PplWare Mobile

Lisboa: 120 câmaras em semáforos e mais radares de velocidade


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

86 Respostas

  1. Arlindo says:

    Não vai diminuir acidentes nenhuns.No máximo a receita com multas aumenta.

    Estes ditos eleitos do povo nada mais fazem do que estar a todo o momento a decidir contra o povo.

    • Tomás says:

      Os radares estão para a velocidade como os Policias de Fingir estão para a ordem rodoviária na cidade, é só mais uma forma de o Medina ter dinheiro para fazer as obras que precisa para ser reeleito

    • beta says:

      As multas são resultado de contraordenações. Se não concordam com as mesmas é fazer uma petição para se alterar o código da estrada. Por exemplo permitir que se possa passar o vermelho se o mesmo só caiu há 5 segundos. Estacionar em segunda fila ou em cima do passeio se se estiver a trabalhar e se se tiver a cortesia de deixar os 4 piscas. Não parar na passadeira se o peão já tiver mais que a idade da reforma e por isso for um peso para a sociedade.

      • rjSampaio says:

        top 1% dos comentário que aqui vim, muitos parabéns, partilho completamente a tua opinião e não conseguia expor melhor.

      • Tiago says:

        Muitos parabéns excelente observação e comentario. Ninguem tinha percebido isso.
        Uau. Deixa me só fazer uma pausa para contemplar tanta inteligencia….

        Agora diz me uma coisa. Além da receita feita com as mesmas porque efetivamente tens toda a razão – são contra-ordenações, qual o resultado pratico na VIA? Repito, não é nos cofres do estado, nem nas comissões dos senhores agentes, é na via! Menos acidentes? Menos atropelamentos? Menos mortes? Menos excessos de velocidade?

        Como é que me vou admirar das medidas instauradas dos nosso governantes, se os que estão a baixo deles são gajos com o mesmo pensamento que tu e que votam precisamente neles?!

        • onurb82 says:

          A parte da comixom para os senhores agentes (o pessoal da emel até fica de peito cheiro). LOL
          O cidadão não vai lá com prevenção… Quem o diz são os números de vítimas em LX, se não se pode mudar as condições das vias (num curto espaço de tempo) na cidade, os condutores como urbanos que são, deveriam adequar o seu comportamento… Como não o fazem REPRIME-SE!

        • Tiago2 says:

          Mister,

          e qual é a tua sugestão para prevenir? Se não é a multar e a retirar pontos da carta, como é? só impedir carros na capital…secalhar. Não sei…diz-me tu?

        • beta says:

          @Tiago o resultado prático é que quem incorra com regularidade nas mesmas em teoria terá que tirar novamente a carta pois irá ficar sem pontos. Há os incumpridores crónicos e são esses que vão ficar apertados se não mudarem os comportamentos. Há pessoas que todos os dias estacionam o carro no mesmo local proibido tornando-o legal na cabeça deles. Há pessoas que conduzem constantemente a cima dos 50Km/h na cidade. A maioria das pessoas que vive em Lisboa, sejam condutores ou não, são prejudicados por esses comportamentos quer sejam os passeios com carros, a poluição provocada, os riscos ao atravessar uma passadeira.

      • Arlindo says:

        Exato. Há muitas formas de prevenir acidentes com eficácia e nenhuma delas passa por caça à multa. Radares sinalizados (sinalizados!) seriam melhor solução.

    • ora ora says:

      Contra o povo estão os anormais que andam a velocidades loucas quando não deviam ou empancam o transito todo porque não querem andar 500 metros a pé. Mas para estes, exigir civismo é estar contra toda a gente

    • Nuno says:

      Então o que é que faria oarar os acidentes, protegendo o povo, como pareces querer, Arlindo

    • João says:

      “Não elejas os teus próprios opressores.”

    • Miguel Gomes says:

      Que há caça à multa? não digo o contrário. Por outro lado só as apanha quem se coloca a jeito.

      Pior que uma multa é ver marmanjos a fazer ultrapassagens perigosas, mostrar total desrespeito pelo os outros condutores, pelo código da estrada e a por a vida de adultos/crianças/bebés em risco porque acham ser o ogier ou hamilton da aldeia deles , mas a policia é que é sempre a má da fita.

