Quantcast
PplWare Mobile

Smartwatches: Já ninguém os quer comprar?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. David says:

    Sinceramente entendo porque são equipamentos em queda. Eles não são tão uteis (ainda) como se pensava. Talvez quando vier a internet das coisas e conseguimos controlar o carro, etc, será mais… e quando conseguirmos ter um maior controlo da nossa saúde… eu tenho um e só o uso para ver as horas. Não vejo ainda uma grande utilidade. Dá jeito mas não tanto quando pensei dar…

  2. PP says:

    Para mim pessoalmente um smartwatch só terá utilidade quando substituir um telemóvel, dando nomeadamente para fazer ou receber chamadas. Até lá não preciso de mais uma coisa para carregar a bateria ao fim do dia. E diga-se de boa verdade, desde que se tornou moda ter que andar sempre com um telemóvel atrás que deixei de usar relógio, vejo as horas no telemóvel.

  3. David Ramos says:

    Eu acho que a causa disto é pelo facto de não se ver a venda smartwaches nas ourivesarias onde se vendem várias marcas de relógios (menos smartwaches).

    • Carlos Nascimento says:

      Como amante e coleccionador de relógios, o Smart wacth é tudo menos um relógio.
      Se pendurarmos um fardo de palha no pulso aquilo nunca vai ser um gourmet requintado.
      Andar a carregar a bateria daquilo o diariamente….. Eu só uso relógios mecânicos alguns automáticos, o movimento do pulso carrega a corda.
      Depois há os KINETIC da SEIKO, são de quartzo (para os mais exigentes da precisão ao segundo) e carregam pelo movimento do pulso também.
      Aquelas coisas podem ser smarts, nunca serão watches, por isso as relojoarias não querem saber daquilo para nada.
      Usar relógio de pulso ou não é uma opção de cada um, mas o relógio continua a ser a jóia do homem, é uma paixão.

  4. Str says:

    Inúteis e caros. Mesmo as marcas relojoeiras com tradição perceberam que não seria este o próximo salto e não apostaram tudo nisto, porque as pessoas ao olharem para o pulso só querem ver as horas.

    • Valentim says:

      inúteis existem muitos. mesmo as grandes marcas estão a entrar na mesma praia. informe-se e compre o meu apple watch stainless steel, para eu comprar, tag heuer connected.

  5. José Rodrigues says:

    Como diz o Zé povinho: Sol de pouca dura.

  6. censo says:

    É um gadget que não me atrai.

  7. Alberto says:

    Eu tenho um gear 2 e dá um jeitaço nos exames ja que tem camera 🙂

  8. LG says:

    Sempre os considerei inúteis. Sim chamou alguma atenção mas por amor de deus vamos tar aqui a brincar? A única coisa que realmente contribuiu ao utilizador foi divulgar as horas e isto com necessidade de carregar diariamente. Apple ainda abriu umas portas e levou o Watch OS mais longe… Continua por não dar em nada… Não passou de um trend como os tamagotchi… Mantive esta opinião desde que os primeiros foram lançados e sim, já os experimentei…

    • Hugo says:

      Mesma coisa aqui.
      Faz isto e aquilo, mas tendo eu o telemóvel a 2s de distância valerá mesmo a pena efectuar as mesmas tarefas num dispositivo menos funcional e perder muito mais que esse tempo?
      PARA JÁ não passa de um acessório de moda e como tal muita gente compra o iwatch tendo em conta o hype da marca.
      Obviamente que uma outra fatia dos utilizadores compra com o intuito da usabilidade, mas até à data ainda ninguém me conseguiu convencer desse mito 😛

    • Flavio says:

      Em relação ao Apple Watch acho útil pra quem tem problemas cardíacos e precisa verificar a sua pulsação constantemente, fora as outras utilidades em termos de saúde. Mas mesmo assim só mesmo o achava util se realmente substitui-se o smartphone, pois assim em muitos casos o smartphone ficava em casa, por exemplo para ir correr.

  9. Kekes says:

    Chamaram-me louco quando disse que os smartwatches não iam vingar nas presentes encarnações, pelo facto de serem pouco úteis e serem muito limitados. Pelos vistos tive razão. Isto não que dizer que, na minha opinião, seja a um producto falhado pois as empresas sacaram milhões de lucro a custa deles, mas quem perdeu foi o consumidor, ao qual não lhe acrescentou nada.

