Quantcast
PplWare Mobile

António Costa anuncia novas medidas para o Estado de Emergência

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. miguelito says:

    Rabelo, muito mau….

  2. Asdrubal says:

    Sinto-me cansado com a situação da pandemia, já não ligo a quase nada, e apenas utilizo máscara em locais públicos só para ninguém se meter comigo, em caso de ver o tal gel lá limpo as mãos, e na rua ando com a máscara no pescoço para respirar melhor, uma vez que na minha localidade circula pouca gente.

  3. Joao Ptt says:

    Nas próximas eleições não me vou esquecer de quem anda a apoiar a restrição de liberdade de movimentação, como se fossem o pai e mãe de todos os portugueses e o povo fosse a criancinha, que ou obedece ou leva “paulada”.

    • Santos says:

      Não sendo apoiante do PS, de longe, mas achas que outra qq pessoa ia fazer diferente? Tens pela Europa fora diferentes “facções” representadas e alguns com mais outros com menos todos têm algum tipo de medida
      Quanto muito até elogio este governo pq sabe que se está a queimar com as eleições já aí á perna mas isso não se põe á frente daquilo que eles acham necessário para proteger a população. Talvez se houvesse mais responsabilidade social não fosse preciso tanto, mas acho que não precisamos de mais provas que é quase inexistente.

      • R says:

        As medidas têm sido incoerentes; planeamento quase inexistente; atitude criminosa em não divulgar ou nem ter dados rigorosos. Sem estes dados, não é possível nem a comunidade científica dar um contributo melhor. Quanto a elogiar este governo porque se está a queimar com as eleições, respeito a sua opinião, mas qual será a intenção destas “pontes”?
        Quanto às responsabilidades… actualmente é so direitos, e nada de deveres. Estamos mal.

        • Santos says:

          Concordo plenamente, o governo tem sido no mínimo confuso em muitos aspectos, mas se houvesse uma maior ajuda da população também não havia necessidade de se cortar as pernas às pessoas em certos pontos. Neste caso em concreto acho que fazem bem em prever as pontes que eu conheço pessoas que já se aproveitavam para as fazer.
          Em relação aos dados e conhecendo alguém que vai atualizando os dados aqui do município, acho que o governo ao início não quis “assustar” e foi dando uns números atrasados e mais baixos e população não levou isto tanto a sério agora paga um bocado por isso. E sinceramente parece me que até eles estão a ter dificuldade em lidar com a quantidade de dados que têm de gerir.

          • Joao Ptt says:

            A questão é que parece que meteram umas palas e só vêm coronavirus à frente, mas a maioria das pessoas não morria, não morre, e não vai morrer dessa doença!

            Podiam simplesmente exigir as máscaras de protecção certificadas (que poderiam oferecer à população) e pronto. Vai reduzir a transmissão do vírus que provoca essa doença, e em simultâneo reduzir a transmissão de muitas outras!

            Mais do que isso é exagerado e desproporcionado. A maioria das pessoas recupera sem qualquer ida ao hospital sequer.

            Isto tudo é só porque o estado não tinha e não tem capacidade para receber quase ninguém nos hospitais com necessidades de receber verdadeiros cuidados de saúde e não apenas para irem receitar umas “aspirinas”… mas em vez de admitirem e arranjarem os recursos humanos necessários preferem castigar o povo todo por serem um bando de incompetentes.

          • AD9 says:

            Isso era um bom plano no início pós confinamento, agora e da forma que já se propagou precisa de medidas mais severas.
            E é que eu quero chegar quando digo que tem de haver mais responsabilidade da parte de todos. O governo esteve longe de dar uma resposta exemplar agora de que adianta oferecer máscaras se o pessoal nao as usa e continua a fazer reuniões sociais como se nada fosse. Eu já dei este exemplo várias vezes a câmara da minha freguesia viu se obrigada a bloquear com redes umas mesas que tem no parque recreativo aqui da zona pq os velhotes continuavam a fazer as suas jogatanas e os “putos” faziam batalhões á noite e isto com a mascara mais rápido a tapar a careca do que posicionada direito. Então os velhotes (com todo o respeito) era impressionante, continuavam a abraçar se com a máscara no cotovelo, a discutirem quase cara a cara por causa das cartas como se não houvesse nada mais importante a passar se.
            E com isto e da forma que o pais está acredita mesmo que só com mascaras iamos lá? Se o povo tivesse juizo, agora sim não me parece de todo

