PplWare Mobile

Estarão os smartphones a matar o mercado das máquinas fotográficas?


Daniel Jesus

Curioso desde cedo por tecnologia, procuro aprender e partilhar um pouco mais a cada dia que passa.

Destaques PPLWARE

54 Respostas

  1. Pedro says:

    “Esta quebra tem se sentido principalmente nas máquinas compactas, visto que para o mercado profissional ou para amantes de fotografia, uma boa máquina é ainda essencial não sendo ainda possível replicar a sua qualidade com as câmaras destes dispositivos móveis.”

    Esta frase mais a do título…mais que óbvio que não se defende o ponto da notícia.
    De qualquer forma, isto já foi escrito, dito e reescrito N vezes. Porque é que insistem em fazer artigos destes?

    • Hugo says:

      Mais que óbvio? Então? Argumentem o que dizem ao menos.
      Em relação à questão dos artigos nem há nada a dizer. É como entrar num restaurante a questionar o cozinheiro porque continua com pataniscas na ementa. No dia em que fores cozinheiro/patrão poderás escolher o que deve ou não ser cozinhado, até lá, é irem comer a outro lado. Fácil.

    • Bene says:

      Pelos vistos estás sempre atento e insistes em ler estes artigos…

    • Vítor M. says:

      Não tenham uma visão estreita, não marginalizem a evolução das tecnologias nem usem certezas do passado como verdades absolutas.

      Se olharmos para o mercado das câmaras fotográficas notamos claramente que está mais fraco, está a encolher é tudo porque há cada vez mais smartphones de fotografias que permitem fazer e receber chamadas, mas têm outra função principal.

      É verdade que o segmento profissional não muda ainda o equipamento, mas esse não é um mercado de massas, o tal mercado que gera muito lucro.

      Com passar dos anos, os novos smartphones conquistam os clientes e utilizadores de diferentes produtos no tal mercado da fotografia.

      No início, com a capacidade rudimentar de fotografar, os smartphones não eram a opção para a fotografia casual, uns modelos depois, já conquistam todos e já se conseguem resultados mais próximos do segmento profissional. Atenção que não disse que estava igual, ou perto, disse que já não está tão longe.

      Com a necessidade de publicar nas redes, de publicar nos artigos em tempo real, com a necessidade de publicar aquele momento já, há profissionais que recorrem ao smartphone para fazer esse tipo de fotografia. Agora, as DSLR ainda não dão qualquer margem aos smartphones, mas atenção, a diferença já esteve mais longe.

      É importante irmos apontando estes intervalos de evolução e perceber como está o mercado. Daí a utilidade da informação que, conjugada com a evolução dos dispositivos, nos mostra um retrato da situação atual.

      • Pedro says:

        Não tenho nada contra smartphones, aliás, fiz upgrade para um S9 apenas pela câmara (e ecrã vá).
        Mas daí a dizerem que podem substituir DSLRs…um sensor APSC é sensivelmente 10% do tamanho do telemovel, se em vez de meterem 4 camaras colocarem apenas 2 com sensores grandes e lentes normal e telefoto, acho que temos um verdadeiro breakthrough

        • Vítor M. says:

          Não iremos ver na sua magnitude um smartphone substituir uma DSLR, para já não há ainda tecnologia, mas o que tem havido é uma aproximação entre a qualidade dos smartphones ao que pode fazer uma DSLR. Não disse que é uma qualidade idêntica, disse que o fosso que outrora existia já não existe. Tirando os profissionais, muitos são os que já fazem trabalhos com smartphones e iremos ver mais no futuro, como nos está a dizer os dados registados desde 2010. Mas convenhamos, para 90% das pessoas, não chegará um bom smartphone para fazer fotografia? É este mercado que tende a desaparecer do lado das máquinas fotográficas que fazem fotografia convencional, mesmo pessoas que usavam DSLR mas para fotos triviais.

          Se não assim não fosse, se o hype não fosse a fotografia, não tínhamos as marcas a apostar tanto neste módulo, como é o caso da Samsung que faz hardware e software fantástico para o modo fotografia dos seus smartphones (e não só).

          • Bruno M. says:

            A Qualidade da imagem é relativa!

            A prórpia máquina não é tudo no que toca a qualidade de fotografia!
            A qualidade das objectivas faz toda a diferença, e enquanto de um lado podemos trocá-las, num smarphone não!

            Concordo que hajam cada vez mais profissionais a recorrer a smarphones para tirar as suas fotos, mas para as redes sociais, e em grande parte dos casos, na hora para postar nas redes sociais.

