PplWare Mobile

Codificar ou Calcetar… eis a inovação!


Autor: Vítor M.


  1. João Caldeira says:

    Uau! Grande ideia! Como é que ainda ninguém tinha pensado nisso?

    • Nelson N says:

      Alguém pensou, por isso é que está lá, e é uma grande ideia!
      O último parágrafo do artigo dá para reflectir. É triste ver todos os governos dos últimos 25 – 30 anos não darem valor nenhum à História.

      • Dumitru says:

        Sim agora dizes que alguem pensou porque viste agora o video! Mas eu nunca vi algo parecido em nenhum lugar! vi diferentes coisas em calçadas, mas um QR nunca mesmo! E é sim uma grande ideia! Nao sei é como é que o governo aceitou isso, eles so sabem de roubar as pessoas, enfim!

      • mythic says:

        não é bem assim…o governo dá muito falor ao que é historico…para o poder vender 🙂 bom ano a todos

    • Rui Palmeira says:

      as calçadas também são uma coisa nossa (dos tugas), lá fora não vez disto em quase lado nenhum

  2. Pedro Pinto says:

    Excelente artigo!! Isto sim, é uma pedalada forte 🙂

    Parabens

  3. M.Manuelito says:

    Já poucas coisas me surpreendem, mas este artigo surpreendeu-me. Parabéns.

  4. azeroth says:

    Sinceramente, não acho que tenha sido uma boa ideia. Daqui a uns anos, com a massificação deste tipo de coisas, vai parecer um pouco disparatada, até. A calçada portuguesa prima pelo conceito estético e esta inserção do código Q-R, apesar da função útil, acaba por ser algo feio no meio da calçada..

    Penso igualmente que os cavalheiros que grafitaram a esplanada da imagem mereciam ser obrigados, no mínimo, a limpar 10x o que sujaram.

    • Dumitru says:

      Nao percebo porque dizes que fica algo feio no meio da calçada, enfim é a tua opiniao, mas eu axo que ficou ate porreiro! tantos metros de calçada e mais calçada, ver coisas destas ou outros desenhos ate que é porreiro! Cada um com a sua ideia e o seu gosto!

    • JEUDI PRANDO says:

      bom censo seria o equilíbrio ideal

      nem usar demais (vulgarizando a ideia e realmente deixando as calçadas ridiculamente feias) e nem deixar de usar (utilizar onde realmente faz sentido(nao usar para propaganda por exemplo) por força maior que os outros lugares e que faça sentido(em frente a uma estatua de 150 anos que remeta a um link que conte toda a sua historia))…

  5. Emannxx says:

    É bom ver que em Portugal ainda há quem tenha fantásticas ideias como esta 🙂

    Excelente artigo, e excelente iniciativa 🙂

    • Helder Coelho says:

      Felizmente para nós portugueses, existem muitos bons exemplos cuja genealidade ímpar leva longe os valores e a capacidade do empenho e engenho português.
      Há que elevar este orgulho. Temos um passado de topo, se acreditarmos mas sobretudo se fizermos, continuaremos na linha da frente, ladeando os melhores. 😉

      • Paulo says:

        Correto.. o potuga sempre foi muito engenhoso em tudo só é pena o governo português não dar mais valor e apoios a essa pessoas engenhosas que acabam sempre ou quase sempre por serem “abafados” pelos países com mais ajudas a esses ditos engenhocas.
        Somos poucos mas somos bons e com orgulho.

        Bom artigo.

  6. JP (djlinux) says:

    Mas que grande ideia, parabéns aos grupos envolvidos nesta ação.

    E parabéns ao Pplware por este excelente artigo.

  7. Rui says:

    Em Portugal há grandes ideias, têm é sempre que ver com o raio do marketing e da publicidade, dasse….

    Sebem o que foi? Foi o medo da matemática, foi tudo a fugir para cursecos de chacha e deu nisto.

    Agora as calçadas também podem ser utilizadas como veículo de campanhas virais! É que nitidamente ainda não chegavam…

    Se inventassem algo que acrescentasse ao mundo, isso é que era ou então, na falta de melhor inventavam masé um virus que atacasse as pessoas que tocassem num mac como photoshop instalado….isso é que era. Desapareciam os marketeers todos num ápice.

  8. JEUDI PRANDO says:

    como sempre, as melhores ideias são as mais simples

  9. Serva says:

    Bom dia ,

    EXCELENTE artigo , parabéns ao seu autor , a ideia como muitos de nós já o expressamos é genial e mostra a criatividade que nós Portugueses temos , ao contrario do que nos fazem crer em Portugal existe muita massa cinzenta, pena é que muitos de nós tenhamos que sair do nosso belo País para sobreviver .

    Aceitem os meus sinceros cumprimentos

    Serva

  10. Fábio says:

    Qual a aplicação para iphone que utilizam para ler os QR Codes?

  11. Power says:

    Parece-me uma excelente ideia, porque quem se aperceber do que é vai certamente ver a informação e achar uma boa experiencia da qual não se vai esquecer tão facilmente como se lesse um flyer.
    Parabens pela iniciativa.

  12. Ecchin says:

    Estou a imaginar os historiadores daqui a 100 anos a limpar este troço de calçada com um pincelinho de arqueólogo.

    «E esta calçada, datada de circa 2012, é um exemplo de como os cidadãos das antigas cidades comunicavam, utilizando os seus rudimentares telefones com câmara. O utilizador apontava a câmara para o chão, a câmara tentava ler a mensagem oculta no código QR e descodificava-a. Na altura era a forma mais rápida de passar informação de um lado para o outro!!!”.

  13. Filipe says:

    Parece boa ideia, mas daqui a 1 ou 2 semanas quando a calçada começar a ficar toda torta como as restantes calçadas, fica desfigurado e deixa de ser reconhecido como um QR Code. :S

  14. Daniel Coelho says:

    Na minha opinião, agora está em aberto fazer uma aplicação que permita ver em realidade aumentada!

    Podermos ver novamente Bocage no café Nicola ou Fernando Pessoa na Brasileira. Até mesmo a partida da armada portuguesa a 8 de Julho de 1497 comandada por Vasco da Gama!
    Enfim, a imaginação é o limite…

    Seria uma excelente colaboração entre a Câmara municipal de Lisboa e possivelmente algumas faculdades (ou para quem quiser tirar mais proveito do turismo!)

  15. Fernando says:

    A ideia está realmente muito boa, mas o artigo, esse sim, é do mais bem escrito que visto por aqui ultimamente (não que os outros não estejam bons, atenção). O autor está verdadeiramente de parabéns.

  16. Ana Narciso says:

    Excelente artigo e muito bem escrito!

  17. Afonso says:

    Ótimo artigo! Parabéns!

  18. André Gomes says:

    Estive lá na quinta-feira e não consegui ler isso. Não sei se era por ser de noite, mas o problema que vi foi a distância (demasiado grande para o espaço de scan na app).

  19. Esta ideia só tem lógica em espaços onde haja hotspots com Internet gratuita e aberta onde as pessoas possam aceder sem registos ou, pelo menos, onde os registos possam ser depois da conexão.

    Seria interessante que uma pessoa que quisesse aceder à Internet gratuitamente, fosse obrigada a autenticar-se com Google+, Facebook, Instagram, Foursquare, Twitter e Pinterest, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.