        • LR says:

          Se em Espanha acham que estamos a caminho da ditadura, o que devemos achar de Espanha, onde é bem pior que cá?
          Vale a pena ler, mas também pensar…

          • AD9 says:

            Exacto, eles passaram tanto tempo em isolamento quanto nós e até começaram com as restrições de horário antes de nós. Acho que alguém teve “cagufa” de invocar o nome do Franco e voltou se para o nome mais próximo

    • David Guerreiro says:

      Devia era ter pensado nisso antes…

      • Joao Ptt says:

        Eu pensei, e não votei em nenhum dos que estão a apoiar estas medidas que considero erradas, logo não fui enganado.

        • PhotoShot says:

          Qual seria a tua sugestão?
          Fazer como o outro país que “Aqui não há restrições. Alguns vão morrer mas no fim fica tudo bem” e agora impõem restrições pois já não consegue controlar e os hospitais estão abarrotados…
          É muito fácil falar.
          Mas quando está um país sob a sua responsabilidade tomar a atitude correta é mais dificil…

          • Joao Ptt says:

            Eram máscaras apropriadas, e as pessoas estavam avisadas que a capacidade é limitada… e que iam morrer se não tivessem cuidado.
            Simples assim.

            Não ia prejudicar mais de 10 milhões de pessoas com medidas tão drásticas, por causa de 100 mil pessoas mesmo que eu fosse uma delas, especialmente já se sabendo como elas se podem proteger se quiserem.

            A informação e os meios de auto-protecção eram disponibilizados, e depois as pessoas tinham a obrigação das máscaras de protecção, porque ia reduzir a transmissão dessa e de muitas outras doenças mas mais que isso não obrigava.
            Provavelmente sugeria que tomassem multi-vitamínicos com aquelas coisas que à partida parecem interessantes para melhorar a capacidade de resposta imunológica do corpo (vitamina D-3 125mcg, vitamina k2, vitamina C, ferro, zinco, vitamina B1, vitamina B2, vitamina B6, vitamina B12, etc. o que fosse aconselhado pelos especialistas e eventualmente com alguma variedade conforme análises caso a caso)… não porque ia prevenir as doenças, mas porque certamente menos gente ia aparecer nos hospitais porque o corpo ia ser capaz de dar a resposta imunológica mais apropriada.

            Os políticos parecem ter como desculpa que todas as vidas contam… mas todo o ano morrem em Portugal +/- 100 mil pessoas, e já vamos em mais de 10 milhões e 200 mil pessoas por cá… alguém acredita que toda a gente está a morrer só porque chegou à idade de morrer naturalmente? Claro que não. Só contam agora os mortes por coronavirus porquê? Porque a comunicação social está doida varrida com aquilo, se amanhã pararem todos de falar nisso, os políticos deixam-se disto… porque objectivamente os números de mortos e em estado grave com necessidade de internamento são relativamente baixos em relação ao total da população. Alguém viu tudo isto em anos passados de gripes que atacaram de forma grave a população e onde não havia capacidade para tanta gente nos hospitais, com pessoas que não eram atendidas ou demoravam horas… e tudo com avisos prévios até das entidades oficiais de que iria acontecer e ainda assim não tinham capacidade e nunca fizeram tal parvoeira, nem sequer máscaras de protecção para reduzir a velocidade de transmissão.

          • SP says:

            A gripe nunca atacou tanto e especialmente tão depressa, por mais que repitam esse argumento não deixa de ser falso.
            Quanto ao resto, não adianta dar máscaras se depois o pessoal vai andar com elas no queixo até ter de entrar em espaços fechados e ser mesmo obrigado a po la direita e mesmo assim ainda há quem reclame.
            Para além disso ia dar a máscara e dizer que aquele é o único tratamento que iam ter? É pq senão continua com o problema de encher os hospitais/esgotar os recursos á custa de uma doença, enquanto, tal como o caro João disse há varias outras ai a bater forte, especialmente as respiratórias.
            O problema não é tanto a mortalidade (enquanto sejam números assustadores para pessoal 60+), é a facilidade do contágio, especialmente agora com o tempo a arrefecer e asseguro lhe que nem uma super dose de suplementos altera isso

    • Há cada gajo says:

      Pois, mas é mesmo assim, já que o povo, cheio de informação, negligencia por completo o que se passa. Não se compreende e ao mesmo tempo compreende-se. É o tuga no seu melhor. Sacrificios é para os outros. Deveres, é com os outros. Direitos, é comigo. Viva esta treta de democracia que defendem…!