            No entanto ainda falta muito para um smartphone conseguir competir com uma máquina fotográfica.

          • Vítor M. says:

            Sim sim sim… não é a máquina que faz o fotografo, tens razão.

          • Vítor M. says:

            É como digo, é um mercado que está a ficar cada vez mais equipado, há pessoas dedicadas mesmo a fotografia pela facilidade e qualidade que se consegue obter com um smartphone pois está tudo integrado. Isso também é relevante.

          • Bruno M. says:

            @Ze!

            As objectivas teoricamente, para terem mais qualidade, têm que ter menos vidro dentro delas!
            Automaticamente, mais vidro, mais espaço entre vidro, mais bolsas de ar = menos qualidade da objectiva!

            Teres um smartphone com as lentes, um sensor minusculo, menor que APSC, não é comparável com um sensor Fullframe, muito menos as próprias objectivas!
            Neste caso há mesmo muitos factores a ter em conta no que toca a qualidade da fotografia. A qualidade é muito mais que o uma fotografia bonita ou bem enquadrada…

          • Vítor M. says:

            Claro que não e nem se compara, contudo, há cada vez mais material que potencia melhores resultados. Pode ir buscar alguns “amadores” que no passado até investiriam numa máquina DSLR, mas nada se compara a uma boa lente e uma máquina profissional.

          • Nuno V says:

            O fosso entre uma DSLR (para amadores, nem sequer vou mencionar as para profissionais) e um smartphone continua a existir. Com boa luz o smartphone faz um bom serviço, e pode-se dizer que o fosso entre esta e uma DSLR não é muito grande. Agora quando utilizas o smartphone em cenários poucos iluminados, a diferença entre uma DSLR e um smartphone é, simplesmente, abismal.

            E eu cá tenho sérias dúvidas que o smartphone alguma vez venha a ter capacidade para substituir uma DSLR, não é só pela falta de tecnologia, mas principalmente pelas limitações da forma e tamanho do próprio smartphone.

  2. D4rkw3b says:

    O mercado profissional é que conta, porque maquinas baratas obviamente acabam por ser substituídas por telefones.

    • D4rkw3b says:

      Falo por mim que tenho 2 Canon e 1 Pentax, e dei a Pentax á minha filha para brincar

      • Mateus says:

        Tens que diferenciar máquinas contactar de máquinas básicas: há máquinas compactas que são de alta gama e caras e aí os terminais não chegam;

        As máquinas fotográficas andaram anos com lentes e sensores de fraca qualidade, focagem má, lenta, cpu horríveis e captura de vídeo miserável; o lucro era impressionante. Como agora os smartphone têm chips muitíssimas vezes maus poderosos, software avançado e sensores mais caros que os das máquinas básicas, estas já não vendem.

        Os smartphone irão substituir a médio prazo as máquinas básicas e intermédias- baixas. O meu S9 tira melhores fotos e faz melhores vídeos que uma máquina com 3 anos que me custos 450€…

        • joao says:

          estas longe da verdade.
          tenho um sony a5100 que custou a volta disso 450 euros.
          que tiram 500x melhor que o teu samsung s9. sei disso pq tenho um htc u11 que tira melhores fotos que o teu samsung e por muito boas que seja as fotos do htc u11, so ficam boas no telemovel ao passar para um grande ecra nota-se logo a diferenca da sony para a do telemovel.
          se as cameras vao desaparecer que ja estao..nao é pela fraca qualidade delas…é pela preguica e mediocridade das pessoas que se contentam com pouco mesmo podendo ter melhor. contra mim falo que é raro pegar na sony embora seja portatil e pequena continua a ser mais um trambolho para levar….ja nem falo da minha Canon que tem lentes mais caras que o meu smartphone, essa ja nao pego ha anos….

          • Mateus says:

            Lol mediocridade das pessoas? Se calhar até é “gênio” das pessoas: interessa mais tirar uma boa foto com nitidez boa e suficiente para mostrar num smartphone, TV 4K ou até imprimir em A4 (que já é grande) sem perdas percetíveis de qualidade, ou andar com um trambolho de um par de milhares de euros e lentes para tirar fotos que só em grandes ampliações (que nenhum privado faz) é que se nota a diferença?

            Eu já tive uma dSLR com 2 lentes bastante razoáveis e vi que no final amontoava centenas de fotos para editar e nunca tinha tempo ou vontade. Para mostrar aos amigos e família? Mesmo em 4K um bom smartphone chega para a maioria das situações, desde que o fotógrafo também o seja.

            Uma Sony A6500 também faz fotos e vídeos incrivelmente bons mas compensa o valor gasto? Para a esmagadora maioria não.

