PplWare Mobile

App RADARES de Portugal lança versão melhorada para Android


Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Jose Sá says:

    MADE IN PORTUGAL
    “Compre” o que é nosso! Use o que é nosso!

  2. Carlos says:

    Sei que a intenção foi boa mas essa mentalidade é do século passado…
    Compre o que é BOM e use o que é BOM, independentemente da sua origem…somos cidadãos do mundo!!!

    • Júlio Rocha says:

      Neste caso, o que é Nacional é Bom e continuamos a trabalhar para a melhorar. Cumprimentos.

      • Cyberon says:

        Pequeno à parte, retirem a expressão “Caça à multa!” da descrição da app, fica-vos mui mal…

        • Júlio Rocha says:

          Obrigado pelo conselho. Temos de conseguir uma expressão que “caracterize” a prática de radares de velocidade escondidos, sem qualquer sinalização prévia, seja de zona de acidentes ou, mesmo, de controlo de velocidade.

          • Cyberon says:

            Não e necessária uma descrição à CM julgo eu. Já agora, se cumprirmos o código da estrada não há problema em não estarem sinalizados (reparaste como não usei a expressão “escondidos”). Sejam profissionais, abraço.

      • Carlos says:

        Se é o criador da APP não lhe fica bem vanglorizar-se sobre a mesma…de qq forma, os meus parabéns pela concretização da ideia e vou testar concerteza. Cumprimentos

        • Júlio Rocha says:

          Não percebi essa observação, mas sou um dos programadores, sim. E não estou a vangloriar-me. Disse, apenas, que, neste caso, o que é nacional é bom. Também não percebo o porquê de tanta resistência em geral. Eu abro a RADARES de Portugal e abro apps semelhantes e nota-se logo a diferença, segundo o objetivo que têm este género de apps. Cumprimentos e bons testes. (Em caso de testes, apague os radares de seguida, de forma a manter-se apenas a informação real na App. Obrigado.)

          • Carlos says:

            Não percebeu?! Então desenvolve uma APP e vem dizer que a sua APP é que é boa? 🙂 Atenção que eu acho a ideia excelente se funcionar de forma colaborativa, como me parece que é o objetivo mas além de elogiar a sua própria APP, ainda deu ênfase ao comentário anterior que no fundo é o pensamento que mais prejudicaria os programadores portugueses…pois se todos países pensassem assim… continuação de bom trabalho e peço desculpa por trazer aqui um tema que nada tem a ver com o que está aqui em causa… cumprimentos

  3. Pedro says:

    só acho engraçado, que não podemos ter no carro um aparelho que nos avisa dos radares na estrada, por ser ilegal …
    mas podemos ter uma app que faz praticamente o mesmo
    por mim na boa se não uso um, uso o outro… ou os dois 🙂

  4. Hugo says:

    Como funciona o mapa, usa o mapa do Maps da Google? Eu tenho o mapa da Google offline, para não gastar muitos dados, isto vai usar o mesmo mapa?

    • Júlio Rocha says:

      Olá, Hugo! Descarregue o manual, através do item “sobre a App”, penso que explica melhor como funciona, pois tem imagens que ajudam a esclarecer. Mas pode user o Google Maps offline, em paralelo, sem problema. 🙂 os nossos mapas (da App) são Mapbox, que são mais flexíveis para programar e mais baratos. (sim, a partir de um certo número de utilizadores é-nos cobrada uma importância, mas nada de especial). Cumprimentos.

    • Júlio Rocha says:

      Hugo, esqueci de dizer que a melhor experiência com o Maps, é com o Android 8, no entanto com o Android 7, as indicações já se sobrepõem (e bem) na RADARES de Portugal. Nas versões anteriores do Android, apenas as indicações por voz, vindas do Maps, que está a correr em background. No fórum temos algumas imagens que poderão também ajudar. Cumprimentos.

  5. Rui Sousa says:

    As pessoas que criam e alimentam com informação este tipo de aplicações deviam parar para pensar um pouco.

    Pensar que esta informação não é só usada por quem quer evitar multas, mas também por criminosos que querem evitar operações STOP.