    • Já foste says:

      Desde que não seja no Chega tá tudo ok

  4. marco says:

    isto é tecnologia?

  5. ToFerreira says:

    Com quem ficam as crianças nesses dias?

  6. Manuel dos Anzóis says:

    Para isto dou BÓLA! Papas e bolos para tolos. Mas vocês é que sabem. Elegeram esta cambado, agora aturem-os! Bom proveito.

  7. DarkNi says:

    Então o Costa quer que os privados mandem os empregados para casa, mas deixa os Comunas fazerem um congresso? E Ó COSTA, VAI PRÓ…..

    • Nightingale says:

      Deixa que estar que para impedir isto não existe legislação, mas para obrigar os profissionais de saúde a trabalhar em regime forçado, não existe problema (sim, estão a criar entraves aprovados pelo estado para médicos e principalmente enfermeiros que se queiram demitir ou mudar de local de trabalho). E claro, com a desculpa que o estado de emergência permite suprimir os direitos básicos dos trabalhadores da área da saúde e copiar países como a Venezuela, que fez exatamente o mesmo.
      E com isto tudo do teletrabalho, esqueceu-se que as operadoras ainda impuseram novas restrições de dados para novos contratos (curiosamente todas juntas), que neste momento estão a usar os fundos europeus em coisas absurdas e que em muito favorece algumas empresas,… A única coisa que espero é aqueles cujo nome não posso pronunciar ainda venham a ser investigados no futuro pelas infrações e crimes que cometeram durante o mandato e principalmente sob sombra do estado de emergência, mas isto já é um pouco utópico.

  8. Nuno says:

    Desculpem a ignorância, mas o que há de especial nos dias entre 30 Nov e 7 Dez? O vírus propaga-se mais nesses dias?

    • Nuno says:

      Aah! Percebi mal. São só os dias 30 e 7. Não a semana toda.

      • Joao Ptt says:

        Não entendeu mal:
        Proibição de circulação inter-concelhia nos seguintes períodos:
        – entre as 23h00 de 27 de novembro e as 5h00 de 2 de dezembro.
        – entre as 23h00 de 4 de dezembro e as 5h00 de 9 de dezembro.
        in. https://covid19estamoson.gov.pt/medidas-covid19-ambito-nacional-v2/

        O que há de especial nesses períodos que não exista nos outros? Nada.

        É só os intelectos completamente avariados daquela malta política que estão a ver se garantem que mesmo a quem a doença não prejudica, é prejudicada em solidariedade para com aqueles que ficarão prejudicados e talvez até morrer.

        Pode não morrer ou ficar em estado grave com o vírus, mas o estado quer garantir que tudo fará para o prejudicar ainda mais que o costume a população… não bastaram as três bancarrota a que esta malta política já levou o país, e estão a ver se a bem ou a mal vem aí outra (que só não aconteceu porque o Banco Europeu mudou a política)… tudo em nome da saúde… a qual só interessa às vezes, se amanhã algum país da NATO for atacado em larga escala vai ver que não vão ter qualquer problema em mandar para lá malta para morrer… os mesmo que antes não podiam morrer de covid já poderão morrer com balas, ou regressar estropiados… que aí já estará tudo bem… é conforme a conveniência.

        • Santos says:

          Isso também é criticar fácil. Eu conheço pelo menos 2 pessoas que iam aproveitar os feriados serem a terças para fazer ponte na segunda e fazer fim de semana prolongado. Não havendo estas restrições acho que as próximas segundas muito pessoal ia fazer o mesmo e aproveitar para passear ou até meter se em shoppings já a pensar nas compras.
          Se pensarmos até faz algum sentido

        • Ola says:

          Eu acho os teus comentários muito perigosos. Criam desinformação e pode matar pessoas.
          É por causa de pessoas com estas ideias que estamos como estamos. E nem vale a pena responderes porque nem sequer vou ler. A ignorância é a melhor forma de reagir…

          • Joao Ptt says:

            Não vai ler, mas outros vão:
            Não digo que pessoas não possam morrer, mas com todas as medidas draconianas não deixaram de morrer pessoas, com coronavirus… e vão morrer mesmo com vacinas, porque não são 100% eficazes, e o vírus pode alterar-se e tornar a vacina completamente ineficaz.