  3. paulo says:

    Não é de esperar, é como os vinis, disquetes, CD’s, DVD’s, leitores mp3’s, PDA’s, disposotivos GPS
    Ainda vai decair os relógios mecanicos, carros a combustíveis foceis, discos externos, etc etc,

    Tudo ainda existe, mas torna-se especifico.

  4. Nuno V says:

    “Depois de conquistar o mercado das compactas, vários são os fabricantes que apontam agora às DSLR, procurando aproximar-se da sua qualidade fotográfica, algo que poderá ainda demorar um pouco a alcançar na sua totalidade.”

    Eu cá tenho sérias dúvidas que isto alguma vez venha a acontecer. Primeiro, o elemento óptico de um smartphone está anos luz atrás do de uma DSLR. Depois existe o tamanho do sensor que o do smartphone é ridiculamente pequeno quando comparado com uma DSLR, principalmente se for uma 35mm.

  5. cascavel says:

    A câmera do meu smartphone é superior a minha câmera da Sony, a famosa Cybershot de 14.1 megapixels. Que no passado já foi moda!

  6. André says:

    Óbvio que as cameras fotográficas estão a morrer com a chegada de smartphones como o p20 pro… Para 99% dos comuns dos mortais já são mais que suficientes e evitam andar com um tijolo a rastos para qualquer lado que vão.

    O telefone anda sempre connosco ….

    Uso profissional… Obrigatoriamente uma máquina de topo!

  7. Sousa says:

    Sinceramente e para quem gosta e percebe de fotografia é óbvia a diferença entre as capacidades de uma full frame e as capacidades da máquina fotográfica de um telefone, tamanho do sensor, capacidade do flash, etc, etc…
    Para o dia a dia acho que cada vez mais a câmara do telemóvel é mais que suficiente agora para fotografia profissional….

  8. paulo dentinho o inutil says:

    pessoalmente estou-me a OBRAR para camaras prefiro sim uma boa bateria isso sim e o povo quer camaras a muitas

  9. TugAzeiteiro says:

    Para +90% do utilizador “normal” a camara do smartphone chega… quer seja no dia a dia, quer seja em ferias!
    Afinal de contas “a melhor camara é aquela que temos connosco”, e digam lá… o que é que têm sempre no bolso? Pois… o smartphone!

  10. Aulanio says:

    Para quem adora fotografar como hobby ou profissional nao acredito que va dispender 1000 euros ou mais num telemovel so porque tem uma ou mais cameras compativeis com as top compact cameras.O prazer de usar uma SLR e insubstituivel.Com esses 1000 euros,compro uma Nikon3400+28×70+70X300+1 telemovel media gama.

    • ze says:

      Até um topo de gama como o Xiaomi Mi8 a custar 353€!
      Mobile Dxomark 99p

    • photography guru (sqn :-)) says:

      exatamente! alem disso, ha coisas que os telemoveis nao têm, como por exemplo modos (prioridade à abertura, prioridade ao obturador), ou ajuste da compensação da exposição, flash interno que não é suficiente, ou mesmo falta de capacidade para flash externo…

  11. Mortágua says:

    Smartphones substituírem dslr ou mirrorless? Claramente não têm seguido o mercado da fotografia, a loucura de lançamentos e anúncios este ano tem sido abismal por parte das marcas.
    O que também se têm esquecido é que não podem comparar o tamanho de um sensor de um telemóvel com um sensor de 35mm ou até mesmo APS-C, de formos ao médio formato então nem vale a pena comentar. É verdade que os processadores têm evoluído e muito o que ajuda muito na “produção” da imagem. No entanto não se pode esquecer uma coisa, os smartphones estão limitados pela física do equipamento óptico e isto não tem comparação com uma lente fotográfica. Para quem apenas fotografia para ver num ecrã minúsculo, o smartphone é mais que suficiente, agora quem tem clientes e precisa fazer impressões em tamanhos médios ou grandes esqueçam lá o smartphone

  12. ze says:

    São as maquinas fotográficas compactas e as consolas de jogos!
    Cada vez mais os jogos estão melhores para os smartphones.

    • DrFrankenDerpen says:

      jogos em smartphones…. ahahahahahahahahah
      agora a sério: ahahahahahahahah

      não compares jogos em smartphones com pc gaming e consolas porque não há comparacão.

      • João Serra says:

        tas te a esquecer que os “novos” nao percebem isso, tamos na era dos smartphones

      • ze says:

        Como não tem comparação maquinas fotográficas com smartphones! 😉
        Tens o caso bem recente do Fortnite!
        Um fotografo não vai deixar de comprar uma boa maquina fotográfica como um gamer não vai deixar de comprar um PC ou uma consola! Mas na maioria com o utilizador normal vão perder!

