Quantcast
PplWare Mobile

Governo estima poupança de 14% na eletricidade! Saiba porquê…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. GM says:

    Intrujice. Apenas está a diferir no tempo o pagamento. Chama-se a isso défice tarifário.

  2. Sérgio Martins says:

    Quem paga essa diferença de preços?

  3. Indignado says:

    Não vejo diferença nenhuma, sempre que falam em alterações de tarifário só vejo o preço subir, tenho factura conjunta de gás e eletricidade e nos últimos anos subiu uns 25% com consumos idênticos, já alterei de operador algumas vezes e fica praticante na mesma. Todos os operadores dizem que são os mais baratos mas no geral a diferença e insignificante.

    • GM says:

      Sabe, e não leve a mal o que vou escrever, para pagar menos o melhor mesmo é não consumir. Mesmo assim, não consumindo e tendo contrato, ainda há taxas, taxinhas e taxetas a pagar.

      • J says:

        Correto! Tenho uma habitação onde coloquei painéis, e enquanto não trocaram o contador, toda a energia era aproveitada pois quando estava a injetar na rede o contador antigo rodava ao contrario. Num mês com consumo zero, a conta foi de cerca de 10 euros (3 para a RTP, redes, IVA. etc.)

    • FAR says:

      Se o preço da energia aumenta para todas as empresas que depois a revendem aos consumidores finais é de assumir que o preço para o consumidor final aumente também.

      Exemplo com valores ficticios: Se a EDP antes comprava o kWh a 1€ e lho vendia a 1.2€ e agora a EDP compra o kWh a 3€ será impossível vender-lhe ao mesmo preço de antes. Mantendo a margem bruta, o preço para si seria de 3.2€.

      Agora, quando entram em jogo energias verdes geradas em PT com apoios estatais e que, após o investimento inicial, têm um “custo zero” e continuam a ser cobrados os tais 3.2€ numa altura em que o investimento inicial já foi “pago” aí já é debatível o preço praticado acompanhar diretamente os valores de compra de mercado…

      • GM says:

        Nas “energias verdes”, após o investimento ter sido amortizado, o custo não é zero, simplesmente porque há que prestar manutenção e/ou reparação aos equipamentos, e esses custos têm de ser pagos. No entanto, concordo, após a amortização ocorrida, o custo de produção da energia terá forçosamente de ser mais baixo, e consequentemente reflectido nos valores de comercialização, para que todos ganhem, caso contrário, já se sabe quem se f…lixa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.