PplWare Mobile

IRS: Tabelas de retenção na fonte para 2020 já foram publicadas


Autor: Pedro Pinto


  1. Pedro Pedrosa says:

    No meu caso foi alterado em 0,1%.

    Tenho de ver bem onde vou aplicar esse 1,5€ a mais.

  2. João M. says:

    Facto impopular: ~20% da população trabalhadora não desconta IRS e 25% desconta muito pouco. Por outro lado, a classe média desconta, em média, 19% do seu rendimento para o IRS. E não estou a contar com o desconto geral de 11% para a SEg.Social, que é igual para todos (salvo erro).
    Opinião impopular: Acho que todos deveriam contribuir, nem que fosse o minimo de 0.5% (como o primeiro escalão a pagar) para o peso do estado – que é cheio de “gratuitidades” que não o são (pois são pagas com impostos). Mesmo que fosse uma contribuição “simbólica”, pelo menos seria uma contribuição para uma infraestrutura cara e que é mantida maioritariamente por quem está no centro da tabela. Vivemos numa era em que quem está no centro da tabela tem de fazer mais contas ao fim do mês do quem está no inicio (e no fim, claro..).
    Solução que sempre é falada é taxar os “ricos” mas os ricos não são uma grande percentagem e a soluçao deles é simplesmente sair do pais ou outras “voltas” legais para não pagar tanto. Por isso o foco fiscal é sempre o meio da tabela. E não esquecer que depois temos os impostos indirectos que são IGUAIS para todos – por isso quem diz que hoje paga menos impostos engana-se, é verdade que recebe mais dinheiro no inicio do mês mas depois gasta mais ao longo do mês… enfim.

    • PedroC says:

      Sobre os impostos indirectos, estamos falados. Sim, pagamos muito mais, proporcionalmente, do que no tempo da troika. Em relação à isensão nos primeiros escalões, acho que poderia haver excepções, mas concordo que devia sempre haver uma percentagem de contribuição. A única coisa que teria de mudar para isso acontecer era os salários aumentarem transversalmente. Há uma regra muito básica que melhora a qualidade de vida dos cidadãos e que o Socialismo não quer ouvir sequer falar: deixar aos cidadãos usar o dinheiro do seu trabalho para o que bem entenderem em vez de ser o estado a controlar as pessoas através de subsídios. Explicado de uma forma bem simples. Preferem receber 1000€ e pagar 200€ de impostos ou receber 1000€, pagar 400€ de impostos e depois receber 200€ em subsídios? O socialismo tem sempre de ter o dinheiro na mão para obrigar o eleitorado a votar sempre neles.

    • André says:

      “Solução que sempre é falada é taxar os “ricos” “, não entendo porque isso é solução. O justo seria uma taxa fixa igual para toda a gente. Vamos supor o valor 20%(pode não ser viavel), assim todos descontam o mesmo. Não me parece justo só porque a pessoa é rica paga mais que os outros. É um cidadão com os mesmos direitos e deveres. Usa as mesmas estradas e organismos dos estado. Mas isto é apenas a minha opinião claro.

    • 2123 says:

      Sou defensor que todos deveriam descontar, nem que fosse 0.5% como diz.

  3. linota says:

    1 ou 2 euros que recebe a mais no ordenado 🙂

  4. rikardo pereira says:

    eu vou continuar a 0 sem receber e sem pagar …

    • Rui says:

      Isso é pior, salário muito baixo então!!!!

      Mas olhe? Peça aos RH que lhe descontem alguma coisa por mês, nem que seja 1 euro!!!!
      É que se não descontar nada, as suas deduções de IRS não contam para nada e ainda se sujeita a pagar IRS quando entregar a declaração!

      Ao contrário, se pagar o mínimo dos mínimos, as suas deduções contam todas e é quase impossível pagar IRS quando entregar a sua declaração!!!!!!

  5. Shout says:

    Porque é que nalguns valores (ex 1000 euros) os pensionistas casados dois titulares descontam mais de IRS do que os casados dois titulares com filhos?

    • Rui says:

      Os dependentes (filhos por exemplo e até podíamos incluir os pais acamados) fazem baixar o IRS a pagar. Quantos mais filhos tiver um casal, naturalmente baixa mais ainda o IRS. Os reformados só pagam mais se não tiverem ninguém a cargo.

