Quantcast
PplWare Mobile

Apple vai redesenhar completamente o Mac Pro… outra vez

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. R!cardo says:

    Como é feio não agrada a ninguém!

  2. Necroman says:

    Ora cá está o esperado artigo “embelezado”…
    A Apple pediu desculpas, mas mesmo assim foi nos seus termos.
    Uma máquina caríssima e cheia de problemas, que a própria Apple admite, mas que aos vossos olhos é boa!
    Isto é muito estranho, houve alturas em que parece que só eu é que via, mas afinal há mais gente que tem os olhos abertos

    • Vítor M. says:

      Aos teus olhos… a máquina, à data que foi apresentada, tinha tudo para ser uma excelente máquina, mas não conseguiu ser no mercado que tentou conquistar. Em termos de equipamento e tecnologias, era interessante, mas não funcionou. É o que diz no texto, nada mais que isso, se leres bem, até nas palavras da Apple eles admitem que não funcionou, pese o facto de ter vendido uns milhares. Agora… o preço era estupidamente caro para o que oferecia já naquela altura. Mas lá está, o mercado é sempre a sentença 😉

      • Necroman says:

        Aos meus olhos… Vocês falam bem e mal da máquina, a Apple fala muito mal, mas no final vocês acham que é boa, mesmo apesar de ser má!?

        E o que gostava de ver, era um desenvolvimento do que levou a Apple, a empresa mais arrogante do mundo, a pedir desculpa a todos, mas claro, dentro dos seus termos. Ou vocês não acharam estranho isso?

        Noutro assunto à parte, não entendo também porque o meu comentário que “anunciava” este artigo foi removido. Já vi coisas escritas bem piores por aqui, mas mal vêem Necroman é logo para apagar…

        • Vítor M. says:

          Vamos por partes…

          Aos meus olhos… Vocês falam bem e mal da máquina, a Apple fala muito mal, mas no final vocês acham que é boa, mesmo apesar de ser má!?

          A máquina é boa, ou melhor, foi concebida para ser óptima até. Mesmo as especificações à data que foi apresentada eram interessantes, mas, como diz no texto, o mercado julgou-a e a prova desse julgamento está nas opções para lá do Mac pro usadas pelos utilizadores. No fundo ela pela falta de actualizações tornou-se (face ao preço) num opção discutível, dado o que apresenta a concorrência e dado que há hardware bem mais moderno…. passados estes 4 anos. Repara que até a Lei de Moore actualmente já começa a ser discutível.

          E o que gostava de ver, era um desenvolvimento do que levou a Apple, a empresa mais arrogante do mundo, a pedir desculpa a todos, mas claro, dentro dos seus termos. Ou vocês não acharam estranho isso?

          A Apple sempre teve um comportamento diferente face ao mercado, às críticas, principalmente nos anos de Steve Jobs. Actualmente está mais comunicativa, contudo, face a uma maior intenção de entrar no mercado empresarial e até para auscultar o mercado que tem sido crítico com a empresa, parece-me que decidiram ter uma abertura ao estilo Steve Jobs nas entrevistas a canais de comunicação escolhidos por ele. Isto não é nada de novo, apenas uma estratégia antiga reutilizada. Mas ainda bem que o fazem, é justo perante os seus clientes. Pena que não disseram nada de especial.

          Noutro assunto à parte, não entendo também porque o meu comentário que “anunciava” este artigo foi removido. Já vi coisas escritas bem piores por aqui, mas mal vêem Necroman é logo para apagar…

          Sabes que ia contra as regras, pedimos sempre atenção ao que se escreve, podem estar à vontade, mas não à avontadinha 🙂 até porque há coisas que nem parecem tuas, por norma fazes comentários bem equilibrados e pertinentes.

          Abraço.

      • ananas says:

        conclusão: mt bom só até a sua apresentação. Ou seja, foi um grande falhanço dado que, tal como escreves, o mercado é que decide. Espero que o novo seja, como outros produtos Apple, uma inspiração para a concorrência. É nisto que a Apple é boa… musa para os seus amigos tecnológicos

        • Vítor M. says:

          Falhanço…. lá está, a Apple mostra números de vendas para sustentar que nada tem de falhanço, mas por outro lado, deixar tantos anos uma máquina de 5 mil euros sem actualização…. é passível de ser criticada e apontarem como um projecto que está mal encaminhado. Como está referido no texto, a máquina quando saiu foi inovadora, mesmo a sua arquitectura, assim como o design arrojado e isso cativou as pessoas (as que compraram e as que gostariam de a comprar).