        • Mike says:

          Comparações… Sr. Ze, o smartphone é comparável e na maioria das vezes ultrapassa em qualidade as maquinas compactas de gama média. Isto nada a ver com DSLR. Em off-topic, a comparação que para mim se destaca é Fotografo vs. Gamer. De um modo geral o rotulo fotografo é aplicado, a um profissional do ramo. O rotulo Gamer… é um “fenómeno” mais recente, onde determinado sujeito, é pago para jogar video jogos, obviamente. Confesso que ainda me faz uma certa confusão. E temos também os streamers e youtubers, que, em certo casos, ao final do mês arrecadam valores, que um comum trabalhador nem em 12 meses com horas extras atinge tal patamar. Não me entendam mal. Nada contra os Srs.(as) do ramo. Posso até incluir outro exemplo: Top/Super Modelos. Milhares e Milhões de rupias apenas para vestir umas roupas por umas horas… Dinheiro q.b., respeito, notoriedade…

          • ze says:

            Para mim é uma comparação válida! Porque gosto de ambos…
            Mas não ao ponto de correr para casa para jogar no PC ou consola ou no caso de fotografia comprar uma DSLR. Para um utilizador comum um smartphone chega! Mas posso dar mais comparações 🙂 Lanternas, navegar na internet, gps…
            Os smartphones já estão a roubar muitos mercados não é só nas maquinas fotográficas *.
            Afinal já começa haver gamers no mundo dos smartphones!
            Battlegrouds PUBG MOBILE star challenge
            http://www.pubgmobile.com/esports

  13. Filipe Ezequiel says:

    Como não percebo muito de fotografia, nem nunca tirei qualquer curso, como é obvio para registar aquele momento especial, uma maquina simples de 12 megas de 150 paus era suficiente, como é suposto, não faz qualquer sentido gastar 150 paus nesse tipo de equipamento se o telemóvel faz melhor ou igual!

  14. B@rão Vermelho says:

    A grande diferença na qualidade da fotografia é com pouca luz, ao meio dia em Agosto até a pior máquina tira boas fotos.
    Eu este ano vou pela primeira vez viajar agora em Novembro sem levar a minha DSLR, tinha até ontem um Honor 9, e fiz uma troca por um Samsung Note 8, e já tinha a ideia de este ano levar só o tlf, e agora que fiz a troca estou ainda mais convencido.
    A primeira impressão do Note 8, é muito boa, mas acho que a Huawei melhor em quase todos os aspectos, vamos ver.

  15. Spy says:

    Simples facto de que ter um dispositivo para fotos, outro para tlm outro para acesso a net. O smartphone bateu eles todos.

  16. Paulo106 says:

    Eu não consigo dispensar a maquina em 3 pontos ainda não atingidos pelos telemóveis. Facilidade de segurar a maquina para tirar fotos por causa de ser muito mais compacta que um smartfone, zoom ótico acima de x12, e autonomia das baterias que troco em 10 segundos. Tenho 3 para poder usar em viagens.

  17. Pedro Pinto says:

    Eu tenho uma Nikon 7100 + lentes 17-50 f2.8, 18-105 e 55-300.
    Desde que comprei o iPhone 8 plus, raramente pego na máquina.
    OK que o telemóvel não tem a melhor câmara do mercado, mas a qualidade é bem aceitável para o dia a dia e postar nas pedes sociais.
    Claro que a nível de qualidade entre câmaras é brutal, a qualidade da Nikon mete no bolso o telemóvel e quando se usa com menos luz não vale apena comparar porque fica anos luz do telemóvel.
    Mas entre andar com 200gr ou mais de 1kg é lógico que o telemóvel tem vantagem, daí estar nas preferências do utilizador ainda por cima se usarmos uma aplicação com câmara pro fica até mais interessante.
    Trabalhos de qualidade é com a máquina claro.

  18. Aulanio says:

    Existem dois tipos de fotografos.Aqueles que dizem,epa a minha compacta ou o meu telemovel tira boas fotos e aqueles que por gosto ou profissionalmente querem saber mais acerca de exposicao,abertura,modos de focagem etc.Nao misturem as coisas,quem realmente quer saber mais sobre o assunto ou e profissional nunca ira escolher um telemovel para os seus momentos de trabalho ou lazer.