      Eu gostaria de poder enviar video da dashcam para a policia, e os mesmos agirem de acordo com o que vissem no video… Assim não era preciso gastar dinheiro em câmaras de vigilância… Era barato e eficaz, era com milhões de “câmaras de vigilância” na estrada caso a grande maioria dos condutores aderissem ao método. Não escapava nada e de certeza as infracções, acidentes, feridos e mortes diminuiriam.

  2. bom senso says:

    acho muito bem, por causa dos “turistas”, deviam ser antes 120.000 cameras e radares, e para reduzir velocidade lombas a cada 2 metros…

    já me esquecia viva a Portugal…

  3. AiOGajo says:

    Se fossem radares minimos de velocidade é que era!!

    Vais a 90 e o limite é 120km? Apanha castanhola, fosses de autocarro pastel!

    • José Carlos da Silva says:

      Claro, porque perigosos são os que vão a 80/90 na AE e são ultrapassados por conscientes a mais do dobro da velocidade. Mais ainda em dias de chuva intensa. Somos todos pilotos e todos temos carros altamente seguros, felizmente.

      • Kardosas says:

        José Carlos da Silva,só tenho uma questão…esses 80ou 90km/h são feitos na qual faixa de rodagem, é que pelo seu comentário dos 80 ou 90 km/h na auto estrada eu suspeito que sei qual a faixa que o sr. normalmente circula

        • Miguel says:

          lê o Código

          começa pelo
          “Artigo 1.º 
          Definições legais
          Para os efeitos do disposto no presente Código e legislação complementar, os termos seguintes têm o significado que lhes é atribuído neste artigo: 
          […]
          f) «Eixo da faixa de rodagem» – linha longitudinal, materializada ou não, que divide uma faixa de rodagem em duas partes, cada uma afeta a um sentido de trânsito; 
          […] 
          h) «Faixa de rodagem» – parte da via pública especialmente destinada ao trânsito de veículos; 
          […] 
          u) «Via de trânsito» – zona longitudinal da faixa de rodagem destinada à circulação de uma única fila de veículos; 
          […]
          x) «Via pública» – via de comunicação terrestre afeta ao trânsito público; 
          […]”

        • José Carlos da Silva says:

          Na via do meio ou na mais à esquerda, como é evidente. Tal como todos os bons condutores praticam, pois segundo já li por aqui, a direita é só para quem vai sair…

          Ironias à parte, se suspeita isso, suspeita muito mal.

  4. pedro says:

    mais radares, menos estacionamento, menos velocidade!!!! esta é a desastrosa politica de mobilidade deste executivo, é uma politica repressiva, que meramente o aumento da receita!!!! gostava era de ver noticias de abertura de novos parques de estacionamento, que a EMEL não “vendesse” mais dísticos de residentes do que lugares que existem e que não andasse obsessivamente na caça á multa, que construíssem silos de estacionamento em altura (em prédios) como existem em outras capitais, enfim, ter uma politica que facilite a mobilidade e a qualidade de vida dos cidadãos!!! não há obra de “melhoramento” nesta cidade que no fim tire lugares de estacionamento!!! este executivo há muito que merece o cartão vermelho …… tornou a vida dos lisboetas num inferno!!!!

  5. Ze says:

    Acho muito bem.
    Em Portugal anda se MUITO depressa!

    Dentro das localidades é só vê-las a passar a 100km/h!

    Em Paris há radares a todos os 5km e não se brinca lá, ali anda tudo devagar…

    Em Paris há muito mais transito , mas muito menos acidentes, porque será?

    • Márcio Graveto says:

      “Em Paris há muito mais transito , mas muito menos acidentes, porque será?”
      Vive em Paris ou na região de Paris? Nao me parece, e que esta malta e um atraso de vida, basta um bocadinho de chuva e esta a barraca armada e acidentes com forca, ou os 500km de filas de transito que existem por vezes sao derivados a que?

  6. hsff says:

    Bem-vindos ao Big Brother… Os carros passaram a ser o bode expiatório para tudo, que interesses é que estão efectivamente em causa? Isto era o que todos se deviam perguntar. Os que agora acham muito bem isto vão ser os mesmos que se vão manifestar quando forem eles a ser vigiados, é a hipocrisia habitual, há sempre boas razões para as pessoas perderem a sua privacidade.