          • ananas says:

            pois mas isso de “as que gostariam de a comprar” conta para quê exactamente?! Pq salvo erro, o que determina o sucesso da maior parte das empresas é a sua capacidade de gerar lucro. E não ponho em causa a capacidade da Apple mas sim esta parte do texto: “as que gostariam de a comprar”. Já percebemos que em tudo a Apple é inovadora mas isto foi um fracasso. Ou melhor não é fracasso mas se calhar é melhor repensar o modelo… 😉

          • Vítor M. says:

            Porque é cara. Dou-te um exemplo. Conheço uma empresa de publicidade, reclamos, acrílicos, lonas, etc…. que tem uns 10 Macs, sobre tudo têm iMacs de produção e um apenas Mac Pro. Curiosamente o Mac Pro é a máquina, ainda hoje, que eles gostariam de ter em todos os sectores. Mas o preço da máquina (fora o ecrã) não é comportável. Dizem que é a melhor máquina para trabalhar!

          • sómaisum says:

            Trabalho numa empresa criativa onde há só Macs (salvo 1 PC para contabilidade). 7 iMac, 4 Mac Pro (2009-2012 -pré caixote) um G5 porque é giro :D, e um Hackintosh.
            O hackintosh foi máquina de teste, e era para trabalhar em windows, apenas para realizar renders. Portou-se tão bem, que só trabalha em osx. são 3k € em peças, fora monitores, que equivale ao Mac Pro 5.5/6k, e porta-se para lá de bem.
            O problema do “novo” Mac Pro, foi o hype em volta. Ele é bom, muito bom, apenas não tão bom quanto o fizeram ser. Continua a ser melhor que a grande parte da oferta do mercado.

          • Vítor M. says:

            @sómaisum. Sim também poderá ter a ver com isso “Ele é bom, muito bom, apenas não tão bom quanto o fizeram ser. Continua a ser melhor que a grande parte da oferta do mercado.” concordo. Acrescentaria que o preço hoje está desfasado e a máquina, por esse preço…. não é opção (quando lhe colocarmos um ecrã 4K… o preço então!!!)

        • Jorge Carvalho says:

          Se consideras um um falhanço um maquina que com 4 anos de mercado gera mais receita num ano que todas as vendas de um BMW X5 , tomara muitas empresas terem falhanços destes todos os anos 🙂

          Abc

      • RuiZ says:

        ” o preço era estupidamente caro para o que oferecia já naquela altura.”

        Recheck again!

        O preço era muito bom para o hardware que vinha, só as placas gráficas custavam, cada uma, $1.000! Isto no modelo base de $3.000

        Já o mais caro, de $10.000:

        https://www.extremetech.com/computing/173695-apples-new-overpriced-10000-mac-pro-is-2000-cheaper-than-the-equivalent-windows-pc

        • Vítor M. says:

          Mas o mercado já nessa altura oferecia opções idênticas mais mais baratas. Contudo, o preço na data que foi apresentado reflectia o hardware mas era estupidamente caro para o segmento onde a Apple o queria colocar.

    • Bruno says:

      Cheia de problemas? O que a Apple admite é que a estratégia pensada para o mercado não funcionou como queria. As máquinas em si não têm problemas de funcionamento, o problema é que muitos clientes continuam a desejar fácil substituição de vários componentes internos, coisa que não era o objectivo da Apple para o Mac Pro, e os programas não sofreram a evolução desejada para aproveitamento máximo das duas placas gráficas, foram noutro sentido.

      • sómaisum says:

        “fácil” é subjectivo.
        Num Mac Pro pré-2012 trocar um gráfica é só puxar e colocar. Mas, precisa de ser uma gráfica com o firmware correcto para máquinas apple, ou então, não existe display até entrar no sistema (por exemplo, não dá para entrar no recovery, ou single). O preço de uma gráfica dessas é balurdios. Por exemplo, e na altura tenham em conta isso, um GPU Nvidia 650 Mac = 280, um GPU Nvidia OEM, 140. Só por causa do firmware. Trocar RAM, ou adicionar é mais ou menos o mesmo. RAM ECC é 2 ou 3x o preço de uma normal (o mesmo para servidores pronto). Trocar um PSU num Mac Pro? Ui, ca trabalheira!
        Resumindo, não é tão linear como troca de componentes internos.

