Computadores Quânticos – Um desafio para o século XXI

Por Tomás Santiago para Pplware.com

Destaques PPLWARE

42 Respostas

  1. Pérolas says:

    Qual é o SO que corre nestes “bichos” futuristas?

    • Tomás Santiago says:

      Vários sistemas operativos já têm sido desenvolvidos em grandes universidades. Esse é também um grande desafio porque o processamento de Algoritmos nos Computadores Quânticos é diferente. Para já são usados Supercomputadores para simular processador és quânticos. Atualmente os programas são desenvolvidos em computadores “normais” e só depois correm nos Computadores Quânticos.
      O desenvolvimento de SOs ainda está no início.

    • Pedro H. says:

      Deveria ser Windows. Qualquer IA a correr sobre Windows podia crashar se algum dia tivesse de decidir revoltar-se contra os seres Humanos xD

  2. ZeAvec says:

    Post excelente ! Bom trabalho

  3. Nuno Peixoto says:

    Artigo muito bom e muito interessante!
    Obrigado PPLWARE.

  4. Daniel says:

    Portas lógicas quânticas são o grande problema…

    • Mestre Gonçalves says:

      Não irão ser grande problema de futuro, cientistas já conseguem controlar com feixo de luz a orientação dos atomos.

      • Daniel says:

        *quarks

        Isto é quântica, não é linear. É possível estar nos dois estados ao mesmo tempo, daí o desafio. Controlar feixes já fazem à muito, controlar os estados é que não.

  5. joao says:

    O desafio dos computadores quânticos é chegar ao publico, nada mais.

    • Pedro Pinto says:

      Ao público? Não é de todo esse o segmento.

    • V3rm3 says:

      “Os Computadores Quânticos não estão a ser criados para substituir os Computadores Clássicos” – acho que está bastante claro….

    • Homo Erectíssimo says:

      Ó “joao”,leia a conclusão deste excelente artigo da Maria Inês Coelho.—»”Os Computadores Quânticos não estão a ser criados para substituir os Computadores Clássicos e tal não acontecerá nas próximas décadas.Para além de serem extremamente difíceis de fabricar são ainda mais difíceis de manter.” NEM NAS PRÓXIMAS DÉCADAS !! 😀 😀

  6. Jona says:

    já oiço falar disto desde os anos 90…um dia irá chegar…como o D.Sebastião…

  7. Charles says:

    But can it run crysis?
    A sério, adorei o artigo.
    Muito bem explicado.

  8. V3rm3 says:

    fantástico artigo! parabéns Tomás Santiago!!!

    • Tomás Santiago says:

      Muito Obrigado!

      • Carlos Gonsalves says:

        Este excelente artigo escrito por si (Tomás Santiago), transforma o complicado para leigos em a,b,c… escrito de forma simples e compreensível para nós que andamos nestes meios.
        Continue a contribuir com os seus conhecimentos publicando artigos deste tipo. Eu, pessoalmente agradeço. Muito obrigado.

  9. jAugusto says:

    Mais tarde ou mais cedo vamos lá, como aconteceu no passado: “… in the early 1950s, only the largest firms and institutions could afford a computer. Leasing for about $200,000 per month in inflation-adjusted 2010 dollars, a large-scale computer occupied roughly a hundred square meters, used thousands of vacuum tubes, consumed over a hundred kilowatts, and needed a full-time operating and maintenance staff…”

  10. Filipe Teixeira says:

    Isto não vai andar para a frente enquanto não resolvermos o princípio da incerteza, até lá não serve para nada.
    Engraçado como descobrimos o mundo quântico à mais de 100 anos e nunca ninguém o entendeu verdadeiramente.

  11. AlexX says:

    Será uma evolução daquele inventado há 5 anos pela IBM? Que usa chips líquidos ao invés de chips de silicone e tem um poder de processamento 100 vezes maior que um supercomputador? Ou este quântico vai ainda mais longe? Porque o primeiro e o que li sendo verdade, já é usado pelos governos americano, russo e chinês…

  12. Avocunha says:

    Excelente artigo e digo excelente porque o autor consegue tornar fácil aquilo que parecia difícil

  13. Anónimo says:

    Pelo que sei a D-WAVE tem à venda computadores quânticos:
    https://www.dwavesys.com/d-wave-two-system

  14. António says:

    Por enquanto, o que não se sabe É MUITO MAIS do que aquilo que se sabe na questão quântica!
    Falta ainda descobrir e entender o essencial, e isso não é tarefa fácil, e não parece provável que aconteça nas próximas décadas.
    É (será) uma revolução de tal envergadura que não conseguimos sequer imagina-lá!

  15. Amilcar Alho says:

    Parabéns pelo artigo ao autor e a quem o publicou.
    “serviços financeiros (encontrar novas formas para modelar dados financeiros de modo a fazer melhores investimentos)”, isto mete medo, muito medo…

  16. Style says:

    Vai ser dificil isto tornar-se comercial, pelo menos para já porque a manutenção de um bicho destes é qualquer coisa de abusivo. O conhecido D-Wave, quase que cabe numa caixa ATX se analisarmos os espaço ocupado pelos componentes funcionais, mas acaba por ocupar uma superficie de cerca de 12 metros quadrados por causa do sistema de refrigeração.
    A camera frigorífica onde o D-Wave está instalado é o local mais frio que existe à superficie da Terra segundo os operadores.
    Quanto a SOs, não tenho a certeza e posso estar a dizer asneira, mas daquilo que vi do D-Wave, pareceu-me que estava a correr em DOS.

    Quanto ao Principio da Incerteza citado em cima, falou-se na sua eventual “resolução”. Não me parece que isso vá acontecer até porque o mesmo é já um dado adquirido. Apenas é possível saber-se ou a posição imediata ou a velocidade de uma partícula, nunca ambos em simultaneo, ainda para mais quando a dualidade particula/onda já foi confirmada a nível quantico pela experiência Delayed Quantum Eraser que não é mais do que uma Double Slit com uma espécie de caminhos dicotómicos para exclusão de partes.

    O exemplo do Schroedinger’s Cat na altura não passava de uma hipotese mas hoje já foi observado. É o chamado entrelaçamento quantico (Quantum Entanglement) entre particulas.
    Isto levanta uma questão pertinente. O amigo Einstein jurava a pés juntos que no Universo nada se pode mover a uma velocidade superior à velocidade da luz. No entanto, a nível quantico isto não é verdade, já que as particulas “entrelaçadas” trocam informação entre si de forma instantanea (sem delay).

    Pergunto-me se teria sido só aí que ele estivesse errado. 100 anos depois a Relatividade ainda continua a ser uma teoria que nunca se tornou numa Lei cientifica. Será que estariamos mais evoluidos tecnológicamente se nos tivessemos libertado da teoria da Relatividade?

  17. Ricardo Machado says:

    Excelente artigo. Parabéns Santiago

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.