  7. Sérgio E. says:

    E entretanto vai ser investido ZERO em melhorar a rede de transportes públicos e criar uma alternativa para a utilização de carro. Faz lembrar a lenga-lenga de quando criaram a EMEL: “o dinheiro das multas vai ser aplicado na criação de parques gratuitos na periferia da cidade, que serão servidos por meios de transporte públicos para o centro da cidade”.
    Alguém me sabe indicar onde existe um ? Um só ? Desengane-se quem acha que estas medidas são para evitar o excesso de velocidade. Também o irá fazer, mas o objectivo final é mesmo encher os bolsos.

  8. Antonio says:

    Toca de sacar carcanhol ao pessoal, é assim mesmo, 1°estrangula se as vias para o trânsito não fluir 2° diminui se o número de lugares de estacionamento e aumenta.-se o passeio para que 20 pessoas possam passar a par lado a lado, 3°taxa se o pouco estacionamento que restou a peso de ouro. E assim para além de se agravar o trânsito e a poluição em Lisboa se resolve o fundo de maneio da câmara que permite as contratações milionárias que se tem visto, secretárias a 3000€ e conselheiros a 96000€… GANDA MEDINA!!! TAS LÁ!!! Assim vale a pena pagar IUC! (é verdade 80% do valor vai para a câmara)…. Para quando um imposto sobee os combustíveis vendidos na cidade?

    • MarioM says:

      Neste País quaquer politico pode fazer tudo.
      Que esta-se bem, já sabem que nunca lhes acontece nada.

    • Rui says:

      É isso mesmo que se está a fazer. Tudo para impedir que venham mais carros para Lisboa. Inventam-se razões absolutamente mentirosas e provoca-se o caos no trânsito para que as pessoas deixem de vir para a capital. A razão é só essa. Retirar os carros de Lisboa. Tudo o resto é fantochada, teatro e mentiras.

      Mas também é verdade que em estradas como na Avenida da Liberdade, a todo o momento estão carros a passar os vermelhos à descarada(qualquer um deles) e a entrar em contra-mão(semáforos da praça da alegria), sem que haja uma vigilância apertada contra estes chicos espertos. Nem percebo como é que a polícia não monitora todos estes pontos para se encher de dinheiro. Estaria sempre a pingar!

  9. Dan says:

    Se ninguém fizesse asneiras( ou uma ou outra) não seria preciso coisas destas, mas como normalmente comentem excessos têm aí a resposta.

  10. 365 says:

    Para os que criticam, experimentem ir a outras cidades europeias e conduzam como fazem em Portugal. Fica a sugestão.

  11. Pedro says:

    “Com o objetivo de reduzir a velocidade de circulação”……lol… de 30 para 10km/h??

    • José Carlos da Silva says:

      Não, com o objectivo de se ver um vermelho acabadinho de cair e perceber para que serve o pedal de travão, e que acelerar ainda mais, para parar 100 metros mais à frente não leva a lado absolutamente nenhum!

    • MarioM says:

      A Galp agradece , que a velocidade seja pouca e as filas sejam muitas.
      é o resultado de termos camponios em lugares onde devera existir gente competente.
      Por isso já deixei de votar estou farto de trolhas cuja utilidade que têm é fazer assaltos a carteira.

  12. Hugo Gomes says:

    Tanto gasto nao sei para que uma peça eletrónica no nosso carrito entrou na cidade prego a fundo no acelerador olha nao consigo ir a mais de 50km/h

    • 365 says:

      Desde quando as cameras servem apenas para controlar a velocidade? E respeitar sinais? Passadeiras? Uma simples paragem de autocarro? Como disse num comentário mais acima, experimentem conduzir noutras cidades como fazem em Portugal. Depois descobrem que parar numa paragem de autocarro dá multa, ou que estacionar em locais indevidos dá multa, ou que passaram aquele sinal vermelho e ficam sem carta. Não admira que os camones cheguem a PT e digam que é complicado conduzir em Portugal.

  13. Hugo Gomes says:

    Melhor que isso um burrito e uma carroça 😀

  14. Patricia says:

    No Brasil esse sistema existe a mais de 20 anos. A maioria dos semáforos tem 1 camara, passas no vermelho e flash. Recebes a foto e multa por carta. Também existem as lombas com radares (que também fotografam). Além de perderes pontos na carta. Ôó…

  15. Schummy says:

    Não poderia estar mais de acordo.É a politica do quanto mais sacar aos otários dos automobilistas…melhor.Com a excelente rede de transportes publicos que tem…podem limoar as mãos à parede.Mas assim já não haverá greves promovidas pela CGTP.Os ciclistas que passam e atravessam qualquer via e em quaisquer circunstâncias são sempre estimulados,nem matriculas ,nem seguro possuem,mas fazem pendant com os amigos do berloque.

