PplWare Mobile

Última Hora: 6 pessoas detidas pela PJ por crimes informáticos


Marisa Pinto

Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Lumia 630 DS says:

    Ohhh que maçada. Estes senhores estão sempre a prender quem trabalha….
    Va, o Planeta agradece. Boa Páscoa…

  2. NT says:

    Sempre me questionei (não de andarem a ‘vender’ os dados) mas como é que esses dados são guardados. Hoje em dia até o ‘ti manel’ da frutaria da esquina tem uma base de dados de clientes e uma cadeia de lojas (nem que sejam duas lojas já são quase multinacionais) têm o tão prendado cartão de cliente que pode acumular pontos (agora estou a fazer a ligação… Carta de condução parece muito um cartão cliente, agora até tem pontos… realmente).
    Se as empresas se estão borrifando e não fazem o mínimo esforço para salvaguardar os dados dos seus clientes, é porque não lhes interessa os clientes. Acho bem que andem mais em cima deste tipo de casos e deixem lá os putos que sacam meia dúzia de mp3 em paz.

    • luis says:

      as empresas não querem pagar por um HDD externo USB de 60€ para fazer backup da porcaria do programa de faturação ou dados importantes quanto mais o resto. Esquece a informática fica para o fim para certa gente é bem feita a gente avisa e não acreditam que existe o crime informático, todos os dias recebemos emails de SPAM/SCAM a dizer que a minha conta icloud foi encerrada, paypal, etc etc e até nomes de bancos principalmente montepio, não verifiquem os caminhos dos links antes de abrirem algo e vão com os porcos.

  3. Amilcar Alho says:

    Desejo é ver a noticia de que foram detidos e obrigados a devolver o que roubaram as pessoas do BPN, BPP, Banif, BES, CGD, PPP’s, SSWAP’s, …
    Agora estas “migalhas”… Areia para os olhos!

  4. rjSampaio says:

    Chamar isto um crime informático é um bocado sensacionalista, é o mesmo que eu agarrar nos contactos que tenho da minha empresa seja numa folha excel partilhada por todos, seja em papel, e vender a terceiros, de informática têm muito pouco

    • Redin says:

      Então vais chamar o quê.. É o nome correto.

      • Pérolas says:

        E se fosse “inside trading” ou “uso de informação priveligiada” ou “tráfico de influência”? Parece demasiado colarinho branco, não??? Seja o que for, a verdade é que um trabalhador de uma empresa não pode ser um potencial sabotador; uma coisa é se a empresa estiver a fazer algo de muito grave e ele bá, blá e outra é vender informação à concorrência. É algo que deve ser desencorajado, possivelmente, a este nível não aquece nem arrefece, mas, numa micro e pequena empresa pode ser devastador, levar a empresa à falência e subsequentemente levar ao despedimento de colegas…

    • Alvega says:

      “contactos que tenho da minha empresa”….nao deves ter empresa alguma pois caso contrario nao falavas assim. Entao se um tipo qualquer, teu empregado ou nao te saca-se a listagem de clientes e a fosse vender a um teu concorrente, e por conseguinte te arruína-se o negocio levando-te a falência tu continuavas a achar sensacionalista ?
      Ganha juízo, eu conheço um tipo que fez isso mesmo, foi apanhado e a empresa ao invés de o despedir alugou uma armazém de propósito e colocou la a cumprir horário unicamente acompanhado de uma cadeira, ele ia enlouquecendo e ao fim de 2 anos despediu-se sem direitos, pese embora tenha recorridos a advogados e a outros meios…eles deram sempre a volta e ele pagou caro a traição que cometeu ao patrão.

      • Pérolas says:

        Para quem não tem ou teve uma empresa, comparativamente falando, o sentimento e consequência prática podem assemelhar-se ao de uma traição…

      • rjSampaio says:

        sensacionalista é chamar o que aconteceu um “crime informático”, nao estou a menosprezar o crime…
        escreveste tanto e não percebeste isso? vai la ler o comentário acima o user “perolas” pode ser que percebas.

  5. Manuel says:

    É verdade, são migalhas, mas não deixa de ser crime. Os grandes ladrões, não é por culpa da judiciária que continuam com as suas atividades mas sim pelos juízes e ministério publico. Ainda em relação às bases de dados, não existe qualquer tipo de preocupação por parte das empresas para salvaguardar a confidencialidade. Está tudo escancarado

  6. Alberto Martins says:

    No fisco controlam o acesso dos funcionários que estão autorizados a consultar as bases de dados…
    Mas controla as empresas e funcionários de outsourcing que “manipulam” as bases de dados?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.