  10. AP says:

    ali para o Alberto… quando o patrão te pedir dados concretos e “na hora” quero ver de que te vale a estratégia da câmera

    • charles says:

      +1
      Estava mesmo a pensar nisso!!!
      Oh Alberto, não estudes, não…
      Depois vais andar a estacionar carros com um fantástico smartwatch.

    • Hélder Lima says:

      Até concordaria com o Alberto, se ele estivesse a investir o tempo em que não estuda em autoformação que de facto lhe trouxesse mais-valias para o mercado profissional.

  11. João says:

    Dois problemas a meu ver. O tempo de utilização que as baterias permitem e os elevados preços.

  12. MiguelDias says:

    Prefiro a MI Band2 que tem bateria para mais de 30 dias, não estou para ligar todos os dias mais um equipamento a ficha!

    Enquanto eles não perceberem isso que o ppl quer autonomia.

    • Joao says:

      +1 Tive a Miband 1S e agora tenho a Miband 2 e sinceramente, estou encantando com o equipamento, habituei-me a ter o telefone sem som e estou sempre contactável, sem incomodar no trabalho e a saber sempre que há necessidade urgente de atender/responder. E claro, autonomia importante.

    • Valentim says:

      já existe boné solar, com usb….

  13. FAB says:

    Não é “ninguém os quer comprar”… é simplesmente só há um de jeito: o Apple Watch. Que tem quase metade do mercado, em “fins de colecção”…

    Obviamente também não é para todos, porque é caro.

    • FAB says:

      PS: No ano passado, “Apple” foi a 2ª marca ocidental de relógios mais vendida, a seguir a Rolex.

    • Pedro Pedrosa says:

      Um dia tens me mostrar a quantidade de ações que tens na Apple 🙂 nunca vi ninguém tão fanboy como tu, ao ponto de comentar os próprios comentários uma e duas vezes só para justificar o que disse 🙂 Mas obrigado pela dose diária de comédia que nos dás a todos 😀

    • Miguel Sousa says:

      Falta é dizer que 96.4% dos relógios da Apple foram usados por pouco mais de 30 dias e estão dentro das caixas. A própria empresa ficou aflita quando lançou uma actualização e só 22000 relógios foram actualizados em 2 meses. Tal é a utilização…

    • Alpha says:

      Não leste a parte do “um de jeito” ter registado uma quebra de 72℅, i.e., superior à média? 😀
      O AW vendeu logo uns quantos aos iFãs que foram a correr comprar um (e agora nem os usam), de resto pouco mais vendeu.
      Ia ser a espécie de smartphone reduzido (em tudo) que ir levar à falência a relojoaria suíça, que vende verdadeiras jóias… Ahahah! Só mesmo na cabecinha retorcida dos iFãs! 😀

      • FAB says:

        Quero ver quando começarem a contabilizar o Séries 2, o que é que tu dizes.

        Smartphone reduzido é o Android Wear, que foi o maior flop da história da electrónica pessoal!

        Nem, todos juntos, para a Garmin chegam!

        • Alpha says:

          É… “Para a próxima é que vai ser”! Para a próxima é que o iPhone encolhido com uma bracelete (nem se deram ao trabalho de desenhar um relógio) vai singrar! 😀

  14. Rui says:

    Tenho um samsung gear fit 1 e devo dizer que comprei no olx a um preço bem abaixo do valor comercial na altura com medo da verdadeira utilidade do mesmo.
    Passado talvez 2 anos não me vejo a trabalhar sem o gear fit.
    Não preciso de fazer chamadas nem ver o calendário ou o tempo. O que preciso mesmo é ao estar a trabalhar e andar com o telefone no modo de vibrar de ver quem me está a ligar.
    Desde que o tenho nunca mais deixei uma chamada por atender.
    O lado desportivo também veio mais tarde a realçar a sua utilidade.
    Sem duvida que a autonomia é uma chatice e tenho de fazer sempre a gestão de desligar o Bluetooth para economizar bateria.
    Resumindo gosto deste modelo mas não preciso mais do que isto, vibrar nas chamadas e sms e para correr.

  15. L. Kanbaru says:

    Eu tenho o SmartWatch 3 da Sony, e tenho autonomia de 4 dias. Pensei que teria de o carregar de dois em dois, pois foi a Sony que lhe deu tal autonomia.
    Uso-o para ver horas claro, quando o telemóvel está a dar música nas colunas e está fora do alcance serve para mudar de música, aumentar ou diminuir o som, para ver mensagens rapidamente, seja sms, fb ou hangouts é um espectáculo, para dar uma resposta não é tão fácil mas funciona perfeitamente para um “Ok” sem sequer tirar o telemóvel do bolso, quando tou com fones sem botão e quero atender chamadas o relógio também resolve, quando não sei do telemóvel e estiver no alcance do bt do relógio basta seleccionar a opção de localizar que ele põe-se a tocar que nem um louco, muitas vezes o uso como lanterna também, não tão conveniente como o flash do telemóvel, mas serve para o desenrasque muitas vezes… e acho que é tudo. Por mim acaba por ser um pouco indispensável.

