PplWare Mobile

Primeira rota comercial de entrega de encomendas por drones


Autor: Pedro Pinto


  1. Joac says:

    Estão aflitos para acabar com postos de trabalho, depois quero ver quem é que vai precisar de encomendas entregues por drones ou outra coisa qualquer, quando a grande parte da população estiver desempregada e sem meio de sustento. Ah, já sei. As máquinas passarão a ser clientes delas próprias. Ok. Está bem visto. O ser humano depois terá maus tempo para se dedicar à actividades lúdicas, é isso que apregoam,

    • JorgeM says:

      Pensa nas vantagens. Imaginando um cenário de acidente, provavelmente um drone conseguirá entregar ao médico, um medicamento, que de outra forma demoraria demasiado tempo, salvando-se assim uma vida. Mas existirão outras situações em que fará todo o sentido.

      • Hugo says:

        Sem dúvida que em casos específicos um drone chega a substituir equipas inteiras de humanos.
        No caso deste tipo de entregas vejo muitos problemas, sendo o maior deles o “humano” que está cá em baixo a observá-los.

    • João MS says:

      Por essa ordem de ideias a revolução industrial também não deveria ter acontecido. Deveriamos todos andar a cavalo e iluminar com velas.

    • Tico says:

      Tendo em conta que geralmente o estafeta passa de carro perto da casa do cliente (gps) mas nem sequer sai deste e depois entrega as encomendas num ponto de recolha, muitas das vezes ainda recebe mais algum por fora só para o fazer (para justificar a existência), obrigando a que o cliente tenha de lá ir levantar a encomenda. Também diziam mal dos cães nos aeroportos a encontrar drogas… nos países onde estes estão presentes a droga apreendida aumentou quase para o triplo, lembra-te que tu não pagas a um cão para ele não ver, da mesma forma que tu não pagas ao drone para ele não notificar o cliente (equivalente a tocar na campainha) e assim impedir que este receba a encomenda.

    • Poyta says:

      Não seja ignorante, olha a evolução industrial, houve estes problemas? Nao! Não existe desaparecimento de emprego, existe sim transferência de emprego, maior especialização e etc… precisas rever seu conceito.

    • Pedro says:

      Peço desculpa mas isso é pensamento retógrado…
      Abdique de toda a tecnologia e automação na produção alimentar,você e eu morremos à fome.

    • victor says:

      obviamente estamos a reduzir custos menos úteis para que essas pessoas possam ter trabalhos mais dignos, visto que os drones precisam de manutenção e mão de obra especializada. tirasse o trabalho chato que ninguém gosta e criasse um trabalho de alto nível.

      Mas pelos vistos tem gente que ainda não aceita as novas tecnologias… Típico de portugueses.

  2. ro301 says:

    Preparem-se para noticias de queda, abate, desaparecimento, terrorismo… Não estou a dizer que não se deva investir neste mercado. Mas que irá haver muitos problemas nisso não tenho dúvida.

  3. Carlos V says:

    – Pai onde vais?
    – Vou caçar algo para comer.
    – Uma perdiz?
    – Näo, um drone.

    • Dumitru says:

      Ja ouviste falar em outras linguagens instaladas em pc ou smartphones? Claramente se ve que ele usa um equipamento que nao é portugues, tal como eu usu ingles e nao tem acentos….

    • Hugo says:

      Essa foi bastante rebuscada LOOOL
      Como é mais que óbvio ele enganou-se e não é de todo grave para a compreensão do texto.

      Quanto à piada, embora sarcástica, faz todo o sentido.

    • Carlos V says:

      Amigo, é mesmo ausência de til, mäe, viräo, etc…
      Quanto a ir à escola, mais näo… depois de ter feito a auto-estrada mesmo todinha até ao fim, passando em todas as portagens que possas pensar, quero ter é descanso.
      Quanto à anedota, lembro-me da arma para caçar drones que foi retirada do mercado, näo sei porquê… Mas uma fisga também funciona com os pseudodrones… ou uma nerf se voarem baixinho e invadirem áreas privadas…
      – –
      – Pai, vamos caçar pokemons?
      – Näo filho, caçar pokemons deixa o poväo marreco. Vamos caçar drones que assim andamos com a coluna direita. Caçar drones faz bem à saúde, lá está.

  4. JorgeM says:

    He pá. O pessoal só vê o copo meio vazio. Ninguém vê o copo meio cheio.
    É típico do Português, certo?
    Ninguém consegue vislumbrar uma oportunidade de negócio / emprego, que de outra forma não existiria?

  5. FCM says:

    Por amor de deus…..

    Drone precisa de uma pessoa a controlar 1 drone 1 pessoa….

    Sem emprego são aqueles que não querem trabalhar…..

    Português no seu melhor….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.