            Todos os anos morrem +/- 100 mil pessoas em Portugal, mesmo que morram 20 mil pessoas por causa do coronavírus… é caso para medidas que vão prejudicar de forma tão grave os restantes 10 milhões e cento e tal mil pessoas? Você e muitos outros acham que sim, mas eu acho que não… porque vai criar problemas de saúde, financeiros, e sociais graves na sociedade toda que não iriam acontecer só por causa de um vírus isoladamente.

          • LR says:

            @Joao Ptt: nesse caso, segundo depreendo do que escreves, estás perfeitamente à vontade se fores tu a bater a bota, ou talvez, alguém que te seja próximo, tipo pai, mãe, mulher… filhos. Se isso acontecer, ’tás na boa, certo? Assim não prejudicas outros e ajudas a resolver muitos problemas de saúde. financeiros, etc, não é?
            Just asking…

        • Há cada gajo says:

          Tu, como muitos outros não conseguem perceber a noção da escala de proporções que esta situação pode alcançar se não forem tomadas medidas. E, com tanta informação que diariamente é divulgada, essa falta do noção é ainda mais gravosa.

  9. Luis says:

    Uma coisa eu sei, nunca votaria nesta escumalha socialista.. estão a fazer confinamentos com base em dados que ou estão deturpados ou passam a informação falsa.. 68% não é de um total mas sim de 19% dos casos com conhecimento de origem.. tenham vergonha todos aqueles que votaram nestes incompetentes que nem com o maior governo de que há história conseguem fazer uma coisa de jeito

  10. Xnelox says:

    Se o governos não faz nada, é incompetente, se toma medidas ligeiras, é incompetente, se toma medidas mais severas que incomoda todos, é incompetente. Se calhar Portugal é o único país que está no estado que está… Ou não… Mundo incompetente

  11. João Pratas says:

    Uma coisa que aprendi a ver de fora do país é que os tugas só se queixam…

    Se olhassem para o resto dos países vizinhos, mesmo para países financeiramente mais estáveis, iriam perceber que Portugal tem agido muito bem, durante a pandemia, para proteger os cidadãos e principalmente os de risco. Desta vez o problema não está no governo, está nas pessoas!
    De lembrar que quem transmite o vírus são as pessoas.

    Não quero dizer com isto que não se deve criticar o quer que seja, concordo que não se deve aceitar qualquer coisa sem ser primeiro avaliada, mas acho que praticar um pouco de agradecimento pelo esforço que estão a fazer não ficaria mal a ninguém.

    Boa sorte e saúde pra todos!

    PS – sou anti governo/estado mas é o que temos…

    • Luis Costa says:

      Exatamente por serem países financeiramente mais estáveis é que podem fazer restrições maiores.. veja-se quanto é que a França, Alemanha e mesmo Espanha já injetou na economia.. nós somos uns tesos pedintes, o dinheiro já não vem em Junho/Julho e com estes assassinatos a economia eu quero ver quando acabar as moratórias.. não morres na doença morres da cura, muita gente já anda a passar fome, a comunicação social é que não o mostra “é para não ofender o estado”

      • Paulo says:

        Agora é que disseste tudo!!

        A mim surpreende-me como é que esta campanha de branqueamento das políticas do governo passa tão despercebida, em especial quando é tão óbvia a incoerência das medidas aplicadas.

        Os efeitos económicos desta crise irão perdurar durante mais de 20 anos e o trauma social igualmente!!

        Acho que a grande maioria das pessoas (incluindo os políticos e decisores) do mundo está tão alucinada com os nºs de infecções/mortes que não vê o cataclismo económico mundial que se avizinha.

        • José Carlos da Silva says:

          Porque obviamente temos pandemias destas todos os anos e já sabemos como fazer tudo e resolver tudo. Estamos cheios de certezas absolutas e de verdades universais, não é?

