Quantcast
PplWare Mobile

O Supermercado (inteligente) do futuro

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Alexsandro says:

    Bom por um lado, mal pelo outro…tudo esta a evoluir para o sedentarismo :s

    • Pedro Pinto says:

      Neste caso o sedentarismo nem se coloca, pois teremos de ir na mesma ao supermercado. No entanto, temos a vida facilitada.

      • Fábio Rocha says:

        GPS dentro de um centro comercial? ahahh

        De facto acho que tudo evolui de forma a facilitar a vida, mas tudo começa a ficar fácil de mais…

        E com isto bastantes pessoas iram perder postos de trabalho, e isto também é preocupante…

      • Miguel.Machado says:

        Esta é daquelas tecnologias que tem imenso potencial de aplicação, no entanto, o que me preocupa nesta tecnologia (assim como noutras) é o facto de poder contribuir para o desemprego, uma vez que aparentemente não serão necessários tantos funcionários no supermercado.

        E isto é apenas uma das aplicações do RFID.

        Temos de aceitar a evolução das tecnologias mas o facto de muitas delas estarem a substituir o Homem, penso que seja um motivo de preocupação.

        Cumprimentos.

        • J. says:

          É pena é as novas tecnologias criarem desemprego… e não serem utilizadas para que as pessoas trabalhem menos e disfrutem mais da vida, esse seria o principal propósito. Mas quem quer enriquecer pensa só na questão económica….

          • kekes says:

            É o custo da evolução criam desemprego numa área criam noutro… simples quanto isso alias num futuro serão necessárias pessoas para trabalhar noutra áreas e não teremos, nomeadamente a saúde, assim poderá ser um modo de libertar mais gente para tal trabalho.

          • Varsal Jr. says:

            LOL qualquer dia até há robôs melhores que alguns enfermeiros que para aí anda.

          • EacHTimE says:

            É exactamente disso que fala o Zeitgeist Addendum. No sistema que temos a tecnologia ameaça empregos e portanto a vida de muitas pessoas. Ora isto por si diz que há algo de muito errado com o sistema…

            Num sistema decente, a tecnologia iria aos poucos deixar de nos obrigar a trabalhar tanto

            No sistema que temos cada vez há menos emprego; os empregos que há passam a ser a tentar usurpar dinheiro aos outros em x de produzir coisas; os q trabalham, trabalham cada vez mais horas isto tudo pela obtenção do lucro seja a que preço for.

          • arcanjo says:

            amigos o desemprego desde que haja subsidios e outros beneficios para dezempregados ,bem vinda a evolução tecnologica , o que mesmo preocupa e a ambição do ser humano em querere tudo para ele, e nada para os demais. de facto as cocecuencias são negativas.

  2. chicosoft says:

    Penso que o Futuro passe por Online, com entregas em casa… Já acontece hoje em dia, e por acaso é algo que ando a pensar fazer… Uma pessoa tem uma lista de compras pré-definidas, e manda vir, depois é so acrescentar mais qq coisa que precise… Com isto escusamos de andar horas pelos corredores, a ver preços etc… num Supermercado online, basta um Short por preço…

    • Marcelo Ribeiro says:

      Isso sim, já é sedentarismo.

      Não acho que ficar em casa fechado seja saudável para ninguém. A interacção social, nem que seja ver outras pessoas, é necessária. Claro que como complemento funciona bastante bem. Mas não como alternativa.

      • chicosoft says:

        Queres interacção social vai a uma taska, bar, restaurante, vai ter com amigos… não me digas que ir ás compras é interacção social… Eu odeio ter que fazer compras, e carregar com os sacos… Pronto.. devo ser só eu..

        • R says:

          Não és não. Até devia haver um clube, ou uma associação, ou coisa parecida. :)))
          Não ir às compras, fazê-las online e com isso ganhar tempo para ir dar um passeio com a família, ou fazer um jogging, ou até mesmo ficar a nanar. Para mim, é aumentar a qualidade de vida. Além disso, tem que se criar mais e mais postos de trabalho (pessoal de entrega). Por isso, é a tecnologia a funcionar das duas maneiras. 😀

        • Marcelo Ribeiro says:

          Não estava a falar de interacção social no sentido de ires meter conversa com os operadores de caixa do supermercado 😀

          Sou-te sincero que, sempre que posso, opto por fazer compras online. No entanto, com o meu comentário, o que queria dizer é que se utilizas isso para ficar em casa a “nanar” (meu Deus…) ou a ter outra actividade que não contribua para que te mexas, contribui para o sedentarismo. Óbvio que se for para ires a um passeio, discoteca, whatever é viável. Mas agora tudo depende do que a pessoa faz com aquela hora que poupa em ir ao supermercado.

