Quantcast
PplWare Mobile

A Xiaomi voltou a inovar e desta vez apresentou uma bicicleta

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Maria Inês Coelho


  1. David Ramos says:

    Muito interessante. Pena que não vamos ter isto por cá. Mas acho que alguma startup portuguesa devia tentar fazer algo do género.

  2. Akves says:

    Por esse preço fico já com uma.

  3. J says:

    Quando chegar a Portugal isso vai custar de 1000 euros

  4. Pedro Pinheiro says:

    Será que as lojas “chinesas” DX, Gearbest etc não a vao por à venda?!? Claro que vão!, espero

  5. okapi says:

    horrerosa! O melhior mesmo e’ deixarem-se pelos telemoveis e afins e ficam bem.

  6. kima says:

    400€? reservem uma para mim, sff.

  7. bruno says:

    Espero que chegue a Portugal e a preço competitivo, o ambiente vai agradecer. EVcycle.

  8. paulo teles says:

    a esse preço nem pensava duas vezes comprava uma já….

  9. Atavares says:

    Boa tarde. Esta bicicleta feita pela Xiaomi, não tem rodas? Tem asas e voa? Tem rodas quadradas ou triangulares? Não tem nada disto. Pena, mas desculpem ” A Xiaomi voltou a inovar e desta vez apresentou uma bicicleta “. Não, não inovou nada. Realisticamente, é apenas uma bicicleta, bastante horrorosa, com umas tretas.

    • says:

      Tanto ódio… Devias repensar a tua vida que isso não faz nada bem!
      Claro que inovou! Se o produto (bicicleta) não é inovação porque já existem, é inovação para a própria Xiaomi!! Pois saiu da ‘área de conforto’ – da gama de produtos – que lançou até agora! E a isso chama-se inovação (da marca)!
      PTI
      i·no·var – Conjugar
      (latim innovo, are, renovar)
      verbo transitivo
      1. Introduzir novidades em.
      2. Renovar; inventar; criar.

      “inovar”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/inovar [consultado em 23-06-2016].

    • Vlad says:

      Quantas bicicletas é que conheces deste género?

      • Atavares says:

        Mas que género. Duas rodas um guiador, dois pedais?. Todas e mais bonitas. O resto é treta. Todos os fabricantes têm melhores opções e muito mais bonitas. Pois… compreendo falta a guerra Android / IOS. Será que esta não serve apenas para os utilizadores do Android? 🙂

    • luislelis says:

      Da um exemplo de melhor dentro do preco sff. ( ver se consegues inovar)

      • Atavares says:

        Qualquer bicicleta, mesmo a do meu filho de 5 anos é mais bonita e melhor que esta treta. Inovar? Vamos ser realistas, não se inovou nada. Inovar é algo de novo, diferente. Esta bicicleta é feia e de inovador o que tem?

        • Pedro says:

          Treta é a do seu filho ser mais bonita (até porque ser mais bonito é relativo ao gosto de cada um) e melhor.

          Até porque tenho quase a certeza de que não é des/dobragem como esta e muito menos tem bateria integrada, sistema de assistência quando pedala dando um boost à pessoa em termos de velocidade, especialmente em subidas. Além disso o seu peso é equivalente a uma bicicleta normal (provavelmente como a do seu filho) mas com toda aquela tecnologia.

          A forma como integra a sua bateria em si já é uma inovação, mas o preço para o que oferece é sem duvida alguma a maior inovação.

        • luislelis says:

          Inovar = melhorar introduzir novos conceitos etc…
          Feio ou bonito= conceito pessoal de beleza e subjectivo.
          Uma bicicleta, leve, eléctrica, com GPS, faz 45km com 1 ciclo de carga, com Bluetooth, bateria invisível, e custa 400 oiritos. Que mais queres como inovação? Pelos vistos a biblioteca do teu filho já tem tudo isso.

        • JC says:

          Claro, deve ser uma iBike.

  10. Miguel says:

    Gosto. 400€? Quero. Já. Está espetacular. A forma como é desdobrada (braço da roda traseira a dobrar), colocação das baterias de fácil remoção, ciclo-computador integrado, seleção da potência auxiliar, autonomia, 3 velocidades, motor na roda da frente… Muito bom.

  11. Antonieta Avila says:

    É mesmo está que me servia

  12. AmdM says:

    Continuem a mandar dinheiro para a China que a economia nacional agradece

  13. dalso says:

    Penso que o mundo está ao contrario 😉 À 30 anos as economias asiáticas copiavam tudo do ocidente, não tinham nenhuma inovação, via-se imagens de Pequim com tantas bicicletas nas avenidas que pareciam formigas…. Agora penso que nós deviamos pagar na mesma moeda, isto é comprar meia duzia destas biclas e copiar e chama-las em vez de Mi, Meu ao qualquer treta! Passem bem y menos crispação, que gosta compra quem não não compra, só acho que não se deve comprar diretamente de sites chineses como Gearbest, efox etc, estes não pagam quelaquer imposto em Portugal….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.