          • Luis says:

            Tás a desculpar a incompetência deste governo porque? Em março justificava se essa conversa da treta, passou meses e meses, todos sabem quais os grupos de risco, o governo também sabe muito bem que não tem SNS forte e que ia precisar de um acordo com os privados, que ia ter de testar em massa o mais rápido possível, mas como já gastaram o que não tinham nos favores há esquerda radical preferiram esperar e rezar ao santinho que acontecesse um milagre. Veja se o desamparo, a ministra diz uma coisa, o PM diz outra e depois a DGS ainda diz outra, depois dizem “a culpa é do povo!”, com estas incoerências o povo já nem sabe o que faz mal ou o que faz bem

          • Sardinha Enlatada says:

            O numero de obitos por covid actualmente sao 3897, sabes o que isso significa ? Uma gota no Oceano em relacao aos 10 milhoes de Portugueses. Se me falasses que havia 100.000 mortes por mes, ai era preocupante agora esses 3897 desde Março a Novembro ? Isto e uma piada de mau gosto. Este lobbie do covid e apenas e tao somente para arruinar a economia e ter mais controle sobre as pessoas. Deixa de ser medricas por um virus que mata tao pouco. Xiça que ja irrita tanta estupidez das pessoas sobre este virus ridiculo que mata tao pouco. Repito TAO POUCO.

          • Marisa Pinto says:

            Deixa-me dizer que lamento partilhar um planeta com pessoas que pensam assim.

            Lamentável, triste e desumano.

        • Luis says:

          Mas isso para eles é ouro sobre azul, já viste o que é uma população dominada pelo socialismo? É isto mesmo, todos pedintes a viver do subsídio, isto dá um poder enorme ao estado “não votas em mim perdes o subsídiozico, e depois o que fazes a tua vida”… Pior ainda é ver toda a população jovem que será os novos votantes cada vez mais adeptos destas políticas, vejo um futuro muito negro pela frente, mal sabem eles que o futuro dos filhos deles já estão hipotecados com estas dívidas do governo português

  12. Figueiredo says:

    O povo, burro e ignorante como é, vai desrespeitar as restrições. Sem estado de emergência, ninguém tá com vontade de ir trabalhar ou ir à escola/universidade, mas quando decretam o recolher obrigatório, fica tudo com vontade de sair, arranjando 1001 pretextos para o efeito.
    Metam o estado de emergência no fim de semana das próximas eleições… Vamos ver quem terá vontade de sair à rua nesse dia.

  13. João Pratas says:

    Isto é bem simples:

    Existe um vírus, é contagioso, mata. Só essa informação devia ser suficiente para os iletrados abrirem os olhos.

    As pessoas foram informadas e o que é que fazem? Vão para os cafés, bares, festas, shoppings, Avante, Nazaré… mas o problema é do governo que não toma as medidas certas.

    É o comodismo de colocar constantemente a própria falta de responsabilidade em alguém… neste caso, o governo.

    • Sardinha Enlatada says:

      Correccao. Existe um virus, e contagioso, mata sim. Mas MATA POUCO 3897 mortes desde Março ate Novembro.

      • Santos says:

        Já começava a acreditar em milagres, o Sr Atum em Lata a abster se de comentar um post destes, mas afinal demorou mas veio, e trouxe como sempre a sua confiança jovial e inocente.
        O problema já disseram não é so o matar. Há relatos de pessoas que ficam reinfectadas passado 3 meses (obviamente que estão a ter todo o cuidado possível) com novas estirpes (sim é possível sofrer mutações tão rapido ao contrário do que o excelentíssimo acredita) ou uma teoria ainda pior é os anticorpos durarem um par de meses e passado esse tempo a pessoa volta a ficar infectada.
        Sim num pais em que um quarto da população tem mais de 60 anos, a taxa de mortalidade acima dos 10% para pessoas com mais de 60 anos é um número significativo, os 20% para pessoas acima dos 80 é significativo. E aqui estamos só a olhar para a idade, eu tenho um primo com bronquite crônica que tem 22, conheço uma pessoa que tem um filho com fibrose quística. E mil outras doenças que debilitam a pessoa. Doença essas que vocês adoram referir que existem mas que aparentemente se esquecem que com os hospitais a abarrotar é ainda pior para eles, é um risco para eles até.
        Já tens pessoas a terem de ser recolocadas em hospitais de outras regiões, isso é uma situação normal? Isso não é preocupante?
        Só se vai tornar preocupante quando matar metade da população? Se for o caso não sei pq é que o estado perde dinheiro todos os anos a oferecer vacinas da gripe, ou pq é que nos preocupamos tanto com DST nem às mil mortes chega deixem as pessoas ser livres de fazer como quiserem, diabetes está ao nivel do covid por isso também está bom…
        Esse argumento é no mínimo falacioso