      O nosso problema surge pelo facto de termos impostos muito elevados.

      • Shout says:

        O que há mais é reformados a mesmo sem terem os filhos explicitamente a cargo continuarem a ser o suporte de filhos e netos…sem falar naqueles que por alguma infelicidade tiveram de se reformar mais cedo e continuam a ter filhos a cargo.

        • Nuno Teixeira says:

          Eu percebo o ponto de vista e nalguns casos até pode ser injusto.
          No entanto, no caso de pensionistas, por cada dependente é reduzido 0.5% na retenção. Isto encontra-se no despacho nesta alinea:

          «d) Na aplicação das tabelas VII a IX, quando existirem dependentes a cargo, a taxa de retenção na fonte a aplicar aos rendimentos de pensões, após aplicação, sendo caso disso, da regra da alínea anterior, é reduzida em meio ponto percentual por cada dependente a cargo, sendo ainda aplicável o disposto na alínea a) na situação aí prevista.»

  6. Crow- says:

    Redução de 0.2%, ridiculo, mas melhor que nada.

  7. Nuno Teixeira says:

    Acho que acabaste por chegar à resposta. Por, provavelmente, não terem filhos dependentes?

  8. Carlos Rebelo says:

    Em excel alguem tem ?

  9. Tvlio Detritvs says:

    Maior carga fiscal de todos os tempos.
    Ainda bem que acabou a austeridade.
    Nem quero imaginar se continuasse…
    Navegar à vista até à bancarrota que é certa.
    Depois quem vier que se desenrasque, como é habitual o PS fazer.
    Mas, como sempre digo, temos o que merecemos ter.

  10. Sergio says:

    Não percebo muito IRS, mas nos últimos 2 anos deixei de ter reembolso IRS, era pouco mas bem-vindo, e coincidiu com nascimento do meu 2º filho (tem 3 anos) , é normal?
    É que não me faz muita lógica, o salário é o mesmo, as despesas aumentaram e reembolso IRS desapareceu.

    • João M. says:

      Podem ser erros de cálculo que normalmente acontecem quando se lança o IRS nos primeiros dias. O IRS muda todos os anos e alguns calculos e eles são testados “live” o que implica que correcções são feitas nos dias seguintes Às primeiras submissões. Quem não corrige e lança logo no 1º dias, pode ter uma liquidação errada por causa disso.
      -No entanto, reembolso zero quando se tinha algum, é estranho dado que agora existe um dependente. O melhor sitio a perguntar é com algum contabilsita que conheça ou vá ao facebook – grupo contas poupaça – duvidas e lá ha sempre alguém que pode ajudar.

    • fc says:

      Por exemplo se com o aumento do escalão baixar para o primeiro escalão deixa de fazer retensão na fonte. Se não retem nada também não há reembolso. O reembolso é sobre os impostos que se faz. Não sei se é o caso mas é uma situação que pode acontecer.

  11. Tvlio Detritvs says:

    Colocar toda a gente a descontar, nem que fosse o mínimo dos mínimos nos escalões mais baixos, é completamente inviável.
    Iria fazer com que hordas de gente que hoje votam PS o deixassem de fazer.

    • PedroC says:

      Exactamente o que eu disse acima. Os socialistas sobrevivem da ilusão que dão às pessoas de que o estado as ajuda com subsídios. Eu não quero subsídios, quero pagamento justo pelo trabalho que desempenho e não estar dependente da vontade de um político qualquer.

  12. qqq says:

    o meu sonho é pagar um milhão de euros de IRS todos os anos

  13. Ricardo Mota says:

    I que mais me choca são os escalões de 4 / 5 ou + dependentes terem %s tão grandes de retenção na fonte. Um casal que receba 2000€ e tenha 5 filhos não deveria pagar IRS (ou apenas uma taxa simbólica) . Se estamos a caminho de uma população cada vez mais envelhecida, estes que nos desgovernam, deveriam pensar no futuro ( a partir de 3 ou mais filhos menos carga fiscal)

  14. Lamela says:

    Bom dia a todos , mas estes políticos nao tem vergonha na cara ? mesmo que nao seja o verdadeiro sujeito aqui , deram-me 65 cêntimos de aumento de reforma , que coragem de espetar com essas moedas na cara do responsável .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.