Quantcast
PplWare Mobile

Maricoin: chegou a primeira criptomoeda LGBTQIA+

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Hugo Nabais says:

    Maricoin?
    Se não, é parece piada de dia um de abril!

  2. NotFUD says:

    Mais uma shitcoin, esquema para vos comer dinheiro…

    A única moeda é BITCOIN!

    • GM says:

      Está em linha, “..para vos comer..”. Vá de retro.

    • João says:

      Usando a mesma tecnologia ou tecnologias semelhantes existem inúmeras “coins” virtuais que que muita gente chama de moeda digital.
      É virtual porque não tem qualquer entidade que garanta o seu valor, valor esse que depende da procura e da oferta, sem qualquer tipo de regulação.
      Não está dependente que qualquer fator produtivo nem comercial, ou seja vale o que alguém estiver disposto a pagar para a comprar. É mais ou menos como as ações, embora estas estejam sujeitas a um mercado regulado.
      No entanto neste preciso momento vale muito dinheiro e não me importava de ter alguns durante o tempo suficiente para os revender com algum lucro.

  3. diogo says:

    Só faltava esta 🙂
    A fome no mundo vai acabar com a Maricoin.

    O pplware de vez em quando tem um humor… 😀

  4. ddqdd says:

    LGTVUHD 55″

  5. Jota says:

    Maricoin vem de mariconço? A julgar pela quantidade de gays que existem, esta moeda vai ter sucesso!

  6. Alvaro Campos says:

    Será, este nome, politicamente correto?
    Os gays não gostam que lhes chamem “maricas” e aparece uma crypto com este nome???
    Para onde vais, mundo?

  7. Há cada gajo says:

    Gostava de ouvir os comentários da respectiva comunidade sobre o nome escolhido para a moeda.

    • Filipe says:

      Dito assim até parece que há um porta-voz oficial da comunidade: nem todos tem que se comportar e pensar uniformemente.
      Dito isto, como auto-proclamado representante da comunidade, há 2 escolas de pensamento: a primeira e a mais antiga que não considera que a liberdade de expressão, e portanto o politicamente incorreto, seja um problema: por exemplo, a palavra queer na língua inglesa era utilizado como um insulto desde o século XIX, mas a partir dos anos 80 foi inteligentemente utilizada e reivindicada por uma organização LGBT+ como uma alternativa radical e provocadora de designar a comunidade LBGT+. Funcionou bastante bem, e hoje em dia não tem a conotação negativa. Esta escola de pensamento considera que a liberdade de expressão foi um aliado para se falar de assuntos proibidos numa altura mais dominada pela religião, tabu na sexualidade, … (um status quo conservadora).
      A outra escola, mais abraçada pelas novas gerações, considera que o politicamente incorreto e o “direito de ofender” é um problema.
      Feito o estado da arte, proponho uma terceira escola de pensamento que dá mais importância ás intenções do que ás denominações. E a intenção parece-me clara no artigo.

  8. SteveRobs says:

    É caso para dizer …. É PÁ MATEM-SE!

  9. Antonio says:

    Estou a ver que há muita gente aqui que já meteu 50 paus

  10. Sentei na... says:

    Cada moeda ja vale 10’paus’ :)))

  11. Asilca says:

    Lembro-me de um bar no porto há já muito anos que era LGBS (lesbicas, gays, bissexuais e simpatizantes), ou seja um bar normalíssimo. Agora temos LGBTQIA+…….. é suposto sentir-me mal por ser heterossexual? É que não vejo o H no meio daquelas siglas todas.

  12. JF says:

    A República Popular da China (RPC) dá mais um passo na sua soberania monetária, ao lançar a sua própria moeda electrónica:

    – China está prestes a lançar moedas eletrônicas em todo o país

    https://br.sputniknews.com/20220104/china-esta-prestes-a-lancar-moedas-eletronicas-em-todo-o-pais-20912540.html

    Infelizmente Portugal não pode seguir o mesmo exemplo, pois não possui soberania monetária, o que é pena pois a passagem do dinheiro físico para o dinheiro electrónico/digital, vai acabar com a lavagem de dinheiro e outros crimes financeiros assim como o recebimento indevido de subsídios do Estado por parte indivíduos ou empresas.

    • ervilhoid says:

      pois mas baniram as outras para dominarem tudo

    • Eu says:

      Andas tão tapadinho.
      A pior coisa que se deseja é uma moeda digital controlada pelos estados.
      Alem de ter todo e qualquer controlo sobre as finanças ao ponto de poder decidir onde podes gastar, quanto ou quando, não tens sob a tua alçada o registro das transações.
      As fraudes financeiras vão poder subir em flecha. Antes seria qualquer um que poderia usar estratégias fraudulentas, agora só mesmo a cor politica ou o interesse dos amigos dos estados e de empresas de conluio.
      Se queres ter uma pequena experiencia, vai viver para a China e logo verás.
      Somente uma moeda digital com registros públicos em blockchain garante a soberania do seu detentor e única que o pode fazer, é o Bitcoin.

    • zequinha says:

      Não dizes coisa com coisa !
      Então como é que os crimes financeiros se fazem ? Carregando dinheiro em sacos e guardando-os na cave ?!

  13. iSheepNot says:

    Hoje em dia tudo é ofensivo, tudo é sensível, tudo é discriminação.

