaparecimento da viatura. Com a introdução de medidas de segurança adicionais (pressão das seguradoras), passou a ser preciso o proprietário , o que implicou COAÇÃO, SEQUESTRO, AGRESSÕES, CAR-JACKING. Resultado os carros continuaram a ser roubados, mas colocaram os proprietários em risco.

    O que se vai passar com os cartões…bom vai se preciso o DEDO do dito cujo….percebem ou querem um desenho ?
    Podem rir, eu compreendo. Mas cartões desses eu recuso, ponto.

    • Pintor says:

      Os sensores do cartão como em qualquer serviço decente de bio segurança necessitam do dedo “vivo”.

    • EC says:

      Penso que também deve funcionar utilizando o velhinho PIN como alternativa. Assim não é preciso “doar” o dedo.

    • APereira says:

      Inicialmente o teu comentário até fazia algum sentido, mas depois pensei um pouco e…espera lá…

      Sabes porque razao se usa DNA para reconhecer pessoas que morreram em vez da sua impressao digital?

      Pois… porque a circulacao de sangue parando os teus tecidos vao alterar-se, logo se cortares um dedo, a menos que sejas rapido (talvez uns 10/20 minutos) nao vais ter sorte.

  5. Ricardo says:

    Aos poucos caminhamos para o controlo total da população.

  6. Alegom says:

    É mais fácil perder o PIN que um dedo, mas é mais fácil roubar um dedo (leia-se impressão digital) que o PIN…

  7. FERNANDO MARQUES MARTINI says:

    ISSO É BOM, PRATICO, POREM TEM UM PROBLEMA MACHUCA OU FAZ UM CORTE PARA VER SE FUNNCIONA

  8. Joao 2348 says:

    Seria mais interessante o método que já falei anteriormente, um aparelho com um tamanho próximo do cartão de débito/ crédito e pouco mais grosso que exibisse as operações no ecrã do próprio aparelho e a autorização fosse através de código (exibido em posições sempre diferentes) e colocação de impressão digital (algo que você sabe, com algo que você têm).
    O melhor é que poderia até conter vários cartões bancários (chaves digitais) que o utilizador até poderia personalizar para utilizar por tipo de operação/ comerciante/ dia da semana/ etc.
    Ah! E seria realmente mais seguro para o cliente, para os comerciantes, para os intermediários e para os bancos.
    Sendo um dispositivo dedicado só para essa função seria mais complicado os ataques, por ter menos superfície de ataque, em especial se os aparelhos fosse sujeitos a múltiplos testes de ataques aos mesmos por terceiros especializados na área incluindo universidades.

    • Pedro H. says:

      +1
      Melhor ainda seria usar as “chaves digitais” ( diga-se cartões bancárias ) dentro da segurança do nosso cartão de cidadão. Embora conceda que existem problemas com o roubo de identidade. É sempre mais fácil anular o conteúdo de um cartão de uma só vez, do que perder tempo em anular vários cartões em várias entidades diferentes. Creio que se calhar a biometria no Cartão de Cidadão seria porreiro. Não precisava de decorar os pins complicados, bastando para isso a impressão digital.

  9. just a normal guy says:

    isto a haver em portugal,esta disponivel em 2056,sim porque somos um dos Paises que tem mais diversidade de bancos,mas ao mesmo tempo temos dos piores servicos e mto atrasados nas novas tecnologias..mas muito avancados nas despesas de manutencao mensais.

    • PL says:

      Sai fora do teu “mundinho” e olha á volta. Que se passa com o tuga que só sabe desvalorizar o que tem?

      Diz aí que países estão melhores ?
      Pelo que sei por experiência própria (não pelo que diz o vizinho do lado) no grande US, ainda nem tem PIN, estão agora a implementar chip mas sem PIN, aqui em Espanha pagamos comissão para aceder ao nosso dinheiro, na Inglaterra continuas a ter de ir ao Banco para resolver assuntos que a maioria dos portugueses faz no telemovel ou a ir aos correios pagar taxas, na Franca o caixa automático da para levantar dinheiro e pronto, esquece lá isso de pagar serviços … o mesmo acontece em Espanha.

      Poderia continuar mas seria um post demasiado grande.
      Se não gostas do país em que vives, faz as malas e muda.

  10. CaptainObvious says:

    O que mais irrita nisto é que tem quase de certeza tecnologia portuguesa com financiamento português, mas enfim, temos péssimos empreendedores e falta de escala.. Pena que não posso divulgar qual foi a empresa que fez isto..é triste.

  11. okapi says:

    Se for com a mesma tecnologia que alguns telemóveis trazem, então é para esquecer porque volta e meia deixam de funcionar e tem que se reprogramar e num cartão é muito chato.

  12. Jorge Lists says:

    Confiar/dar dados biométricos a instituições bancárias … mas cada um é que sabe de si !!

  13. R says:

    nao percebo muitos dos comentarios aqui… se por um lado isto traz mais seguranca ao cartao, para outros isto éum ataque á privacidade…

    ou aceitam e usam ou deixam de usar tudo que sabe da vossa localizacao, informacao,… (iam ter de deixar de usar Via verde, pagamentos online, pagamentos com cartao, levantamentos em caixas multibanco, emails, redes sociais, voos, passar fronteiras,… .facam uma cabana na floresta e sejam felizes! 🙂

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.