  16. Modem says:

    Atenção que o crescimento é referente ao market share e não às vendas

  17. Ze says:

    Só tem utilidade para quem pratica desporto ou para quem é maníaco por dados dos wereables.

  18. Bm says:

    Comprei mesmo só por curiosidade e só o trabalho de o por a carregar constantemente para ter horas e sincronização de algumas “coisas” , para mim é dispensável..

  19. Miguel Sousa says:

    Tal como a venda de tablets se está a afundar a uma velocidade gigantesca, os smartwatches apanharam o hype inicial, para se descobrir que não tem qualquer utilidade. Já existem muitos smartwatchs que substituem o telemóvel (quase todos provenientes da China) sem precisarem de ter o tijolo no bolso ou na mala. Só que com uma autonomia que não chega ás 72h em standby ou 8 horas em utilização, de pouco servem.
    Isto lembra-me umas das últimas declarações do Steve Jobs que garantiu que toda a gente iria querer era tablets mais pequenos que os 4’22 que a Apple vendia e nunca iriam aceitar maiores que isso.

  20. Mauro Rodrigues says:

    Quase ninguém compra relógios e quem os compra é por gosto, os smartwatches são a mesma coisa. Por isso a única maneira de eles vingarem é fazê-los parecidos aos tradicionais mas com melhoramentos. Aqueles quadrados e grandalhoes são uma parvoice . E é preciso que os smartwatches não dependam da presença do smartphone. é preciso que sejam independentes um do outro e recebam e façam notificações por si mesmos. Assim como estão agora não deixam de ser apenas apendices do telefone.

  21. Pedro Ramos says:

    Na minha humilde opinião, esta questão tem muito a ver com o facto da tecnologia ainda não estar ao nível do necessário, a grande maioria dos relógios são demasiado volumosos e ao nível de design deixam um pouco a desejar. Aquela que é, a meu ver, a maior falha é a fraca capacidade das baterias. Um relógio tradicional pode levar anos a precisar de mudar de pilha, um smartwatch precisa de ser carregado todos os dias.

  22. Luis says:

    Estive para comprar um, mas acabei por comprar um relógio clássico, à Homem

  23. Kn0xx says:

    Comprei recentemente um Mi band 2 e acho que é o simples Smartwatch que cumpre o que pede sem mariquices e a bateria dura.
    Eu acho é que as marcas não “acertaram” no conceito … alias praticamente ninguém acertou em cheio no conceito de smartwatch. Sobretudo porque quiseram dar mais funções do que aquelas que são básicas e simples, comprometendo a bateria e o preço.
    Depois de comprar 2 smartwatch com sistemas bem diferentes.

  24. okapi says:

    Foi gadgets que nunca me despertou interesse, prefiro um dos meu Swatch Iron com 20 anos e zero problemas

  25. Yordanov says:

    eu sei, eu sei qual é o proximo: é o sanita gadget!!

    Enfim.. em vez de se melhorar o que se tem, inventam se cenas…

    Podem falar mal do windows phone e do ios, mas acreditem que com estas especificações corriam e batiam o android com uma perna as costas. Sempre disse: o android tem de ser otimizado, não é so inventar!!

    • Hugo says:

      Estás a falar de quê mesmo?

      • Yordanov says:

        Hugo,

        Estou a falar de tudo em geral… inventa se demasiado e não se melhora nada!!

        – Smartwatches, para quê? Se o iOS, android, etc, estão com bugs…
        – Smartphones, com 300gb de RAM e 1000cores, para quê? Existe uma coisa chamada “otimização”
        – etc.