        • Sardinha Enlatada says:

          Jovem Santos, continuas com a mesma cassete carvalhas ? A fita ja esta estragada. Eu volto a repetir (atencao que nao estou a defender as mortes apenas os factos existentes) o covid matou em 9 meses 3897 pessoas, e fazem um burburim por isso. Com mortes mais elevadas ficam todos calados. Tem juizo rapaz. Ve la se tiras a pala dos olhos. Nao precisas responder ao comentario. Xau xau. Isto desde o inicio continuo a frizar e para arruinar a economia e controlar as pessoas, nada mais que isso. E os media ajudam nessa funcao. Se acreditas ou nao e la contigo. Fica com a bicicleta, que eu fico com a trotinete.

          • Santos says:

            Claro, pq tu tens apresentado argumentos fortíssimos não é?
            Só sabes falar na morte, como se isso fosse tudo o que importa. Um gajo puxa de mais dados e a tua resposta é puxar da teoria da conspiração.
            Mas isso vindo de alguém que apresenta o número de mortos em mortos em Portugal para dizer que nem sequer é uma pandemia não se pode pedir muito mais.
            Não acredito pq não faz sentido nenhum, como é que convencias mundo e meio a entrar nisso? Se fosse verdade então sim tinhamos problemas muito mais graves do que “só” um virus mortal. E repito em países ditatoriais até fazia sentido, em países com governos eleitos não, possivelmente boa parte dos governos vai perder as eleições á custa destas medidas mas pronto vai la andar de trotinete que realmente deves fazer isso melhor do que argumentar

  14. Não Interessa says:

    Caldas da Rainha nunca esteve com risco elevado

  15. Sardinha Enlatada says:

    Es um caso perdido deixa la. Sim porque os teus argumentos tambem tem sido fortissimos, tirando a cassete carvalhas do costume. Eu nao estou a inventar nada, os dados estao la todos no site do costume, se nao sabes interpretar os numeros o problema e teu, quanto a isso estamos conversados.

  16. Santos says:

    Claro, que és, tal como disseste os números estão á distância de um click e não só os da morte.
    Os hospitais já estão a ter problemas e nem estamos perto de atingir o pico de frio e isso sim pode levar a mais mortes (com ou sem covid) mas esse “números” não contam né?
    Pela tua lógica, em Portugal só existiam os problemas cardíacos (ou problemas do aparelho circulatório se quisermos ser mais específicos), tumores malignos que infelizmente também são uma das principais causas e problemas respiratórios (quer dizer se o covid não conta ss calhar também excluímos estes), o resto ou está ao mesmo nivel ou não chega aos números do covid por isso é para descartar neh? Repito argumento falacioso esse.

  17. Sardinha Enlatada says:

    Pelos vistos reforco a minha posicao com seres um caso perdido. Para alem de nao entenderes o meu comentario ficas ai a inventar sobre outras doencas que nao referi. So estava mesmo a falar de covid. Mas pronto a imaginacao e o limite para algumas pessoas. Ficamos por aqui.

    • Santos says:

      Inventar? Não, meu caro chama se interpretação. Todas essas doenças tem número de mortos inferiores ao do covid ou seja pela tua lógica de bosta também não nos devíamos procurar tanto com elas. Expondo um exemplo em concreto, houve cerca de 350 mortes por SIDA o ano passado? Pah por essa lógica, o que é isso no meio de 10 milhões? Tubérculose ainda menos, porreiro.
      A falácia desse argumento é que se olharmos só para os números, 600 mortes combinadas, entre SIDA e tubérculose, pensas que a situação está controlada e nem tens de te preocupar. Mas a verdade é que se não tiveres o devido cuidado, a devida atenção são 2 doenças altamente contagiosas e que rapidamente se espalham. O mesmo se passa com o covid (pelo menos enquanto não houver uma vacina e/ou for atingida a imunidade de grupo). Percebeste ou já estou a puxar por ti?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.