  16. Zé Gato says:

    Bom parece que está na hora de adquirir uma fisga

  17. SRF says:

    Realmente não se entende este povo, queixam-se que lhes vão ao bolso mas fazem dos semáforos autenticas drag races, queixam-se da falta do estacionamento mas não vivem sem trazer o seu carrinho topo de gama para o meio da cidade, queixam-se das filas de trânsito mas só vejo automóveis de 5 lugares com o condutor lá dentro…
    Eu concordo plenamente com mais radares na cidade para controlar artistas armados em “Fitipaldi’s”, concordo com cameras nos semáforos para apanhar aqueles que desrespeitam o vermelho e o verde dos peões nas passadeiras que tanta vez se atravessaram à minha frente só porque “tavam com pressa”, e se o peão reclama ainda ameaçam passar por cima como fossem donos da estrada.
    Acho que ainda não perceberam que quanto menor for o numero de automóveis na cidade, mais rápidos e eficientes serão os transportes públicos, e quanto maior for a procura, maior será a pressão a adequar a oferta?
    Sou automobilista, desloco-me diariamente de transportes públicos para o meu trabalho no centro de Lisboa, sou confrontado diariamente com estas situações e acreditem em aquilo que vos digo, se as autoridades aplicassem o código da estrada com 0% de tolerância, não havia papel para passar tanta multa, nem tribunais que dessem despacho a tanto auto de contra-ordenação.
    Enquanto existir este chico-espertismo e falta de civismo, o condutor tuga só aprende à base da multa…
    Tenho dito…

    • Sérgio E. says:

      Desculpe mas você vive alheado da realidade… “quanto menor for o numero de automóveis na cidade, mais rápidos e eficientes serão os transportes públicos” ??? A sério ? Diga-me isso da próxima vez que eu chegar ao metropolitano e houver greve, atrasos, linhas cortadas, etc. Deve de ser culpa dos automóveis. O autocarro da carris avaria por ser do século passado ? Culpa dos automóveis. Os barcos não atravessam o Tejo por culpa do mau tempo ? Culpa dos automóveis. O passe do comboio da ponte custa quase 100 euros ? Culpa dos automóveis. E sim, há automóveis de 5 lugares apenas com o condutor lá dentro. Infelizmente há quem tenha de ir levar os filhos à escola/creche, e a alternativa é chegar uma hora depois ao emprego. Vou sozinho de carro ? Pois, a necessidade obriga e ninguém me explicou quando comprei carro que não podia andar sozinho. Se calhar vou começar a levar 3 ou 4 tipos que não tenham nada para fazer só para não ir sozinho. Para terminar: não só nem todos os condutores são criminosos em potência, como a repressão nunca serviu para educar ninguém em tema nenhum e concerteza não será por aumentarem as multas que deixará de haver aceleras e indivíduos que se comportam como bestas ao volante.

      • SRF says:

        Caro Sérgio E.
        Em primeiro, o Metropolitano não partilha vias com os automóveis, excepto em locais pontuais onde existem metros de superfície. Quaisquer perturbações são responsabilidade da empresa e não do tráfego automóvel.
        Segundo, para os moradores na margem sul de Lisboa houve decerto vantagens para quem decidiu arrendar ou adquirir casa nessa zona, assim como há vantagens para as milhares de pessoas que moram na zona Norte-Oeste de Lisboa. Cabe a cada um avaliar a relação custo-benefício de cada opção escolhida.
        Terceiro, a afirmação não é de minha autoria, mas sim de uma tese elaborada no IST em 2004 (http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/MSc4-thesis.pdf) que poderá ter originado a implementação do sistema GERTRUDE e SAEIP, deixo o link caso estejam interessados em ler a tese.
        Quarto, em termos de avarias nos transportes públicos é uma realidade causada pelo desinvestimento nestes meios de transporte, originada pela falta de procura nestas alternativas, volto a reiterar que quanto maior for a procura, maior será a pressão das entidades para adequar a oferta.

    • Sujeito says:

      Estás a misturar tudo.

  18. Rui Costa says:

    Só não percebo porque é que está TUDO contra e ninguém pensa em CUMPRIR!!!!

    • qeryy says:

      So estão a seguir o exemplo das promessas eleitorais.

    • Sujeito says:

      Onde é que vês tudo contra mais civismo? A mim parece-me que a malta está é contra medidas que não impedem grande coisa e ainda te vai prejudicar mais cedo ou mais tarde.

      • Tiago says:

        Impedem sim. Se passares vermelho e levares multa, da próxima já não passas. E se levares multa por andares a 100 numa estrada onde só podes is a 50, da próxima já não andas. AS pessoas precisam de ser domesticadas com este tipo de coisas porque se recusam a cumprir as regras básicas do civismo, infelizmente.

        • Sujeito says:

          De acordo que precisa-se de mais civismo.

          Mas essas pessoas que passam o vermelho, vão voltar a passar. Tal como as empresas que pagam multas por má conduta, voltam a praticá-la. Porquê?

          Por que a relação custo benefício (na mente deles ) compensa.

  19. J.costa says:

    Mais uma tanga, mas ninguém fala em cumprir regras básicas. Como por exemplo infante Dom.Henrique gastaram milhares de euros a fazer pista para bicicletas . E os ciclistas anda na faixa dos auto e bus.
    Mais neste momento tens uma faixa entre santa Apolónia e poço Bispo de fila pirilau não fazes média 30 km enfim mais uma manobra pro bolso.

  20. Pedro says:

    Esta malta não está preparada para pensar fora da caixa ➡️ radares para peões

  21. J.costa says:

    Mais uma tanga, mas ninguém fala em cumprir regras básicas. Como por exemplo infante Dom.Henrique gastaram milhares de euros a fazer pista para bicicletas . E os ciclistas anda na faixa dos auto e bus.
    Mais neste momento tens uma faixa entre santa Apolónia e poço Bispo de fila pirilau não fazes média 30 km enfim mais uma manobra pro bolso.

  22. j.costa says:

    Se eles não sabem onde todos os dias há acidentes eu digo. túnel do aeroporto. Segunda circular em frente da escola de comunicação, nos dois sentidos e mais lugares crónicos porque será ? a camara já fez alguma coisa pra resolver o problema? zero.
    A solução é fácil não precisa de radar nem câmera.Deixem de ser demagogo! !!!

  23. censo says:

    O que realmente falta é educação e civilização. Precisamos de um povo educado e civilizado.

  24. MarioM says:

    Sempre a pensar em como roubar o automobilista, sim por a Emel já não chega.
    Temos uma camara onde pudemos estar descansados porque o assalto tem de ser continuou.

  25. Santos says:

    Meus senhores Maomé com mais radares e multas que vamos la! Tudo parte de um prencipio, eu tenho cunhecimento que as escolas de condução de hoje ou a politica de ensinamento esta muito fraquinha e também se tira a carta hoje em menos de nada! Maioria dos acidentes não são por excesso de velocidade mas sim por manobras perigosas não falando de telemóveis que ate algumas pés das param no meio da estrada para estarem ao telemóvel como se tivessem bem estancionados! Agora esta politica das multas e mais multas claro que é para encher os bolsos do estado!
    Outro exemplo so para verem a porcaria desta politica…. Foi divulgado as uns anos que para melhoria do tráfego automóvel nas cidades que poderiam comprar uma moto ate 125 cc e conduzirem quem tivesse a carta de carro, depois de se venderem muitas milhares de motos começou a interessar ao governo que as pessoas tirassem carta de moto! Agora alguém me explique sem gaguejar o porquê disto? Para isso era como dantes só andava de moto que tivesse carta.
    Isto é um exemplo entre muitos da porcaria da politica que temos só para sacar o máximo que possam das pessoas! Aqui em Portugal só vão buscar exemplos de outros países do que interessa! Vão buscar exemplos da qualidade de vida ( poder de compra ) etc. Isso já ninguém fala!
    Cumprimentos.

  26. Corda says:

    Boa tarde
    Eu gostava mesmo era de saber quando é que vamos deixar de ter estrada com buracos, com tanto dinheiro em multas será que vai dar para tapar os buraco “da via pública ” e alcatrão com qualidade, pois há alcatrão que escorrega mais do que a minha faca com manteiga no pão. Obrigado

  27. Verissimo says:

    Para mim colocava só camaras nos semáforos depois de cair o vermelho flash neles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.