        Agora como as vendas dos relogios está em queda, deixam se de lado (uns a explodir, outros a quiemar a pele, outros com bugs) e inventa se outra porcaria qualquer… Então e esses gadgets, não se melhoram? Versão 3, 4, 5, 6, 7… cada vez melhor e mais otimizados, não? Talvez seja por isso que ainda não comprei nenhum relogio…estão com demasiados problemas 😉

        Abraço

  26. router says:

    posso dizer que estes smartwatch por mais engraçados que sejam, da minha perspectiva não valem de modo algum o investimento , dada a utilidade que tem, logo é mais uma gadjet para o monte como milhares de outros, o smartphone tem tudo o que é preciso, logo usar um relógio como adereço interligado ao telefone pode parecer engraçado para muitos, mas não faz qualquer sentido, dai estar a começar o mercado a cair, até podiam acabar com eles que nem fazia diferença…

  27. André says:

    Honestamente a única coisa que me impede de comprar um Apple Watch é a bateria. Dois dias de carga (aproximadamente cinco horas com GPS ligado ou a ouvir música) não chega, nem de perto.

  28. arkan says:

    O principal problema dos smartwatches são dois: 1- bateria, 2- utilidade por preço tão elevado.

    Eu tenho um gear s, e odeio a bateria dele se usar o modo 3g ativado, o gear s2 é bom mas todo dia tenho de carregar. E se por na mesa os pros e contras, os contras ganham…nao que seja ruim vc na festa, ou usando ele e todos falarem que bonito, mas é só isso.

    Eu talvez compre o gear fit2 que pelo andar da Samsung quando chegar no Brasil vai ser GEAR fit 10!

  29. Wishmaster says:

    O principal problema, para além de ser caro, é que não substitui completamente o telemóvel. Logo, teremos que andar sempre com o telemóvel atrás que vai fazer as mesmas coisas, mas melhor. Conclusão: pouca utilidade para o preço pago, seja ele de que marca for.

  30. Miguel Marques says:

    No meu ver só existe algumas atenuante quando ao smartwatch.
    o preço relação ao tempo de utilizaçãon e o valor em si em relação a geração seguinte.

    Hoje em dia e com a exceção talvez do Pebble, os smartwatch tem muita pouca autonomia.

    Por exemplo, a Apple na apresentação do Apple Watch 2 falou de todas as alteração menos a autonomia do relógio.
    Convenientemente esqueceram-se de mencionar esse ponto que ficou inalterado!

    O utilizador não quer um acessório que no passado era de manutenção baixa para depois ter de se preocupar a coloca-lo a carregar ao fim do dia, porque caso contrario no dia seguinte terá de voltar a tirar o telefone do bolso para ver as horas e pagou por um acessório que custou-lhe os olhos da cara e ficou em casa a carregar.

    Na minha experiência, todos os utilizadores que tem um smartwatch com baixa autonomia deixaram de utiliza-lo depois de realizarem que afinal não é um acessório tão conveniente, quando esqueceram-se de carregar-lo mais que uma vez.

    Outros dos fatores, é mesmo o preço, num mundo em constante evolução tecnológico é complicado enterrar cerca de 400€ por dispositivo que vai acabar os seu dias como um pisa papeis.

    Eu pessoalmente e como já foi dito aqui, vou esperar que o mercado estabilize mais um pouco e depois quem sabe comprar um bom smartwatch.

  31. Gustavo says:

    Boas, a única utilidade que vi quando apareceram foi de os usar quando faço desporto. Comprei um daqueles de 8€ que veio lá China e é top para quando vou correr, tem cronômetro e mais umas coisitas, nomeadamente fazer chamadas sem ter que pegar no telemóvel, se for preciso. Estou satisfeito, e foi mais barato que um cronômetro comprado na sportzone.
    Bem haja

  32. Filipe Vieira says:

    Amigos,por experiência própria digo que falando de smartwatch nada se compara ao Pebble de preferência pós primeira versão…a relação preço/qualidade/funcionalidade/autonomia,é fantástica…isto é quase como o cliente Toyota”e não tenho nenhum Toyota”quem experimenta nunca mais quer outra coisa…eu até sou fiel ao relógio convencional,mas depois de pesquisar bastante e após muitas indecisões,optei por comprar um na Amazon.es e confesso que nunca mais o tirei do pulso….

  33. Bovidino says:

    Ou o smartwatch substitui o smartphone ou vai morrer mesmo. Ninguém precisa de um smartwatch que se limita a ser apenas um auxiliar do smartphone. Falta criatividade, inovação, e ousadia aos fabricantes.

  34. Rui Pereira says:

    Os relógios de desporto fazem imenso sentido, para quem corre ou cicla então é mesmo obrigatório para melhorar o rendimento e otimizar o treino. Não admira por isso que a Garmin tenha subido tanto na quota de mercado e a Apple tenha agora lançado uma versão desportiva em conjunto com a Nike.

  35. EuTech says:

    Smartwatch na minha opinião é mt inútil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.