        • Bruno says:

          O sentido pretendido de “fácil” na frase não é não ter trabalho, é ter acesso a mais opções. Se preferires podes retirar o “fácil” da frase que continua a dizer quase o mesmo que pretendia!

        • RuiZ says:

          RAM ECC é coisa que é obrigatória em qualquer computador que se digne de se chamar “workstation”.

          Trocar PSU não é preciso, porque não avaria!

    • APereira says:

      @Necroman,
      Nao sei onde viste problemas na maquina tirando que para o mercado que era destinada nao resultou, mas afinal de contas…quantas maquinas saem todos os dias e que nao resultam?A diferenca é que a Apple lanca uma de X em X anos, os outros lancam várias “todos os dias”.

      Temos 3 MacPro desta versao a trabalhar aqui, nunca tiveram problemas.

  3. Nuno Silva says:

    Acho que em termos de performance era muito mauzinho, lembro-me de ver o Casey Neystat mostrar que tinha um de 10.000$ a fazer de file server porque não se conseguia trabalhar nele

  4. Gusmão says:

    Em Workstations a Apple actualmente não tem expressão, só mesmo para os seus “boys”…

    A Lenovo (ex. IBM) e a Dell são a referência, mesmo a HP consegue estar à frente deste Mac Pro.

    Talvez num outro modelo, com possibilidade de maior customização, pois as empresas e profissionais não são todos iguais…

    • ACS says:

      Mau era. Esta maquina tem anos. É a mesma coisa que dizer que 6 meses depois a sansung consegue lançar algo melhor e ainda assim a nível de processador vê-se á rasca porque a Apple destacou-se e a concorrência ainda a está apanhar. Quando ao resto 6 meses depois já muita coisa evoluiu.

      A meu ver a Apple falhou num aspecto ao nível pro. primeiro construiu a maquina nos USA só isso faz a maquina ficar mais cara. Depois é de facto um engenharia brutal a nível de design. Caber aquele poder todo numa lata daquele tamanho é quase milagre mas o problema é que ninguém quer comprar um MacPro de 2 em 2 anos. São 4k +. Pior ainda, mesmo que não tivessem problemas em dar 4k+ de 2 em 2 anos a apple está a demorar bem mais. Por isso o ideal será a apple fazer um mac Pro bem mais modular e de fácil substituição mesmo que use tecnologia proprietária para conseguir melhores resultados e daí trocar uma peça seja mais caro. A nível desktop pro o pessoal não tem interesse no tamanho como num macbook pro. apenas quer puro power e se puder ser bonito melhor. É aqui que a Apple tem de atacar se quiser manter e trazer o mercado Desktop Pro de volta.

  5. Echo says:

    Vocês: “um fantástico computador, pequeno, otimizado para ter todo o poder necessário”
    Apple: ” o design (…) muito limitado e inflexível termicamente.(…) duas placas mais modestas (…) excesso de calor que padecia(…) o trabalho não era devidamente balanceado entre as duas placas (…) não beneficiar o desempenho”

    • Vítor M. says:

      Não faz sentido truncar essa frase, até porque o que dizemos é op seguinte: Não sendo nada de extraordinário face ao que outras marcas têm para o fornecer pela módica quantia de 4700 euros este é ainda um equipamento que irá estar todo este ano em venda no site da empresa.

      Essa frase o Echo não viu… 😉 não convinha? Para haver honestidade… temos de ler tudo e não só a brasa da nossa sardinha 😉

      Para enquadrar o parágrafo era o seguinte:

      “Can’t innovate, my ass”

      O novo Mac Pro veio substituir um desktop enorme onde tinha à disposição vários slots de expansão, vários sockets de CPU e vários compartimentos de unidade interna por um fantástico computador, pequeno, otimizado para ter todo o poder necessário mas que fosse igualmente uma peça de design exibida orgulhosamente em cima da secretária. Sim, parecia uma lata do lixo, é verdade e os cibernautas não pouparam na paródia, mas a verdade é que este design conquistou muitos utilizadores que nunca tinham usado um Mac Pro. Lembram-se até da célebre frase desafiadora de Phil Schiller, quando o anunciou disse “can’t innovate, my ass”.