  3. Carlos Santos says:

    Eu vi isto na CeBit. Apresentam também o ciclo de vida completo do produto (se teve fertilizantes, etc).

  4. Elsa says:

    Com tanta tecnologia a entrar no mercado ,tem que haver quem pague isto tudo…..é tudo muito bonito

  5. João says:

    Lá se vão não sei quantos postos de trabalho, é das tais coisas que a evolução nem sempre é boa. Os culpados disto somos nós que aderimos, a caixas automáticas , vias verdes , abastecimento com pagamento na própria bomba e companhias.

    Está a ficar negro isto

    • Paulo39 says:

      Na minha opinião essa ideia é absurda.

      Isto é evolução.
      Isto permite fazer mais com menos esforço.

      Deixa de haver tantos “caixas de supermercado”, mas passa a haver mais engenheiros que inventam este tipo de coisas.

  6. Aptenodytes Tuxus says:

    A minha maior preocupação é que a tecnologia nos próximos anos “roube” ainda mais postos de trabalho em vários sectores até se tornar numa situação insuportável. Para não falar do sedentarismo como é óbvio.

    É indiscutível que facilita bastante a vida das pessoas, mas nem tudo são rosas.

    • leitorassiduo says:

      Eu pessoalmente penso que no geral a tecnologia vem “roubar” trabalho às pessoas sem qualificações. Sinceramente (pode ser coincidencia) não vejo nenhum médico ou engenheiro que acabe um curso e mais cedo ou mais tarde não tenha trabalho na sua área. Obviamente á cursos e cursos, se alguém tira um curso de filosofia, por exemplo, o mais certo é ter de se contentar a lavar pratos.

    • Nuno says:

      Ora nem mais !

      e depois os milhares de empregados de supermercado ficam sem emprego e quem é que lá vai as compras?

      Por este caminho o super-mercado do futuro é um super-mercado vasio !

  7. Miguel says:

    Isto é muito bonito na teoria, mas a implementação é complicada.
    bastam 2 topicos para perceber a dificuldade de implementação:
    1 – Carrinhos de compras com lcd’s que nos dizem as promoções e tal… Ideia fantastica… Houve uma empresa de Hipermercados que fez um piloto para a implementação, o que aconteceu foi que os lcd’s eram furtados, a sua fiabilidade era fraca, porque as pessoas não têm cuidado nenhum…
    2 – Todos os produtos com etiquetas de RFID… outra ideia excelente… pois, mas as etiquetas são caras e há produtos onde fica mais caro a etiqueta que o produto em si… Se por exemplo num produto de 50 euros, mais 10 centimos não se nota, já num produto que custa 20 centimos, mais 10 centimos em cima é pesado…

    Na minha opinião ainda falta algum tempo para termos esse futuro…

    • leitorassiduo says:

      As etiquetas são caras porque a sua produção ainda não é feita em grande escala 🙂

      Quanto aos LCD’s concordo plenamente… a falta de educação e/ou civismo certamente levaria a muitos furtos/vandalismos

    • Ricardo Elias says:

      “1 – Carrinhos de compras com lcd’s que nos dizem as promoções e tal… Ideia fantastica… Houve uma empresa de Hipermercados que fez um piloto para a implementação, o que aconteceu foi que os lcd’s eram furtados, a sua fiabilidade era fraca, porque as pessoas não têm cuidado nenhum…”

      Uma solucao para o problema e’ o que era usado a algum tempo por um Hipermercado da minha area, mas para os carrinhos de compra.

      Quando querias usar um dos carrinhos colocavas uma moeda (salvo o erro 50 escudos), que desbloquiava o “lock” e assim podias usa-lo. Quando terminares o seu uso, devolvias e recebias os exactos 50 escudos. (o custo nao e’ muito mas o suficiente para evitar a maiorias dos roubos)

      Para os LCDs, talvez usando um metodo em que usando um cartao de credito/banco, acedes a um dos LCDs que podes colocar num carrinho. Quando terminares a compra, devolves e nao pagas nada. Nao devolves, e espera pela cobranca.

