PplWare Mobile

HyperloopTT: cápsula para transporte de passageiros a 1000 km/h já está pronta


Eduardo Mota

Redator. Apaixonado por Ciência, Tecnologia e Engenharia, aprecio a particular capacidade que estas três áreas do saber têm na evolução da Humanidade. Tento contribuir, diariamente, um pouco para esta tendência, com os meus artigos aqui no Pplware e o estudo na Universidade do Porto.

Destaques PPLWARE

49 Respostas

  1. Cortano says:

    Já resolveram a questão do arranque e travagem no que toca à pressão exercida nos passageiros?

    • DrFrankenDerpen says:

      Essa questão só se coloca em termos de aceleracão e desaceleracão. Estando em velocidade “cruzeiro” e constante: não há problema nenhum para o passageiro ir a 10, 100 ou 1000 km/h

      • Wishmaster says:

        Por isso é que o Cortano falou de “arranque” e “travagem”….Não falou em velocidade cruzeiro.
        Quanto ao arranque e travagem, também um avião faz com que os passageiros sintam as forças G e vai sem problemas até aos 900Km/h…Será parecido, mas com a vantagem de não sofrermos com a diferença de pressão nos ouvidos devido à altitude.

        • Cortano says:

          É diferente porque a progressão acho que é diferente, ou seja, o avião não vai dos 0-900 em segundos.
          Pelo menos a aceleração inicial e desaceleração final era referido como um dos problemas, porque a ideia era ter arranques rápidos e chegar à velocidade cruzeiro em segundos e não gradualmente como nos aviões comerciais.

          • K says:

            De qualquer forma parece me um bom compromisso, mesmo que isso não seja resolvido. Se te consegue por de Portugal à Suíça em pouco menos de 2 horas por terra, acho que vale o tempo extra perdido numa aceleração menos pronunciada.

        • Oliveira says:

          NEm com as greves da Ryanair

    • Alexa says:

      E a força G exercida?

  2. MárioDias says:

    Na minha opinião mais um buraco negro para chupar dinheiro, para alguém ficar com bastante dinheiro no bolso. E o artigo tem algumas falhas como dizer que “Vibranium e que tem características de segurança e aerodinâmicas”, mas para que se quer que a carruagem de comboio seja aerodinâmico se aquilo vai andar no vácuo???!!! “O Hyperloop é um conceito revolucionário de mobilidade” conceito revolucionário com mais de 100 anos???!!!! Engraçado ter o tamanho de duas carruagens de metro mas só ter espaço para as pessoas no espaço de uma carruagem, ou seja o meio de transporte que o espaço para as pessoas serem de 50% lol

    • Wishmaster says:

      Não ligues ao que a “lavandaria” do Musk e dos seus comparsas diz… Financeiramente, o Hyperloop é inviável. Construir um túnel desses por exemplo de Porto a Paris e Paris a Moscovo, à superfície, custaria todo o PIB mundial e mais as fortunas do Top 100 da Forbes…e ainda faltaria dinheiro. Para não falar do túnel subterrâneo, aí teríamos que vender o sistema solar…Agora é imaginar o financiamento necessário para muitas outras ligações…

      • Nuno V says:

        Eu cá diria que não é apenas inviável financeiramente, mas também tecnologicamente, pelo menos para o futuro próximo.

        Para tal funcionar, temos que construir túneis estanques. Para distâncias curtas não é assim muito complicado, agora longas distâncias é extremamente complicado. Só o desafio da expansão térmica que vai provocar dilatação e contração da estrutura conforme a temperatura, para já não temos como resolver. Estamos a falar que se fosse entre Porto e Lisboa, se o túnel fosse de alumínio, a expansão do inverno para o Verão seria na ordem dos vários metros. Isso enquanto a estrutura se mantém estanque.

        Existe o problema em caso de ruptura do vácuo vai inromper pelo túnel a dentro a uma velocidade estonteante, levando tudo pela frente. Bem como em caso de falha o túnel ficaria na sua totalidade inoperacional. Bem como depois de reparar este vai demorar eternidades a retirar as toneladas km^3 de ar.