      Como é referido, esta era a visão de Phil Schille…

      • Echo says:

        Sim, dizem que é caro para que oferece, mas as afirmações que salientei são totalmente contraditórias, truncadas ou não, fale-se de um computador ou de um trator.

        • Vítor M. says:

          Podes não ter percebido aquela frase e pode não ter sido bem representada, mas estava lá a explicação do responsável da Apple. São deles os adjectivos e são dos cibernautas as várias ilações, na altura, sobre o equipamento, basta leres com atenção. Assim como os vários problemas de que padecia a máquina, tal como está explicado.

          Na frase que truncaste, para que fique explicito, para que se perceba melhor, ajustei o texto, até porque a citação é de Phil Schiller, está lá no texto.

          Depois, se truncares as frases… até podes dar um significado totalmente diferente. Sem dúvida que a máquina foi projectada para ser “um fantástico computador, pequeno, otimizado para ter todo o poder necessário mas que fosse igualmente uma peça de design exibida orgulhosamente em cima da secretária” mas com o decorrer do tempo, como está no texto, alguns problemas mostraram que afinal o Mac Pro não era visto pelo mercado como fora projectado. Está lá no texto 😉

      • Echo says:

        “esta era a visão de Phil Schille”…
        Não é isso que eu entendo do que está escrito.

    • Bruno says:

      Quer umas quer outras palavras são da Pplware. Se leres o que a Apple disse aos jornalistas perceberás algo um pouco diferente – a questão térmica que a Apple levantou não é de que o Mac Pro sofre de excesso de calor. A Apple tinha apostado que o rumo que a indústria iria seguir seria paralelismo em duas placas gráficas, e optimizou a máquina para isso, mas os programadores não deram o salto para esse suporte, por isso uma das placas era subutilizada na maioria dos programas e não se tirava partido de todo o poder. A aposta da Apple também dificultou a tarefa de adaptar para a máquina novos GPUs com tectos térmicos bastante superiores – a inflexibilidade.

      • Vítor M. says:

        Não é o pplware 🙂 é o mercado. A questão de excesso de calor não sendo algo que a Apple reconhecesse inicialmente, foi responsável por várias queixas. Há muitos artigos que explicam isso, por exemplo esta frase de utilizadores profissionais:

        “We noticed it wasn’t working properly after about two months when rendering a 4K film. That’s when it started showing weakness. When rendering it starts to show black frames or different colour frames.”

        “… first suspected that the problem was related to the very high temperature that the Mac Pro reached when performing intense tasks. “You can burn your hand by touching that machine when it is really hot,”… Via

        Está referido no texto sim o que disse a Apple sobre o paralelismo em duas placas gráficas e o não tirarem partido (a própria máquina não conseguiu fazer o que era solicitado) e está igualmente referida a tal inflexibilidade, não só em relação aos tectos térmicos dos GPUs mas na expansibilidade em geral.

        Além disso, para enquadrar todo o cenário actual da atitude do mercado face ao Mac Pro, temos de falar nas características da máquina, no preço e nos problemas com que se têm deparado os utilizadores que as compraram. Por isso muitos deram o salto para o iMac, como também é referido. Seja como for, para se perceber melhor essa parte e agradecendo o teu reparo, fiz uma ligeira alteração nesse início da frase.

        • Bruno says:

          O que quer que sejam não eram palavras da Apple.
          O que apontas não é um problema generalizado dos Mac Pro, e tem sido identificado como uma questão dos GPUs (não é exclusivo ao Mac Pro) que a AMD teve que resolver.
          “a própria máquina não conseguiu fazer o que era solicitado” A máquina consegue fazer o solicitado, o problema é que muitos programas não foram reescritos para suportar esse tipo de paralelismo.

  6. Alvega says:

    Ninguem é bom, em todas as áreas.
    ” Apple sozinha vendeu 212 milhões de iPhones em 2016, e que foi um ano “mau”

    O “caixote”, somente conta para alegrar a vista, o que conta, na verdade, sao as peças incorporadas, e o modo como sao interligadas.
    “Abandonar a lata para adotar… não se sabe!”, pode até ser um tijolo, desde que tenha o logo da maça, e a maquina promocional a funcionar em pleno…e esquecia-me…um preço EXORBITANTE, pois é este que torna EXCLUSIVOS , produtos banais.