      O “redbox” (podes alugar filmes a precos baixos: $1 por dia) faz o mesmo. Nao devolves o DVD que alugaste (porque queres ficar com o DVD ou perdeste-o) e eles cobram o valor do DVD ate’ certo dia, e o DVD passa ser teu. (o mal e’ que custa quase o mesmo ou mais do que comprar um original).

      Fica bem!

    • Ricardo Elias says:

      Outra solucao para o LCDs: usar o proprio telemovel. A companhia so’ precisa criar uma aplicacao para o efeito e assim ajudar as pessoas com as compras. O iPhone talvez ja’ tenha algumas Apps para o efeito aqui nos EUA.

      Assim evita-se o custo dos LCDs, mesmo que existe o custo de criar as apps. Mas eles sempre podem cobrar um custo baixo para obter a app, e assim cobrir o custo do App.

      Fica bem!

  8. Luís Filipe Carvalho ( FatGiant) says:

    Há já vários anos que espero ver isto em prática.

    Andei bastante tempo a fazer compras de calculadora na mão, para chegar ao caixa e ter SEMPRE a surpresa de os valores finais não serem os mesmos. Cheguei a pensar usar um portátil para ir registando os diferentes valores para comparação com o ticket do caixa. Acabei por nunca o fazer porque o incómodo e a perda de tempo extra não justificavam as diferenças que encontrava entre o preço de prateleira e o preço de caixa. Mas, eu só sou um. Se multiplicarmos essas diferenças pelos milhares de utilizadores diários, vemos facilmente porque esse tipo de sistema jamais será integrado.

    Por causa dessas diferenças mais graves nuns hipers que noutros, risquei alguns deles dos meus destinos de compras.

    Para além de que promoções confusas, mal implementadas, falsas, ou enganadoras, é o que mais abunda nesses locais. Tornar tudo claro e transparente para o cliente, nunca irá acontecer. Não é mesmo esse o objectivo dessas casas por mais que o anunciem.

    Quanto ao projecto em si, adorava que alguma vez fosse implementado, não apenas na perspectiva de tecnofilo, mas também de consumidor, cliente, utilizador. Infelizmente, o mercado escolhido para a implementação não é o mais indicado a esse tipo de “abertura”. O que não retira de forma alguma mérito ao projecto, à ideia ou à tecnologia. Pelo contrário. Se esse tipo de sistema fosse colocado em funcionamento toda a gente ganhava, especialmente a loja que o usasse. Infelizmente, os lucros obtíveis pelo sistema actual são drasticamente superiores e mais facilmente “escamoteáveis” no sistema contabilístico.

    Não acredito com toda a sinceridade alguma vez ver isso em funcionamento nos supers e hipers da nossa praça.

  9. Ricardo Santos says:

    Este tipo de tecnologia devia de ser implementado em tudo o que é negócio. Devia de ser obrigatório pagar sempre caixas automáticas e com cartão de multibanco, pois assim era sempre emitida a factura e não havia cá fugas aos impostos.

    É certo que esta tecnologia tira postos de trabalho, mas terá que haver sempre pessoas para assistência, desenvolvimento, implementação.

    Perde-se uns postos de trabalho ganha-se outros. É a evolução.

  10. The Duke says:

    Supermercados evoluem para a maximização dos lucros, tal como as bombas de gasolina. Poupam nos empregados, obrigam o cliente a fazer tudo, e continuam a cobrar mais do que o que deviam, minimizando os postos de emprego. Isto é evolução? É. É a evolução do sistema capitalista. Continuo a preferir o lado humano.

  11. leitorassiduo says:

    Fiz uma dissertação sobre RFID, usos presentes e potencialidades e digo-vos meus caros.. isto é uma grande tecnologia que poderá trazer imensas vantagens mas, temos de ter muito cuidado sobretudo a nível de segurança e privacidade das pessoas.

    Ainda assim, cada vez que vou ao super-mercado só penso “mas porque é que ainda ninguém inventou e implementou algo que consiga ler todos os produtos do carrinho e apresente a conta de imediato?!” não creio que seja assim tão dificil com a tecnologia existente actualmente.

  12. HP says:

    A minha tese de fim de curso foi precisamente sobre a implementação de sistema RFID em superficies comerciais 🙂

    E, se não me engano, uma universidade portuguesa desenvolveu/está a desenvolver um semelhante tipo de etiquetas feito à base de celulose.

  13. João Oliveira says:

    Boas, eu realmente estou convicto de que num futuro não muito longínquo esta situação será uma realidade. Pois eu utilizei esta tecnologia (RFID) no meu projecto final de curso para criar um sistema ubiquo. E posso afirmar que este sistema só vai beneficiar os clientes, pois também deixará de haver as filas de espera. Pois o carrinho ao passar pelo sensor será quase automaticamente mostrada todos os produtos existentes neste (isto quando os codigos de barras forem substituidos pelas tags rfid) e poderá mostrar logo o total a pagar, evitando os tempos de espera (as meninas das caixas a passar os produtos).

    RFID é o futuro 🙂

    Cumprimentos

  14. Alguém que pensa says:

    Estamos a correr para onde? Alguém sabe ao certo?
    Tem certas coisas que, sinceramente, não vejo como uma melhora, e sim até um retrocesso.
    Cadeias 24h, por exemplo, não existiam quando os trabalhos de turno já existiam. Por isso, não venham me com a desculpa da falta de tempo.
    É bem interessante aplicar essas tecnologias de modo a acelerar o ritmo das pessoas…quem é classe média nem pensa em ter muitos filhos, se quer, algum.
    Ufa….foi um desabafo.

    Abraços a todos.

  15. Lipex says:

    lol.. isto só funcionaria se as pessoas fossem correctas no ‘check-out’..
    ‘Seft check-out’ deu para umas valentes gargalhadas..

  16. NazgulTuga says:

    Qualquer dia, até os programadores ficarão sem emprego. xD
    À velocidade que os computadores funcionam, e o seu nível de “inteligência” aumenta… veremos computadores a competir com humanos. 😀

    Considero esta tecnologia muito boa, mas como já referiram, muitos dos postos de trabalho serão cortados. Infelizmente, o desemprego subirá em flecha.
    Mas continua a ser necessário mão humana em muita coisa.

    Por enquanto, nós seremos os únicos a criar e a inovar ideias, projectos, utensílios. 🙂

    O vídeo fez-me lembrar o Wall-E. xD
    Tanta publicidade, “GPS”, info. sobre o artigo…
    Qualquer dia andaremos gordos. 😀

  17. Alguém que pensa says:

    Já tive de deixar de ir à BlockBuster, porque a mesma fechou. Dizem que a culpa foi da pirataria. Não sei, e nem quero saber. Só sei que mais um atrativo para quem gostava de ir com as crianças escolher filmes cessou. Já não existe em nosso mercado.
    Quando vou ao Continente, nunca uso os caixas expressos, aqueles sem pessoas a atender.
    Tudo bem, entendo que as coisas onlines são mais práticas, mas também penso que daqui há algum tempo teremos somente trabalho de entregas (como já foi dito acima, o qual não precisa de muitas habilidades). Pergunta: onde progredimos? É difícil…o Continente online é bom para o patrão.

  18. dfdf says:

    E andamos felizes a tratar da nossa própria extinção

  19. Alex says:

    Desemprego,desemprego,e mais desemprego, tudo se resume a isso e a um lucro cada vez maior dessas empresas á custa das pessoas!!!

  20. Ricardo says:

    Nenhum gestor de supermercado que se prese irá colocar um carrinho que guia o cliente directamente até ao produto! Isso é estúpido! O objectivo é que o cliente nem lista traga e passei-e bastante no hiper mercado por forma a que compre até aquilo de que não precisa.

    Agora isso do “RFID” apenas trará um pouco mais de automatismo ás compras. hoje em dia já existem as caixas de pagamento automático e balcões Wexpress”.

    • NazgulTuga says:

      Tens toda a razão, tive uns meses a “trabalhar” no lidl, e muitas, mas mesmo muitas, pessoas iam lá só para comprar um litro de leite, e levavam, raramente, o carrinho cheio, ou ovos, pão, fruta, água, iogurtes…

      @ Alguém que pensa
      Eu também nunca uso essas caixas.
      Já vi a funcionarem, e era uma confusão total.
      As pessoas acabavam por deixar de saber qual era o produto que tinham passado, depois tinham de chamar pessoas com formação, para apagar um produto, ou a adicionar mais do que um do mesmo.