        Bem que eu gostaria de perguntar a Hyperloop TT, porque razão desenharam o comboio de forma extremamente aerodinâmica? Se dentro fo túnel é um vácuo, não há necessidade para tal.

        • Wishmaster says:

          Exacto… Aliás, no Japão ou China, os comboios que atingem velocidades de 500 ou 600Km/h, nem têm a forma tão arredondada como este. Até são mais em espécie de cunha…ou seja, aquela curva que vemos é invertida e muito mais comprida (há um em que essa “cunha” tem 15 metros de comprimento :O ).

        • Wishmaster says:

          Claro que como dizes este não precisa de formato mais aerodinâmico. Talvez seja por questões de marketing, par ao tornar mais apelativo, mais bonito.

    • Wishmaster says:

      Não tinha prestado atenção à primeira parte do teu comentário…Exacto, fazer o dinheiro rolar….de preferência para os bolsos deles.

      Já agora deixo aqui uma análise aos desafios de engenharia que isto coloca:
      The engineering challenge is immense. While, broadly speaking, the principle has been agreed upon as possible, those that have worked on large transportation infrastructure projects dismiss Hyperloop technology when it comes to its practical implementation.

      For starters, the radial thermal expansion of the steel tubes under direct sunlight will result in pipeline distortions between joints. And, over a 100km pipeline, the longitudinal thermal expansion could be as much as 50m, meaning that a huge number of flexible joints would have to be in place. With so many moving joints, over such a distance, all under vacuum: it’s a maintenance nightmare in the making.

      Then there are questions about whether the steel is strong enough to withstand normal atmospheric pressure when it’s internal pressure is so drastically reduced. Atmospheric forces acting on the outside of the structure would be around 10 tonnes per square metre, with almost nothing pushing back on the vacuum sealed inner structure. It makes sudden and catastrophic buckling a very real potential hazard. The pipeline would also have to take the vibrational and centrifugal forces of the pods – thought to weigh between 10 and 15 tonnes fully loaded – travelling at close to the speed of sound. The steel pipelines wall thickness will almost certainly need to be greater than the current test pipelines of just 20mm.

      http://www.eurekamagazine.co.uk/design-engineering-features/technology/the-impossible-engineering-reality-check-facing-hyperloop/157339/

      • MárioDias says:

        @Wishmaster eu se fosse a ti fazia um ficheiro com tudo isso e sempre se fala no assuntos envias isso para a pessoa para não estares a gastar o latim. E mesmo assim vão dizer que és um hater, essa gente que acredita só vai aprender quando lá meter o dinheirinho e perder todo.
        Só para rematar o que colocaste ai: As pessoas terias que usar fatos como os astronautas para poderem aguentar o vácuo caso houvesse uma fuga na carruagem. é o transporte mais estúpido que eu já vi.

    • Rui says:

      É só um protótipo para testes. Dps devem aumentar o tamanho, ou adicionar carruagens… Caso passe para comercialização.

      • MárioDias says:

        Mas quais testes??? nem existe um hyperloop de 10 km para fazer um mini teste. o que eles fizeram foi uma carruagem em carbono e deram nome de um elemento do mundo marvel e toda a gente é burlada. Já para não falar que existem estados a dar apoios para isto, sim dinheiro dos contribuintes.

        • Bruno M. says:

          O Hyperloop é basicamente R&D, logo a tecnologia teorizada, criada, construida, arquitectada, servirá para implementar noutros projectos futuros… Daí ser protótipo! Logo é normal haver dinheiro investido por parte dos governos como em quaisquer outros projectos!

          Num futuro. Acredito que possa ser implementado um sistema identico e menos dispendioso.

          Ahhh e já me esquecia! O povo tem a mania de comentar com o pensamento tuga, como se fosse em Portugal. Mas não é,e logo os interesses serão efectivamente diferentes….