    E que se um dia têm o azar de lhe roubarem o carro, ou algo pior como um roubo ou um rapto, torna o trabalho da polícia de apanhar os criminosos quase impossível.

    Para evitar ser multado, basta cumprir o código da estrada e circular em segurança.

    • Júlio Rocha says:

      Rui Sousa, a RADARES de Portugal é a única App do género que não permite a divulgação de Operações STOP! A equipa Radares de Portugal é contra a partilha dessas informações (Operações STOP, Balanças, etc.). Só e apenas Radares em Tempo Real, que costumam estar escondidos e nada previnem a sinistralidade rodoviária.
      NOTA: Nesta última versão 2.0.1 existe a possibilidade de partilhar acidentes e trânsito, mas apenas no mapa!
      Obrigado.
      Obrigado.

      • Rui Sousa says:

        O excesso de velocidade mapa. Mata quem a pratica, mata os outros automobilistas e mapa os peões. Hoje de tarde em Viseu morreram mais duas pessoas atropeladas com um carro que se despistou. Há umas semanas morreram outras duas à porta de minha casa, atropeladas com um condutor que se despistou por excesso de velocidade.

        Se não houver radares ocultos, todos esses assassinos podem continuar a circular em excesso de velocidade, pois nunca vão ser apanhados, multados e perder a carta de condução.

        Quem contribui com informação para aplicações destas, é cumplicie das mortes causadas pelo excesso de velocidade, por quem a pratica não ser punido.

        • Júlio Rocha says:

          Concordo em parte, mas, repare, maior parte das vezes as autoridades não intercetam o “criminoso”! E, já agora, também o informo que já presenciei Caça à Multa ridícula, onde o radar está escondido , no início de uma descida, depois de uma zona de acidentes e, mesmo assim, não havia ninguém a intercetar os “criminosos”! Por favor, de forma a não sairmos fora do contexto, ficamos por aqui. obrigado. NOTA: Já há muitos anos que me envolvo com o Radares de Portugal e, desde aí, que os meus comportamentos na estrada melhoraram consideravelmente. Se calhar não só aconteceu comigo. Para finalizar, se as autoridades (que muito respeito e quem me conhece sabe disso) realmente colocam o radar em zonas propícias a acidentes, então o Radares de Portugal é uma mais valia. Diria mesmo que até se completam. Obrigado.

        • DR says:

          Sr. Rui Sousa, o excesso de velocidade, ou presumindo tal, é muitas vezes a justificação mais à mão para todos..
          A alta velocidade devidamente controlada não mata.. Senão, o que seria de todas as provas de automobilismo e motociclismo…
          O que mata são as distrações, o facilitismo, quer de condutores, quer de peões, nas várias circunstâncias…
          Não precisa alegar excesso velocidade quando, supondo, o condutor poderia ir distraído com telemóvel, por exemplo, perdendo noção de espaço e tempo, facilitando assim o descontrolo e consequente despiste causando as vítimas que comentou..
          Muita da sinistralidade advém de incúria das pessoas.. Condutores e peões…
          A Radares de Portugal apenas, e bem, faz parte do que as autoridades deveriam fazer: prevenção. E está, com 2 vertentes bem claras..
          Já as autoridades, e com se constata pelos números divulgados, aumentaram o número de fiscalização e de radares nos últimos anos. Resultado: maior sinistralidade, mais feridos e mortos, etc..
          Onde estão as verdadeiras fiscalizações? As OS, a presença mais constante e visível bem como ativa.. Isso sim, seria prevenção.
          Chamar assassinos aos condutores em geral que, em determinadas circunstâncias até vai um pouco mais depressa eventualmente, na minha opinião é demasiado forte e agressivo. Para além de demonstrar alguma falta de informação e cultura.
          Nem Haja a Radares, bem hajam as autoridades que realmente executam a árdua tarefa de prevenção.
          PS- não incluo autoridades que apenas passam a multa e pretendem cobrar, persuadido a tal por vezes.. Isto quando mandam parar…
          Na A1, entre outras, autuar a 126km /h previne o quê…?