  7. Dope says:

    Das coisas mais foleiras até hoje feitas…. E por 4700€ constrói-se um PC com Windows 10 no mínimo 5x mais poderoso e eficiente.
    A Apple não inova em nada á mais de 5 anos e se não fosse pelos que compram tudo o que tem uma maçã por ser “fashion”, a verdade é que a maioria dos profissionais estão cada vez mais a abandonar o sistema Apple.

  8. Nelson R. says:

    A confiança na marca, leva a que se escolham artigos da mesma com maior segurança de escolha que outra que estejam disponíveis. Isto é algo que se conquista ao longo dos anos. Não queiram julgar um produto em função das preferências pessoais quanto à marca que as produz. A concorrência é positiva e o mercado responde por si. Não percebo porque raio em qualquer publicação que este blog faz sobre tecnologia, têm de vir haters escrever alarvidades só porque a sua escolha seria diferente dos demais. Eu confio nas marcas pelo que produzem, pelo que suportam, pela forma de estarem no mercado, por atingirem a qualidade que eu pretendo para os meus artigos, sejam eles quais forem. Se por um lado eu posso preferir Apple, por outro posso preferir Samsung, e até posso preferir Singer para outros artigos. O fundamentalismo é algo que empobrece as pessoas e que limitam a visão. Também sabemos que existem haters que são haters da ocasião, ora agora não gostam de uma marca porque nunca tiveram um artigo deles, ou porque ouviram dizer ou ler nos blogs, ou ora adoram equipamentos que nunca foram grande coisa na sua funcionalidade básica ou nem nunca os utilizaram. Isto acontece com tudo, casas, carros, comida, roupa, seguros, transportes, educação…
    A nível pessoal tenho pena que os comentários que aqui sejam ditos, não sejam em prol de discussão saudável, mas sim numa discussão de haters que se acusam e acabam por cansar quem por aqui anda.
    Boa páscoa.

    • Vítor M. says:

      É normal, as pessoas acham que por não gostarem os outros têm de não gostar, mesmo numa máquina de trabalho com as virtudes e os defeitos desta. Não podemos ver este computador como uma falhanço, ele poderia resultar se a Apple o fosse actualizando, se fosse pensado para um mercado onde a concorrência é tão forte. Claro que a máquina era boa, claro que quando saiu era moderna e inovadora, mas rapidamente o preço e a falta de inovação atropelou as expectativas da Apple, normal… agora, a Apple por questões de gestão financeira, faz isto de há uns anos para cá, uma década talvez, para ter margem de crescimento num segmento quando cai num outro. Vimos isso com a perda de terreno dos iPads, vimos a aposta num novo Mac em 2015 para tentar ir buscar uma franja de mercado com o MacBook 2015 e vimos noutras ocasiões com vários outros produtos, mas é também nessa forma de estar que o mercado e os consumidores dirigem as críticas…

      Contudo, esta máquina vendeu muito, voltará a vender quando for lançada a sua evolução e os haters estarão cá sempre, faz parte uns gostam, uns não gostam e os outros são apenas haters…. mais nada 😉

  9. Vlad says:

    Vamos a ver se abandonam a ideia idiótica de fazer um computador para uso profissional praticamente não atualizável a nível de hardware.

    • Vítor M. says:

      Eu acho que esse tem sido o erro nos últimos anos. Por mais razões que apresentem, continuo a não entender essa limitação… até porque hoje não faz sentido, dada a velocidade de evolução dos componentes.

      • Luis says:

        Não será porque a estabilidade e bom funcionamento dos Macs e OS X sempre foi garantida em parte pela estanquidade e controlo sobre o hardware…?

        • Vítor M. says:

          A verdade é que o sistema operativo de facto tem-se mantido actualizado e estável até em máquinas com 8 anos. Poderá ser sim uma das justificações, até pelo preço que inicialmente o utilizador tem de despender.

  10. RuiZ says:

    A alcunha do Mac Pro não é “lata”, é “trashcan”, ou “latão do lixo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.