          • Wishmaster says:

            Protótipo??? Mas qual protótipo? Não diz em lado nenhum, no artigo, que é um protótipo.
            Aliás:
            “Não são conhecidos mais novidades sobre a Quintero One, para além de que será agora enviada para Toulouse de modo a finalizar os testes de otimização e integração com o restante sistema do Hyperloop.
            Espera-se que tal seja concluído ainda antes do final de 2019, segundo as informações de Bibop Gresta, chairman da HyperloopTT.”

            Portanto, é já um conceito acabado e para produzir… Não sei para andar em quê…Mas eles também não sabem…O que sabem é que alguns Governos e empresas vão subsidiando isto 😉

          • Bruno M. says:

            @Wishmaster, antes de abrirmos a bocarra, convém sabermos do que falamos primeiro, caso contrário arriscamo-nos a fazer figura de urso!

            Por no artigo não dizer que é um protótipo, não quer dizer que não seja – que o é!

            E quem o diz não sou eu, é mesmo este artigo que diz e passo a citar:
            “The slick 105-foot long prototype, named Quintero One, was revealed on Tuesday by Hyperloop Transportation Technologies (HyperloopTT) at its facilities in Puerto de Santa Maria.”
            https://www.telegraph.co.uk/technology/2018/10/02/worlds-first-full-scale-hyperloop-passenger-capsule-unveiled/

            Mas se não sabes o que são protótipos, passo igualmente a citar:
            “Protótipo é um produto de trabalho da fase de testes e/ou planejamento de um projeto.”

            Portanto, ISTO é um protótipo que seguirá para testes para ser optimizado/melhorado/modificado até ao produto final!!

            Abraço!

          • MárioDias says:

            @Bruno M antes da prototipagem vem muita coisa. Uma das coisas fundamentais é o relatório/estudo de viabilidade onde estão os cálculos e afins e como os resolver. Já viste esse relatório? alguém já o fez? depois é que se faz o protótipo para se provar o conceito. Posso dizer que muita gente já fez os calculos e relatorios sobre este assunto e todos chegam a mesma conclusão, “não é viável”. Tens o caso do Chuo Shinkansen comboio maglev do Japão que para fazer um percurso de quase 300km irá ter um custo proposto de 70 000 000 000€ . Hyperloop que utilizar tecnologia maglev, por isso é só veres o preço que vai ficar o fantástico Hyperloop. Só uma dica, no mínimo múltipla aquele numero x3 e isto só para ir ao Porto. e para dar lucro em 10 anos estamos a falar de 50000€ por bilhete, totalmente viável.

    • Gonçalo Oliveira says:

      Concordo com o ponto de vista de que estas coisas gastam muito dinheiro, mas julgo que é necessário ver o objectivo maior a longo prazo, que é o facto deste tipo de ideias trazer muita Investigação e desenvolvimento de tecnologias, que de outra forma não seria possível.
      Sim, o Hyperloop aos dias de hoje e com a tecnologia actual pode não ser viável de construir, mas permite que a tecnologia evolua de tal forma e a tal ritmo que o mesmo pode não ser verdade daqui a alguns anos.

      • MárioDias says:

        Gonçalo Oliveira, Investigação esta feita, basta ver o que o Whismaster escreveu, mais experiência da nasa com vácuo, mais todos os alunos do 12º que tenham física.

        Tecnologia???!!!
        criar vácuo check
        criar comboios check
        fazer túneis check
        levitação electromagnética check
        criar tubos de aço check

        qual a tecnologia que falas que é necessária para criar 10km de hyperloop já amanha? é que nem hoje nem no futuro isto vai funcionar porque a física não vai mudar no futuro .

        • Gonçalo Oliveira says:

          Tens tecnologia, mas a mesma ou os processos de produção desta ainda não evoluiu o suficiente para ser barata, que é um requisito essencial para que estas ideias todas que nos parecem descabidas passem a fazer parte do nosso dia a dia.

