Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft IllumiRoom – Imagens para lá da TV…

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. José Moreira says:

    Não há vídeo para ninguém…

  2. vvv says:

    pedro nao ha bico

  3. Baarux says:

    Não considero uma grande inovação, comparado por exemplo ao Kinect. Mas era uma boa adição a qualquer consola para criar um ambiente ainda mais imersivo.

    Ter isto enquanto jogo Bioshock ui…

    • Nuno Pinto says:

      És capaz de ter razão, se calhar isto até é bem fácil de reproduzir, eu estou a pensar usar umas lampadas fundidas que tenho em casa para fazer um projecto igual. Lol.

      O que é inovação para ti?

      • Baarux says:

        Agradeço que leias outra vez, nunca em lado nenhum disse que isto não uma inovação, apenas comparei com outra tecnologia lançada pela mesma marca.

        Tentas-te ser engraçado, parabéns e espero que isso te faça mais feliz neste ano de 2013.

        • Nuno Pinto says:

          E a tua comparação é que foi infeliz. Pois é uma inovação ao nível do Kinect, e faz parte do “pacote” completo. Deixa o produto primeiro ser lançado, vê como funciona, aprende o que é exactamente, e depois compara ou critica.

          • Bruno says:

            Foi infeliz? O facto de ter comparado com o kinect, enfim.
            Não fiz qualquer tipo de critica, até disse que é algo que espero exprimentar dando o exemplo do bioshock.

    • Emanuel says:

      concordo com você oque de inovador tem um datashow?

  4. Redin says:

    Video on.
    E gostei bastante do conceito.
    Claro que ficaria bastante melhor com a parede da sala vazia de mobiliário mas num ambiente familiar, é uma maravilha ter algo a pairar pela sala toda.
    O único inconveniente é mesmo ter de ter um projetor (caro por sinal) e na vez de o teres numa sala para veres filmes, tens na sala nessas condiçoes.

    • diogo says:

      Olha que com a parede vazia ias ter menos interacção com o ambiente.
      Se voltares a ver o video vais reparar que o projector distorce as gavetas da estante da sala, parecendo que estas estao a ser comprimidas.
      Portanto a adição de alguns objectos ao ambiente ajuda na imersão.

  5. Nuno says:

    Dúvido muito que quem tenha um projetor vá utilizar este tipo de cenário para jogar. Quem tem um projetor, quer é projetar todo o conteúdo do jogo numa parede branca ou uma tela grande do que estar a sentir a suposta imersão do jogo no meio dos móveis e restante decoração da casa simulando Video Mapping, obrigando assim o consumo energético de TV e projetor.

    • JJ says:

      Para isso é preciso que se tenha uma sala com uma parede livre de qualquer tipo de objectos. E muitos que tem projectores, não tem essas condições.
      Alem de que o factor de ter objectos na sala, parece tornar a experiência mais interessante.

  6. Mário Mendes says:

    Esta novas tecnologias 1º joga-se,brinca-se etc depois observam a casa de cada um,vigiam,etc colocamos um espião em casa,lá chegará o dia em que o televisor será o principal meio de control dos povos.

  7. Tiago says:

    Tem de ser obrigatoriamente Kinect para windows ou pode ser para a xbox?

  8. JP (djlinux) says:

    Microsoft a fazer “Pub.” de jogos do Linux… Lindo !! Haha

  9. francisco says:

    deve ser engraçado para ver filmes para +18

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.