      Agora que penso nisso. As pessoas de hoje continuam a não saber utilizar um computador, um telemóvel de ultima geração… e deixam isso para os filhos… que cracks naquilo.
      Acho que não iríamos muito longe.
      A não ser que começasse nos EUA, e nós importássemos para cá, e com o tempo as pessoas fossem-se habituando à tecnologia, como foi o caso dos Macdonalds, carros, máquinas de lavar, microondas…

  21. CP says:

    Foi com agrado que vi esta noticia aqui. Isto é realidade.
    Trabalho no grupo e já tive a sorte de ver uma loja na Alemanha a funcionar totalmente com RFID. É um assombro.
    Li alguns dos comentários e efectivamente trata-se de uma tecnologia cara mas espectacular no que à informática diz respeito.

  22. Bovidino says:

    A tecnologia nunca evolui para termos a vida facilitada. Isso até pode ser uma decorrência. Todavia o foco da evolução tecnológica está simplesmente no aumento das vendas, do consequente faturamento e da respectiva arrecadação de impostos.

  23. Guilherme de Sousa says:

    isto ja existe no jumbo:X

    os carrinhos têm um suporte para um aparelho q se tira na entrada.
    com este faz se logo o registo das compras, e qd se chega a caixa é so pagar.

    cumps

  24. Pois... says:

    pois…antecipação cientifica muito interessante, pode ser que num futuro muito proximo vingue…

  25. dajosova says:

    O meu comentário sintetizado:

    Metro Group é o grupo do qual fazem parte a Media Markt, Makro, etc.

    Compra online é já habitual e há já empresas a mandar os seus produtos de supermercado ( alimentícios, etc. ) de Espanha para cá em forma de marketing de rede ( que também será vulgar aqui no nosso país).

    RFID será usado massivamente…

    …conforme tenho dito pontualmente, o controlo da humanidade passa pelo controlo do nosso dinheiro… da nossa liberdade.

    Temos vindo a “aceitar” esta evolução mas no dia em que pactuarmos derradeiramente com o controlo total do comércio, estaremos bem mais próximos do fim há muito anunciado.

  26. Shynkendo says:

    Existe nos USA já á varios anos uma cadeia de supermercados,que funciona desta forma

  27. B80 says:

    Então mas já toda a gente se esqueceu daquela livraria “maravilha” ali para os lados das amoreiras? Estava “carregadinha” de tecnologia entre elas o hiper-publicitado (quase ao ponto de lavagem cerebral pela própria livraria) RFID. Lá em tecnologia souberam gastar mas depois em pagamentos de ordenados parece que a coisa deixou a desejar.
    Prevejo uma situação semelhante nos hiper, à custa das novas tecnologia há-de haver mais desempregados e os poucos que tiverem emprego ganharão uma miséria.

  28. Eli**** says:

    COMO O MUNDO ESTA INDO TECNOLOGICAMENTE PODE REALMENTE ACONTECER ISSO ,PORÉM , O QUE SERÁ DA RAÇA HUMANA ??????? DOS PEQUENOS POBRES MORTAIS????? DAQUELES QUE PRECISAM DE TRABALHO PARA SOBREVIVER????FICAM UMA ?. O PRÓPRIO HOMEM DESTRUINDO A SE MESMO.

  29. Jamil Said says:

    Muito bacana o texto! Mostra que o RFID já é uma realidade no nosso cotidiano, e tende a ser cada vez mais.. não só nas grandes empresas, mas até mesmo nas nossas casas, carros, escolas, trabalho etc! É o caso da identidade alemã, que já tem RFID!

    Tenho um blog especializado no assunto, nao deixe de conferir! Abs 🙂

  30. Gonçalo says:

    Sedentarismo?! Por alma de quem… continuamos a ser nós a ter que empurrar o carrinho… Enfim…
    A GRANDE DESVANTAGEM é, definitivamente, a redução dos postos de trabalho e isso sim é preocupante!
    Mas de resto, acho fantabolástico 😀
    Gonçalo

  31. Tony says:

    Que avanço,

    Bom esse foi um trabalho na Faculdade em 2006, na época da pesquisa só apareceu um link sobre o assunto.

    O Meu professor quase não acreditou na idéia espero que ele tenha visto essa matéria.

  32. Luisa Piratinha says:

    É um absurdo , pois ao contrario dos japoneses os dos americanos nós em Portugal não temos fabricas para absorver desempregados , pois não criamos a tecnologia apenas a troca mos por postos de trabalho , k tristeza tudo tem um limite !

  33. Joaquim says:

    Esta ideia é fantástica, não haja dúvida, pensem em quem tem familiares que trabalham nos supermercados, muito provavelmente serão despedidos…
    Um dia vamos “colher o que andamos a plantar”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.