Quantcast
PplWare Mobile

Como é gerida a nossa privacidade perante pedido do governo?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Maria Inês Coelho


  1. chicosoft says:

    Acho muito bem que a Dropbox defenda os meus ficheiros… Fico preocupado com a amazon…

    Agora levanto uma duvida.. Se a Dropbox usa a Amazon para armazenar files, quer dizer que afinal os meus dados estão sobre a política da Amazon e não da Dropbox…

    Basicamente a Dropbox proteje e avisa sobre pedidos do governo, mas a Amazon não avisa a Dropbox… Lindo.

  2. Márcio Soares says:

    Parece-me que vai haver uma guerra de “Fan Boys” neste tópico, e já estou a ver como vai ser. Haa e tal a Verizon não cumpre com nada mas no inicio da noticia só se fala da Apple, AT&T e Yahoo, haa e tal….

  3. Valente says:

    É pena a Google não ter aquela segunda estrelinha.

  4. Jorge Carvalho says:

    Ponham o link do “estudo” para que todos possam ver o que está em causa e como foi avaliado e assim cada um pode , por si próprio , avaliar o que é efetivamente afirmado nesse estudo.

    Deixo o link para os interessados : https://www.eff.org/sites/default/files/who-has-your-back-2013-report-20130513.pdf

    Abc

  5. Pedro A. says:

    “É de destacar o caso de a Google, que normalmente é apontada como o “Big Brother” da Internet, revela grandes cuidados no que toca a esta questão de cedência de informações ao governo.
    Curiosamente, em comparação com a Microsoft, a Google está um ponto à frente, mesmo com toda a controvérsia em relação à privacidade que até levou a Microsoft a criar um site para deitar abaixo a credibilidade da Google no que diz respeito à privacidade.”
    Uma coisa é partilhar a informação com o governo, outra é usar em beneficio próprio, que é o que o Google faz. Eles basicamente não gostam da concorrência do governo e ao manterem bastantes reservas na partilha de informação torna os utilizadores mais confiantes logo caçam mais informação pessoal para beneficio próprio.

    • É apenas uma comparação no que diz respeito ao tratamento de informação privada. A Microsoft pode não usar tanto para “benefício próprio”, como referes (e daí a criação do Scroogle), mas afinal poderia tratar melhor a informação no aspecto referido aqui no artigo.

      • eduardo says:

        é engraçado que parece que confias mais no uso dos dados por parte duma entidade privada para benefício próprio, do que num governo (caso específico USA) para benefício da sociedade!

        • Hugo Cura says:

          É engraçado que parece que confias no “governo (caso específico USA) para benefício da sociedade” 😀

          Não sei se reparaste, mas a questão aqui é mesmo essa. Caso contrário, seria dado tudo de “mão beijada” sem qualquer critério.

          • eduardo says:

            um estado democrático regido por leis que podem ser contestadas pelo povo, e que responde perante o povo, vs regras opacas regidas por uma entidade privada que só responde perante os seus accionistas e o lucro e que tenta sempre que possível fugir à jurisdição dum estado!! difícil escolha!!!!!
            :S é isso que define a minha ordem de prioridades em termos de preocupação, que de forma alguma retira a obrigatoriedade de toda e qualquer entidade respeitar os direitos fundamentais dos cidadãos, que por sinal são garantidos por esse próprio estado através dos tribunais.
            Se quiseres defender os teus direitos perante uma sociedade privada vai ser muito, mas mesmo muito mais complicado

        • Rui says:

          Tens razão quando dizes que uma entidade privada poderá fazer uso da informação que extrai sobre ti para benefícios próprios.
          Mas na realidade, ja estamos a ser monitorizados por uma variedade de outras “entidades privadas” sem sequer termos conhecimento. Ao menos a Google faz uso dessa informação (com o teu consentimento) para providenciar-te um serviço de volta (ie. Google Now, Location History, etc…) que é gratuito e e até tem sido aclamado pela comunidade.

  6. Tiroliro says:

    Esta é a “versão oficial” da “coisa”. A realidade será bem diferente!

  7. tomas says:

    Os governos ocidentais e democráticos normalmente não pedem informações directamente.
    Quem pede acesso a dados são os tribunais, investigações judiciais e policiais, ou de agências próprias de segurança, e na maior parte dos casos passam sempre por um juiz.

    É necessário diferenciar os operadores de telecomonicções das empresas de serviços.

    O Twitter basicamente só tem um serviço, e poucas informações privadas logo a sua actuação pode ser diferente ex: da google.

    Quando as investigações estão sobre segredo de justiça, não podem revelar aos visados que estão a ser investigados.

  8. Phyan says:

    Que pena, só agora li a noticia, registei-me à coisa de 2h no yahoo, mas já estou a ver que foi uma má escolha. Já estou a ficar sem opções acho que vale mais fazer como o stallman 🙂

  9. sakura says:

    hehe. dar uma vista de olhos por aqui, http://www.123people.com/

    e é so a informação publica.

    quem navega na net esta “$”$&$&. a lei está muito….

    • Miguel says:

      Não conhecia… por acaso inseti o meu nome completo e todos os links que me deram foram exatamente os links de páginas do pplware onde inseri comentários …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.