    Estas iniciativas, de promover tudo o que não é heterossexual, apesar de aparentemente bem intencionadas, a meu ver, fazem o oposto. A partir do momento em que se cria uma sigla para designar os não-heterossexuais já se está a discriminar.

    Falando da notícia. Quem for heterossexual não pode usar? Vai ser preciso declarar a orientação sexual para se poder fazer trading? E os gays não podem usar outras cryptocoins? Enfim.

    • Filipe says:

      Quando se comemora o “dia da mãe”, não significa necessariamente um dia “contra os pais”. Nem a existência de uma organização de apoio a mulheres que sofrem violência doméstica, significa que não hajam homens nessa mesma situação.
      Grupos de pessoas tendem a juntarem-se e a especializarem-se em problemas comuns mas não necessariamente majoritários.
      Não é preciso explicar que a igualdade de tratamento na sociedade, a igualdade na lei (casamento/adoção/doação de sangue/acesso a bens e serviços/…), a falta de leis específicas (pra transgeneros) e até a criminalização (medicamentos/tratamentos/castração/perseguição/pena de prisão e de morte) não era nem é partilhada com os heterossexuais em quase todos dos 200 países.
      De qualquer forma diz-se que as feministas com a desconstrução do género ajudaram a comunidade LGBT+ sem saberem ou quererem, e eu acrescentava que a comunidade LGBT+ ajudaram na libertação sexual dos heterossexuais sem saberem ou quererem. Portanto, acredite que a denominação não tem a intenção que lhe dá.
      Agora, percebo algumas críticas a este novo “marketing-LGBT” por parte das empresas.
      Em relação ao segundo ponto, sendo uma criptomoeda, por definição, é descentralizada e utiliza tecnologias como a blockchain e a criptografia, e portanto fica complexo neste sistema discriminar alguém seja no que for. Aliás, é para isso que ela serve.

  14. FreakOnALeash says:

    Mais milho para tentar as galinhas, depois vão à engorda e entretanto esse grande esquema de ponzi vai-as assando.

  15. ComGetinho says:

    Vai já estar na próxima aula de cidadania sobre esta moeda inclusiva, mas anti homem CIS Branco .
    O progressismo social perpetuado por liberais e esquerda, ira culminar na destruição da cultura Europeia, la na , Áfricas, Arábias e Ásia já olham para o revisionismo histórico, cheios de vontade migrar para a Europa, mas esses novos Europeus não vão nestas cantigas progressistas na hipocrisia da esquerda e liberal que protege a cultura dos não nativos, e mata sua própria cultura., esta a vista, só não vê que não quer, ou não se importa com a liberdade e futuro dos seus filhos .

  16. zequinha says:

    Dizem promover a igualdade e o direitos dos excluídos e depois criam uma moeda exclusiva !

  17. PorcoDoPunjab says:

    Mas mas mas , mas o que é isto?:) LOL…. Maricoin..ahahahahaha
    Como é óbvio foi um Maricon a escolher o nome porque se fosse um Hetero ai que insulto.

    Civilização Europeia vai ter um triste fim, à lá Império Romano.
    Mas a única coisa, no meio disto tudo, que me dá um grande gozo, é saber que aqueles que hoje trazem milhões de muçulmanos para a Europa, serão os primeiros a sofrer no lombo quando eles mandarem nisto.
    Esquerdistas, progressistas, feministas, gays.. esperem aí que eles a devido tempo irão tratar de todos vcs.
    Gays então é para enforcar e feministas ficam na cozinha a lavar a loiça e é melhor não reclamar senão toma lá morangos que é para não ter ideias.
    É só ver o que se passa nos países deles, não estou a inventar nada…
    Veremos quem tem razão…

  18. ervilhoid says:

    Já também a let’s go Brandon

  19. Ochinês says:

    Há muita gente enganada quanto à natureza das criptomoedas.
    A primeira coisa que é preciso fazer é esquecer a parte da “moeda”. A conversa de moeda descentralizada & blockchain é conversa da treta.
    As criptomoedas não são moedas, são ativos, que valem o que se estiver dispostos a pagar por elas. Com uma particularidade, cada uma das criptomoedas tem que ser avaliada enquanto software útil a alguém – como disse Kevin O’Leary em entrevista à “Forbes” (o link está no outro post). Daqui decorre que se uma dada criptomoeda não tem utilidade (a não ser para os seus criadores procurarem encher os bolsos) vai desaparecer.

    Então qual era a utilidade apregoada da Maricoin? Diz o post que quem os estabelecimentos que a aceitarem entram para o dito guia LGBTQIA+, o que é uma forma de angariar clientes. E é feito um apelo a quem pertence a essa comunidade para usar a Maricoin, em vez de dar dinheiro a ganhar aos bancos. Não falta também uma suposta empresa investidora a dizer que ainda a Maricoin não foi lançada e já há milhares a querer adquiri-la.
    Convém analisar tudo como uma operação de marketing para criação desta criptomoeda. As questões LGBT são irrelevantes, do que se está afalar é de como montar um negócio.

  20. Carlos Pires says:

    Atenção que isto é um esquema, basta olhar ao site deles e fazer algumas pesquisas.
    Quem anda no mundo da crypto se vai olhar a este projeto tem todas as red flags de esquema para tirar dinheiro ao pessoal, a começar pelo site que está mal feito, não tem white paper nem nenhuma info tecnica, depois nao tem equipa nenhuma…

    Pplware compreendo noticiarem isto mas indiretamente estao a dar suporte a esta moeda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.