  19. KodiakShadows says:

    Essa de optarem por telemóveis para tirar fotos só se for em Portugal porque por onde eu tenho andado cada vez mais se vê malta nova agarrado há sua Nikon, Canon , etc mesmo que em segunda mão. Cursos de fotografia nascem como cogumelos nos colégios na Europa, como o boom dos anos 70 nos Estados Unidos. Isto vem provar que a maquina DSRL não está, nem vai morrer, pelo menos tão cedo.

  20. Montnelas says:

    Felizmente, dantes comprar uma máquina fotográfica era caro e torna-se mais um apêndice. Quem diz de fotografia, diz de filmar, estas então, eram um autentico roubo.

  21. História says:

    Para mim daqui a uns 3 anos os smartphones vão ter maiores sensores mas não vai ter sensor aps pelo tamanho do sensor mas posso estar enganado. Se tiver sensor aps acredito que as câmaras de consumo passem a full Frame e os profissionais arranjem médio formato. Mas se forem ver ainda este ano e por 4000 euros e e compacta lançaram câmara médio formato. A full frame a mil euros ou menos . Acho que os smartphone vão ficar do tamanho de tablet já este ano ou para o ano .Depois disso vai tudo mudar

  22. Xlops says:

    Canon g9x MK2 vs qualquer smartphone que está no mercado..

  23. História says:

    Para mim daqui a uns 3 anos os smartphones vão ter maiores sensores mas não vai ter sensor aps pelo tamanho do sensor mas posso estar enganado. Se tiver sensor aps acredito que as câmaras de consumo passem a full Frame e os profissionais arranjem médio formato. Mas se forem ver ainda este ano e por 4000 euros e e compacta lançaram câmara médio formato. A full frame a mil euros ou menos . Acho que os smartphone vão ficar do tamanho de tablet já este ano ou para o ano .Depois disso vai tudo mudar

    • KodiakShadows says:

      É verdade Full Frame por pouco mais de 1000 euros, mas depois tens as boas lentes a custarem bem mais que o custo do corpo da maquina, e essa ainda foi a razão que me fez ir para uma D7500 e mais um grupos de objectivas.

  24. Miguel says:

    Deixo aqui mais algumas sugestões de artigo com equivalente relevância: estará o e-mail a roubar o mercado aos CTT? Estarão os processadores de texto a roubar o mercado às máquinas de escrever? Estarão os smartphones a roubar o mercado às calculadoras? (Para os literais, este foi um exercício de ironia relativamente ao absurdo de um artigo que se limita a constatar o óbvio… )

  25. Nuno Oliveira says:

    Penso que este tipo de notícias de pode comparar àquela resposta aleatória que se dá numa prova de escolha múltipla, em que se acerta rm cheio na resposta, mas pelo raciocínio errado…

    Sim, o mercado das máquinas compactas está mais fraco. Porquê?

    Segundo a notícia, porque há telemóveis com o mesmo sensor e com a mesma qualidade o que torna ridícula a compra de uma compacta…

    Faz sentido, mas para mim, o que está a matar as máquinas fotográficas é o desinteresse das pessoas pela fotografia.
    Ninguém tem hoje em dia um álbum fotográfico.
    Ninguém revela fotografias… Ninguém tem como ver fotografias das férias de há 5 anos num momento em que tem 5 minutos sem nada para fazer…
    As fotografias estão guardadas no google fotos, ou equivalente, onde se encontram misturadas as fotos de férias e com as imagens parvas do WhatsApp e com fotos de gatinhis ou fotos de ocadião e com a foto daquela receita que tirei, antes de tirar uma foto a um carro mal estacionado ou a uma sarjeta mal limpa para meter no face a criticar…
    As pessoas vêem as fotos no ecrã do telemóvel… Seja quem tem um p20 pro ou quem tem um wiko… Ecrãs esses mais pequenos que o standard do tamanho mais pequeno de fotografia há 35 anos quando revelar uma foto ficava a perto de 2€ (depois de aparecerem.as.fotos a cores) quando hoje fica a menos de 10 cêntimos…

    Penso que este factor é o mais importante…
    Mesmo quem tem aquele telemóvel de xuto, sem qualidade fotográfica, deixou de comprar máquina fotográfica…
    Não pela evolução da câmara do seu smartphone, mas pelo desinteresse geral pela recordação em imagem…

    Às vezes faz-me confusão ver a malta a gabar algumas fotos, usando adjectivos como fenomenal ou soberba, quando na realidade uma máquina fotográfica a custar metade do smartphone tem uma qualidade tão superior a isso que até é difícil compreender…
    Vale pela praticalidade e pelo comodismo… Nada mais… Na minha opinião, claro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.