          • Cyberon says:

            Estavas a ir tão bem, eatragaste tudo no fim.
            “Na A1, entre outras, autuar a 126km /h previne o quê…?”
            Vejamos, para seres autoado a 126km/h com a margem de erro do radar (7km/h neste caso) e o erro do velocímetro (num carro fatela como o meu) 126+7+10 = 143.
            Tinhas marcado no velocímetro 143km/h num local onde deverias andar a 120km/h…

          • DR says:

            Cyberon

            Registo de 132km/h, deduziram 6km por margem de erro (q engloba erro de velocímetro e/ou de leitura do radar..) = auto/coima a 126km/h – foi isto que quis dizer, o valor efetivo e que dita o auto.
            Exemplo prático, não meu mas em minha posse.

            A diferença é que, e dito por quem o faz, autuar acima das 150km/h (entrando na infração grave), em 1h, são “caçados” +- 10 condutores.. (porque andamos sensibilizados para circular na ordem dos 140km/h, velocidade perefitamente controlável em autoestrada e já assumido publicamente pelas autoridades).
            Como o controle e respetivas coimas estão abaixo da “prevenção” desse dia, há que baixar a tolerância..
            Assim e na hora seguinte (existem registos..) são para cima de 100 os condutores apanhados nesta “prevenção”…
            As diferenças:
            na primeira hora, parando ou não o condutor, são autos de montante minimo de 120€ (x10 = 1.200€)
            Na hora seguinte e sem mandar parar condutores pela infracção leve, com minimo de 60€ (x 100, pelo menos = 6.000€)

            E para bom entendedor , meia palavra bastará

          • Rui Neves says:

            As estradas não são pistas! A alta velocidade qualquer distracção é a morte do artista, ou acha que é a mesma coisa parar em segurança uma viatura a 120 e a 200??

    • Sky2008 says:

      Não disse nada de errado, é verdade, mas fico com a impressão de que o sr Rui deve ter alguma ligação com as autoridades…

      Mas não fique assim… O radar até pode lá estar sozinho e não vai mandar parar ninguém, logo, os criminosos de que fala não precisam de evitar o percurso.

    • Fak says:

      Rui Sousa,
      já venho tarde mas apoio a ideia.
      vejamos, pagamos balúrdios em portagens e scuts para circular a 120?
      Qo que pagamos acho que o limite devia ser de uns 150/h, é um roubo, ainda hoje vim para a sertã, pela nacional (fora de localidades passando pelo centre de umas vilas) demoro apenas mais 20 mins que pela autoestrada, são 15€ em portagens e scuts que poupo… Pagar 15e por uns 20 minutos?
      o governo tá a gozar com a minha cara só pode…

  6. Tz says:

    …nem mais, no entanto operações é uma coisa e, radares é outra…

  7. Tz says:

    No meu OnePlus 5, não funciona com Google maps

    • Júlio Rocha says:

      Viva Tz! Não sei se é por ser OnePlus, mas foram testados alguns telemóveis e a partir do Android 7, todos funcionavam! Tenha atenção que as informações só aparecem sobre a RADARES de Portugal quando são emitidas notificações! Temos um vídeo no fórum a exemplificar isso mesmo. (como não sei se posso colocar aqui links, sugiro que vá ao item “Sobre a App” e clique sobre a palavra tópico, na descrição Manual / Suporte.

  8. David Nunes says:

    Em tempos usei os radares no meu gps tomtom e no meu nokia com o ndrive e era uma maravilha, sempre que me aproximava de uma zona de radar era avisado sonora e visualmente. No entanto quando mudei pra android, reparei que a aplicação apenas me dava uma lista de radares e não interagia directamente com o gps (google maps, meodrive…). Não sei se era por não ter os dados móveis activos ou se era mesmo assim. Nesta última versão, já é possível usar a aplicação mesmo offline, usando apenas o gps e receber os avisos em tempo real?

    • Júlio Rocha says:

      Olá David Nunes!
      Sugiro que descarregue o “manual de utilização” através do Menu > Item “Sobre a App”. Tem lá (quase) tudo.

      Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.