Quantcast
PplWare Mobile

Conheça o TOP das linguagens de programação (fevereiro de 2021)

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. rjSampaio says:

    Assembly e C em alta, nice.

    • Carlos Coelho says:

      Curioso tb foi o meu meu “feeling”…

    • ToFerreira says:

      Provavelmente por causa dos sistemas embutidos/IOT.

    • Joao zbr says:

      Por acaso dei ambas na universidade e dominava ambas, mas nunca passei por uma empresa ke kizesse essas linguagens como prioritarias. Provavelmente nasci no país errado. Sempre achei linguagens como php, javascript, rubi mediores mas sao 50000x mais requisitadas. O meu cerebro nao me deixa dominar linguagens mal feitas mesmo que tenham evoluido no bom sentido. Agora estou numa linguagem que é mais decorar do que aprender. Ja parece o java que nunca gostei pela velocidade ma que era a comparar com C ou assembly.

      • Carlos Natario says:

        Só foi pena não te terem dado aulas de português.

        • Luis says:

          Mesmo…..
          Por isso e normal também as empresas por onde passa terem php como prioritárias….dasss

          • estudasses says:

            ou seja…por escrever “mal” porque quero as empresas que nem me conhecem escolhem linguagens mediocres para me evitar….enfim….botalhada nova da geracao do copiar e colar é que rulam…

        • estudasses says:

          so foi pena ainda estares uns anos atras de mim e provavelmente a vida toda de nao perceberes que o português é uma lingua mediocore. domino mais de 9 linguas e a portuguesa é a pior que ja aprendi. nao perco tempo com linguas medicores e de acentos que nao acrescentam nadinha há lingua. a lingua portuguesa pouco ou nada evoluiu enquanto em informatica evoluiu mais em 50 anos que qualquer outra qualquer ciencia. parolos como tu acha que estudar 9 a 14 anos uma lingua e um país inteiro nao a dominar ainda a defende….botalhada a ser botalhada…um informatico que em 3 ou 4 anos nao dominar uma lingua escolheu o curso errado…devia ter ido para parolo como tu.

      • Nuno says:

        O rubi ja caiu em desuso, o php só ainda é muito usado porque muitos sistemas usam php e agr as empresas simplesmente não têm interesse em mudar, e sinceramente nao existem alternativas muito melhores que o php

  2. adbu says:

    Groovy com alta subida

  3. Renato Nogueira says:

    Python I love

  4. Joao says:

    Eu estou fascinado com a linguagem QML, que não aparece na lista. A maioria das linguagens é mais do mesmo com diferentes sintaxes ( ciclos for, while, if else, switch case, etc) a linguagem qml tem conceitos muito interessantes como o o binding de variaveis, programação por eventos, animação de propriedade, …, a sintaxe é incrivelmente simples. Sempre que posso usá-la, não quero outra coisa.

  5. Luís says:

    Se não está aí o COBOL, isso está tudo errado 😛

  6. Miguel says:

    Tenho sérias dúvidas nestes dados …

  7. Ci says:

    Visual Basic em 6? O_o

    Whaaaat? Á frente de JavaScript?
    Espera espera…whaaaaat?

  8. pd says:

    A que se devem estas subidas? ASSEMBLY +12 R +13 GROOVY +26 lugares na tabela

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.