      • Wishmaster says:

        Penso que já temos tecnologia que nos permite viajar bem rápido (sem ser o transporte aéreo). Há comboios que podem atingir velocidades de 500km/h…Sais do Porto a seguir ao almoço e ainda vais comer um croissant ao lanche, a olhar para Torre Eiffel, e ainda tens tempo de ir comer um scone com a Rainha de Inglaterra antes do jantar…
        Por que razão não apostam nessas linhas e comboios? Fariam 1500km em pouco mais de três horas….Bem bom…
        Eu para fazer 1800km, gasto 2H20 de avião, mais meia hora para despachar a bagagem (já a arriscar), mais meia hora para esperar pela bagagem (com sorte….se for em Lisboa quase nunca é menos de 45 minutos).
        Portanto, TGV ou Maglev, seria importante perceber a razão de não serem já uma realidade. Sei que o avião tem dominado e não há necessidade, mas o transporte ferroviário é mais vantajoso (agora que a desvantagem da velocidade está mais do que resolvida em relação ao avião), embora no início exija uma infra-estrutura muito mais dispendiosa para os Estados que é a construção das vias férreas.

  3. Asdrubal says:

    Parece um comboio, mas não tem visor da frente.

  4. TugAzeiteiro says:

    Finalmente alguma inovação no ramo de transporte terrestre de pessoas/carga!
    Agora falta colocar em pleno funcionamento e expandir o conceito para outros países… A meu ver o Hyperloop daqui a umas décadas será uma boa alternativa aos aviões domésticos.

  5. Ricardo C. says:

    Acho engraçado estarem já a pensar no 5º meio de transporte, futurista, e tal… mas não seria melhor aperfeiçoar os já existentes? Tipo piscas nos automóveis que fossem capazes de ler impulsos cererbrais para ligarem? Era do caraças…

  6. Philleas says:

    Uns são uma alface do LIDL, outros são o tubo de vácuo das caixas do Continente …

  7. Gonçalo Oliveira says:

    Vibranium? Really?
    Alguém do marketing da empresa é fã da Marvel 🙂

  8. the oneee says:

    Quantos passageiros leva a capsula?

  9. Mário says:

    Maglev já daria um salto enorme em relação ao “normal” dos transportes de hoje em dia, sem necessidade de enterrar milhões em pesquisa e testes.

  10. TuNeS says:

    Mais uma treta do musk para entreter e manter o culto ocupado. Isto não é nem nunca vai ser um meio de transporte, são tantas barreiras físicas que nem meto aqui a escrever. Tretas para gamar guito aos governos e nós a pagar-mos…

  11. Marco Mota says:

    Pensamento tipico tuga.. … Deixa-me triste as pessoas pensarem que chegámos aos dias de hoje sem investimento, sem querer descobrir e inventar mais só porque já temos algo que já desempenha essa função…

    Vejamos se todos se todos fossemos assim:

    – Se Thomas Edison e Nicola Tesla tivessem pensado da mesma forma, certamente hoje não conheceríamos o mundo como conhecemos hoje..
    – Porque Thomas Edison quis criar uma lampada? Conta a historia que foram mais de mil tentativas. Para quê? Já existiam velas…
    – Lampadas LED’s, para quê?? Já existiam de outros tipos… Há quanto tempo temos lampadas LED’s? Porque só agora se está a massificar? Alguem dedicou tempo e investimento para agora ter alguma vantagem em relação as outros tipos de lampadas..
    – Sem o investimento por parte dos USA no desenvolvimento de uma rede que hoje é a internet, hoje nao estariamos aqui a discutir ideias.
    – Para quê querer telemoveis com mais caracteristicas que telefonar se já temos computadores??!! Hoje toda a gente usa smartphones.
    – Para quê redes 2G, 3G, 4G, 5G, etc?? Já dava para fazer chamas, para que investir nisto??!!
    – Para quê foguetões da SpaceX?? Já havia outros…. Hoje são reutilizáveis e os recursos que se devem poupar…
    – Etc, etc, etc… Ficava aqui a noite toda a escrever…

    Se todos tivessemos esta mentalidade, ainda estariamos na idade da pedra.
    Felizmente há pessoas que não se contentam com o que existe, querem e acreditam que conseguem trazer alguma coisa nova, alguma melhoria, alguma nova tecnologia e com isso criar a mudança.

  12. Jorge Pereira says:

    Amigos, esperem até à EXPO 2020 no Dubai para o verem em funcionamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia